Desenvolvimento motor em crianças portadoras de Síndrome de Down de 4 a 10 anos Universidade Federal de Viçosa Departamento de Educação Física (Brasil) Márcia

de Ávila e Lara Mayra Eugenio Rodrigues avilaelara@yahoo.com.br Resumo

O desenvolvimento motor é um processo contínuo e demorado, porém em indivíduos portadores de Síndrome de Down o processo é um pouco mais lento. O presente artigo destaca padrões de movimento, que surgem com o desenvolvimento, em crianças normais e em portadoras de Síndrome de Down em uma faixa etária específica de 4 a 10 anos, sendo possível perceber que as crianças que possuem a síndrome, são capazes de executar os mesmos movimentos porém tardiamente, podendo alcançar estágios avançados de raciocínio e desenvolvimento, necessitando de estimulações coerentes com sua condição e incentivo da família e da sociedade.

Unitermos: Síndrome de Down. Desenvolvimento motor. Padrões de movimento.

Abstract

The motor development is a continuous and slow process, however in

Keywords: Syndrome of Down.individuals bearers of Syndrome of Down the process is a little slower. E esteja certo: não há relação entre o grau de características físicas e o grau de deficiência mental de cada paciente. A pele é flácida determinando o aparecimento de rugas nas frontes e os ligamentos são frouxos causando uma marcha insegura.Buenos Aires . orelhas pequenas e malformadas. Geralmente pode ser diagnosticada ao nascimento ou logo depois por suas características dismórficas. . É a forma mais freqüente de retardo psicomotor causada por uma anomalia cromossômica microscopicamente demonstrável. in normal children and in bearers of Syndrome of Down in a specific age group from 4 to 10 years. http://www.Año 13 . baixa estatura e alterações nos dedos das mãos e pés.Setiembre de 2008 1/1 A síndrome de Down (SD) é um distúrbio genético. Há também o atraso no desenvolvimento das funções motoras do corpo e das funções mentais. The present article detaches movement patterns. boca entreaberta com protusão de língua. nas palmas das mãos é comum a existência de uma prega transversal denominada prega simiesca. (ABC da Saúde. Motor development. diferente do que muitas pessoas pensam.efdeportes. embora sempre presente varia bastante quanto ao grau de severidade. No que se refere à deficiência mental. são comuns a quase todos: o formato das fendas palpebrais. being possible to notice that the children that possess the syndrome are capable to execute the same movements however subsequent.N° 124 . needing coherent stimulations with his/her condition and incentive of the family and of the society.com/ Revista Digital . Algumas características físicas. mesmo que em proporções diferentes. É causada pela ocorrência de três (trissomia) cromossomos 21. em 1866. a Síndrome de Down é uma alteração genética. Movement patterns. that you/they appear with the development. could reach advanced apprenticeships of reasoning and development. 2006). no entanto. e a primeira pessoa a descrever sobre a doença foi o médico John Langdon Down. na sua totalidade ou de uma porção fundamental dele.

andar e correr. onde existe vida. A seqüência de desenvolvimento da criança com Síndrome de Down geralmente é bastante semelhante à de crianças sem a síndrome e as etapas e os grandes marcos são atingidos. existe movimento quase que perpétuo. Na tabela abaixo é feita uma Comparação dos padrões de movimentos . embora em um ritmo mais lento.1988). há necessidade ainda de um trabalho específico para o equilíbrio. Na verdade. É através de movimentos que o ser humano aprende sobre o meio social em que vive. Portanto. existe movimento e onde existem crianças. o desenvolvimento motor é um processo contínuo e demorado e. quando ela começa a andar. engatinhar. De acordo com Neweel (1978). Segundo (Tani et al. a criança tenha espaço para correr e brincar e possa exercitar sua motricidade global. pelo fato das mudanças mais acentuadas ocorrerem nos primeiros anos de vida. não podemos deixar de conceituar desenvolvimento motor. a postura e a coordenação de movimentos. o seu progresso é medido através de movimentos. refere-se geralmente ao deslocamento do corpo e membros produzido como conseqüência do padrão espacial e temporal da contração muscular. sempre aliados inicialmente à movimentação do corpo. existe a tendência em se considerar o estudo do desenvolvimento motor como sendo apenas o estudo da criança. estabilização e diversificação das habilidades básicas. na qual há maior independência motora. A brincadeira deve estar presente em qualquer proposta de trabalho infantil. arrastar. basicamente pela aquisição. pois é a partir dela que a criança explora e internaliza conceitos. sentar. exceto se houver algum comprometimento além da síndrome.. A criança que nasceu com Síndrome de Down vai controlar a cabeça.É essencial que nesta fase. rolar. que atualmente tem recebido muita atenção no processo de aquisição de estímulos e desenvolvimento da criança. As primeiras respostas de uma criança recém-nascidas são motoras. Conforme Santana apud Wickstram (1977) enfatiza.

centro de gravidade elevado Preensão manual . sobe e desce escadas Medo de cair. caminha com pés separados. 1979). NORMAIS SÍNDROME DE DOWN De pé.entre crianças normais e com síndrome de down com idade de 4 a 10 anos (HOLLE. salta para frente Menor número de pontos de apoio. pernas ligeiramente flexionadas Equilíbrio e salto Fica sobre uma perna. corre bem. caminhando e correndo Não bamboleia.

obedece instruções orais prontamente. a cabeça normalmente Acompanhará os Movimentos oculares Percepção auditiva Pode ser persuadido. executa três ordens curtas dadas conjuntamente Não escuta os sons se não se houver concentração para ouvir .Agarra a bola pequena. visão totalmente desenvolvida. sensibilidade dos dedos diminuída Percepção visual Focaliza exata e rapidamente. visão de cores tardia. come e desenha sozinho Punho flexionado. reconhece os símbolos numéricos Dificuldade de fixação. desenvolve conceitos de Totalidade. falta de concentração. diz o nome de todas as cores.

para trás. ao redor de si próprio. não dizer “não toque”. diante Palavras: no meio . consciência de direção Percepção de espaço Palavras: ao redor da mesa. diz onde dói. começa a usar palavras direcionais Deve ser encorajado a engatinhas no chão.Percepção tátil Reconhece as coisas pelo tato sem vê-los. Palavras: atrás. sentidos de dor menos desenvolvidos. orientação para aprender avaliar diferentes temperaturas Percepção de direção Palavras: para frente. prepara seu próprio banho. regula a temperatura Pode ocorrer perda total ou parcial dos sentidos táteis.

fala quase correta e claramente Dificuldade na pronúncia de palavras. (trabalhar comparações entre objetos e suas características) Coordenação olho/ mão Constrói torres de 9 blocos (cubos de 2. estender objetos a partir d todos os lados. veste-se parcialmente. encorajar a agarrar objetos com uma e ambas as mão. Fala Monólogos longos. lava as próprias mãos e o rosto. amarra o cordão dos sapatos Deve ser estimulada a fazer o mesmo que uma criança normal. frases longas.5cm). veste-se sozinha. desenha “um homem”. usar objetos pequenos para estimular a preensão digital.Percepção mais lenta. frases soltas. dificuldades variadas no desenvolvimento da linguagem atribuída às características físicas ou ambientais Consciência corporal . faz perguntas constantes. colore bem as figuras. sabe usar botões grandes.

Por isso faz-se indispensável pensarmos e analisarmos com precisão porque a atividade lúdica tornou-se o fenômeno mais eloqüente da unidade do ser humano e elemento indispensável ao desenvolvimento da criança. atualmente já é comprovado que crianças e jovens com . distingui o pesado/leve. Durante muito tempo estas pessoas foram privadas de experiências fundamentais para o seu desenvolvimento porque não se acreditava que eram capazes. adquiri coordenação de sentidos Dominância manual direita-esquerda Conhece seu próprio lado esquerdo e direito Aprende mais tarde.Tenta desenhar “um homem”. desenha “um homem”. diz nome de muitas partes do corpo. método para desenvolvimento. e alguns não desenvolvem nítida dominância Assim. Esta demora para adquirir determinadas habilidades pode prejudicar as expectativas que a família e a sociedade tenham da pessoa com Síndrome de Down. consciência da tensão e da relaxação muscular Apresenta atraso enorme a ponto de não receber o estimulo de que o normal desfruta ao ser cuidado. 1969). apenas a velocidade de progressão varia (Kay. Todavia. dentro deste processo ordenado e seqüencial. Em primeiro lugar está o aspecto de que a seqüência é a mesma para todas as crianças. há alguns aspectos da seqüência de desenvolvimento que merecem ser comentadas.

hábitos posturais e exercícios respiratórios. Outras atividades comuns na infância também beneficiam o desenvolvimento psicomotor e global: pular corda. uso de brinquedos de parque como balanço. Deve-se ter uma visão real das necessidades e dificuldades da criança e o que se pode fazer é ajudá-la através de uma estimulação sensível e coerente com as suas condições. caminhadas longas. Com os portadores da Síndrome de Down deverão ser desenvolvidos programas de estimulação precoce que propiciem seu desenvolvimento motor e intelectual. iniciando-se com 15 dias após o nascimento. jogos de imitação. ritmo. A deficiência mental está presente no quadro da Síndrome de Down mas os atrasos motores são corrigidos se bem estimulados desde cedo.Síndrome de Down podem alcançar estágios muito mais avançados de raciocínio e de desenvolvimento. subir em árvores. criativa e afetiva. . o que torna mais difícil. Posteriormente. iniciando-se no esporte através da exploração e manuseio dos materiais e participando depois de jogos em grupo com orientação adequada. discriminação. orientação espacial. Jogos e brincadeiras são instrumentos importantes para ajudar a estimulação da criança e favorecem uma boa relação entre família e a mesma. as pessoas com Síndrome de Down podem executar tarefas rotineiras. tarefas que envolvam associação. coordenação de movimentos. sensibilidade. brincadeiras de roda. assim como as que envolvam matemática. pois trazem prazer e satisfação. jogar amarelinha. Portanto. estruturação do esquema corporal. com um trabalho desenvolvido pela criança de maneira espontânea. mas a limitação cognitiva dificulta o raciocínio abstrato. a criança deve ter acesso às práticas esportivas. O trabalho psicomotor deve enfatizar aspectos como equilíbrio. sem dificuldade. escorregador e gangorra.

como todas as outras. pois em mundo onde as diferenças individuais são pouco respeitadas.Assim. precisa saber contornar certas situações e ter confiança para poder participar de um grupo social e escolar. a criança portadora de Síndrome de Down. elas se sentirão mais seguras para uma inclusão na sociedade possibilitando um grande êxito. .