You are on page 1of 3

Andrew iria morrer de tédio, era isso, a vida de um imortal iria acabar em questão de segundos se alguém não o salvasse

disso. Já fazia horas que eles estava de pé no canto de um salão cheio de pessoas desconhecidas e tinha que sorrir educadamente como se lembrasse de cada uma delas. É claro que para as verdadeiras damas, que muito apreciava, ele não tinha nenhuma dificuldade em fazer isso, mas seu real interesse era sentir a jugular delas em baixo de sua língua para depois se deliciar com o sangue quente que existiria ali. A única parte ruim seria se livrar do corpo delas, mas Pierre se encarregaria disso, ele sempre se encarregava. Talvez ele não devesse pensar assim dessas mulheres que lhe cumprimentavam, mas tudo estava sempre ligado a morte que o vampiro não desejava procurar a vida. Andrew tinha perdido alguém muito especial e isso já fazia anos, mas agora ele só via as pessoas ao seu redor como uma fonte de alimento por causa dessa perda. Por que ele sentiria pelas pessoas, afinal? Isso era perda de tempo. E se os deuses criaram os vampiros para ter sede de sangue, talvez os humanos fossem isso, apenas uma fonte de alimento. O vampiro passou seus olhos por sua taça de champanha e não existia mais nenhum álcool ali dentro, isso significava que já estava na hora de encontrar sua carruagem e ir para casa. Ele já havia ficado muito tempo naquele baile torturador que seu irmão havia planejado para comemorar seu aniversario. Andrew iria fazer diversos aniversários, então por que Pierre se preocuparia em fazer uma grande festa para isso? Seu irmão deveria comemorar apenas quando sua morte acontecesse, pois uma vida eterna muitas vezes não eram tão magnifica como todos imaginavam. Essa era a única coisa que Pierre poderia fazer com Andrew depois de obrigá-lo a fazer coisas que realmente não desejava. Andrew colocou sua taça vazia em cima de uma mesa enorme e cheia de bandejas com comidas que os garçons viviam trocando para servir os convidados, ele colocou suas mãos dentro de seus bolsos da calça e se virou para ir embora. Para ele, já bastava dessa palhaçada que servia apenas para chamar a atenção. Mas ele falhou completamente nessa fuga para casa, pois em quanto estava distraído com seus próprios pensamentos, o vampiro acabou se debatendo contra uma mulher que se aproximou dele em algum momento em quanto colocava a taça em cima daquela enorme mesa. Andrew se amaldiçoou diversas vezes por não ter notado que alguém tinha se aproximado, pois assim, sua fuga foi totalmente arruinada. Mas após olhar para a pessoa que tinha quase atropelado, todo seu arrependimento foi embora. O primeiro pensamento que ocorreu em sua mente após encontrar os olhos negros daquela estranha, foi “vida”. Talvez fosse algo em seu olhar que o fez pensar assim, ele não sabia o que foi, mas aqueles olhar negro brilhavam tanto que o fato de ter olhos pretos não lhe deixava assustadora. Mas Andrew podia dizer que ela era estranha, pois seu corte de cabelo era um pouco a cima de seus ombros e era totalmente repicado, um corte muito inapropriado para essa época. E ela não possuia nenhuma maquiagem, seu vestido era simples e não era nada chamativo como o do resto das mulheres que estavam presente, essa estranha não era nem um pouco vaidosa, mas também não era preciso. Sua beleza natural era o suficiente para não precisar se enfeitar como uma arvore de natal. — Me perdoe, senhorita.— Ele disse finalmente, permitindo que um sorriso torto crescesse em seus lábios. Isso era o máximo de gentileza que ele poderia lhe dar. Ela sorriu por ele, um sorriso muito bonito e sincero que nasceu no momento em que deveria, não estava sendo forçado nem um pouco.— Não se desculpe, eu estava distraída olhando para a beleza que existe nessa festa.— Falou, ainda encarando Andrew com aqueles olhos negros. O vampiro sentiu um duplo sentido nessa frase muito grande, então nem foi preciso checar a mente daquela estranha para ter certeza disso. Ele apenas arqueou sua sobrancelha por um momento e então

desistiu de soltar algo inapropriado, afinal, ela era apenas uma dama.— Eu não posso discordar menos.— — Oh,— Seu sorriso apenas aumentou.— Eu pensei que fosse a única maravilhada com essa mesa cheia de comida, não posso acreditar que também está.— Andrew poderia ter ficado chocado agora... Como essa estranha poderia apreciar a comida e não ele? Isso era uma ofensa para sua beleza. O vampiro também se moveu um pouco para o lado, pois agora essa mulher apenas olhava para as bandejas de comida que existiam ali, não para ele... Que tipo de ser humano era essa? — Eu me chamo Andrew.— Ele disse, tentando chamar a atenção dela, pois agora, isso havia virado uma disputa de atenção. O vampiro jamais perderia para comidas, não mesmo. — Sou Srta. Cavallari.— Ela disse.— Mas pode me chamar de Jeniffer, Andrew.— Jeniffer olhou para ele agora, depois de muito tempo após dizer seu nome, talvez preocupada do motivo de Andrew ter ficado em silencio. — Eu estou impressionado por seu interesse ser maior pelos alimentos presente do que pelo aniversariante diante de você.— Agora ele usava seu aniversario como desculpa para ter atenção, grande evolução! — É seu aniversario?— Ela perguntou.— Me desculpe pela falta de educação, eu sempre me distraio com uma boa mesa cheia de comidas.— Andrew havia notado isso... Jeniffer novamente lhe mostrou o mesmo sorriso de agora pouco e seus olhos ainda brilhavam.— Bom, feliz aniversario, Andrew.— E então, ela voltou a olhar para a mesa em sua frente. Ele, definitivamente, iria jogar aquela mesa pela janela. Por que essa linda dama não se interessava por ele? Andrew era bonito até demais para não ter os olhos de uma mulher nele! — Por que esta tão interessada nessa mesa?— Ele resolveu perguntar, mas usou um tom suave para não parecer rude. — Desculpe.— Jeniffer olhou para seus olhos azuis dessa vez, realmente demonstrando desinteresse pela mesa dessa vez.— Meu pai preferiu vir a esse baile, pois seria “importante para seus negócios” ao invés de comemorar meu aniversario. Estou imaginando que toda essa comida está em minha casa. — Ela não demonstrou nenhum sentimento de tristeza por causa disso, então Andrew decidiu que não iria dizer que sentia muito por seu pai ter ignorado algo tão importante como seu aniversario. Até mesmo Jeniffer não parecia tão ofendida assim.— Me sinto muito honrado por dividir essa data com você, minha querida.— Ele disse, dessa vez realmente sorrindo. — Obrigada.— Seu sorriso sumiu, mas seus olhos ainda continuaram sorrindo.— Mas não é grande coisa, muitos aniversarios virão para ser comemorados. Eu não quero estragar sua festa, então não se preocupe em ficar aqui comigo.— — É seu aniversario também.— Ele ressaltou esse detalhe.— Por que não desejaria ficar aqui?— — Eu não sei.— Jeniffer olhou novamente para a mesa.— Mas já que vai ficar ao meu lado e é o dono dessa festa, nós podemos experimentar cada tortinha que está nessa mesa?— Ela perguntou, fazendo uma carinha de filhotinho. — Se isso é o que deseja...— Andrew não gostava muito de comer comida humana, mas não se importava em fazer isso agora.— Não vou negar isso a uma aniversariante.— Jeniffer novamente sorriu e dessa vez o vampiro podia ouvir que em sua mente o único interesse dela estava naquela mesa, não na companhia dele, então se ele decidisse sair de fininho ela provavelmente nunca notaria, mas por algum motivo Andrew preferiu ficar ao lado dela e comer tudo que estava ali, já fazia algum tempo que ele não se sentia bem perto de alguma humana e essa total estranha havia conseguido fazer isso, então não havia como dizer que iria embora, pois nunca conseguiria. Ela era totalmente cheia de vida e alegre, isso não deveria atraí-lo, esses sentimentos deveria o repelir para longe, mas ele poderia ser considerado como a morte, e como a vida e a morte se atraiam facilmente, ela jamais o conseguiria fazer ir embora. — Feliz aniversario, Jeniffer.— Andrew sussurrou para o nada, mesmo que tivesse a intenção que ela ouvisse, essa mulher ainda estava muito ocupada dando atenção para a comida para notar a presença

dele ali.

Bom, já faz um tempo que eu te conheço e passo seu aniversario junto contigo, então acho totalmente desnecessário te mandar uma biblia dizendo parabéns, porque minha presença já conta como um presentão u_u Mas como eu sei que vou ser linchada, já que nem um simples “parabéns” posso mandar, dedicar um pouco dos meus lindos minutos pra você não vai me matar (cof, cof). Ok, Jennifer (eu sei que seu nome tá errado, mas só por que é seu aniversario, isso não vai me fazer mudar de ideia de que ele ficaria mais bonito assim u.u) Como eu disse, já faz muito tempo que a gente se conhece e a tortura começou a uns 4 ou 5 anos quando você tinha 14 anos (? Eu não lembro quantos anos você tinha, não tenho memoria pra essas coisas u.u Mas enfim, eu posso esquecer de muitas coisas que você diz em questão de segundos, mas pode ter certeza (ou não) que jamais vou esquecer do quanto sua amizade é importante pra mim. E você pode tá cheia de emisse por tá ficando mais velha, mas eu só tenho a agradecer, por que no final das contas, eu fiz mais parte da sua vida do que muita gente que tá ai perto de você e acaba com a graça dos outros de ser a primeira a dar parabéns. (tá lendo isso, Daniel e Laura? Não era importante ser a primeira a dar o parabéns u.u) Nós duas crescemos juntas e mesmo que sua mente não tenha evoluído muito, eu tenho orgulho do animal que você se tornou s2 e por sempre ter estado por perto para ver isso. E por mais que muitas vezes você seja uma fdp comigo, me mandando sms 4 horas da manha ou simplesmente me fazendo entrar em desespero por ser uma boca sem freio, eu não sei como meu dia seria melhor se não tivesse isso pra entrar no msn e te xingar. u_u(mas que fique de aviso, se mais sms chegarem de madrugada, a amizade acaba!) Enfim, praguinha da vida *o * te desejos milhões de felicidades nesse aniversario que eu to aguentando você reclamando desde o começo do ano que ia ficar velha, que o tempo tava passando... Tenha paciencia né? Finalmente esse dia chegou pra emisse acabar! Kkkk Mas não precisa se preocupar com o tempo passando, por que você nunca vai se livrar de mim e isso que importa no final das contas (parei, ok? Kkk) Apenas não se esqueça que você é meu plano B e a letra B é muito mais atraente do que A, então não se preocupe em estar sozinha por que os anos estão passando, nossa amizade vai durar muito e eu continuarei ficando até meia noite todos os anos, mesmo que seja em dia de semana e tenha que acordar super cedo no dia seguinte, só pra te desejar feliz aniversario e te fazer de escrava. s2