cheirodotesao.blogspot.

com

http://cheirodotesao.blogspot.com/2011/10/guia-para-chupar-xoxota.html? zx=8f309e749f3723b3#.TxTnfqUS3Qw

GUIA PARA CHUPAR XOXOTA
Homens são péssimos em chupar xoxotas. Não porque eles não gostem, mas porque é mesmo muito foda fazer isso direito. Você tem que aprender. Chupar bem é a chave de quase tudo nessa vida (inclusive para ser bem chupado depois). Então, essa é a hora de dominar essa técnica. Assim. O segredo pra chupar bem é ler os sinais. Você pode ser o melhor técnico em sexo do mundo, mas se não souber decifrar os sinais pelo caminho vai acabar perdido numa terra improdutiva de lábios vaginais até cair de exaustão, morto, com lágrimas de frustração escorrendo pelo rosto. Pense na chupada como uma maneira de dizer, “Apesar de estar querendo te arregaçar por dentro, meus sentimentos por você são nobres”. Ao invés do “AAAAAI” que ela normalmente solta, como se tivesse vendo seu bebê ser atropelado por um caminhão, o cunilíngua gera um murmúrio mais “AIAIAIAIAI”. M ais ou menos igual à reação que ela teria ao receber uma massagem com frutas exóticas de um sheik árabe gostoso. Uma boa chupada equivale a mil anos de sábados consecutivos e parece uma daquelas propagandas felizes de telefonia celular. Então preste atenção. 1) CurtaNão faça nada se não estiver a fim. Diferente de um boquete, uma chupada de xoxota nunca pode ser feita como um favor. Fazê-la sem vontade não trará bons frutos. Chupe como um porco chafurdando e várias mancadas serão perdoadas. 2) Não deixe a fonte secarUma xoxota seca é uma xoxota triste. Se seus dedos encontraram um ambiente seco, volte aos beijinhos e abraços por mais um tempo. Certifique-se de meter os dedos por entre os lábios. Às vezes o molhadinho fica preso entre eles, e uma simples intervenção é o suficiente para fazer o mel pingar. Quando tiver certeza que está tudo bem molhado, dê umas batidinhas safadas ali com o dedo. Nada pode ser pior que ter pressa, então, antes de cair de boca, certifique-se de que ela está a ponto de implorar por isso. Dica amiga: Seja como o Prince e ofereça seu dedo lambuzado para vocês compartilharem como um milk-shake com dois canudos. Importante: Não vá queimar seu záp antes da hora enfiando o dedo inteiro. Isso pode acabar com qualquer expectativa da penetração. Lembre-se que 78% do prazer feminino está no tesão de esperar. M eter o dedo antes da hora pode acabar com o fogo. 3) M issão submarinaAssim que ela estiver espumando, é hora de descer. M antenha os dedos longe dali e não toque em nada por enquanto. Se esfregue um pouco e mande uma chupada no pescoço como se estivesse se despedindo antes de ir viajar. Apesar da tentação de puxar as cobertas por cima da cabeça enquanto você vai descendo, esta é uma péssima ideia. Fica quente pra caralho lá dentro e você não quer começar a sufocar dez segundos antes dela gozar porque quebraria o clima. Comece dando beijinhos nos peitos e na barriga enquanto desce devagar. Só não vá se perder nas tetas – isso é algo que você já deveria ter feito antes de tirar as calças dela. Agora é se concentrar na barriga e nas coxas. Umas mordidinhas são bem vindas, mas o mais eficiente é começar pela altura dos joelhos e subir em direção à xoxota em um movimento lento, mas tenaz, como um tubarão. Lamba tudo, até chegar ao limite. Ignore o foco e repita o movimento na outra

perna. Isso vai deixá-la louca de tesão e economizar um bom tempo de atividade oral. Quando estiver pronto para a missão, pratique um pouco naquela dobra estranha ao lado dos lábios. Só não passe muito tempo ali, ou ela pode pensar que você acha que aquilo é a xoxota de fato. Ela já deve estar morrendo para que você faça o que tem de fazer. Se estiver no caminho certo, ela vai estar gemendo e tentando forçar sua cabeça para o meio das pernas. Prolongue este momento até que ela esteja com olheiras e cara de quem não respira há 3 dias. Dica amiga: Passeie com a boca pela região por uns cinco segundos antes de meter a língua. Se demorar muito mais que isso, ela pode pensar que você está enrolando por causa do cheiro – e é claro que todo mundo sabe que a filha da mãe cheira como uma panela de camarão fervido. Importante: Nunca, de forma alguma, morda a xoxota. Se você não entende isso, desista e volte para a punheta. 4) Dividindo o M ar VermelhoPrepare o campo de batalha. Pentelhos são para uma chupada o que cáries são para a higiene dental. Você não conseguirá identificar todas as partes se elas parecerem a capa do That What is Not, do PIL. Uma dica quente é fazê-la separar os lábios com os dedos, assim a buceta se abre para você como um grande banquete. 5) A entrada triunfalDê a primeira lambida bem devagar. É bom gemer também – mostra que você está curtindo e manda vibrações audiofônicas direto pra dentro. Comece logo acima do cu e continue até chegar ao montinho de pêlos. Faça uma série de seis dessas “Lambidas de São Bernardo” (bem devagar, uns quatro segundos por lambida) antes de partir para a ação. Este é um bom momento para descobrir que tipo de clitóris ela tem. Se for um muito sensível, ela provavelmente vai ter um chilique, indicando uma caminhada fácil. Se não houver reação quando você passa por ele, provavelmente ela é dona de um daqueles clitóris de ervilha e você vai ter trabalho até sentir uma tendinite na língua. 6) Chacoalhe o barcoChupar xoxota é algo tão delicado que pode te fazer sentir meio viado. Se você está cansado de bancar a bailarina, vá direto ao ponto. Descubra quanta ação o clitóris dela aguenta sem deixá-la desconfortável e mostre quem é o comandante. Afinal, o Sr. Esquivo é exatamente o que faz da arte de chupar xoxotas algo tão difícil. Ele é cercado de lábios e, mesmo depois que você o encontra, qualquer pressão pode desviá-lo do centro e, de repente, você estará dando ao canal urinário a melhor vista da sua vida. Imagine o clitóris como sendo um tumor dentro de uma pilha de lóbulos de orelha. Quando você separa tudo, ele é o aquele mais durinho. Uma vez que sua língua achar o dito cujo, chame por reforços. Use seus lábios para abrir caminho entre os dela e foque toda a sua atenção em isolá-lo. Uma vez localizado, castigueo por ter tentado se esconder. Seja traquina e bata-lhe na cabecinha. M ais depois. Dica amiguíssima: A melhor maneira de estimular o clitóris é correr sua língua inteira por ele depois de isolá-lo dos lábios. O ‘capitão’ deve sentir a textura inteira da língua toda empurrando seu corpo e seu barco. 7) Identificando o tipo de clitórisDepois das lambidinhas com calma, é hora de começar a festa. São dois os tipos de clitóris: os que curtem uma pegada forte e os que não. Este último é tão ruim quanto um pau de dois centímetros, então você deveria vazar o quanto antes. Dica amiga: Clitóris vêm nas mais variadas formas, tamanhos e sensibilidades, o que não quer dizer muita coisa. Todos eles querem ser tratados com carinho no começo, e a única coisa que vai te dizer se você vai poder acelerar são os sinais. Isso é impossível de ser ensinado, mas faça seu melhor. Tudo o que podemos dizer é que uma convulsão significa “pegue leve” e gemidos querem dizer “manda bala”. 8a) Clitóris que precisam de um bom trato Esses são os mais legais, porque você pode ser criativo. Finja que sua língua é o policial mau e o clitóris é o assassino do seu parceiro. Separe-o dos seus amigos (os lábios) e chupe-o pra dentro. Agora ele é seu. M antenha-o ereto criando uma câmara de vácuo na sua boca. Espanque o safadinho na cabeça com uma linguada. Ele não vai confessar nada porque é um clitóris e não faz ideia do que você está falando, mas dê-lhe uma coça de qualquer maneira. Depois de algumas prévias e turbilhões circulares, espanque-o como um boxeador treinando numa pêra. Se ele começar a se assustar como se fosse demais, alivie no interrogatório e volte para as lambidas de São Bernardo. O vácuo é um grande jeito de levá-la ao orgasmo, mas às vezes pode

passar do ponto, então reveze entre movimentos circulares e penetração linguistica. Quando estiver chegando perto de desvendar o caso, volte à câmara de vácuo e linche o suspeito. Cima-e-baixos são geralmente os croques mais eficazes, mas sua língua vai ficar menos cansada se você alternar com uns direita-esquerda. Quando sentir os tremeliques, é isso. Fique nessa, repetindo. NÃO tente ser criativo. Você está na cara do gol e não é hora de mudar o esquema tático. Dica amiga: Para manter o ritmo, tente mentalizar um mantra que siga o movimento da sua língua, do tipo indiano mesmo (hi-yi-yi-ya, hi-yi-yi-ya, hi-yi-yi-ya). Qualquer ação incompatível pode acabar com tudo, quebrando o clima ou pelo menos retrocedendo em alguns minutos, o que é ruim para o moral. Importante: Continue por bons segundos depois do orgasmo. Lembre-se de que nada acabou até que mãos cheguem de cima e tirem você de lá. Se ela for do tipo orgasmos-múltiplos você vai ter que seguir em frente até que tenha completado todo o procedimento umas quatro ou cinco vezes. Se não souber o que fazer, apenas continue mandando bala até que as mãos mágicas apareçam e façam-no parar. 8b) Clitóris que não Alguns clitóris não querem ser separados e agredidos. Esses são os mais chatos e precisam ser tratados com carinho. Nesse caso, banque o São Bernardo até ela gozar. Simples assim. Se começar a ficar de saco cheio, tente dar uma escapada por algum outro caminho. Uma boa maneira de variar é pronunciar diferentes letras do alfabeto com a ponta da língua. Estamos falando de uma boa meia hora, o que pode ser problemático. Se você aguentar tudo isso e ela não gozar, você vai acabar de mau humor, então se for muito trabalhoso, siga em frente. Pelo lado positivo, ficar lá por trinta minutos é uma coisa que poucas pessoas têm paciência para fazer, então espere por uma bela recompensa quando aquela ‘semaninha’ chegar. 9) A conclusão Assim que acabar (serviço completo), ela vai querer você fora de lá na hora porque aquela região é muito sensível. Ao invés de sair, ponha a língua pra fora e lamba tudo como um tapete empapado e espesso. Certifique-se de não mexer nada para não machucá-la, apenas deixe sua língua descansar por lá como uma arraia por volta de trinta segundos. Depois levante e limpe sua cara como um pirata. Isso vai te dar um bom minuto pra botar a camisinha e sequestrá-la dos aposentos do príncipe M ohamed M ohamed Saddat para a cabine do seu F-15. EXTRA 1) Eliminado Se duas mãos de repente caírem do céu e começarem a puxá-lo, você acaba de ser eliminado. De qualquer jeito ela vai falar que nunca goza com oral, mas a verdade é que você chupa mal pra caralho. Apenas dê a ela uma boa trepada e entenda tudo como um aprendizado. M ais tarde você vai poder perguntar onde errou pra poder fazer direito na próxima vez. Se você for muito ruim, vale pedir por uma narração em tempo real. Um pouco do bom e velho “devagar-você-tá-indomuito-rápido-isso-aí-continua-isso-aí-mesmo-perfeito” pode transformar qualquer cabaço do linguado em especialista. 2) O tira gosto Nada mantém você tão no controle do jogo – e faz ela gozar tão forte – quanto uma lambidinha no meio da transa. Desatracar pode deixá-la meio confusa, mas é uma ótima jogada para todos vocês, ejaculadores precoces, pra dar uma desacelerada e lembrar o clitóris dela que ele é importante. Se, passados alguns segundos, ela não se mostrar muito feliz com a ideia, saia pela direita dizendo que não conseguiu resistir. Aí desista e volte à lapada. Dica: A não ser que você curta o gosto do seu pau coberto de látex, mantenha o tira gosto na região acima do clitóris e fique longe do buraco. 3) Os fundos Dedos: Se o caso é o de uma megera suculenta, ela talvez vá querer alguma coisa no rabo. O polegar é a melhor opção, mas lembre-se que esta é uma atitude atrevida e que deve ser guardada para o final. Se por acaso você estiver tentando o fio-terra na melhor das intenções, tente fazê-lo durante o orgasmo. Se isso não estragar tudo, você vai ter uma reação pavloviana aos seus dedos pelo resto da relação.

Buraco: Não vamos tratar da lambida na escotilha nessa matéria porque se você já está nessa quer dizer que você já está num nível muito mais avançado e deveria ser um doutor em bucetas há anos. Bunda: M assagear as bandas é sempre bom. Existem cerca de cinco milhões de terminações nervosas na região, então apertá-las de jeito ou mandar ver nos tapinhas – enquanto lambe a xana – sempre vai gerar resultados instantâneos. 4) Dupla ação Apesar de alguns idiotas dizerem que não, usar os dedos simultaneamente é um belo jeito de levá-la a loucura. Pense nisso como o crack do cunilíngua. 5) Exaustão A exaustão é a causa número um de uma chupada abandonada, mas existem vários jeitos para se evitar isso. Como dissemos, usar a língua como um objeto inanimado é uma bela maneira para descansar. Ponha-a ao máximo pra fora e tencione. Agora morda-a e mexa-a pela xoxota usando apenas seus músculos do pescoço. Outra saída é simplesmente usar seus dedos sobre o clitóris enquanto descansa a boca.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful