MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO, DA ESTRUTURA DE AÇO PARA COBERTURA DO EDIFÍCIO COMPLEXO IV DA SECRETARIA DA FAZENDA DO ESTADO DE MATO GROSSO

CUIABÁ-MT MARÇO/2011

Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV - SEFAZ
Data: 18/03/2011

Características gerais A estrutura em aço para as coberturas do Anexo IV da Sefaz, localizada no Centro Político e Administrativo, na cidade de Cuiabá/MT, será formada por perfis de chapa dobrada de aço. As tesouras serão apoiadas na laje de concreto da cobertura através de chumbadores pré-fixados, que deverão ser concretados concomitantemente com a laje. Abaixo vemos o conjunto geral da estrutura.

Figura 1: Conjunto geral da estrutura de cobertura.

A cobertura será constituída por estrutura treliçada em aço de perfil dobrado, do tipo tesoura, com duas águas, apoiadas diretamente na laje de concreto. As diagonais terão a função de travamento dos montantes, e o banzo inferior é exclusivamente para facilitar a montagem da estrutura. Abaixo vemos a tesoura dos eixos 2 e 3.

Figura 2: Tesoura do eixo 2 e 3.

Página 2

peso próprio da telha. A aço utilizado será do tipo estrutural ASTM-A36 (fy=250 MPa). da NBR 8800. foi considerado o peso próprio da estrutura de aço. Hipótese(s) Hipótese(s) Hipótese(s) Hipótese(s) 1: PP 1 (Peso próprio da estrutura) 2: PP 2 (Peso próprio da telha -> 5 Kg/m²) 3: SCU (NBR 8800 -> 25 Kg/m²) 4: Vento (conforme NBR 6123) A flecha máxima verificada nos perfis utilizados como terça. na posição mais desfavorável do maior vão: Página 3 . está acima de L/180. Figura 3: Perfil utilizados como terça. Abaixo é mostrado o detalhamento da terça. sobrecarga de utilização conforme NBR 8800 e ações do vento conforme NBR 6123. Esforços considerados Para o cálculo das estruturas.5 ton/cm²).00mm.1 – Deslocamentos máximos.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV . A tensão nominal máxima admitida nos perfis é de 250 Mpa (fy=2.SEFAZ Data: 18/03/2011 O perfil utilizado nas terças será do tipo cartola de 25x100x50x2. portanto encontra-se dentro do recomendado na tabela C. Abaixo é mostrado o memorial de cálculo do perfil utilizado nas terças.

9 10.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .968 5.00 η= η= η = η = 6.08 Notas: (1) Inércia em relação ao eixo indicado (2) Momento de inércia à torção uniforme VERIFICAÇÕES (NBR 14762: 2001) Plano ZX  LK Cm.1 λxx ≤ 200 λyy ≤ 200 (bw/t) ≤ 60 (bw/t) ≤ 500 Página 4 .76 0.(1) 94.4 1.SEFAZ Data: 18/03/2011 Perfil: G 100x50x25x130x2.0 Material: Aço (A-36) Características mecânicas Comprimento Área Ix(1) Iy(1) It(2) (m) Inicial Final (cm²) (cm4) (cm4) (cm4) MyVxVy MxVyMy VxNcMx MyNtMx MyMtλb /t N161 N179 5.Sd = m x: 0 m m m m m 0.968 1.86 77.9 2.000 Nt Nós Anotação: : Coeficiente de flambagem LK: Comprimento de flambagem (m) Cm: Coeficiente de momentos para encurvadura Cb: Coeficiente de momentos para encurvadura lateral Barra η= 0.2 93.P.7 99.1 90.7 x: 0 x: 0 x: 0 x: 0 x: 0 x: 0 m x: 0 m Mt. Cb 5.5 η= 1.42 71.1 η = η = η = η = N.

968 5.SEFAZ Data: 18/03/2011 Perfil: G 100x50x25x130x2.86 77.968 1.000 Nós Anotação: : Coeficiente de flambagem LK: Comprimento de flambagem (m) Cm: Coeficiente de momentos para encurvadura Cb: Coeficiente de momentos para encurvadura lateral Barra Anotaçã o: Nt: Resis tênci a à traçã o Nc: Resis tênci a à com pres são Mx: Resis tênci a à flexã o eixo X My: Resis tênci a à flexã o eixo Y Vx: Resis tênci a ao esfor ço corta nte X Vy: Resis tênci a ao esfor ço Página 5 .08 Notas: (1) Inércia em relação ao eixo indicado (2) Momento de inércia à torção uniforme VERIFICAÇÕES (NBR 14762: 2001) Plano ZX  LK Cm.0 Material: Aço (A-36) Características mecânicas Comprimento Área Ix(1) Iy(1) It(2) (m) Inicial Final (cm²) (cm4) (cm4) (cm4) N161 N179 5. Cb 5.42 71.76 0.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .

Sd: asforço axial de tracção actuante de cálculo desfavorável.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV . Nt.968 1.4·Vento90°.069 t A força normal de tração resistente de cálculo Nt. Resistência à tração (NBR 14762: 2001.968 5. Nt. Artigo 7.000 Nt Nós MyVxVy MxVyMy VxNcMx MyNtMx MyMtλb /t Anotação: : Coeficiente de flambagem LK: Comprimento de flambagem (m) Cm: Coeficiente de momentos para encurvadura Cb: Coeficiente de momentos para encurvadura lateral Barra Verificações desnecessárias para o tipo de perfil (N.Rd deve ser tomada como: Nt. já que não existe momento torsor.6) Deve satisfazer: η : 0.P.SEFAZ Data: 18/03/2011 Perfil: G 100x50x25x130x2.0 Material: Aço (A-36) Características mecânicas Comprimento Área Ix(1) Iy(1) It(2) (m) Inicial Final (cm²) (cm4) (cm4) (cm4) N161 N179 5.76 0.005 O esforço actuante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de acções AP+Telha5Kg/m²+1.Rd : 13.): (1) A verificação não é necessária.42 71.Rd = A y /γ f Nt. Cb 5.572 t Donde: Página 6 .08 Notas: (1) Inércia em relação ao eixo indicado (2) Momento de inércia à torção uniforme VERIFICAÇÕES (NBR 14762: 2001) Plano ZX  LK Cm.Sd : 0.86 77.

Rd : 3.7) Deve satisfazer: η : 0.90 A f  λ0 =  ef y  Ne  Sendo: Ne: força normal de flambagem elástica da barra.5 1 ρ xx : ρ ft : β xx : β ft : αxx : αft : 0.2 ( 0 )  2 + 0λ   2.Sd: força normal de compressão solicitante de cálculo Nc.23 β = 0.Rd deve ser tomada como: Nc.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .017 O esforço actuante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de acções 1. Nc.5 λ0.82 1.Sd : 0.25 0.4·AP+1.4·Telha5Kg/m²+1.Rd = ρ ef /y A f γ Nc.055 t A força normal de compressão resistente de cálculo Nc.2 Aef: área efetiva da seção transversal da barra Aef : 5.2. conforme 7. ft : 1.86 1.SEFAZ Data: 18/03/2011 A: área bruta da seção transversal da barra fy: tensão de escoamento A: 5.42 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências γ: Resistência à compressão (NBR 14762: 2001.34 Onde α é o fator de imperfeição inicial conforme tabela 7 λ0: índice de esbeltez reduzido para barras comprimidas 0.44 2.58 0.7. xx : λ 0.5·SCUNBR8800-25Kg/m².1 cm² fy : 2548.5  1 + α λ −0.34 0.126 t Donde: ρ : fator de redução associado à flambagem.86 cm² Página 7 . ρ= 2 ≤ Sendo: 1 β(0 ) 0 . Artigo 7.

( x0 r0)      1.37 E : 2089704 kgf/cm² G : 803732 kgf/cm² KxLx : KyLy : KtLt : 5.156 t Net : ∞ 77.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .( x0 r0 )  2 2   4Ney Net  1.50 0.76 0. respectivamente.484 t Neyt = Ney + Net 2 1.156 t a) Força normal de flambagem elástica por flexão em relação ao eixo X π 2E I Ne= x2 x (Kx) x L b) Força normal de flambagem elástica por flexo-torção Nex : 4.45 cm Sendo: rx.968 5.SEFAZ Data: 18/03/2011 fy: tensão de escoamento fy : 2548.000 m m m  0r=x 2 0. Artigo 7.1 2  ( Ney + Net )     Neyt : 4.92 cm cm mm mm Resistência à flexão eixo X (NBR 14762: 2001.08 cm4 cm4 cm4 cm6 Ix: momento de inércia da seção bruta em relação ao eixo X Iy: momento de inércia da seção bruta em relação ao eixo Y It: momento de inércia à torção uniforme Cw: constante de empenamento da seção E: módulo de elasticidade G: módulo de elasticidade transversal KxLx: comprimento efetivo de flambagem por flexão em relação ao eixo X KyLy: comprimento efetivo de flambagem por flexão em relação ao eixo Y KtLt: comprimento efetivo de flambagem por torção r0: raio de giração polar da seção bruta em relação ao centro de torção Ix : Iy : It : Cw : 237.42 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências A força normal de flambagem elástica Ne é o menor valor entre os obtidos por a) e b): γ: Ne : 1.42 71.156 t Donde: π 2E I Ne= y2 y (Ky) y L 1π2 E C Net=2 wGt I r0K(t) t L 2 Ney : 4. y0: coordenadas do centro de torção na direção dos eixos principais X e Y.64 3.1 4.968 0. ry: raios de giração da seção bruta em relação aos eixos principais de inércia X e Y.00 79.8. em relação ao centróide da seção rx : ry : x0 : y0 : 3. 5 r 2 y x 0 y 2 2 0 r0 : 9.1) Deve satisfazer: Página 8 . respectivamente x0.

Resistência à flexão eixo Y (NBR 14762: 2001.1. conforme 7.8.1 cm³ fy : 2548.357 t·m a) Início de escoamento da la seção efetiva (7. pois o comprimento efetivo de flambagem lateral por torção KtLt e os comprimentos efetivos de flambagem lateral KyLypos e KyLyneg são nulos.84·Vento90° MSd : 0.8. Artigo 7.339 t·m O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como o menor valor calculado em a) y b) MR d : 0.8.949 O momento fletor desfavorável de cálculo MSd é obtido para o nó N161.1) Não procede. Wef : fy: tensão de escoamento 15.4·Telha5Kg/m²+1.4·Vento90° MSd : 0.1) Deve satisfazer: η : 0.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV . para a combinação de hipóteses 1.4·AP+1.026 t·m Página 9 . com σ calculada para o estado limite último de escoamento da seção.41 1.5·SCUNBR8800-25Kg/m²+0.1. para a combinação de hipóteses AP+Telha5Kg/m²+1.109 O momento fletor desfavorável de cálculo MSd é obtido para o nó N161.2.SEFAZ Data: 18/03/2011 η : 0.42 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências γ: b) Flambagem lateral com torção (7.1) MRd = Wef fy γ MR d : 0.357 t·m Donde: Wef: módulo de resistência elástico da seção efetiva calculado com base nas larguras efetivas dos elementos.

47 t h t ≤ 1. conforme 7.2.5 )f y 0.08(EKV/fy)0. A força cortante resistente de cálculo da alma VRd deve ser calculada por: par a (1) (1) VSd : 0. 4 53 Página 10 .34 kv = .4(EKV/fy)0.1 5.4( Ek y ) f v →Rd V  = 0.4·AP+1.00 44.8.84·Vento90°.5 V→ Rd γ h/t : 22.84 mm mm fy : 2548.31 1.42 kgf/cm² E : 2089704 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências KV: coeficiente de flambagem local por cisalhamento.65t2 )k yf E ( v γ 0.5 : par a (2) < h t≤ 1.4 Ek ( v 0.6f ht =y γ =0.64 Donde: t: espessura da alma h: largura da alma fy: tensão de escoamento E: módulo de elasticidade t: h: 2.5 1. Artigo 7.247 71. que para a alma sem enrijecedores transversais é dado por: γ: KV : 1.5 y )f 0. para a combinação de hipóteses 1.1 cm³ fy : 2548.2) Deve satisfazer: η : 0.5 VRd → 0.42 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências γ: Resistência ao esforço cortante X (NBR 14762: 2001.5·SCUNBR880025Kg/m²+0.08( Ek y ) f v 0. com σ calculada para o estado limite último de escoamento da seção.5 : 92.021 O esforço cortante solicitante de cálculo desfavorável VSd produz-se no nó N161.239 t·m MRd = Wef fy γ Donde: Wef: módulo de resistência elástico da seção efetiva calculado com base nas larguras efetivas dos elementos.42 par a (3 ) h t > 1.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .4·Telha5Kg/m²+1.026 t VRd : 1.08 Ek ( v 1. Wef : fy: tensão de escoamento 10.905Ek t3 h  v   1.SEFAZ Data: 18/03/2011 MR O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como: d : 0.

905Ek t3 h  v   1.3) Os esforços de cálculo desfavoráveis MSd e VSd são obtidos no nó N161.59 par a (3 ) h t > 1.42 kgf/cm² E : 2089704 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências KV: coeficiente de flambagem local por cisalhamento.646 71. para a combinação de hipóteses AP+Telha5Kg/m²+1.00 95.8.34 kv = .4 Ek ( v 0.061 O esforço cortante solicitante de cálculo desfavorável VSd produz-se no nó N161.5 )f y 0.8.08( Ek y ) f v 0.08(EKV/fy)0.5 y )f 0. VSd : 0.2) Deve satisfazer: η : 0.5 VRd → 0.5 : 92.SEFAZ Data: 18/03/2011 Resistência ao esforço cortante Y (NBR 14762: 2001.64 Donde: t: espessura da alma h: largura da alma fy: tensão de escoamento E: módulo de elasticidade t: h: 2. Sobre cada uma delas.5 : par a (2) < h t≤ 1.17 mm mm fy : 2548.08 Ek ( v 1.47 t t h t ≤ 1.5 VSd A força cortante resistente de cálculo da alma VRd deve ser calculada por: par a (1) (1) VSd : VRd : 0. o momento fletor solicitante de cálculo e a força cortante solicitante de cálculo devem satisfazer à seguinte expressão de interação: Página 11 .4·Vento90°. o esforço de cálculo é VSd = 0. Artigo 7.161 2.4( Ek y ) f v →Rd V  = 0.65t2 )k yf E ( v γ 0.4(EKV/fy)0.4·Vento90° Para barras sem enrijecedores transversais de alma.1 5. que para a alma sem enrijecedores transversais é dado por: γ: KV : 1. para a combinação de hipóteses AP+Telha5Kg/m²+1. Artigo 7.5 1. 4 53 Resistência ao momento fletor X e esforço cortante Y combinados (NBR 14762: 2001.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .5 V→ Rd γ h/t : 47.322 t A seção é composta por duas almas iguais.6f ht =y γ =0.

247 t Resistência à flexo-compressão (NBR 14762: 2001. Os esforços devem satisfazer as seguintes expressões de interação: η 1 : 0.5·SCUNBR8800-25Kg/m²+0.4·Telha5Kg/m²+1.8.5·SCUNBR8800-25Kg/m². o momento fletor solicitante de cálculo e a força cortante solicitante de cálculo devem satisfazer à seguinte expressão de interação: η : 0.9.012 Donde: MSd: momento fletor solicitante de cálculo M0. Artigo 7. para a combinação de hipóteses 1.292 t Resistência ao momento fletor Y e esforço cortante X combinados (NBR 14762: 2001.Rd : 0. Artigo 7.339 t·m M0.Rd : 0.937 η 2 : 0.1 VSd: força cortante solicitante de cálculo VRd: força cortante resistente de cálculo conforme 7.322 t VRd : 5.912 Donde: Página 12 .8.Rd: momento fletor resistente de cálculo conforme 7.239 t·m VSd : 0.4·AP+1.904 Donde: MSd: momento fletor solicitante de cálculo M0.3) Os esforços de cálculo desfavoráveis MSd e VSd são obtidos no nó N161.026 t·m M0.1.84·Vento90° Para barras sem enrijecedores transversais de alma.8.4·Telha5Kg/m²+1.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .1.2) Os esforços de cálculo desfavoráveis são obtidos no nó N161.Rd: momento fletor resistente de cálculo conforme 7.4·AP+1.8.8.1 VSd: força cortante solicitante de cálculo VRd: força cortante resistente de cálculo conforme 7.2 MSd : 0.357 t·m VSd : 0.SEFAZ Data: 18/03/2011 η : 0. para a combinação de hipóteses 1.026 t VRd : 1.2 MSd : 0.

Sd: momentos fletores solicitantes de cálculo em relação aos eixos X e Y.968 cm4 cm4 m m E : 2089704 kgf/cm² Resistência à flexo-tração (NBR 14762: 2001. respectivamente Nt.Rd : 0.00 Y.290 0.9.Rd : 0.023 3. calculada conforme 7.357 t·m My.6 Mx. Ney: forças normais de flambagem elástica em relação aos eixos X e Y. My.055 0.968 5.Rd : 0.Sd : Nc. respectivamente.3) Os esforços desfavoráveis de cálculo são obtidos no nó N161.00 Mx.1 com Cb = 1 Nex. Os esforços devem satisfazer as seguintes expressões de interação: η 1 : 0.4·Vento90°.Rd: força normal de compressão resistente de cálculo. My.Rd : 13. respectivamente.Rd: momentos fletores resistentes de cálculo em relação aos eixos X e Y.Sd: força normal de compressão solicitante de cálculo Mx. conforme 7.Sd : My.572 t Mx.42 71.126 t t·m t·m t t N0.7.Rd : 0.Sd : Mx. Cmy: coeficientes de equivalência de momento na flexão composta em relação aos eixos X e Cmx : 1. calculados com base no escoamento da fibra tracionada da seção bruta Nt.239 t·m t·m π 2E I Ne= x2 x (Kx) x L π 2E I Ne= y2 y (Ky) y L Sendo: IX: momento de inércia da seção bruta em relação ao eixo X IY: momento de inércia da seção bruta em relação ao eixo Y KxLx: comprimento efetivo de flambagem por flexão em relação ao eixo X KyLy: comprimento efetivo de flambagem por flexão em relação ao eixo Y E: módulo de elasticidade Nex : 4.156 t IX : IY : KxLx : KyLy : 77. respectivamente Cmy : 1.8.009 t·m Nt.Rd.Rd : 13.Sd: força normal de tração solicitante de cálculo Mx. calculados conforme 7.Sd: momentos fletores solicitantes de cálculo em relação aos eixos X e Y.7 Nc. Artigo 7. My. respectivamente.Rd: força normal de compressão resistente de cálculo.Sd : 0.SEFAZ Data: 18/03/2011 Nc.Rd: momentos fletores resistentes de cálculo em relação aos eixos X e Y.069 t Mx.Rd.Sd : 0.Rd: momentos fletores resistentes de cálculo em relação aos eixos X e Y.357 0. tomando-se ρ =1 N0. My.Rd : My.239 t·m Mxt.1 Mxt.484 t Ney : 4.Rd: força normal de tração resistente de cálculo conforme 7.8.991 η 2 : 0.Sd. calculados conforme 7. para a combinação AP+Telha5Kg/m²+1.982 Donde: Nt.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .Rd. respectivamente Mx.Sd : 0. respectivamente Nc.76 5.339 t·m My.572 Cmx.Sd. Myt.Rd = Wxt fy γ Página 13 .

6.00 mm Página 14 . Itens 7.Rd = Wyt fy γ Myt. (b/t ): 44 Sendo: b: a largura do elemento t: a espessura b : 87.2 e 7. a relação largura-espessura não deve ultrapassar o valor 60.Rd : 0. referentes à fibra tracionada Wxt : 15. respectivamente. λxx : 164 λyy : 171 Donde: KxL KxLx: comprimento efetivo de flambagem por flexão em relação ao eixo X KyLy: comprimento efetivo de flambagem por flexão em relação ao eixo Y rx: raio de giração da seção bruta em relação ao eixo principal X ry: raio de giração da seção bruta em relação ao eixo principal Y x : 5.1 Tabela 3) Elemento: Alma Em elementos comprimidos AA. já que não existe momento torsor.249 t·m Sendo: Wxt.64 cm ry : 3.4) O índice de esbeltez λ das barras comprimidas não deve exceder o valor 200. Wyt: módulos de resistência elásticos da seção bruta em relação a os eixos X e Y.968 m KyLy : 5.SEFAZ Data: 18/03/2011 Mxt.41 cm³ Wyt : 10.968 m rx : 3.(NBR 14762: 2001. Limitação de esbeltez.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .50 cm Valores máximos da relação comprimento-espessura (NBR 14762: 2001 Artigo 7.7.77 cm³ Resistência à torção (Critério da CYPE Ingenieros) A verificação não é necessária.Rd : 0. tendo uma borda vinculada à alma ou mesa e a outra ao enrijecedor de borda simples.357 t·m Myt.17 mm t : 2.

53 2.26 0.(1) 25. Duplo U união genérica (Distância entre os perfis: 20.19 x: 1.19 x: 1.45 Notas: (1) Inércia em relação ao eixo indicado (2) Momento de inércia à torção uniforme (3) Coordenadas do centro de gravidade VERIFICAÇÕES (NBR 14762: 2001)  LK Cm.19 x: 1.2 19.04 0.22 27.00 mm t : 2.0 / 20.25.P.0 mm e Perfis independentes) Material: Aço (A-36) Nós Inicial Final MyVxVy MxVyMy VxNcMx MyNtMx MyMtλb /t N69 N222 Comprimento (m) 1.00 -6. na posição mais desfavorável: Perfil: L 30x2.4 39.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV . a relação larguraespessura não deve ultrapassar o valor 500.SEFAZ Data: 18/03/2011 Elemento: Alma Em elementos comprimidos com ambas as bordas vinculadas a elementos AA.1 65.9 η = N.19 x: 1.7 λxx ≤ (bf/t) 200 ≤ λyy ≤ 200 200 Página 15 .1 η= η = 4.00 mm Abaixo é mostrado o memorial de cálculo dos perfis utilizados nos montantes.19 Mt.7 90.190 Características mecânicas Área Ix(1) Iy(1) It(2) xg(3) yg(3) (cm²) (cm4) (cm4) (cm4) (mm) (mm) 2.19 x: 1. (b/t ): 21 Sendo: b: a largura do elemento t: a espessura b : 42.00 η= η= η = 0.0 η = 0. Cb Anotação: : Coeficiente de flambagem LK: Comprimento de flambagem (m) Cm: Coeficiente de momentos para encurvadura Cb: Coeficiente de momentos para encurvadura lateral Nt Barra x: x: 1.Sd = m m m m η= η< m m m m 0.19 x: 1.2 η = 3.19 1.8 0.

Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .53 2.22 27.26 0.0 mm e Perfis independentes) Material: Aço (A-36) Nós Inicial Final N69 N222 Comprimento (m) 1.190 Características mecânicas Área Ix(1) Iy(1) It(2) xg(3) yg(3) (cm²) (cm4) (cm4) (cm4) (mm) (mm) 2.00 -6.04 0.0 / 20.45 MyVxVy MxVyMy VxNcMx MyNtMx MyMtλb /t Notas: (1) Inércia em relação ao eixo indicado (2) Momento de inércia à torção uniforme (3) Coordenadas do centro de gravidade VERIFICAÇÕES (NBR 14762: 2001)  LK Cm. Cb Anotação: : Coeficiente de flambagem LK: Comprimento de flambagem (m) Cm: Coeficiente de momentos para encurvadura Cb: Coeficiente de momentos para encurvadura lateral Nt Barra Anotaçã o: Nt: Resi stên cia à traçã o Nc: Resi stên cia à com pres são Mx: Resi stên cia à flexã o eixo X My: Resi stên cia à flexã o eixo Y Vx: Resi stên cia ao esfor ço corta nte X Vy: Resi stên cia Página 16 . Duplo U união genérica (Distância entre os perfis: 20.SEFAZ Data: 18/03/2011 Perfil: L 30x2.25.

0 / 20.SEFAZ Data: 18/03/2011 Perfil: L 30x2. para a combinação de acções AP+Telha5Kg/m²+1.22 27. obtida em função da esbelteza da peça e uma esbelteza complementar que tem em conta a separação das ligações entre os perfis simples.P. As verificações dos referidos perfis realizam-se para os esforços calculados a partir dos que actuam sobre a peça composta.0 mm e Perfis independentes) Material: Aço (A-36) Nós MyVxVy MxVyMy VxNcMx MyNtMx MyMtλb /t Inicial Final N69 N222 Comprimento (m) 1.251 O esforço actuante de cálculo desfavorável produz-se no nó N222. Artigo 7. Para as verificações de estabilidade utiliza-se a esbelteza mecânica ideal.Sd: asforço axial de tracção actuante de cálculo desfavorável.190 Características mecânicas Área Ix(1) Iy(1) It(2) xg(3) yg(3) (cm²) (cm4) (cm4) (cm4) (mm) (mm) 2.00 -6.735 t A força normal de tração resistente de cálculo Nt. Duplo U união genérica (Distância entre os perfis: 20.25. Nt.45 Notas: (1) Inércia em relação ao eixo indicado (2) Momento de inércia à torção uniforme (3) Coordenadas do centro de gravidade VERIFICAÇÕES (NBR 14762: 2001)  LK Cm.4·Vento0°.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV . Nt. Cb Anotação: : Coeficiente de flambagem LK: Comprimento de flambagem (m) Cm: Coeficiente de momentos para encurvadura Cb: Coeficiente de momentos para encurvadura lateral Nt Barra Verificações desnecessárias para o tipo de perfil (N. Resistência à tração (NBR 14762: 2001.53 2.): (1) A verificação não é necessária.6) Deve satisfazer: η : 0.Rd deve ser tomada como: Página 17 .04 0.26 0. Nota: A análise de peças compostas realiza-se através da verificação de cada um dos perfis simples que as constituem. segundo as suas características mecânicas.Sd : 0. já que não existe momento torsor.

Nc.Sd : 0.Rd : 1.7) Deve satisfazer: η : 0.652 O esforço actuante de cálculo desfavorável produz-se no nó N222.41 A f  λ0 =  ef y  Ne  Sendo: 0.5 1 ρ ft : 0.4·Telha5Kg/m²+1. Artigo 7. ρ= 2≤ 1 β(0 ) 0 .Rd = A y /γ f Nt.102 t Donde: ρ : fator de redução associado à flambagem.2 ( 0 )  2 + 0λ   β ft : αft : λ 0.34 Onde α é o fator de imperfeição inicial conforme tabela 7 λ0: índice de esbeltez reduzido para barras comprimidas 1.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .5  1 + α λ −0.SEFAZ Data: 18/03/2011 Nt.4·AP+1.Rd : 2.933 t Donde: A: área bruta da seção transversal da barra fy: tensão de escoamento A: 1.71 0.Rd = ρ ef /y A f γ Nc.1 cm² fy : 2548.5 Página 18 . ft : 1.5·SCUNBR8800-25Kg/m².38 Sendo: β = 0.Sd: força normal de compressão solicitante de cálculo Nc.Rd deve ser tomada como: Nc.42 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências γ: Resistência à compressão (NBR 14762: 2001.27 1. para a combinação de acções 1.718 t A força normal de compressão resistente de cálculo Nc.

613 t 2 2 r(e 2 (ey N e .7. conforme 7.SEFAZ Data: 18/03/2011 Ne: força normal de flambagem elástica da barra.2. em relação ao centróide da seção rx : ry : x0 : y0 : 0. 5 r 2 y x 0 y 2 2 0 r0 : 2.1 cm² fy : 2548.(x N ).02 0. respectivamente x0.613 t π 2E I Ne= y2 y (Ky) y L Net: força normal de flambagem elástica por torção Ney : 52.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .74 -13.94 -13. respectivamente. ry: raios de giração da seção bruta em relação aos eixos principais de inércia X e Y.2 (e N -) N )e -0 N N N ) x N N N y 0 = e x e t0 e Donde: Nex: força normal de flambagem elástica por flexão em relação ao eixo X π 2E I Ne= x2 x (Kx) x L Ney: força normal de flambagem elástica por flexão em relação ao eixo Y Nex : 1.74 cm cm mm mm Página 19 .27 1.2 Aef: área efetiva da seção transversal da barra fy: tensão de escoamento Aef : 1.393 t 1π2 E C Net=2 wGt I r0(Kt) t L 2 Net : ∞ 1.42 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências A força normal de flambagem elástica Ne é dada pela menor das raizes da la seguinte equação cúbica: γ: Ne : 1.190 0.209 0.11 0.00 cm4 cm4 cm4 cm6 Ix: momento de inércia da seção bruta em relação ao eixo X Iy: momento de inércia da seção bruta em relação ao eixo Y It: momento de inércia à torção uniforme Cw: constante de empenamento da seção E: módulo de elasticidade G: módulo de elasticidade transversal KxLx: comprimento efetivo de flambagem por flexão em relação ao eixo X KyLy: comprimento efetivo de flambagem por flexão em relação ao eixo Y KtLt: comprimento efetivo de flambagem por torção r0: raio de giração polar da seção bruta em relação ao centro de torção Ix : Iy : It : Cw : E : 2089704 kgf/cm² G : 803732 kgf/cm² KxLx : KyLy : KtLt : 1.000 m m m r0=x 2 0. y0: coordenadas do centro de torção na direção dos eixos principais X e Y.35 cm Sendo: rx.94 0.11 1.e2 N e )e (ye N 0 .

para a combinação de hipóteses 1. Wef : fy: tensão de escoamento 0.4·AP+Telha5Kg/m²+1.002 t·m MR O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como: d : 0.197 O momento fletor desfavorável de cálculo MSd é obtido para o nó N222.8.009 t·m MRd = Wef fy γ Donde: Wef: módulo de resistência elástico da seção efetiva calculado com base nas larguras efetivas dos elementos.040 O momento fletor desfavorável de cálculo MSd é obtido para o nó N222. para a combinação de hipóteses AP+Telha5Kg/m²+1.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .84·Vento-90° MSd : 0.5·SCUNBR8800-25Kg/m²+0. Artigo 7.1) Deve satisfazer: η : 0.SEFAZ Data: 18/03/2011 Resistência à flexão eixo X (NBR 14762: 2001.1) Deve satisfazer: η : 0. com σ calculada para o estado limite último de escoamento da seção. conforme 7.42 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências γ: Resistência à flexão eixo Y (NBR 14762: 2001.1 cm³ fy : 2548.009 t·m MRd = Wef fy γ Página 20 .2.4·Vento0° MSd : 0.38 1.8. Artigo 7.000 t·m MR O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como: d : 0.

conforme 7.42 kgf/cm² E : 2089704 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências KV: coeficiente de flambagem local por cisalhamento.5 VRd → 0. Artigo 7.65t2 )k yf E ( v γ 0.SEFAZ Data: 18/03/2011 Donde: Wef: módulo de resistência elástico da seção efetiva calculado com base nas larguras efetivas dos elementos.5 )f y 0.8. 4 53 Resistência ao esforço cortante Y (NBR 14762: 2001.08 Ek ( v 1.008 O esforço cortante solicitante de cálculo desfavorável VSd produz-se para a combinação de hipóteses AP+Telha5Kg/m²+1.47 t h t ≤ 1.5 V→ Rd γ h/t : 11.8.42 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências γ: Resistência ao esforço cortante X (NBR 14762: 2001.4(EKV/fy)0.905Ek t3 h  v   1. com σ calculada para o estado limite último de escoamento da seção.38 1.5 y )f 0.4·Vento0° VSd : 0.6f ht =y γ =0. Artigo 7.4( Ek y ) f v →Rd V  = 0.4 Ek ( v 0.08( Ek y ) f v 0. Wef : fy: tensão de escoamento 0.5 : 92.25 25.33 par a (3 ) h t > 1.08(EKV/fy)0.2.2) Deve satisfazer: η : 0.1 5.34 kv = .798 71.2) Deve satisfazer: Página 21 .5 1.5 : par a (2) < h t≤ 1. que para a alma sem enrijecedores transversais é dado por: γ: KV : 1.64 Donde: t: espessura da alma h: largura da alma fy: tensão de escoamento E: módulo de elasticidade t: h: 2.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .1 cm³ fy : 2548.50 mm mm fy : 2548.006 t A força cortante resistente de cálculo da alma VRd deve ser calculada por: par a (1) (1) VRd : 0.

Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .4·Vento90° VSd : 0.Rd : 0.SEFAZ Data: 18/03/2011 η < 0.002 Donde: MSd: momento fletor solicitante de cálculo M0.25 25.5 : par a (2) < h t≤ 1.2 MSd : 0.1 5.4(EKV/fy)0.000 t A força cortante resistente de cálculo da alma VRd deve ser calculada por: par a (1) (1) VRd : 0.5 )f y 0.50 mm mm 2548.1 VSd: força cortante solicitante de cálculo VRd: força cortante resistente de cálculo conforme 7.5 VRd → 0.8.4 Ek ( v 0.08(EKV/fy)0.8.5·SCUNBR8800-25Kg/m²+0.1.5 V→ Rd γ h/t : 11.65t2 )k yf E ( v γ 0.5 y )f 0.4·AP+Telha5Kg/m²+1.798 71.Rd: momento fletor resistente de cálculo conforme 7.4( Ek y ) f v →Rd V  = 0.000 t·m M0.8.08( Ek y ) f v 0.64 Donde: t: espessura da alma h: largura da alma fy: tensão de escoamento E: módulo de elasticidade t: h: fy : 2.798 t Página 22 .905Ek t3 h  v   1.5 1.000 t VRd : 0.42 kgf/cm² 1.001 O esforço cortante solicitante de cálculo desfavorável VSd produz-se para a combinação de hipóteses AP+Telha5Kg/m²+1.5 : 92. o momento fletor solicitante de cálculo e a força cortante solicitante de cálculo devem satisfazer à seguinte expressão de interação: η : 0.47 t h t ≤ 1.34 E : 2089704 kgf/cm² γ : coeficiente de ponderação das resistências KV: coeficiente de flambagem local por cisalhamento.08 Ek ( v 1.33 par a (3 ) h t > 1.6f ht =y γ =0. Artigo 7. que para a alma sem enrijecedores transversais é dado por: γ: KV : kv = .3) Os esforços de cálculo desfavoráveis MSd e VSd são obtidos no nó N222.009 t·m VSd : 0.84·Vento-90° Para barras sem enrijecedores transversais de alma. 4 53 Resistência ao momento fletor X e esforço cortante Y combinados (NBR 14762: 2001. para a combinação de hipóteses 1.

o momento fletor solicitante de cálculo e a força cortante solicitante de cálculo devem satisfazer à seguinte expressão de interação: η : 0.1. respectivamente Mx.Sd : Nc.469 Donde: Nc. tomando-se ρ =1 Cmx.Sd: momentos fletores solicitantes de cálculo em relação aos eixos X e Y. My.009 0. conforme 7.002 t·m M0.009 t·m t·m t t·m t·m t t Página 23 .904 η 2 : 0.Rd : Cmx : Cmy : Mx.00 1.2 MSd : 0. Artigo 7. Cmy: coeficientes de equivalência de momento na flexão composta em relação aos eixos X e Y.9. Artigo 7.8.002 1.3) Os esforços de cálculo desfavoráveis MSd e VSd são obtidos no nó N222.Sd: força normal de compressão solicitante de cálculo Mx.009 t·m VSd : 0. My.Rd: momentos fletores resistentes de cálculo em relação aos eixos X e Y.102 2.7 N0.006 t VRd : 0. respectivamente Nc.00 0.8.Rd: momento fletor resistente de cálculo conforme 7.Sd : My. calculados conforme 7.7.000 0.1 com Cb = 1 Nc.798 t Resistência à flexo-compressão (NBR 14762: 2001.Rd : 0.4·AP+1.8.Rd : 0.Rd: força normal de compressão resistente de cálculo. Os esforços devem satisfazer as seguintes expressões de interação: η 1 : 0. respectivamente.Rd: força normal de compressão resistente de cálculo.718 0.2) Os esforços de cálculo desfavoráveis são obtidos no nó N222.Rd : My.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .Rd : N0. calculada conforme 7.039 Donde: MSd: momento fletor solicitante de cálculo M0.Rd.933 1.8.Sd : Mx. para a combinação de hipóteses 1.SEFAZ Data: 18/03/2011 Resistência ao momento fletor Y e esforço cortante X combinados (NBR 14762: 2001.Sd. para a combinação de hipóteses AP+Telha5Kg/m²+1.5·SCUNBR8800-25Kg/m².4·Vento0° Para barras sem enrijecedores transversais de alma.4·Telha5Kg/m²+1.1 VSd: força cortante solicitante de cálculo VRd: força cortante resistente de cálculo conforme 7.

calculados com base no escoamento da fibra tracionada da seção bruta Nt.Sd : My.Rd = Wyt fy γ Myt. Os esforços devem satisfazer as seguintes expressões de interação: η 1 : 0.000 t·m 0.SEFAZ Data: 18/03/2011 Nex.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV . Wyt: módulos de resistência elásticos da seção bruta em relação a os eixos X e Y.1 Mxt.30 0.52 cm³ cm³ Página 24 .Rd: força normal de tração resistente de cálculo conforme 7. respectivamente Nt.393 t IX : IY : KxLx : KyLy : 1.Rd.002 t·m 2.009 t·m 0. Myt.Sd : Mx. calculados conforme 7. My.613 t Ney : 52.Rd : 0. respectivamente.Rd : 0.Rd : 0.397 η 2 < 0.009 t·m Mxt.735 t 0.4·Vento0°.Rd: momentos fletores resistentes de cálculo em relação aos eixos X e Y.Sd. respectivamente.012 t·m Sendo: Wxt.6 Mx.030 t·m Myt.001 Donde: Nt.209 cm4 cm4 m m E : 2089704 kgf/cm² Resistência à flexo-tração (NBR 14762: 2001. My. Artigo 7.9.Sd: momentos fletores solicitantes de cálculo em relação aos eixos X e Y.11 1.Sd : Nt.190 0.11 1. respectivamente π 2E I Ne= x2 x (Kx) x L π 2E I Ne= y2 y (Ky) y L Sendo: IX: momento de inércia da seção bruta em relação ao eixo X IY: momento de inércia da seção bruta em relação ao eixo Y KxLx: comprimento efetivo de flambagem por flexão em relação ao eixo X KyLy: comprimento efetivo de flambagem por flexão em relação ao eixo Y E: módulo de elasticidade Nex : 1.Sd: força normal de tração solicitante de cálculo Mx.Rd : My. referentes à fibra tracionada Wxt : Wyt : 1.Rd.Rd : Mx.8.Rd = Wxt fy γ Mxt.933 t 0.3) Os esforços desfavoráveis de cálculo são obtidos no nó N222. respectivamente.Rd: momentos fletores resistentes de cálculo em relação aos eixos X e Y. para a combinação AP+Telha5Kg/m²+1. Ney: forças normais de flambagem elástica em relação aos eixos X e Y.

2 e 7.SEFAZ Data: 18/03/2011 Resistência à torção (Critério da CYPE Ingenieros) A verificação não é necessária.50 mm t : 2. (b/t ): 11 Sendo: b: a largura do elemento t: a espessura b : 25.7.00mm. Página 25 .1 Tabela 3) Elemento: Mesa Em almas de vigas sem enrijecedores transversais. Itens 7. já que não existe momento torsor. λ máx : 127 Donde: λmáx: esbeltez máxima λmáx : 127 Valores máximos da relação comprimento-espessura (NBR 14762: 2001 Artigo 7.(NBR 14762: 2001. Limitação de esbeltez.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .25 mm Abaixo é mostrado o memorial de cálculo para o perfil terça utilizado.4) O índice de esbeltez λ das barras comprimidas não deve exceder o valor 200. cartola de 25x100x50x2.6. LISTA DE MATERIAIS A seguir é relacionado lista de materiais para cobertura do Anexo II do Sefaz. a relação largura-espessura não deve ultrapassar o valor 200.

A LISTA DE MATERIAL É APENAS INDICATIVA.REALIZAR VISTORIAS PERIÓDICAS VERIFICANDO A OCORRÊNCIA DE PONTOS DE OXIDAÇÃO DA ESTRUTURA.FATOR ESTATÍSTICO S3 = 1. 7.ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS: 5.ATENDER AS NECESSIDADES DOS DEMAIS ÍTENS (ELÉTRICA.AÇO ASTM A325 PARA PARAFUSOS EM LIGAÇÕES PRINCIPAIS.PARA DETERMINAR O PESO DAS POSIÇÕES FORMADAS POR SEÇÃO COMPOSTA (DOIS OU MAIS PERFIS). ETC).PESO PRÓPRIO DA ESTRUTURA.8 m/s. 6.TELHA METÁLICA – 5.CLASSE C).CONSIDERADO OS CARREGAMENTOS APLICADOS NOS NÓS DAS TRELIÇAS.2 . 4 . 7.VELOCIDADE BÁSICA Vo = 30 m/s.3.VENTO (CONFORME NBR 6123/88).86 (CATEGORIA III .1. 6.1.3 .5 . 7.1.CONSIDERAÇÕES DE CARGAS: 6. DEVERÁ SER EXECUTADO TRAVAMENTO E/OU CONTRAVENTAMENTO DA ESTRUTURA DURANTE A FASE DE MONTAGEM DA MESMA.1 .DEVEM SER SEGUIDAS AS PRESCRIÇÕES DA NBR 8800/08 (PROJETO E EXECUÇÃO DE ESTRUTURAS DE AÇO E ESTRUTURAS MISTAS DE AÇO E CONCRETO DE EDIFÍCIOS) E NBR 14762/2001 (DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS DE AÇO CONSTITUÍDAS POR PERFIS FORMADOS À FRIO).3 .2 .2 .DEVERÃO ESTAR INCLUSOS NO FORNECIMENTO TODOS OS MATERIAIS E SERVIÇOS NECESSÁRIOS PARA A PERFEITA CONCLUSÃO E ACABAMENTO DA ESTRUTURA METÁLICA.7 .8 . EXCETO ONDE INDICADO DIFERENTE.9 .NOTAS GERAIS: 7. 6 .2 .4 .00. 6. MESMO QUE NÃO ESTEJAM EXPLICITAMENTE INDICADOS NA LISTA DE MATERIAIS.TODOS OS ELEMENTOS DE CHAPA DE AÇO DEVERÃO SER JATEADOS E RECEBER PINTURA DE FUNDO EM PRIMER EPÓXI E POSTERIORMENTE PINTURA DE ACABAMENTO.1.1. EXECUTAR VISTORIA E LIMPEZA PERIÓDICA EM ELEMENTOS SUJEITAS A ACÚMULO DE ÁGUAS PLUVIAIS. SENDO RESPONSABILIDADE DO FORNECEDOR A VERIFICAÇÃO DA MESMA PARA ELABORAR SUA PROPOSTA. VERIFICANDO AS INTERFERÊNCIAS COM OS RESPECTIVOS PROJETISTAS/FORNECEDORES. 5 . FOI ADOTADO SOMATÓRIO DAS SEÇÕES. 6.00 Kg/m².5 . FUNDAÇÕES.AS MEDIDAS CONSTANTES NO PROJETO SÃO EM MILIMETROS.4 . 7. 2 .TODAS AS MEDIDAS DEVERÃO SER CONFIRMADAS NA OBRA.3.6 .1 . ATERRAMENTO.AÇO ASTM A36 PARA PERFIS DOBRADOS E LAMINADOS. 7.1 . 6. PROVIDENCIANDO REPARO ADEQUADO E IMEDIATO.CASO SEJA NECESSÁRIO.FATOR DE RUGOSIDADE S2 = 0. DE ACORDO COM NBR 8800.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV .00. 5.5 .SOBRECARGA DE UTILIZAÇÃO=25 kg/m². 7 . 7.SEFAZ Data: 18/03/2011 OBSERVAÇÕES GERAIS 1 . 7.1 . 6. 5. APLICADO NAS TERÇAS: 6.NÃO UTILIZAR PARAFUSOS GALVANIZADOS SEM PINTURA.3 . APLICADA NA TERÇAS.SOLDAS COM ELETRODO E-6013 E E-7018-G.PERMANENTE: 6.PARA UMA UTILIZAÇÃO SEGURA DA ESTRUTURA.AÇO ASTM A307 PARA PARAFUSOS EM LIGAÇÕES SECUNDÁRIAS. 6. FORMANDO ASSIM UM PERFIL ÚNICO COM SEU RESPECTIVO PESO POR METRO. 5.4 . EVITANDO ASSIM A OCORRÊNCIA DE Página 26 .3 . 3 . SENDO RESPONSABILIDADE DO FABRICANTE A VERIFICAÇÃO DAS DIMENSÕES DO PROJETO ANTES DA FABRICAÇÃO.FATOR TOPOGRÁFICO S1 = 1.2 .VELOCIDADE CARACTERÍSTICA Vk = Vo*S1*S2*S3 = 25. 7.

NBR 14762. NBR 6120.º Civil CREA 120260512-5 Página 27 . __________________________________________ Henri André Ferreira Eng.SEFAZ Data: 18/03/2011 CORROSÃO GALVÂNICA OBSERVAÇÕES FINAIS Todo aço utilizado nas estruturas será do tipo ASTM A-36. Para o dimensionamento das estruturas. NBR 6123 e AWS.Memorial descritivo e de cálculo da estrutura de aço da cobertura ESTRUTURA DE COBERTURA DO COMPLEXO IV . foram consideradas as normas NBR 8800. Este memorial é parte complementar dos projetos da estrutura.