9

PARALELISMOS

Neste capítulo estudam-se as rectas e os planos nas suas relações de paralelismo, nas diferentes possibilidades: rectas com rectas, planos com planos e rectas com planos. Mostra-se também como se confirmam e se determinam essas relações. Sumário: 2. Os paralelismos no espaço 3. Paralelismos de resolução directa entre rectas 4 e 5. Paralelismos entre rectas de perfil 6. Paralelismos de resolução directa entre planos 7. Paralelismos entre planos de rampa 8 e 9. Plano paralelo a outro contendo um ponto dado 10. Paralelismos de resolução directa entre rectas e planos 11. Paralelismos entre rectas e o plano oblíquo 12. Paralelismos entre rectas e o plano de rampa 13 e 14. Paralelismos entre rectas e planos definidos por rectas 15. Paralelismos entre planos definidos por traços e planos definidos por rectas 16 e 17. Paralelismos entre planos definidos por rectas 18 e 19.. Exercícios

Manual de Geometria Descritiva - António Galrinho

Paralelismos - 1

dois planos. Paralelismo entre duas rectas a Duas rectas paralelas são rectas com a mesma direcção. nas projecções nem sempre se apresentam óbvias ou de resolução imediata. pelo que são complanares. Manual de Geometria Descritiva . uma recta e um plano.Os paralelismos no espaço Mostra-se aqui os paralelismos no espaço entre: duas rectas. Nos traçados que aqui se apresentam é fácil verificar e compreender essas situações.2 . b π Paralelismo entre dois planos Dois planos que não se intersectam são sempre paralelos. α p Paralelismo entre uma recta e um plano θ Uma recta que não cruza um plano é paralela a esse plano. contudo.António Galrinho Paralelismos .

eventualmente. Não se apresentam aqui as rectas fronto-horizontal. só rectas do mesmo tipo podem ser paralelas entre si.Paralelismos de resolução directa entre rectas Duas rectas paralelas têm sempre as suas projecções homónimas paralelas. a2≡b2 r2 s2 x r1 s1 a1 b1 Paralelismo entre rectas oblíquas Duas rectas oblíquas são paralelas quando as suas projecções homónimas são paralelas. Obviamente. n’2 n2 f2 f’2 x n1 n’1 f1 f’1 Paralelismo entre rectas horizontais e entre rectas frontais Duas rectas horizontais ou frontais são paralelas quando as suas projecções homónimas também o são.António Galrinho Paralelismos .3 . de topo e vertical. Manual de Geometria Descritiva . já que duas rectas de cada um desses tipos são sempre paralelas. poderá haver coincidência numa das projecções. Se houver coincidência numa das projecções (como se vê no segundo exemplo de baixo) o paralelismo continua a ser válido. o paralelismo continua válido. Havendo coincidência numa das projecções.

recorrendo às suas projecções laterais.Paralelismos entre rectas de perfil A regra que se aplica nas situações da página anterior não se aplica à recta de perfil. obviamente. Aqui exemplifica-se com rectas definidas pelos seus traços mas. caso as medidas dos seus traços sejam iguais. eventualmente. terem projecções coincidentes) as projecções laterais permitem também confirmar se elas são paralelas ou não.António Galrinho Paralelismos .4 . Pode-se representar rectas de perfil paralelas entre si. este processo também é válido para rectas definidas por outros pontos. y≡z p1≡p2≡q1≡q2 F’2 F2 F’3 q3 F3 p3 H’3 x F1≡F2≡F’1≡H’2 H1 H’1 H3 p3 // q3 Paralelismo entre rectas de perfil com a mesma abcissa No caso de as rectas de perfil possuírem o mesmo valor de abcissa (ou seja. ou confirmar se o são. y≡z b1≡b2 a1≡a2 F’2 F2 F3 x F1≡H2 F’1≡H’2 F’3 a3 b3 H’3 H3 a3 // b3 H1 H’1 Paralelismo entre rectas de perfil com diferentes abcissas Duas rectas de perfil paralelas têm projecções laterais paralelas ou. coincidentes. Manual de Geometria Descritiva .

Manual de Geometria Descritiva . um plano oblíquo. para provar que as rectas de perfil são paralelas. Se essas rectas forem paralelas ou concorrentes (ou seja. representam-se os traços do plano a que pertencem: à esquerda.António Galrinho Paralelismos . p1≡p2 fπ F2 p’1≡p’2 F’2 b1≡b2 b’1≡b’2 F’2 F2 fα F1≡H2 x hα hπ H1 H’1 H1 H’1 F’1≡H’2 F1≡H2 F’1≡H’2 Confirmação do paralelismo entre rectas de perfil recorrendo aos traços dos planos Para que duas rectas sejam paralelas têm de ser complanares. à direita. pode-se ainda fazer uso dos métodos geométricos auxiliares: rebatimentos.5 . assim como a rectas paralelas ou concorrentes. complanares) isso significa que as rectas de perfil são paralelas. Aqui. um plano de rampa.Nesta página confirma-se o paralelismo entre duas rectas de perfil recorrendo a traços de planos auxiliares. mas se forem enviesadas as rectas dadas também serão enviesadas. pode-se utilizar um processo simples para confirmar se são paralelas entre si ou não. O processo consiste em passar duas rectas pelos pontos. caso se verifique que os traços da recta têm medidas iguais. r1≡r2 A2 B2 D2 x B1 C1 a // b D1 A1 j1≡j2 s1≡s2 C2 b2 a2 B2 g1≡g2 D2 A2 I2 C2 a2 b2 A1 a1 b1 B1 I1 D1 b1 C1 a1 Confirmação do paralelismo entre rectas de perfil recorrendo a rectas auxiliares Quando duas rectas de perfil estão definidas por dois pontos que não os traços. rotações e mudanças de planos. No primeiro caso pode-se confirmar o paralelismo entra as rectas sem recorrer ao plano de rampa. Para tal.

pelo que esses casos não se apresentam aqui. Manual de Geometria Descritiva . Obviamente. já que os frontais o são sempre.António Galrinho Paralelismos .6 .Paralelismos de resolução directa entre planos Dois planos paralelos têm sempre os traços homónimos paralelos. Isso observa-se aqui em duas situações. já que os horizontais o são sempre. fπ fα fψ fδ x hπ hα hψ hδ Paralelismo entre planos oblíquos Para que dois planos oblíquos sejam paralelos é necessário que os seus traços homónimos sejam paralelos. Dois planos horizontais. Para que dois planos verticais sejam paralelos é necessário que os seus traços horizontais sejam paralelos. fβ fρ fθ fω x hω hβ hρ hθ Paralelismo entre planos de topo e entre planos verticais Para que dois planos de topo sejam paralelos é necessário que os seus traços frontais sejam paralelos. frontais ou de perfil são sempre paralelos entre si. só planos do mesmo tipo o podem ser.

rotações e mudanças de planos. um dos planos é passante. Aqui mostra-se como resolver o problema recorrendo aos traços laterais. definido pelo ponto P. y≡z fα fπ lπ // lα lπ x hπ hα lα y≡z fθ P2 P1 P3 lθ lω // lθ x≡hω≡fω lω hθ Paralelismos entre planos de rampa Para que dois planos de rampa sejam paralelos é necessário que os seus traços laterais também o sejam. não seja suficiente para garantir o paralelismo entre dois planos.7 .Paralelismos entre planos de rampa A especificidade dos planos de rampa faz com que a posição dos seus traços. Manual de Geometria Descritiva . Outros processos se podem utilizar para confirmar ou determinar o paralelismo entre planos de rampa: rebatimentos. Na situação de baixo.António Galrinho Paralelismos . sempre paralelos ao eixo x.

Ou seja. o ponto pertence ao plano porque pertence a uma recta que pertence ao plano. S2 fπ f2 fα n2 A2 F2 fρ fθ H2 x H1 hπ f1 S1 hα hρ hθ n1 A1 F1 Paralelismo entre planos oblíquos Não sendo este um plano projectante. O raciocínio é idêntico para o plano vertical. além de ter os seus traços paralelos aos traços homónimos do outro. no segundo é indiferente a da cota. devendo o traço horizontal deste conter a projecção horizontal do ponto.António Galrinho Paralelismos . mas contendo um ponto dado. Manual de Geometria Descritiva . fβ P2 fρ fθ fω x R1 hβ hρ P1 R2 hθ hω Paralelismo entre planos de topo e entre planos verticais Observam-se aqui duas situações que envolvem planos projectantes. que convém ser frontal ou horizontal. ficará contida no plano pretendido.8 . paralela ao plano e contendo o ponto dado. No primeiro caso é indiferente a medida do afastamento do ponto. Essa recta. para resolver estes problemas há que utilizar uma recta auxiliar. obviamente já não se pode traçar esse plano num sítio qualquer. o seu traço frontal tem que conter a projecção frontal do ponto.Plano paralelo a outro contendo um ponto dado Quando se pretende determinar um plano paralelo a outro. Para que um plano de topo contenha um ponto e seja paralelo a outro plano.

F’2 P2 fα F2 s2 F1 fπ r2 H2 r1 s // r x F’1 P1 H’2 hπ hα s1 H’1 H1 Determinação do paralelismo entre planos de rampa recorrendo a rectas oblíquas A recta r é uma recta oblíqua qualquer que se traçou no plano dado π. obtém-se um plano paralelo ao primeiro. Passando pelo ponto dado P a recta s. Mas pretende-se aqui encontrar um plano paralelo ao outro contendo um ponto dado.9 . Manual de Geometria Descritiva . y≡z fα P2 fπ P3 lα lπ x hπ hα P1 lπ // lα Determinação do paralelismo entre planos de rampa recorrendo aos traços laterais Já vimos que dois planos de rampa são paralelos quando têm os traços laterais paralelos. e contendo um ponto dado.Para determinar um plano de rampa paralelo a outro. utilizam-se aqui dois processos. bastando para tal que esse plano contenha esta segunda recta.António Galrinho Paralelismos . paralela à outra. O plano contém esse ponto porque o seu traço lateral contém a projecção lateral do ponto.

Plano frontal com rectas frontal. não se apresentam os casos onde os paralelismos são automáticos: .Plano de topo com recta de topo . Nesta página observam-se as situações mais simples. do mesmo modo. fronto-horizontal e vertical . As posições das outras projecções não têm qualquer interferência. será paralela ao plano. umas óbvias. será paralela ao plano. outras mais complexas. x f1 n1 hπ Manual de Geometria Descritiva .Paralelismos de resolução directa entre rectas e planos O paralelismo entre rectas e planos dá origem a situações muito diversas.António Galrinho n1 // hπ Paralelismos . Qualquer recta cuja projecção horizontal seja paralela ao traço horizontal do plano vertical. fronto-horizontal e de topo .Plano de rampa com recta fronto-horizontal .Plano de perfil com rectas de perfil.Plano vertical com recta vertical fω n2 f2 s2 r2 // fβ f2 // fβ fβ r2 x f1 hβ n1 r1 n1 // hω s1 // hω hω s1 Paralelismo entre rectas e os planos de topo e vertical Qualquer recta cuja projecção frontal seja paralela ao traço frontal do plano de topo. uma recta horizontal é paralela a um plano oblíquo quando a sua projecção horizontal é paralela ao traço homónimo do plano.Plano horizontal com rectas horizontal. Contudo. de topo e vertical . uma recta frontal é paralela a um plano oblíquo quando a sua projecção frontal é paralela ao traço homónimo do plano. fπ f2 // fπ f2 n2 Paralelismo entre o plano oblíquo e as rectas horizontal e frontal Exceptuando as situações de pertença.10 .

será também paralela ao plano. r // a r // β F2 r2 fβ a2 δ // β s // β fβ F2 fδ s2 x H2 a1 H1 hβ F1 r1 H2 s1 H1 hβ hδ F1 Recta oblíqua paralela a plano oblíquo Pode-se traçar rectas oblíquas paralelas ao plano oblíquo de duas maneiras. a recta r. As linhas paralelas ao eixo x. representando a recta num plano paralelo ao plano dado. O paralelismo das rectas horizontal e frontal com este plano foi abordado na página anterior.Paralelismos entre rectas e o plano oblíquo Observam-se nesta página paralelismos das rectas oblíqua e de perfil com o plano oblíquo. a recta s. no segundo caso.António Galrinho Paralelismos .11 . No primeiro caso é traçada uma recta que pertence ao plano. representando uma recta paralela a uma recta do plano. No segundo caso é traçado um plano paralelo ao plano dado. Manual de Geometria Descritiva . que passam pelos traços da recta de perfil na primeira situação. situada nesse plano será paralela ao outro. mostram que essas medidas são iguais. a2≡a1 F’2 fβ F2 p2≡p1 H’2≡F’1 q2≡q1 hβ H1 p // a H’1 δ // β hβ hδ H1 fβ fδ F2 H2≡F1 x H2≡F1 Recta de perfil paralela a plano oblíquo Com a recta de perfil pode-se proceder de modo idêntico ao observado para as rectas oblíquas: no primeiro caso. sendo paralela a essa.

garantem que os traços da recta p se mantêm proporcionais aos da recta a. Na segunda situação só é dado o traço frontal do plano. na primeira situação. O paralelismo entre a recta fronto-horizontal e o plano de rampa é imediato e foi referido duas páginas atrás.António Galrinho Paralelismos . o que garante o paralelismo entre ambos. As linhas convergentes no eixo x. y≡z F2 fα s2 a2 P2 r2 H2 x a1 H1 s // a Recta oblíqua paralela a plano de rampa Pode-se traçar rectas oblíquas paralelas ao plano de rampa de duas maneiras.Paralelismos entre rectas e o plano de rampa Observam-se nesta página os paralelismos entre as rectas oblíqua e de perfil e o plano de rampa. No segundo caso verifica-se que a projecção lateral da recta é paralela ao traço lateral do plano. No primeiro caso. verifica-se que a projecção lateral da recta é paralela ao traço lateral. fπ F2 F3 r3 lπ F1 P1 s1 hα H2 F1 r1 H1 hπ r3 // lπ H3 F2 p2≡p1 a2≡a1 F‘2 H’2≡F’1 H’1 H1 fα fπ b2≡b1 y≡z F2 F3 lπ H2≡F1 x H2≡F1 H3 b3 H1 hα p // a b3 // lπ Recta de perfil paralela a plano de rampa Com a recta de perfil pode-se proceder de modo idêntico ao observado para as rectas oblíquas. sendo paralela a essa será também paralela ao plano. Manual de Geometria Descritiva . no segundo caso.12 . partindo-se do princípio de que este é paralelo à recta. representando uma recta paralela a uma recta do plano. a recta s. que contém P. No primeiro caso é traçada uma recta que pertence ao plano.

Paralelismos entre rectas e planos definidos por rectas Aqui mostra-se como determinar rectas paralelas a planos definido por rectas.António Galrinho Paralelismos . x C1 c1 d1 D1 h1 n1 S1 n // h Manual de Geometria Descritiva . r2 I2 s2 A2 p2 Recta oblíqua qualquer paralela a plano definido por duas rectas Se não se pedir uma recta específica. pelo que se traçou a recta p paralela à r. x C1 D1 c1 d1 s1 r // s P1 r1 c2 C2 D2 d2 h2 S2 n2 Recta horizontal paralela a plano definido por duas rectas Como no caso anterior. pelo que há que traçar uma concorrente com essas. também aqui se pretende uma recta diferente das rectas dadas. Neste caso pretende-se uma recta cuja projecção horizontal faça 40ºad e que contenha o ponto P. Neste caso trata-se de uma recta horizontal. É comum um enunciado pedir que a recta passe por um ponto dado. Neste caso apenas se pretende que a recta contenha o ponto A. Ao lado traça-se uma paralela a essa. x I1 s1 A1 p1 r1 p // r c2 C2 d2 P2 s2 r2 D2 Recta oblíqua específica paralela a plano definido por duas rectas Caso se pretenda uma recta oblíqua com características específicas. há que cruzar com as rectas dadas uma que tenha essas características. basta traçar uma paralela a uma das rectas desse plano. mas tratando-se de uma recta frontal o processo seria idêntico.13 . que tenha as características pretendidas. pelo que se mostram aqui situações equivalentes.

António Galrinho Paralelismos . recorrer às projecções laterais do ponto e da recta. y≡z p2≡p1 r3≡s3 I2 s2 S1≡S2 x s1 I1 r1 H1 A2 A2 r2 R1≡R2 H2 H3 I3 A3 p3 p3 // r3≡s3 Recta de perfil paralela a plano definido por rectas oblíquas dum plano de rampa Neste caso. A recta de perfil pretendida tem as características dessa. As linhas paralelas ao eixo x garantem que os pontos de uma são idênticos aos da outra. Caso se pretenda que a recta de perfil contenha um ponto dado. por exemplo. Após determinar as projecções laterais dessas rectas. A recta horizontal serve para confirmar que o plano não é de rampa. Aqui a recta está definida pelo ponto A e pelo seu traço horizontal. as rectas que definem o plano são passantes. traça-se uma recta de perfil cuja projecção lateral é paralela às das rectas dadas (que são coincidentes). no outro é de rampa passante.14 . será necessário.Mostram-se aqui duas situações que envolvem a recta de perfil. traçando uma recta de perfil no plano. Manual de Geometria Descritiva . uma vez que pertenceria também ao plano. b2 a2 n2 B’2 n1 x B’1 b1 I1 a1 B1 D1 B2 D2 I2 q2≡q1 A2 p2≡p1 C2 A1 C1 p // q Recta de perfil paralela a plano definido por rectas oblíquas Aqui procede-se de forma idêntica à do exercício anterior. Num dos casos o plano definido pelas rectas é oblíquo. o que quer dizer que o plano de rampa que definem é também passante. que são coincidentes. pois se o fosse a recta de perfil p não poderia ser determinada deste modo.

António Galrinho Paralelismos . o plano definido pelas rectas é paralelo ao plano definido pelos traços.Paralelismos entre planos definidos por rectas e planos definidos por traços Aqui mostra-se como determinar o paralelismo entre um plano definido por traços com outro definido por rectas. que se pretendia contido nesse plano. ao lado foram traçadas duas rectas paralelas a essas. Aqui parte-se do princípio de que se pretende determinar um plano paralelo a α. a2 fα F2 I2 H’2 x F1 H2 F’1 P1 I1 b1 hα H’1 H1 a1 s1 r // a s // b r1 F’2 b2 r2 P2 s2 Plano definido por rectas concorrentes paralelo a um plano de rampa No plano de rampa definido pelos traços foram marcadas duas rectas oblíquas. Tratando-se de rectas paralelas. ao lado estão traçadas duas rectas paralelas a essas. fπ F2 b2 F’2 r2 s2 a2 H2 x - A2 H’2 F1 F’1 = a1 H’1 H1 hπ r1 b1 A1 s1 - = r // a s // b Plano definido por rectas paralelas paralelo a um plano oblíquo Aqui procede-se como no caso anterior. contendo o ponto P. Manual de Geometria Descritiva . devem manter-se iguais as distâncias entre as suas projecções. Deste modo.15 . marcando duas rectas no plano oblíquo definido pelos traços. passando uma delas pelo ponto A.

Sendo a recta a paralela à recta r e a b paralela à s. I2 r2 b2 a2 s2 P2 x a1 a // r b // s I1 r1 s1 b1 P1 Planos paralelos definidos por rectas concorrentes As rectas r e s definem um plano. Traçando as rectas f’ e n’. Manual de Geometria Descritiva . oblíquas e paralelas entre si. ficamos com a direcção a dar às rectas f e n que definem um plano paralelo ao anterior. as rectas a e b definem outro. contendo o ponto P.Paralelismos entre planos definidos por rectas Aqui mostram-se algumas situações de paralelismos entre planos definidos por rectas. sem necessidade de mais traçados. neste caso contendo o ponto I. Um exercício em que se pedisse para determinar um plano paralelo ao plano definido pelas rectas r e s. c2 f’2 C2 d2 D2 n’2 D’2 n2 f2 I2 x c1 D1 f’1 C1 n’1 D’1 d1 Planos paralelos. sendo um definido por rectas oblíquas paralelas e outro definido por uma recta horizontal e outra frontal As rectas c e d.António Galrinho Paralelismos .16 f1 I1 n1 n’ // n f’ // f . definem um plano. seria assim resolvido. também desse plano. os planos por elas definidos são paralelos entre si.

Para garantir o paralelismo entre os planos tem de se manter a distância entre as projecções das rectas frontais. Manual de Geometria Descritiva . O valor de abcissa entre essas rectas também tem de ser mantido. sendo de rampa as rectas p e p’ estariam contidas nele. traçam-se outras idênticas a essas. A’2 f2 A2 f’2 b2 B’2 = = P2 r2 a2 x f’1 A’1 B’1 B2 s2 r1 = = B1 P1 b1 s1 f1 A1 a1 Plano definido por rectas oblíquas paralelo a plano definido por rectas frontais Para definir um plano por rectas frontais. cruzam-se duas rectas frontais com as oblíquas e. sendo paralelo a outro definido por rectas oblíquas. ao lado.António Galrinho Paralelismos . Traçam-se duas rectas de perfil concorrentes com as oblíquas e. ao lado. As linhas paralelas ao eixo x provam que os pontos das rectas de perfil mantêm a mesma proporção e disposição. A recta horizontal n prova que o plano é oblíquo.Nesta página mostram-se mais exemplos de paralelismos entre planos definidos por rectas. traçam-se outras duas idênticas a essas. Aqui parte-se ainda do princípio de que se pretende um plano que contenha o ponto P.17 . q2≡q1 r2 R2 I2 S2 n2 x R1 S1 s1 n1 N1 I1 R’1 r1 N2 = R’2 = S’2 B2 A’2 q’2≡q’1 s2 p2≡p1 A2 B’2 p’2≡p’1 S’1 A1 B1 B’1 q // p q’ // p’ A’1 Plano definido por rectas oblíquas paralelo a plano definido por rectas de perfil Aqui pretende-se um plano definido por duas rectas de perfil que seja paralelo a outro definido por duas rectas oblíquas.

Determinar a recta a. Representar o plano θ. sabendo que F(5.3) e H(2. Representar o plano σ do exercício anterior. Representar o plano vertical θ. que contém K(4.-1. 22. 20. respectivamente. 5. Representar o plano ω. que é paralela a α e contém N(3. que contém o ponto T(2. assim como o seu traço horizontal H’. sabendo que H(3. que contém S(-3.António Galrinho Paralelismos . 21. que cruza o eixo x no ponto de abcissa nula.3.-2) e é paralelo a α.2.2.1. 16. 7.-1.0.-2. Representar o plano π.-3. Representar o plano π. 10. Determinar o plano ρ que contém S(3. 19. que contém P(1.3) e é paralela ao plano ρ. Manual de Geometria Descritiva .2) e é paralelo a σ. 3. fazendo os seus traços frontal e horizontal 45ºae e 65ºad. respectivamente. Representar o plano ρ do exercício anterior.0. que contém B(2.Paralelismos – Exercícios Paralelismos entre duas rectas 1. tendo o seu traço frontal 2cm de cota.2) e é paralelo a π.0) é o seu traço horizontal. Representar o plano ρ.3) e é paralela a b. Representar o plano π. Determinar a recta horizontal n. que contém B(2. 4. assim como mais um ponto seu. Determinar o plano σ que contém R(1. fazendo os seus traços frontal e horizontal 60ºad e 45ºad. Paralelismos entre uma recta e um plano 15. Representar a recta b. que cruza o eixo x num ponto com 3cm de abcissa. que contém R(0. Determinar a recta s. Determinar recta g. Representar a recta d. Representar o plano vertical α.3) e é paralela a π e ao β2/4. fazendo o seu traço horizontal 40ºae. Determinar o plano ρ. fazendo os seus traços frontal e horizontal 45ºae e 55ºae. 14.4). que contém A(6.-3) e é paralela a π.2) e é paralelo a ω. que contém P(-1.-1).18 . Representar o plano α. que contém o ponto A(0. que cruza o eixo x num ponto com -2cm de abcissa. respectivamente. assim como o seu traço frontal F. Determinar a recta r. que contém S e é paralela às rectas de maior declive de ω. perpendicular ao β1/3. Determinar o plano θ.-3. fazendo a sua projecção frontal 30ºad.-2) e B(3.2.4) e é paralelo a α. fazendo a sua projecção frontal 60ºad. respectivamente. Determinar a recta q. 17. que contém os pontos A(3. paralela a d.-2.3). que cruza o eixo x num ponto com 1cm de abcissa.3.-5.0. que cruza o eixo x no ponto de abcissa nula. 11. Representar a recta p. que contém M(-2. cruzando o eixo x num ponto com -2cm de abcissa. Determinar o plano β.1.2.4) é o seu traço frontal.3. perpendicular ao β2/4.1. 8. que contém A(-1.-2.-1) e é paralelo a π. Determinar a recta frontal f. 23.0) e é paralela a r. Representar a recta p. Determinar a recta b.2).3).-3) e é paralela a ψ e ao β2/4. Determinar a recta s. fazendo os seus traços frontal e horizontal 60ºae e 30ºad. Representar o plano α do exercício anterior. que cruza o eixo x num ponto com 2cm de abcissa. perpendicular ao β2/4. que é paralela ao β1/3 e contém o ponto P(2. 12.0. que faz 55ºae. Determinar a recta s.3).-2) e é paralelo a σ. Representar o plano ω e o ponto S do exercício anterior. 13. Determinar o plano δ que contém A(2. fazendo a sua projecção frontal 45ºad. perpendicular ao β2/4.2) e é paralelo a θ. Representar a recta r que contém R(3. 18. Representar o plano de topo ψ. Representar o plano α do exercício anterior. Representar o plano σ.3) e é paralelo a θ. que cruza o eixo x num ponto com 3cm de abcissa e faz 50ºad. cujos traços são F(2. Determinar a recta u. sabendo que F’(4.2. Representar o plano π do exercício anterior.0. fazendo a sua projecção frontal 40ºae.3. Determinar o plano ψ. que cruza o eixo x num ponto com -3cm de abcissa. 9.5) e B(5. Determinar o plano σ.-2. Determinar o plano δ.2.2) é o seu traço frontal. que contém D(3.3). que contém T (4.0). Determinar a recta g.-2. definida pelos pontos A(5. paralela ao plano dado e passante no ponto de abcissa 6.-3. Representar o plano passante ω. é paralela ao β2/4. Determinar a recta de perfil p. Determinar a recta r. 2. é passante e paralela a α.5. fazendo o seu traço frontal 40ºae. paralela a p.3). é paralela a ω. que contém P(0. Paralelismos entre dois planos 6. cujo traço frontal faz 60ºad. que faz 60ºad e cruza o eixo num ponto com 3cm de abcissa.

4).Paralelismos entre uma recta e um plano (continuação) 24. Representar o plano ω do exercício anterior. Determinar a recta horizontal n. 26. Representar o plano β do exercício 30. definido pelas rectas f e n.4. 2cm de cota e 4cm de afastamento.1. definido pelas rectas r e s. com traço no ponto F(-1.4).3.2). frontal e horizontal. definido pelo ponto P(1. paralelas entre si. Manual de Geometria Descritiva . paralela a β. 31. sendo r paralela ao β2/4. B(-3.3).2. Representar o plano ω do exercício 35. Determinar a recta de perfil p. Determinar a recta g que contém R(3. concorrentes em P(4.-1. Determinar o plano δ. paralelas entre si. definido pelos pontos A(0. oblíquas e concorrentes no ponto M(-5. contendo.António Galrinho Paralelismos . com -3cm de abcissa. Representar o plano ω. definido pelas rectas frontais a e b. sendo a frontal e b oblíqua. Representar o plano β do exercício anterior.-1) e é paralela a δ.2) e é paralela a θ. passante em P com 5cm de abcissa. definido pelas rectas oblíquas r e s. respectivamente. Representar o plano β. Determinar o plano π. contendo A(3. paralela a δ. Representar o plano θ. fazendo as suas projecções frontal e horizontal 40ºad e 50ºae.2). concorrentes em I(3.0. 25. Determinar a recta b.-2. é paralela a ψ. Paralelismos entre uma recta e um plano definido por rectas ou pontos 27.-3. 32.0). que contém R(4. 29. 36.4) e pela recta r. 35.4.5).1) e C(-5.4). definido pelas rectas a e b.3. respectivamente. paralelo a ω.4. que contém R(-4. definido pelas rectas c e d. 28. Determinar o plano ρ.3. concorrentes em S (4.0. paralelo a ω. Representar o plano α. Representar o plano ψ. paralelo a δ. fazendo a sua projecção horizontal 50ºae.-1.-2). 30.4. 34. Determinar a recta de perfil q. respectivamente com 5cm e 3cm de abcissa. Representar o plano δ definido pelas rectas frontais a e b. -4cm de cota e 2cm de afastamento. Representar o plano δ do exercício anterior. fazendo a sua projecção frontal 25ºae. Representar o plano δ. Determinar a recta de perfil q. paralelo a ω. fazendo a sua projecção horizontal 45ºae. respectivamente. Determinar o plano ψ. cujos traços frontal e horizontal têm. Determinar a recta r. paralela a δ. com 4cm de abcissa e paralela a β. cujo traço horizontal é H(6. Paralelismos entre dois planos definidos por rectas ou pontos 33. respectivamente. 37.5). Representar o plano θ do exercício anterior. e sendo s horizontal fazendo 50ºad.2) e B(2.1) e fazendo a sua projecção frontal 45ºae. definido pelas rectas de perfil p e q. cujos traços frontal e horizontal têm. os pontos A(0:5. paralelo a α.4). Representar o plano δ do exercício 27.3. Determinar a recta de perfil p. concorrentes em P(-4. fazendo 35ºad. Determinar o plano σ. paralela a β.2).-3). que contém Q(4. respectivamente. fazendo a sua projecção frontal 50ºad. contendo.3.2) e B(2. fazendo 35ºad.1. Determinar a recta a.19 . paralela a θ. com 4cm de abcissa. os pontos A(0:5.