Aula Prática de Folha de Cálculo (1

)
O objectivo dos exercícios é explicar a filosofia reactiva de uma folha de cálculo e entender como se podem obter resultados através de instruções de afectação condicional e de iterações. Neste último caso, interessa familiarizar os alunos com referências relativas e absolutas bem como com as instruções de “cópia e cola” obtidas por arrastamento.

1. Determinar a soma de 2 números
Utilizar a instrução para colocar na célula B1 a soma das células B2 e B3.

2. Determinar a soma de n números
Utilizar a iteração para colocar na célula B1 a soma das células B2 a B10. Sugestão: Colocar nas células Ci (i:2..10) a soma das células Bi + Ci-1 e copiar o resultado de C10 para B1. De notar a importância do endereçamento relativo nas posições Ci. Nota: Mostrar que este resultado se pode obter através da função sum(B2:B10).

3a. Determinar a soma condicional de n números
Utilizar a iteração para colocar na célula B1 a soma das células B2 a B10 que são positivas. Sugestão: Colocar nas células Ci (i:2..10) a soma das células Bi + Ci-1, se Bi >0, ou apenas Ci-1 no caso contrário. Copiar o resultado de C10 para B1. Alternativa: Colocar nas células Ci (i:2..10) os valores Bi, se Bi >0, ou 0 no caso contrário. Somar as células C2 a C10 para B1. Nota: Mostrar que este resultado se pode obter através da função sumif(B2:B10,”>0”).

3b. Determinar a soma condicional de n números
Utilizar a iteração para colocar na célula B1 a soma das células B2 a B10 que são maiores que o número colocado na célula C1. Sugestão: Colocar nas células Ci (i:2..10) a soma das células Bi + Ci1, se Bi > C1, ou apenas Ci-1 no caso contrário. Copiar o resultado de C10 para B1. Alternativa: Colocar nas células Ci (i:2..10) os valores Bi, se Bi > C1, ou 0 no caso contrário. Somar as células C2 a C10 para B1. Nota: Mostrar que este resultado não se pode obter através da função sumif(B2:B10,”>0”).

3c. Determinar a soma condicional de n números
Utilizar a iteração para colocar na célula B1 a soma das células B2 a B10, que não são inferiores à anterior (assume-se que B2 conta). Sugestão: Colocar nas células Ci (i:2..10) a soma das células Bi + Ci-1, no caso de ser Bi >Bi-1, ou simplesmente Ci-1 caso contrário. Copiar o resultado de C10 para B1. Alternativa: Colocar nas células Ci (i:2..10) os valores Bi, se Bi >Bi-1, ou 0 no caso contrário. Somar as células C2 a C10 para B1. Nota: Mostrar que este resultado não se pode obter através da função sumif(B2:B10, “?”).

4a. Contar elementos positivos

Utilizar a iteração para colocar na célula B1 o número de células B2 a B10, que são positivas. Sugestão: Colocar nas células Ci (i:2..10) a soma 1 + Ci-1, no caso de ser Bi >0, ou simplesmente Ci-1 caso contrário. Copiar o resultado de C10 para B1. Alternativa: Colocar o valor 1 nas células Ci (i:2..10), se Bi > 0, ou 0 no caso contrário. Somar as células C2 a C10 para B1. Nota: Mostrar que este resultado se pode obter através da função countif(B2:B10, “>0”).

4b. Contar inversões
Utilizar a iteração para colocar na célula B1 o número de inversões nas células B2 a B10, isto é o número de vezes que Bi < Bi-1 (assume-se que B2 não conta). Sugestão: Colocar nas células Ci (i:2..10) a soma 1 + Ci-1, no caso de ser Bi < Bi-1, ou simplesmente Ci-1 caso contrário. Copiar o resultado de C10 para B1. Alternativa: Colocar o valor 1 nas células Ci (i:2..10), se Bi < Bi-1, ou 0 no caso contrário. Somar as células C2 a C10 para B1.

5. Tabuada de Multiplicar
Colocar nas células A2 a A11 os números de 0 a 9 e fazer o mesmo nas células B1 a K1. Uma vez inicializadas esta linha e coluna preencher as posições χi (χ: B..K, i: 2..11) o produto Ai* χ1. Sugestão: Sublinhar a importância dos endereços relativos e absolutos na posição B2. Uma vez estabelecido o tipo correcto de endereçamento a célula B2 pode ser copiada (por arrasto) para as suas vizinhas à direita e abaixo.

6. Determinar o factorial de 1 inteiro - “fact.m”
Colocar na célula B1 o factorial do inteiro colocado na célula B2. Sugestão: Colocar na coluna B (de B3 a Bx) os números inteiros por ordem decrescente a partir do valor de B2 (como?) atá atingir o valor 1. Nas posições C3 a Cx vai obtendo os produtos Ci = Ci-1 * Bi. O último destes valores é o factorial de B2. Nota 1: Neste caso não se conhece a célula Cx onde se encontra o factorial, já que ela depende do número colocado em B2. Uma possibilidade de a conhecer para números infreiores a 100, é utilizar todas a células desde B3 a B100 e copiar para B1 o valor de C100. Neste caso, uma vez obtido Bi = 1 todos os restantes valores Bk (k>= i) serão igualmente 1. Nota 2: Este “truque” funciona para os casos em que não se conhecendo o número exacto de iterações, conhece-se no entanto um majorante desse número.

Aula Prática de Folha de Cálculo (2)
Com estes exercícios continua-se a utilizar a filosofia reactiva de uma folha de cálculo e o endereçamento relativo e absoluto, bem como as afectações condicionais e as iterações. Introduzemse ainda as operações sobre vectores e matrizes. São introduzidas igualmente instruções de ordenação e apresentação de gráficos para melhor visualização dos resultados.

1a. Determinação de uma média ponderada
Colocar nas células A1 e B1 dois pesos (por exemplo, 3 e 4) e nas células A2 e B2 duas notas de 0 a 20 (por exemplo, 16 e 9). Obter na célula C2 a média ponderada das notas, ou seja C2 = (A1 * A2 + B1 * B2) / (A1+B1) = (3*16+4*9) / (3+4)

1b. Determinação de outra média ponderada
Mantendo os pesos nas células A1 e B1 dois pesos colocar agora outras notas nas células A3 e B3 e obter na célula C3 a sua média ponderada. Sugestão: Copiar a célula C2 para C3 e tornar absolutos alguns endereços da fórmula. Quais?

1c. Determinação de várias médias ponderadas
Repita o processo para vários pares de notas colocados nas células Ai e Bi (i : 4.. 10) obtendo a sua média ponderada na posição Ci.

2a. Determinação de uma média ponderada (2) (operação sobre vectores)
Se existirem não 2 mas várias notas a introdução da fórmula anterior torna-se “aborrecida” e é preferível utilizar operações sobre vectores. Utilize a multiplicação ponto a ponto para obter na célula F2 a média de 5 notas (colocadas nas células A2 a E2) ponderada com os pesos colocados nas células A1 a E1 (por exemplo 2, 3, 4, 5, 6) , através da função sum aplicada a 1 só argumento, o produto dos vectores A1:E1 e A2:E2. Nota: Obter o mesmo resultado com a função sumproduct aplicada a 2 argumentos, o vector A1:E1 e o vector A2:E2.

2b. Determinação de uma média ponderada (2) (operação sobre vectores)
Repita o processo para vários conjuntos de 5 notas colocados nas células Ai a Ei (i : 3.. 10) obtendo a sua média ponderada na posição Ci, através de cópia da célula F2 para as células Fi (i:3..10).

3. Ordenação de vectores e matrizes
Introduza uma coluna à esquerda da tabela do exercício anterior, verificando que a anterior matriz A1:F10 ficou deslocada para B1:G10. Preencha as “novas” células A2 a A10 com nomes de pessoas. Utilize as operações disponíveis de ordenação para ordenar a matriz resultante A2:G10 de acordo com os seguintes critérios a) por ordem crescente dos nomes (coluna A)

b) por ordem decrescente das notas finais (coluna G) c) por ordem decrescente da 1ª nota (coluna B), desempatando por ordem decrescente da 2ª nota (coluna C).

4. Apresentação de Resultados num gráfico
Acrescente à tabela anterior, na coluna H, as notas arredondadas da coluna G. Obtenha um gráfico de barras com a distribuição das notas nessa coluna. Nota: Para obter uma contagem mais “interessante”, preencha mais algumas linhas, por exemplo até à linha 30.

5. Agregações condicionais
Considere agora a seguinte regra de formação da nota final a partir das 5 notas nas colunas B a F. A nota de frequência é obtida através da média ponderada das primeiras 4 notas (B a E), em que os pesos são agora 3, 2, 4 e 5, respectivamente. Obtenha essa nota na posição Hi (eliminando os valores arredondados anteriores). Um aluno que não tiver pelo menos 9.5 valores nessa nota está reprovado, sendo inscrita na posição Ii a nota “R”. No caso dessa média ser superior a 9.5, esse valor é ponderado com a 5ª nota (da coluna F), tendo esta um peso 4 e a nota de frequência um peso 1. Caso a nota assim obtida seja inferior a 9.5 o aluno é reprovado, mas com frequência, sendo inscrita na posição Ii a nota “F”. No caso contrário, a nota inscrita na posição Ii é o arredondamento da média ponderada. Obtenha as notas finais dos alunos considerados na alínea anterior, através de afectações condicionais, que utilizam operações sobre vectores.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful