TECNOLOGIA E CONSTRUÇÃO - MÁQUINAS CA

Emannuel J. Fernandes, Ms.

TÓPICOS
1) INTRODUÇÃO 2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS 3) GERADORES SÍNCRONOS 4) MOTORES SÍNCRONOS 5) CONCLUSÃO 6) REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1) INTRODUÇÃO
• Discursar sobre a construção das máquinas CA mais comuns no mercado. • Relatar características tecnológicas das máquinas de CA. • Reforçar algumas características operativas e sua relação com a construção da máquina CA.

1) INTRODUÇÃO
• Aspectos comuns
– Sempre constituídas de rotor e estator – Operam através de campos eletromagnéticos em interação com correntes elétricas ou bobinas/peças condutoras (ex. Gaiola de esquilo). – Os enrolamentos podem ser:
• De armadura ou induzido • De campo fixo ou indutor

1) INTRODUÇÃO • Característica básica – Gerador síncrono: alimentação cc no rotor → estator é a armadura (induzido) – Motor de indução: alimentação ca no estator → rotor é a armadura (bobinado ou gaiola de esquilo) .

Monofásico .1) INTRODUÇÃO • O princípio da geração CA .

Trifásico .1) INTRODUÇÃO • O princípio da geração CA .

1) INTRODUÇÃO • Motor trifásico – Princípio do campo magnético girante – Tensões e correntes nas fases defasadas de 120° – Bobinas também defasadas de 120° .

1) INTRODUÇÃO • Motor trifásico síncrono – Rotor gira na velocidade do campo girante .

não haveria indução pois não haveria movimento relativo entre o campo e espiras do rotor .1) INTRODUÇÃO • Motor de indução trifásico – Rotor não gira na velocidade do campo girante – Se girasse.

2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • MIT – Giram a velocidade cte (carga leve até máxima) – Controle de velocidade só por controle de frequência – Dois tipos: gaiola de esquilo e rotor bobinado – MIT outro uso → Gerador de indução trifásico .

2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • MIT – Estator fixo e rotor giratório (gap de 0.4 a 4mm) – Estator: carcaça de aço que acomoda um cilindro oco laminado onde são usinadas as ranhuras dos enrolamentos – Rotor: lâminas prensadas com ranhuras usinadas para enrolamento 3f ou para acomodar a gaiola .

curto-circuitadas por anéis – Motores até média potência (injeção de alumínio) .2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • GAIOLA DE ESQUILO – Barras de cobre ou alumínio maior que o rotor – Encaixada nas ranhuras.

4) BASES SOBRE MOTORES CA • MIT – Rotor em gaiola de esquilo – Fácil e barata construção .

4) BASES SOBRE MOTORES CA • MIT – Rotor bobinado – Objetivo de suavizar a partida diminuindo as correntes de curto circuito induzidas no rotor. – Usado como controle rudimentar de velocidade .

.2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • ROTOR BOBINADO – Enrolamento 3f conectado em Y (nas ranhuras) – Terminais conectados a anéis deslizantes (giram) – Escovas fixas → contato com resistências externas – Resistores em série para partida ou controle de vel.

Iind e Find = 0 – Sempre gira abaixo ou acima . do campo → Vind.2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • OPERAÇÃO – Lei de Faraday e força de Lorentz • Tensão induzida nos condutores ao serem cortados pelo fluxo magnético • Corrente elétrica é produzida e condutor sujeito a força de lorentz – Se rotor girar na vel.

– Valor de pico de uma fase → meio pico de polaridade invertida nas demais fases – Campo mag depende da Fmm = N. (ligação Y) • Ligando os terminais a fonte 3f – Correntes defasadas geram campo mag.i → segue o mesmo comportamento . de 5 espiras/pólo) • Bobinas opostas são ligadas em série criando 3 enrolamentos • Enrolamentos concentricos espaçados de 120° mec.2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • CAMPO MAGNÉTICO GIRANTE – Considere a máquina de pólos salientes (6 pólos. bob.

2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • CAMPO MAGNÉTICO GIRANTE – Analisando no tempo temos 2 pólos que giram • Dá uma volta em um período da corrente. se 60Hz → 3600 rpm • Velocidade em sincronia com a frequência → síncrona .

de engrenagens ou ↑pólos → velocidade ↑Ns – Temos inversão de correntes induzidas – Campo do rotor arrasta o campo do estator – Máquina funciona como gerador de indução .2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • Gerador de Indução bobinado (eólica) a)Se rotor conectado a uma carga → velocidade ↓Ns – Temos escorregamento e produção de torque – Campo do estator arrasta o campo do rotor – Máquina funciona como motor de indução b)Se rotor conectado a uma turbina eólica – Uso de cx.

mecânica de 120° entre os enrolamentos .2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • ESTATORES MODERNOS – Pólos salientes e bobina concêntrica → pólos lisos e bobinas distribuídas • Bobina distribuída em ranhuras adjacentes constitui um grupo • Bobina distribuída → distribuição de fluxo senoidal (ideal) • 1 par de pólos → sep.

pólos n s em rps  x60 em rpm ns = . apenas 60°. Logo a vel.2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • N° DE PÓLOS E VELOCIDADE SÍNCRONA – ↑ a quantidade de pólos = dividir bobinas em mais grupos e enrolamos as espiras obtendo pólos vizinhos contrários – 2 pares de pólos → separação mec. de 60° entre enrolamentos – Dentre o pico de uma fase e o de outra o deslocamento do campo é menor. síncrona: f p.

2) MÁQUINAS DE INDUÇÃO TRIFÁSICAS • Motor de indução trifásico – Gira a velocidade inferior a síncrona → deslizamento – Também chamado de escorregamento. dado por: escorregamento= N s − N r – E o escorregamento percentual é dado por: N s− N r s= Ns .

usinas nucleares e grupos geradores – Lisos ou Turbogeradores → alta velocidade de rotação • Sistema tem mesmos 3 componentes básicos: • Termelétricas ou usinas nucleares (Vapor em ↑P e ↑T) – Armadura (induzido). campo (indutor) e máq. Motriz .3) GERADORES SÍNCRONOS • Geradores cujo rotor gira em sincronia com o campo • Máquina responsável pela geração mundial de energia • Geradores de pólos salientes e pólos lisos – Salientes → baixa velocidade de rotação • hidrelétricas – Hidrelétricas. termoelétricas.

Anéis e escovas para conexão gerador-rede – Tensão ← velocidade de giro e corrente dc de excitação – Frequência ← velocidade de giro e n° pólos do indutor .3) GERADORES SÍNCRONOS • Dois tipos de geradores síncronos: • De campo estacionário • Usado para potências inferiores a 5kVA – Pólos salientes criam o campo indutor (estator) – Enrolamento 3Φ no rotor ou induzido (Y) – Armadura gira na presença do campo (rotor) – Conj.

3) GERADORES SÍNCRONOS • Dois tipos de geradores síncronos: • De campo giratório • Usado para potências superiores – Pólos salientes criam o campo indutor (rotor) – Enrolamento 3Φ no estator ou induzido (Y) → ↑isolação – Armadura estacionária na presença do campo girante – Conexão gerador-rede feito de forma direta (sem escovas) – Campo excitado por gerador cc solidário (auto-excitado) – Tensão ← velocidade de giro e corrente cc de excitação – Frequência ← velocidade de giro e n° pólos do indutor .

controla a tensão e corrente induzidas para excitação do campo do gerador síncrono .3) GERADORES SÍNCRONOS .controle de excitação do campo do gerador cc .

maior a frequencia da tensão – Como frequencia é fixa o rotor deverá girar lentamente frequencia pares de polos 60 x frequencia RPM = pares de polos RPS= .3) GERADORES SÍNCRONOS • Número de pólos do gerador síncrono – Depende da velocidade de rotação da máquina e da frequência em que irá operar (projeto) – Cada vez que um par de pólos do campo indutor cruza mecanicamente um dado enrolamento do estator a tensão induzida descreve 1 ciclo – Quanto mais pares de pólos.

Numa ligação em Δ componentes somam-se (presas no Δ) . de cada fase (cancelam-se).3) GERADORES SÍNCRONOS • Características do estator – Do ponto de vista elétrico é idêntico ao de um MIT – Composto por cilindro laminado com ranhuras – Enrolamento 3Φ conectado em Y (neutro aterrado) • Tensão por fase = 1/√3 (58%) da tensão de linha • Economia nos enrolamentos → ↓ isolação • Aumento de potência → ↑seção dos condutores • Distorção devido a 3a harm.

3) GERADORES SÍNCRONOS .

3) GERADORES SÍNCRONOS • Características do rotor – Construído de pólos lisos ou salientes – Apresenta gaiola de esquilo ou bobina em curto para diminuir oscilações (enrolamento amortecedor) e ↑partida – Turbinas hidráulicas giram a baixas velocidades (50 a 300 rpm) – Frequência fixa → ↑ qtd. de pólos → ↑diâmetro – Espiras do enrolamento feitas de barras de cobre isoladas por mica • Pólos salientes .

3) GERADORES SÍNCRONOS .

3) GERADORES SÍNCRONOS .

1.2m – Para ↑ potência (1000 a 1500MVA) → rotor comprido . temos a velocidade máxima → 3600rpm para 60Hz – 2 p.3) GERADORES SÍNCRONOS • Pólos lisos ou rotor cilíndrico – Turbinas a vapor são menores e mais eficientes – Devido a frequencia e a qtd mínima de pólos. De pólos → 1800rpm (velocidades comuns) – Enrolamentos firmemente alocados no núcleo usinado – ↑ velocidade (3600rpm) → diâmetro máx.

3) GERADORES SÍNCRONOS .

3) GERADORES SÍNCRONOS • Excitação cc de campo – Controla a tensão de saída do gerador – Sob condições normais responde pelas variações de carga no tempo – Representa um controle rápido contra instabilidade (ordem de millisegundos) – Autoexcitados de Dois tipos: COM OU SEM escovas – Sem escovas é chamado de BRUSHLESS • Um retificador trifásico elimina o mecânico (comutador) e gira junto ao eixo (sem anéis e escovas) .

3) GERADORES SÍNCRONOS .

3) GERADORES SÍNCRONOS • Gerador Síncrono (carga RL) – Quando sob carga → reação da armadura – ↑ Ia → criação de campo magnético contrário – ↑ torque da máquina motriz para evitar ↓velocidade → ↓frequência e/ou ↓ tensão – Necessidade da regulação da velocidade • Controle de válvulas da fonte mecânica – Necessidade da regulação de tensão • Controle de excitação do campo .

3) GERADORES SÍNCRONOS • Gerador Síncrono e seus controles .

Água e hidrogênio líquido .3) GERADORES SÍNCRONOS • Considerações finais dos geradores síncronos • ↑Tamanho e potência → ↑ eficiência(até 99%) • ↑potência → ↑sistemas de refrigeração – Ar.

4) MOTORES SÍNCRONOS • • • • Giram em sincronismo com o campo girante Velocidade constante independente da carga Usadas na indústria pesada (200 a 20000 hp) Era utilizado para correção do fator de potência – Super-excitado no campo → capacitor síncrono • Apresenta construção idêntica ao gerador .

amortecedor p/ partida – Excitação de fonte externa por anéis e escovas – Excitação brushless com necessidade de gerador aux.4) MOTORES SÍNCRONOS • Estator • Rotor – Núcleo magnético usinado em ranhuras – Enrolamento 3Φ em Y (idêntico ao de indução) – Pólos salientes com enrolamentos excitados por corrente cc – gaiola de esquilo ou enrol. .

4) MOTORES SÍNCRONOS .

Síncrona – Torque de pull-in trava os pólos estator-rotor .4) MOTORES SÍNCRONOS • Estator e rotor tem mesmo número de pólos • Número de pólos define a velocidade do rotor frequencia pares de polos 60 x frequencia RPM = pares de polos RPS = • Parte como motor síncrono (devido a gaiola) – Excitação cc não é usada até a chegada próx a vel.

5 a 2. – Ângulo mecânico aumenta com aumento da carga – Limite → torque de pull-out (1.4) MOTORES SÍNCRONOS • Motor síncrono em funcionamento – Vazio → pólos opostos rotor estator estão travados no mesmo eixo – Carga → pólos do rotor atrasam mas mantém sinc.5 x nominal) .

5) CONCLUSÃO • Motores de indução são ótimos para velocidades acima de 600rpm. caro. ↓fp e ↓ eficiência • Motores síncronos são ótimos para baixas velocidades • Fp pode ser ajustado para 1 e ↑ eficiência • Podem ser utilizados como capacitores síncronos . • Baixa velocidade → pesado.

McGraw Hill. 2006. São Paulo. 8a Edição. Ed. Kosow. Motors and generators – How they Work. 3a Edição. • Máquinas Elétricas e Transformadores / Irving L. 2000. Drives and Power systems / Theodore Wildi.6) Referências Bibliográficas • Electrical Machines. 6a Edição. Fitzgerald. Bookman. • Máquinas Elétricas / S. 6a Edição. 2006. Porto Alegre. Ed. Inc. J. 1989. . Chapman. vol 5. • Basic Electricity/Electronics. Ed. • Máquinas Elétricas / A. E. editora Howard W Sans & Co. Globo. 1968. Pearson Education.