Depois da Tempestade Depois da Tempestade

por Esther Perel O caso em Retrospect O desejo de encontrar finais felizes para histórias tristes humanos é, provavelmente, apresentado na maioria dos casais DNA terapeutas. Quando a "triste história" é sobre infidelidade que ameaça um casamento, os terapeutas geralmente apontam para a sua resolução preferida: salvar o casamento. Como um campo, temos tendência a pensar sobre esta história em termos de uma simples, a narrativa em três partes: Parte 1: Um casal é abalada pela descoberta de um caso e vem para nos ver. Parte 2: Nós ajudá-los a passar a crise imediata, tendem a as feridas subjacentes ao casamento, e depois tomar uma profunda olhar para cicatrizes de infância. Nós fornecemos compaixão e aconselhamento, conforme necessário, e incentivar novos confiança, o perdão ea intimidade no relacionamento. Parte 3: Como o nosso desenlace preferida, o casal deixa semana de terapia ou meses mais tarde, seu casamento reparado, mais forte, mesmo transformada, ou pelo menos melhorada. Consideramos o tratamento um sucesso, o casal tem a tempestade. Claro, alguns casais se recusam essa história limpo e, em vez disso, usar terapia como um gateway fora do casamento completamente. Mas, felizmente, eles ainda vivem felizes para sempre depois.

No entanto, normalmente não têm idéia do que realmente acontece "sempre". Ajudar os casais a se recuperar da crise imediata é fundamental, mas o que acontece com eles depois que deixar a terapia? Será que os insights recolhidos levar o casal ao longo dos anos de casamento, as pedras e flechas de

fortuna interna normal? Havia uma lua de mel, breve segundo antes do casamento revertido para sua condição de pré-terapia? Será que o divórcio uma vez fora do terapeuta olhar benevolente? Será que um dos cônjuges cometer transgressões mais? A menos que nós estamos entre os terapeutas poucos que procuram feedback periódico de nossos clientes, nós simplesmente não sabemos, e, sem saber qual o impacto que teve sobre o nosso tratamento desses casais, temos pouca idéia do que trabalhou e por quê. Quando os casais deixam-nos, estamos ansiosos para o seu futuro nos reserva; No entanto, estou intrigado com o que podemos aprender com olhar para trás.

Durante vários anos, tenho contato com casais que eu tratei de descobrir mais sobre o impacto a longo prazo da infidelidade que os trouxe à terapia. Com os casais que já permaneceram juntos nos anos seguintes, eu ofereci um livre, entrevista de acompanhamento para discutir como eles consideram a infidelidade, retrospectivamente, e como eles integraram a experiência na narrativa contínua de seu relacionamento. Todos os casamentos são iguais na medida em que enfrentar um caso obriga o casal a reavaliar o seu relacionamento, mas diferente na forma como o casal vive com o legado desse caso. Eu já sabia que os casamentos eu estava traçando nestes follow-up entrevistas tinham sobrevivido, e agora eu queria avaliar a qualidade do que a sobrevivência. Quais foram os 1 / 12After the Storm amortecedores úteis que sustentavam o casal? Será que eles pensam que a terapia ajudou?

Especificidades, não obstante, identifiquei três padrões básicos na maneira como os casais reorganizar se depois de uma infidelidade, eles nunca realmente ter passado o caso, eles se puxar para cima por

os cadarços e deixá-lo ir, ou deixá-la muito para trás. Em alguns casamentos, o caso não é uma crise de transição, mas um buraco negro prendendo ambas as partes em uma rodada interminável de amargura, a vingança, e auto-piedade. Estes casais infinitamente roer no mesmo osso, círculo e recircle as mesmas queixas, reiteramos a mútua mesmo recriminações, e culpam mutuamente pela sua agonia. Por que eles ficam no casamento é muitas vezes como intrigante o porquê de eles não podem ir além de seu antagonismo mútuo.

Um segundo padrão é observado em casais que permanecem juntos, porque eles honram os valores de compromisso de vida e de continuidade, lealdade, família e estabilidade. Eles querem ficar ligado para a sua comunidade de amigos em comum e associados ou ter uma afiliação religiosa forte. Esses casais podem se mover além da infidelidade, mas não necessariamente transcendê-lo. Seu casamentos reverter para uma versão mais ou menos pacífica do que era antes da crise, sem sofrer qualquer alteração significativa em seu relacionamento.

Para alguns casais, no entanto, o caso torna-se uma experiência de transformação e catalisador para renovação e mudança. Este resultado ilustra que a terapia tem o potencial para ajudar os casais reinventar o casamento pela mineração a resiliência ea desenvoltura de cada parceiro traz para a mesa.

Preso no passado "Toda vez que eu não consigo Marc no telefone, eu me lembro de como ele não respondia quando ele estava com as outras mulheres ", diz Debbie, ainda amarga três anos depois que ela descobriu sua caso-a última de uma série de escapadas extraconjugais. Casada com Marc por 14 anos, ela decidiu permanecer com ele ostensivamente para preservar a família. Ela constantemente faz sentir que ele tem sorte ela não expulsá-lo, como se ele fosse o único que está para perder tudo

eles construíram se o divórcio. 2 / 12After Storm the

Desde a transgressão, Debbie assumiu um sentimento de superioridade moral, acreditando que Marc nunca totalmente detida até o erro de seu comportamento. Em seus olhos, perdoar-lhe que não faria reparar o casamento, mas, ao invés, efetivamente dar-lhe uma ardósia limpa, permitindo que ele se sinta que ele não tem mais nenhuma razão para se sentir culpado. Sua recusa em "esquecer o passado", como ela sarcasticamente colocou, ficou evidente quando eles conversaram sobre sexo. "Eu quero fazer amor", Debbie disse, "mas seria como se eu estivesse dizendo que tudo está OK agora." Eles não tiveram relações sexuais desde o caso há três anos, excepto durante os poucos dias logo após a descoberta, quando o sexo é muitas vezes usado para afastar a perda.

Não há nenhuma maneira que ele pode ser reconfortante sobre o seu compromisso renovado com ela, Marc diz: quando ela só responde a ele com sarcasmo mordendo e condescendência. Muitas vezes, acrescenta, ela ruínas que podem ser momentos perfeitos entre eles, considerando a sua filha piano ou um jantar com os amigos. "Não há momentos perfeitos", ela zomba. Com uma voz cansada, ele diz a ela: "Eu sou aqui e eu estou pronto para reconstruir. "Ela responde:" Eu não fiz a minha mente. "Ela se sentiu tão rejeitado por Marc que ela ainda não sente que ele realmente quer ficar com ela, ela explica. Seu diálogo tornou-se rígida, estreito e previsível.

Quando Debbie traz à tona os assuntos, Marc alterna entre justificando e culpando-se. Ele

diz que ela não era inocente, citando sua crítica contínua de si e do cabelo-disparador temperamento que antecedeu seus adultérios. Enquanto o estado deplorável do seu casamento diante de seus assuntos Era uma produção conjunta, Marc diz, Debbie se recusa a assumir qualquer responsabilidade pela sua parte no o declínio da relação no passado ou no presente. Ele acha que está expressa vergonha, culpa e remorso, mas isso não será suficiente. A infidelidade permanece no epicentro de sua relacionamento, e marcá-lo para todos os desacordos entre eles.

Na verdade, é provável que a dupla teria tido as mesmas interações miseráveis tivesse havido não a infidelidade. Casais como estes vivem em permanente estado de contração, a partilha de uma célula em prisão civil. Para o cônjuge traído, o traidor se torna a soma total do transgressões, com poucas qualidades redentoras. Para o traidor, o cônjuge traído torna-se a soma total de uma fúria vingativa. Lembro-me desta frase: "O ressentimento é como engolir veneno e esperar que a outra pessoa morra. "

Quando os casais como Marc e Debbie vem à terapia, muitas vezes é por insistência do parceiro que suportou o caso, que procura alguém que possa honrar a sua tristeza, desânimo, e 3 / 12After Storm the tumulto. Assim como, muitas vezes, os parceiros traídos precisar de confirmação moral, vendo-se como o vítimas e seus parceiros como os autores, se não vilões irredimível. Um primeiro passo é explicando-lhes que a condenação por atacado distrai-los de abordar o real problemas de relacionamento. Eu introduzir uma perspectiva neutra que nos permite explorar os motivos e significado do caso. Mas, nestes casais altamente reativas, há pouco espaço para a neutralidade,

porque os parceiros atender a chamada de auto-reflexão como um ataque pessoal: "Você está dizendo que porque eu dormir às 9 horas a cada noite que é minha culpa ele teve um caso? "a traiu cônjuge será praticamente gritar. "Então, o que se eu não quero nada com você sexualmente? Eu me recuso a assumir a culpa por seu engano! "

Eu também tenho que lidar com a obsessão com o assunto que parece ficar no centro destes relacionamentos, às vezes durante anos. A pessoa traída implacavelmente replays as histórias em seu cabeça e caças para mentiras, mesmo que seja humilhante para fazê-lo. Ele se transforma em um amador detetive. Um parceiro traído me disse: "eu verificar o seu computador, eu entro em seu telefone. Quando eu partiu para um fim de semana, eu fiquei telefonar para casa e não obtive nenhuma resposta. Quando eu descobri que ela tinha deixado a crianças com sua irmã, eu imediatamente pensei que ela foi vê-lo novamente. "Para que sua esposa respondeu com resignação amarga, "Ele nunca realmente me pergunta, ele só assume." Preciso informação, o cônjuge foi engajados em alguma atividade perfeitamente inocente de difunde desconfiança, mas a calma dura apenas até a próxima sessão de insegurança. Este ciclo faz com que seja impossível para o parceiro traído a sentir amei novamente.

Acredito que a confiança genuína depende de nossa capacidade de tolerar o que não sabemos sobre o outro, e enquanto somos levados a descobrir cada detalhe, não podemos confiar. Nestes casais, passado experiências de abandono e rejeição tear grande e manter a confiança de ser restabelecida. Reivindicar um senso de realidade após a revelação do caso é essencial para

o cônjuge traído, mas alguns continuam amarrados à sua investigação busca rifling-through declarações de cartões de crédito e contas de telefone celular, repetidamente pressionando o navegador o botão "back", ouvindo a telefonemas.

Em um esforço para acalmar as suas ansiedades, essas cônjuges estabelecer um regime de controle, no qual intimidade é confundida com vigilância. Suas perguntas são menos miríade de honrar proximidade de cerca de intromissão. Os interrogatórios, as liminares, e até mesmo o forenses provas não conseguem acalmar seus medos fundamentais. Eu ajudá-los a sua postura de detetive para pesquisador ou explorador. Em vez de limpar para os detalhes sórdidos, seria mais esclarecedor para fazer perguntas que investigam o significado do assunto, como: Como foi o seu amante iluminar outras partes de você? Será que você pensa de mim quando isso acontecia? Foram-lhe medo de me perder, nossa família, as crianças? Em que momento você percebeu que queria ficar? Se um 4 / 12After Storm the caso é uma empresa solo, tornando significado torna-se uma joint venture. Casais como Marc Debbie e, infelizmente, não chegam a essas perguntas. Eles querem o seu parceiro fixo. Para eles, a terapia parece mais uma parte da penitência ao invés de uma experiência consertando-há não a absolvição em vista.

Uma característica que alimenta uma incapacidade de seguir em frente pode ser a inflexível ferido. Pedi outra da minha clientes o que Ele deseja no seu relacionamento, agora que ele está cinco anos passado múltiplo de sua esposa assuntos. Ele responde: "Para voltar seis anos atrás." Ele lhe diz: "Eu costumava pensar que, não importa o que, eu era seu homem. E você só me abandonou. "Para ele, é a tristeza inconsolável que

mantem-se sentir inseguro e em permanente estado de infelicidade. Para ela, um sentimento torturado de culpa e fracasso é interminável. Testemunhando sua dor insuportável reforça a magnitude de sua vergonha e culpa. Entretanto, a vida de crianças e de trabalho continua, mas o emocional abcesso não drena.

Para estes casais, é difícil olhar para trás, porque eles nunca foram à frente. O caso tem tornar a narrativa de sua união. O casamento pode sobreviver tecnicamente, mas sua couplehood está morrendo na videira. Quando a infidelidade se torna a marca da vida de um casal, algo foi quebrado que não pode ser feita toda de novo. A relação é permanentemente aleijado.

Os Sobreviventes Na sexta-feira, Joanna foi tudo pronto para ir. No sábado, ela não podia assinar o contrato. Ela havia fantasiou sobre o momento por quase dois anos: ela deixar o marido, Michael, se movem em com seu amante, Eric, e ser banhado em um estado de êxtase e sensualidade que tinha sido duramente falta de sua vida. Eric tinha a cobriu com afeto e uma sensação de importância a atenção, ela só havia recebido de seus filhos, desde que Michael havia dispensado se a partir destes gestos, dizendo que ele não era aquele tipo de cara. Lassidão, gradualmente penetrou em seu casamento, deixando-a sentir mais ligado ao hábito de se casar do que o homem que ela amou uma vez.

Transgressão Joanna era uma tentativa de recapturar o que ela tinha partilhado anteriormente com Michael e não queria viver sem: um senso de importância e de pertença alívio, da solidão, e um sentimento que a vida era basicamente bom. Anseios não cumpridas para sentimentos como estes unidade

5 / 12After the Storm muitos dos adúlteros hoje. Joanna cuidadosamente traçado de sua partida, mas quando o impulso veio empurrão, ela não poderia fazê-lo. Ela pensou sobre os 24 anos, ela e Michael estiveram juntos, sua amizade inabalável, a sua confiabilidade, o conforto de sua vida, e, mais importante, seus filhos, percebendo que uma vez ela virou assunto em seu relacionamento primário, não haveria volta. Muitas vezes, as pessoas começam a ver o que eles querem preservar no momento em que sua caso está prestes a sair do esconderijo. Talvez não seja surpreendente, este é também quando eles percebem que o amante era para ser exatamente isso: um amante.

Joanna não queria deixar Michael em parte por medo e em parte porque ela ainda o amava. Ele não estava claro que era mais forte, medo ou amor. "Parte de mim estava muito decepcionado comigo mesmo para não ser capaz de deixar Michael, e eu me perguntava se eu estava deixando de ir ao amor da minha vida ", Joanna lembrou. "Mas parte de mim sentiu um alívio que eu estava indo para ficar e não destruir a minha família." Michael alternou entre o pânico ea raiva, entre implorando para ficar e persegui-la de distância. "Eu não podia acreditar que ela estava pronta para pôr em risco tudo para esse cara, Eric, e eu me senti preso porque eu suspeitava que suas razões para ficar não tinha muito a ver comigo. Foi mais sobre o que tínhamos que saber quem eu era. "

No cerne da situação de Joanna é um conflito de valores, inerentes ao caso em si, não apenas na sua resolução. Quando as pessoas falam sobre seus medos, muitas vezes, eles realmente estão pensando seus valores. Quando eles dizem, "Eu não quero acabar com minha família", eles também estão dizendo que eles prezam

continuidade da família. Quando eles se referem à história compartilhada com o cônjuge, eles expressam a sua respeito pela lealdade e compromisso. Após flechas do Cupido é semelhante a perder a própria moral bússola, e, nesse sentido, o caso traz uma crise de identidade: como conciliar a encantamento de uma experiência com a sensação de que é fundamentalmente errado. Para Joana e outros em seu lugar, mentir e enganar são mais angustiante do que emocionante. Eles não definido trair seus parceiros. Às vezes, como no caso de Joanna, que está motivado por um anseio para que eles não estão mais dispostos a viver sem: paixão-não no sentido estreito e sexual, mas como uma busca de vivacidade e vitalidade erótica. Apesar de um lampejo de paixão pode ser inebriante, muitos de nós tremer com a perspectiva de perder tudo. A volatilidade ea imprevisibilidade da desejo é assustador.

Para estes parceiros, excitação sexual e que eles consideram como egoístas desejos de mais "cumprimento" romântico não são poderosos incentivos suficientes para transformá-los longe de mais significativas, recompensas a longo prazo e obrigações vitais da família. Prendem-se ao premissa "quando você se casar, você faz um compromisso e você deve honrá-lo." Estes casais a integridade da família valor, segurança, continuidade e familiaridade sobre a montanha-russa de risco o amor romântico. Não pode haver amor profundo e duradouro e lealdade nestes casais, mas a paixão 6 / 12After Storm the não um lugar de destaque no menu. Fazer o que é certo cria uma totalidade que ajuda a pessoa infiel entrar em acordo com os sacrifícios que fazem. No entanto, enquanto as pessoas do valores pode permanecer intacta, a decisão de ficar no casamento pode ser de cortar o coração.

Quando eu trabalho com esses casais, eu sempre incluir sessões conjuntas e individuais, mantendo tudo informações das sessões individuais confidenciais. O objetivo das reuniões individuais é

proporcionar um espaço privado em que cada parceiro pode resolver a sua situação individual, não importa quanto tempo leva. Com esses casais, o processo terapêutico é um raciocínio e do pensamento racional, como uma forma de temperar a turbulência de suas emoções. Nossas sessões são significava para pastorear-los em meio à crise e para ancorar o seu relacionamento. Casais como Joanna e Michael tinha cuidadosamente um caminho para si mesmos em seu casamento, e muito o que eles procuram no caso de pós-terapia é resgatar um senso de controle. Eles não estão procurando renovações maciços em seu relacionamento, eles simplesmente querem voltar para a casa eles conhecer e descansar em um descanso familiar. No caminho de volta, eles fazem as pazes, eles renovam as suas votos, e eles não se esqueça de ligar quaisquer vazamentos.

Na terapia, eu explorar as riquezas do amor, o que encontraram em sua relação com o "Outro", e que eles podem tirar dele em seu relacionamento primário. Nós elaborar o novo alterações para a sua vida, no singular e plural. Nós pesamos a dor de acabar com a caso-o fato de que "é a coisa certa a fazer, mas dói", e eu sempre pergunto como eles imaginar-se 10 anos de estrada.

Com a pessoa traída, examinamos a fluxos e refluxos de confiança, o sentido da impermanência que sorrateiramente o relacionamento, e sua vontade de voltar a familiaridade. Terapia oferece aos casais como Joanna e Michael um lugar para avaliar os fundamentos de suas vidas. Nós também tocaremos a dor que persiste apesar de o casal permanece junto. Um dos meus pacientes me disse, "Alguns anos atrás, quando tive um acidente de carro, eu me lembro de pensar quanto apoio eu tenho de amigos e familiares. Com uma perna quebrada, a dor é visível, todo mundo sabe que você é sofrimento, e todo mundo simpatiza. Mas quando um casal decide ficar junto depois de uma caso, é fácil pensar que tudo está bem. As pessoas já não trazê-lo para cima, e você é deixado viver

com uma dor invisível. "

Joanna e Michael finalmente foram capazes de retomar uma vida semelhante à que tinha antes a crise. "Nós não estávamos prontos para divorciar-se sobre isso, mas não vemos o caso como sendo bom em qualquer forma. Era uma espécie de insanidade temporária ", Michael resume. Ouvi-los, é claro que eles são tanto aliviado que eles foram capazes de sobreviver. De vez em quando, Michael pode sentir uma onda de insegurança, já que Joanna e Eric ocasionalmente se encontram profissionalmente, mas sua suspeita é intermitente e facilmente absorvida. Ele vai perguntar: "Quando foi a última vez que você o conheceu? Será que ele 7 / 12After the Storm tem uma nova namorada? Você fala sobre coisas pessoais? "Na ocasião, o humor é o perfeito antídoto. Uma vez, quando Michael perguntou Joana se ela achava que Eric ainda estava interessado nela, ela disse-lhe: "Eu não penso assim, mas aqui é o seu número de telefone. Você pode chamá-lo e perguntar."

The Explorers "O caso foi um choque que nos obrigou a retirar obstáculos", foi a resposta inequívoca de Julian em um entrevista cinco anos depois que eu tinha visto ele e sua esposa, Claire, em terapia de casais. "Eu concordo que o nosso relacionamento é hoje muito melhor do que sempre foi ", disse Claire quando ela virou-se para Julian e acrescentou, "mas eu ainda acho que você agiu como um idiota. Você não precisa enganar-me a fazer o ponto que nosso casamento estava em apuros. "Enquanto eles ainda discordam sobre a forma como Julian entregue sua "mensagem", eles concordam seu caso transformado seu casamento.

Julian pela primeira vez os olhos em Claire em pé na frente dele no Coop estudante de 15 anos antes, e ele a certeza de obter seu número de telefone antes de chegar ao caixa. Com sua sorriso encantador ea forma misteriosa, ela hesitou sempre tão ligeiramente antes de dar seu nome e número, ela surpreendido. Naqueles primeiros momentos, eles começaram a assumir os papéis que continuaria em seu casamento. Julian seria o iniciador da vida social, de sexo, de decisões sobre férias e protetor de Claire do mundo. Claire seria a graciosa, embora um pouco trêmula companheira, sempre seguindo o seu exemplo, a garantia de que, com sua empresa e mão de confiança no leme, nunca que ela precisava se preocupar. O que veio como uma surpresa para Julian através dos anos, porém, foi o volume de preocupações, ele era esperado para acalmar: quase nada poderia ser forragem para a ansiedade de Claire. Ela nunca poderia chegar cedo o suficiente para do aeroporto, seu receio sobre um jantar começou dias antes, e para ela se sentir confortável sobre sexo, condições necessárias para ser perfeito, que raramente eram. Sobre dos anos, ele se cansou do poder de veto que ela estava impondo em suas vidas: "Você quer ir fora? "ele perguntava." NÃO ", ela responde." Vamos nos reunir com alguns amigos. "" NÃO "." Eu quero fazer amor com você. "" NÃO ".

Com tantos nãos zumbido nos ouvidos, Julian saudou a retumbante sim a partir de Emma, a quem ele conheceu em uma viagem de negócios e continuou a dormir com um ano e meio. Não era justo que ele queria mais sexo: ele queria recapturar a sensação de jovialidade e liberdade que o sexo usado para permitir que ele. O caso com Emma trouxe consigo uma sensação de vitalidade que ele tinha sido ausente. Com ela, ele jogou fora a letargia crescente de que havia sufocado sua vida. Ele uma vez novamente experimentado sentido a emoção, a atenção aos preliminares, de intemporalidade que preenche corações dos amantes.

8 / 12After the Storm

Claire descobriu sobre o caso de Julian através acidentalmente descobrindo mensagens de correio electrónico. Profundamente sacudido, ela procurou a terapia individual e estendeu a mão para seus amigos. Mas junto com dar-lhe apoio, eles pediram a ela para ver que, enquanto Julian havia traído sua confiança, ela mesma teve, como mais tarde ela colocá-lo "traído os meus votos." Sabendo que Claire não queria perder o homem que ela amada, seus amigos a encorajaram a lutar por ele. Então ela estendeu a mão para ele, e eles conversaram uns com os outros, pois não havia feito em anos, compartilhando sentimentos e pensamentos que há muito sido escondido. Como as conversas evoluíram e começaram a estreitar a distância entre eles, sentiu despertado para uma nova experiência de conexão, em que se sentiram ambos grande dor e emoção, como nunca tiveram antes.

Quando os casais como Julian e Claire começa a encontrar seu caminho de volta para o outro, muitas vezes há um comburente reacender do desejo, uma mistura de ansiedade e desejo, que muitos casais são tímidas para admitir. Neste turbilhão emocional, casais oscilar entre sentimentos opostos nitidamente: um minutos é "Fuck you"; no minuto seguinte é "Fuck me". Então é: "Saia daqui!" Seguido por "Nunca me deixe!" Durante todo este drama, Claire e Julian conseguiu manter estes oscilações sem qualquer um marchando para um advogado de divórcio. Ser capaz de expressar e aceitar uma variedade tão grande de sentimentos sem exigir um "fechamento" prematuro fez-lhes bem candidatos para uma resolução positiva. Tolerância para a ambigüidade e incerteza é vital para a descoberta de um espaço do qual uma relação mais criativa e robusto pode emergir.

No meu trabalho conjunta com Julian e Claire, eu fiz algo que alguns terapeutas pode considerar arriscada: eu sugeri que ela convida Juliano para falar sobre sua experiência com Emma. Paradoxalmente, não tenho se que este tipo de abertura sobre o caso de alguém, ao invés de ser destrutiva e dolorosa, pode ser uma manifestação profundamente comovente de lealdade para com o cônjuge. Dizer um parceiro, a "Ok, eu vou te mostrar quem eu sou. Isto é o que aconteceu, e isso é como eu me sentia sobre isso" pode ser um maneira de dizer "eu te amo e nunca quis deixar você, eu quero te dizer isso porque você é tão importante para mim. "Na verdade, Claire descobriu que ter Julian falar sobre sua intimidade com outra mulher era em si uma expressão de intimidade com ela, aumentando seu vínculo com o outro.

Às vezes, a crise de infidelidade ajuda os casais a fazer uma distinção crucial, entre um relacionamento baseado na exclusividade e uma fundamentada na singularidade de sua conexão. Exclusividade depende do estabelecimento de fronteiras rígidas: a ênfase está em "não permitir", "Restringir", "não partilha com os outros." Antes de o caso, Claire e Julian tinha cada vez mais com base em sua relação com este tipo de quadro externo para separá-los como um casal. Em contraste, através de nosso trabalho juntos, eles aprenderam a valorizar o que a distingue da 9 / 12After the Storm o que significa que realizou para o outro, com a ênfase sobre o porquê eles "escolheu para estar com cada outro "e não o que foi" proibido com outra pessoa. "Em última análise, o sentido deste reforço de "Nós" é o analgésico mais potente para os relacionamentos na borda, amenizando a dor e prometendo uma perspectiva de renovação.

Casais como Julian e Claire conseguem transformar o tumulto de um caso em uma ampliação

jornada emocional. Cada um assume a responsabilidade apropriado para a deterioração do relacionamento, com foco não só na reparação da violação produzido pelo caso, mas na reconstrução a base emocional do casamento. Esses casais tendem a identificar o caso como um evento, mas não o. definitivo evento de sua história juntos Ao invés de ver o caso puramente como um ato de fracasso e traição, que transformá-lo em um catalisador para a mudança, uma inspiração para um renascimento da conexão.

Todos os tipos de descobertas inesperadas podem sair da crise de infidelidade. Claire, tendo tido para reconectar-se com seus próprios recursos para enfrentar a tempestade com Julian, experimentou um novo sentido de auto-confiança e uma nova disposição para tomar a iniciativa. Como ela aprendeu a expressar sua desejos sexuais, Julian ficou surpreso ao encontrar um parceiro com uma força e entusiasmo que ele tinha nunca encontrou antes. Ao mesmo tempo, já não o único decisor na casamento, ele encontrou-se perdendo a capacidade de tomar decisões para os dois. Enquanto mais rica e interessante, a relação sentia menos seguro para ambos. "Eu não tenho certeza em tudo onde isso vai nos levar, mas sem brilho não é certamente ", disse Julian.

Reinventando o Auto Casais que pode conseguir recuperar de uma infidelidade muitas vezes exibir uma mudança significativa no idioma: De "você" e "eu" para o "nosso", de "quando você fez isso comigo" para "este foi um evento em nossa vida. "Eles falam sobre "Quando tivemos a nossa crise", relatando uma experiência compartilhada. Agora eles estão conjunta roteiristas, partilha de crédito para a produção grande de sua vida juntos.

Os casais que pensam em termos absolutos são menos capazes de integrar a infidelidade na nova substância de seu casamento e propensos a ficar preso no passado. Para eles, o caso é inteiramente ruim e destrutivo, uma transgressão contra o compromisso e moralidade. Remorso completa, seguido por confissão dramática, as promessas não qualificados de "nunca mais", o perdão incondicional, e 10 / 12After the Storm absolvição categórica são os resultados apenas aceitáveis. Mas as coisas são mais fluido para aqueles que ver um caso como um evento que, não importa o quão doloroso, pode conter as sementes de algo positivo. Esses casais entender que o perdão não acontece de uma só vez, e eles se sentem bem com o perdão parcial. Para ter certeza, depois da traição, a confiança não é susceptível de ser total. Quando as declarações como "Como eu posso confiar em você de novo?" são feitas por esses casais, muitas vezes eu interject, "Bem, isso depende. confiança para quê?"

Acima de tudo, o que separa os casais que usam a terapia para transformar uma infidelidade em um transformador experiência é que eles vêm a reconhecer que ela não fornece respostas claras, mas um fórum sem julgamento para discutir suas idéias de traição, tanto emocionais e sexuais. Eles descobrem que tais discussões podem se tornou a base para seu novo relacionamento. Enquanto por não significa desistir da idéia de compromisso, eles aprendem a redefini-lo de uma forma que vai prevenir a recorrência de casos secretos e as traições. Para eles, a monogamia mútua significa lealdade emocional, fidelidade e compromisso em um relacionamento primário, mesmo que, para alguns, não significa necessariamente exclusividade sexual.

Eles descobrem que a infidelidade não é necessariamente apontar para falhas no relacionamento. Esses parceiros ver o caso como menos uma declaração sobre o casamento do que uma declaração sobre si mesmos. Quando buscamos o olhar do outro, nem sempre é o nosso parceiro, estamos afastando-se, mas o pessoa que nós mesmos nos tornamos. Estamos procurando parceiro não outro, mas um outro eu. Os casais que se reinventam pode trazer esse outro eu em seu relacionamento existente.

As pessoas desviar para o amor muitas razões contaminado, vingança, desejos insatisfeitos, e claro desejo de idade. Às vezes, um caso é uma busca de intensidade, uma rebelião contra os limites do matrimônio. Um ligação ilícita pode ser catastrófica, mas também pode ser libertadora, uma fonte de força, uma cura. E freqüentemente são todas essas coisas ao mesmo tempo. Alguns assuntos são atos de resistência, outros acontecem quando não oferecem resistência. Vagueando pode soar um alarme para o casamento, sinalizando uma necessidade urgente de prestar atenção ao que aflige ele. Ou pode ser a sentença de morte que segue uma último suspiro de relacionamento ofegante. Eu digo a meus pacientes que a maioria de nós no Ocidente hoje terá dois ou três casamentos ou relacionamentos comprometidos em nossa vida. Para aqueles ousados o suficiente para tente, eles podem encontrar-se com todas elas com a mesma pessoa. Um caso pode significar o final de uma primeira união, bem como o início de um novo.

Esther Perel, MA, autor do best-seller internacional O acasalamento em cativeiro: Desbloqueio Erótica Inteligência, é o destinatário da 2009 Book Award da Sociedade de Terapia Sexual e Pesquisa. Ela está no corpo docente da Internacional Trauma Programa de Estudos e tem um consultório particular em Nova York.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful