A PRÁTICA DE PEDAGOGIA DE PROJETOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM BREVE ESTUDO

Lidivânia de Lima Macena. Pedagogia - UEPB-CAMPUS III lidigba@yahoo.com.br Avanay Samara do N. Santos. Pedagogia - UEPB-CAMPUS III avanaysamara@yahoo.com.br Angélica de Paula Gonçalves Rosa Pedagogia - UFPB-VIRTUAL subzarrania@bol.com.br Profª Ms. Luciana Silva Nascimento – Orientadora - UEPB -CAMPUS III lucnasci@terra.com.br

Resumo: A Pedagogia de Projetos neste artigo enfatiza o trabalho na Educação Infantil, bem como a contribuição do ensino-aprendizado do educando. Abordaremos neste trabalho um breve histórico a respeito da pedagogia de projetos como também a entrada desta Pedagogia no processo interdisciplinar nas escolas. Pois, através deste método pedagógico, a participação do aluno é indispensável para o desenvolvimento da aprendizagem e sucesso do projeto. Para fundamentar os nossos estudos nos apoiamos em teóricos como: John Dewey (1916/1964), Leite (1996), Piletti (1999), Nogueira (2007) entre outros. A partir do uso da pesquisa bibliográfica ficou evidente que o método da pedagogia de projetos faz com que os alunos tenham a oportunidade de confrontar os conteúdos estudados em sala de aula, seus conhecimentos prévios, a vivência dos fatos observados e a (re) significação dos saberes incorporados através de projetos, que envolvam o seu cotidiano de forma a desenvolver seu aprendizado. Desta maneira formando cidadãos conscientes de sua realidade político-social e capaz de reagir a ela. Salientamos que este artigo tem como objetivo também servir como uma orientação para se trabalhar com a pedagogia de projetos com crianças na educação infantil e também aprimorar a formação do educador. Palavra-chaves: Pedagogia de Projetos. Educador/Educando. Educação Infantil.

Tentaremos mostrar as mudanças na sociedade que influenciam na escola. no principio do século XX na obra do filosofo e professor John Dewey e seu seguidor Kilpatrick. despertando uma consciência critica. do curso de Pedagogia da UEPB. Através da pedagogia de projetos a escola se propõe a ensinar o aluno a pensar. no estudo dirigido individual entre outros trabalhos. com uma nova visão da educação dando ênfase a autenticidade. o docente neste processo consiste em orientá-lo quando necessário na organização das ideias e como executá-las. O educando deve converter-se em um ser ativo que concebe. interferindo desta forma na educação que tem um grande desafio no processo de ensino – aprendizagem. que consiste em fazer uma relação entre o conteúdo estudado e a realidade dos fatos da vida diária. Projetos didáticos: um breve histórico O debate singular a respeito da Pedagogia de Projetos surgem com o advento da Escola Nova. Segundo Pilleti (1993) O método de projetos. a metodologia utilizada neste artigo foi à consulta bibliográfica de autores que trabalham a temática.Introdução O presente trabalho versa uma reflexão em torno da importância de se trabalhar com a Pedagogia de Projetos na Educação Infantil. A sociedade vivencia mudanças de caráter estrutural. de forma que o aluno possa se tornar o protagonista de sua atividade culminando com a ampliação de seu conhecimento. promovendo discussão em grupo. se propõe a transformar as atitudes dos alunos durante o ensino. . O método de projetos teve seu desenvolvimento impulsionado pelos princípios da chamada Pedagogia Ativa. criatividade e construção do conhecimento. que defendeu essa modalidade de ensino em sua obra Método de projetos (ANNA CAMPS. Para tanto. 2006). estimulando a inteligência coletiva. prepara e executa o próprio trabalho. O interesse pelo tema surgiu a partir dos estudos no componente curricular Prática Pedagógica IV. A pedagogia de projetos emergiu uma grande discussão em torno de sua contribuição ao processo de ensino e aprendizagem. e transformando o aluno em sujeito da ação pedagógica. evitando assim que o cotidiano escolar seja submergido pela mesmice do dia-a-dia. Campus III.

A Pedagogia de projetos visa elevar o espaço escolar. . vivenciar os sentimentos. (PILETTI. (LEITE. transformando-o em um ambiente aberto a realidade do aluno e volta o aprendizado para as necessidades destes. e dar um caráter de neutralidade aos conteúdos. D]) Este método tenta fazer com que os alunos atuem. seus modos de viver. em vez de se tornar apenas ouvintes. introduziu o compromisso livre e a democracia. mas ultrapassando este conceito ir mais além que apenas ensinar os conteúdos. quem sabe. É um ser humano que está desenvolvendo uma atividade complexa e que nesse processo está se apropriando. é impossível desconsiderar sua história de vida. Ao participar de um projeto. pelos problemas criados. mas principalmente pelas experiências proporcionadas. mais tarde.Neste sentido Dewey nos apresenta o que ele chamou de técnicas educativas: Em vez do clima autoritário tradicional. Isso significa que é impossível homogeneizar os alunos. 118). ou seja. que execute seus próprios experimentos em vez de aceitar sem consciência crítica as informações que lhes são repassadas pelo professor. O professor é um guia. [S. 1993. ao mesmo tempo. nessa perspectiva. suas experiências culturais. escolhendo procedimentos para atingir determinados objetivos. de um determinado objeto de conhecimento cultural e se formando como sujeito cultural”. Ensina-se não só pelas respostas dadas. A criança vem para a escola para resolver os problemas que enfrenta no seu meio ambiente. A criança não vem para a escola para adquirir conhecimentos que lhe servirão. o aluno está envolvido em uma experiência educativa em que o processo de construção de conhecimento está integrado às práticas vividas. O trabalho com projetos traz uma nova perspectiva para entendermos o processo de ensino/ aprendizagem. de forma que venham participar. apenas um “aprendiz do conteúdo de uma área de conhecimento qualquer. P. As atividades desenvolvidas com base neste método não podem ficar unicamente na oralidade. a formação dos alunos parte deles e para eles. desvinculando-os do contexto sócio-histórico que os gestou. pela ação desencadeada. sem um objetivo concreto. como um colega mais experiente. de forma a contribuir com a mudança da comunidade em que estes educandos estão inseridos. Esse aluno deixa de ser. tomando atitudes diante dos fatos. que o aconselha e o ajuda. Estudar deixa de ser um simples ato de memorizar e decodificar os signos linguísticos.

Precisamos acreditar que a instrumentação do professor é o diferencial para possibilitar um ensino atual e adequado a educação tradicional. devem ser orientadas para objetivos claros e bem definidos. conceitos e métodos inadequados para atender a esse novo aprendiz que interage de maneira rápida em seus diferentes meios sociais. Pedagogia de Projetos: Um egresso interdisciplinar A interdisciplinaridade surgiu no cenário educacional a partir da década de 70. 27). se coloca. Aquilo que praticávamos ontem não é mais suportável hoje. na visão da pedagogia de projetos os assuntos pertinentes e significativos devem ser abordados na sala de aula com a mediação do educador. . a fim de substituir nossas posturas. Segundo os PCN. (NOGUEIRA. Não podemos continuar encarando nossos alunos como aqueles de 10. Porém uma alternativa que pode ser trabalhada na sala de aula de forma a valorizar a contextualização do cotidiano do aluno e a possibilidade da interdisciplinaridade. cultural e econômico que a sociedade vem sofrendo. com uma nova concepção de aprendizagem causando otimismo por parte do corpo docente. Junto com o estudo dos PCNs (Parâmetros Curriculares Nacionais) que abordam a temática em questão nos livros volume oito(8) e nove (9). As mudanças no âmbito social. A aula deweyana é uma conquista das capacidades e obtenção de experiências. a escola não deixa esta discussão fora dos debates. 2007. ambos trabalham os Temas Transversais. e quebrar alguns paradigmas. Isso significa que é uma discussão sobre uma postura pedagógica e não sobre uma técnica de ensino mais atrativa para os alunos. p. 20 ou 30 anos atrás. Esta nova compreensão a respeito da pedagogia de projetos veio como uma saída para a prática da interdisciplinaridade. e principalmente aquela com “máscara” de não tradicional. produzindo reflexões sobre o papel da escola dentro do novo modelo de sociedade que se desponta em nossa frente e como o alunado pode se preparar para esta realidade.Pelo contrário. É nesse contexto e dentro deste debate que a discussão sobre Pedagogia de Projetos. hoje.

22) encontramos: Os projetos são assim porque abrem uma brecha naquela coisa meio morna do dia-a-dia da sala de aula. 40). a Língua Portuguesa à formação de uma identidade cultural. portanto. 2001. os educandos são freqüentemente curiosos. Em Almeida (2000. a uma relação entre disciplinas (BRASIL. Nesta fase. historicamente se constituiu. O processo de aprendizagem inicia-se antes da escolaridade obrigatória. Nesta perspectiva Dewey (1964. sobre os ambientes e recursos tecnológicos que fazem parte do cotidiano ou que estejam distintos no tempo e no espaço. Ao trabalhar um projeto interdisciplinar. É papel da escola e do professor estimular os alunos a perguntarem e a buscarem respostas sobre a vida humana. Refere-se. tal como é conhecida. Criam possibilidades de ruptura por se colocarem como espaço corajoso. ouvem e sentem. no qual é possível unir a Matemática à Biologia.430) com a chamada Pedagogia Ativa considerava que a educação “é um processo de vida e não uma preparação para a vida futura. buscam explicações para o que vêem. a Química à História. As fontes para a obtenção de respostas e de conhecimentos sobre o mundo vão desde o ambiente doméstico e a cultura regional.A interdisciplinaridade questiona a segmentação entre os diferentes campos de conhecimentos produzida por uma abordagem que não leva em conta a inter-relação e a influencia entre eles – questiona a visão compartimentada (disciplinar) da realidade sobre a qual a escola. até a mídia e a cultura de massas. o educador dá oportunidade dos alunos terem através de um objetivo em comum adquirir conhecimentos multidirecionados na práxis pedagógica. p. A escola deve representar vida presente. as crianças chegam à escola tendo um repertório de representações e explicações da realidade. P. p. no bairro ou no pátio. estes questionamentos podem ser aproveitados para se trabalhar a pedagogia de projetos com possibilidades de ocorrer interdisciplinaridade e aprendizagem. Portanto. podendo satisfazer a curiosidade da criança no tema abordado em todo o seu aspecto. Tão real e vital para a criança como o que ela vive em casa.” Pedagogia de Projetos na Pré-escola .

os estudos de Piaget. dá explicações e legitimidade às práticas pedagógicas.Nas classes da pré-escolas é possível elaborar projetos. A Pedagogia de Projetos visa à re-significação desse espaço escolar. a escola é novidade. O aluno é o condutor do processo. que os educandos. pois esse procedimento permite conhecer as representações e conceitos intuitivos dos alunos. transformando-o em num espaço vivo de interações. É necessário considerar que a pedagogia de projeto é uma concepção de educação construtivista que veio para aperfeiçoar o trabalho escolar. Em especial para as crianças na primeira infância.9). considerando e respeitando o que os alunos desejam saber. A partir dos estudos de Barbosa (2008) na educação Infantil. assim. Possibilita. A chamada segunda infância. p. Para isso. é caracterizada pela criança nessa fase possui um repertório de imagens e ideias quantitativas e qualitativamente mais elaboradas. todos da escola vão desejar envolver-se com o projeto. ao decidirem. construam sua autonomia e seu compromisso com o social. O trabalho com Projetos traz uma nova perspectiva para entendermos o processo de ensino-aprendizagem. ela nos fala: Um projeto gera situações problemáticas. ao mesmo tempo. reais e diversificadas. período que vai de 0 aos 3 anos na qual elas aprendem muito. opinarem. pois é através dele que a escola projetar-se-á para resolver as situações problemas. conhecer e descobrir de acordo com a sua idade e amadurecimento. aberto ao real e às suas múltiplas dimensões. gerando várias possibilidades de conhecimento na construção de uma escola que perceba que o trabalho em conjunto pode gerar autonomia que facilita a aprendizagem na fase posterior. período que vai dos 3 aos 6 anos. na medida em que tudo parte da situação problema para busca de situações didáticas que vise solucioná-la. Um aspecto importante na pedagogia de projetos é o professor incentivar o aluno a formular suposições e perguntas fluindo sua visão critica. apontam que as crianças aprendem desde que nascem. (LEITE. sob influências no processo de aprendizagem. Ainda de acordo com Leite (1996. .8).1996: p. debaterem. entre outros. Wallon e Vygotsky. orientando o processo de construção de conhecimento.

por isso. Considerações Finais A pedagogia de Projeto vem sendo causa de várias discussões entre professores que buscam oferecer condições de reflexões sobre a prática de ensino em todas as modalidades e suas atribuições. Podemos dizer que a Pedagogia de Projetos ensina a aprender com as orientações dos PCNs.No que se refere à Pedagogia de Projetos. pois se tem a . ela exerce uma possibilidade de estabelecer relações que permita trabalhar com maiores variedades de informações. para possibilitar a transformação da educação pra atender seu maior objetivo: a reconstrução do homem e do mundo por meio do resgate da cidadania. capaz de transformar a escola e possibilitar o sucesso dos alunos. sendo o aluno o sujeito no processo de aprendizagem. Portanto. criar. preparar os alunos para a vida tornando-se cidadãos conscientes de sua realidade social. convém não lhe dar a resposta ao que não sabe. 2001) “É preciso ensinar a identidade terrena. mas. nem a solução pronta a seus problemas. formando cidadãos críticos capazes de interagir com o mundo. alargando a compreensão do mundo e das interações do aluno com este mundo. principalmente. 47). construir. motivála a descobrir saídas. Percebe-se que. inovar é um desafio para a educação lançada pela pedagogia de projetos que tem uma visão de romper com o tradicional. é fundamental alimentar-lhe a curiosidade. hoje. orientá-la na investigação até conseguir o que deseja. Neste sentido Freire diz: “Saber ensinar não é transferir conhecimento. A Pedagogia de Projetos na Educação Infantil tem uma perspectiva de envolver os educandos no contexto de aprendizagem continua centrada nas necessidades de sua realidade. numa perspectiva de sujeitos ativos e atuantes na sociedade. na educação infantil. que arrisque. A instituição escolar visa não só desenvolver o cognitivo. a esperança”. a paz. Na visão de Edgar Morin (MORIN apud QUEIROZ. que atue de fato e que exerça sua cidadania. enfim. mas. tente e busque novos conhecimentos. o uso dos projetos para se trabalhar com situações problemas é a forma mais eficaz de se educar as crianças a respeito da questão abordada. precisamos de uma escola que ensine a pensar. p. Despertando nele a paixão inata pela descoberta e. Assim sendo. mas criar as possibilidades para sua própria produção ou sua construção” (1996.

et.. sendo ele em caráter de comunidade escolar ou comunidade familiar./Abr. Claudino. Maria da Graça Souza. York: Macmillan. ou seja. Lúcia Helena Alvarez. São Paulo: Érica. 2006. Parâmetros Curriculares Nacionais: Pluralidade Apresentação dos temas transversais: ética/ Ministério da Educação. BRAGA. Porto Alegre: Artmed. 2001. Revista Presença Pedagógica. Porto Alegre: Artmed. John. V. Projetos pedagógicos na educação infantil. São Paulo: Paz e Terra. Márica M. PILETTI. BRASIL. 7 ed. DEWEY. e sim como um educando ativo e participativo na aprendizagem. Referências ALMEIDA. JÚNIOR Fernando Moraes Fonseca. HORN. Projetos e Ambientes Inovadores. Nilbo Ribeiro. modificando a visão que a escola vem apresentando para as crianças. Paulo. o professor . Propostas didáticas para aprender a escrever. 2000. 2. Podemos concluir que ao trabalhar com a pedagogia de projetos. Desta maneira formando cidadão consciente de sua realidade político-social e capaz de reagir a ela. LEICK. 1999. São Paulo: Ática. 1996. AL. 2008. Brasília: A Secretaria. 2001. Didática Geral. Pedagogia de Projetos: uma jornada interdisciplinar rumo ao desenvolvimento das múltiplas inteligências. Democracy and Education. v.possibilidade de integrar o sujeito em problemas de discussões sociais. QUEIROZ. Tradução Valério Campos. Anna. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Ministério da Educação. São Paulo: Rideel. BARBOSA. Pedagogia de projetos Interdisciplinares: Uma proposta prática de construção de conhecimento a partir de projetos. LEITE. Maria Carmem Silveira. Pedagogia de Projetos: intervenção no presente.. Brasília. Tânia Dias. . ed.tem a possibilidade de não cair na repetitiva prática pedagógica da mesmice do dia-a-dia e tem a possibilidade de ter uma prática dinâmica na organização do trabalho pedagógico onde as crianças são consideradas co-autoras do seu processo de aprendizagem. 2007. CAMPS. NOGUEIRA. Mar. Fernando José de. Secretaria da educação Fundamental. N.1916/1964. 1996. Belo Horizonte: Dimensão. Elaine Penha. 33. como apenas receptoras passivas do processo ensino-aprendizagem. FREIRE. MEC. n 08.