EXTRAÇÃO COM SOLVENTE

A química lida fundamentalmente com misturas, que então podem ser heterogêneas ou homogêneas. As misturas homogêneas são chamadas soluções. O processo de extração, ou seja, a separação, com solventes é geralmente empregado quando se quer isolar uma substância que se encontra dissolvida em outra substância líquida. Às vezes, a substância a isolar está misturada com um sólido insolúvel nos solventes orgânicos. O processo também é empregado quando se quer afastar de uma substância as impurezas nela contidas. Uma operação bastante comum nos laboratórios consiste em extrair uma substância orgânica de uma solução aquosa usando um solvente orgânico que não se misture com a água. A substância, em presença de dois solventes, se distribui neles em quantidades que permanecem constantes, à uma temperatura constante. Chamando de Ca e Cb as concentrações da substância nos dois meio, temse Ca / Cb = K. A constante K é denominada coeficiente de partição, que expressa a relação entre as quantidades dissolvidas da mesma substância na mesma quantidade dos dois solventes. Sendo as substâncias orgânicas geralmente mais solúveis em solventes orgânicos do que em água, podem ser extraídos desta última. Existem duas técnicas de extração: contínua ou descontínua. Se a substância for mais solúvel no solvente orgânico do que na água, recorre-se ao método descontínuo. Caso contrário, utiliza-se o método contínuo. A escolha do solvente é feita a partir da facilidade de dissolução da substância e da facilidade com que se pode isolar o soluto extraído, isto é, do baixo ponto de fusão do solvente para sua posterior evaporação.

O método descontínuo: Nesse método não é conveniente separar as substâncias da mistura com muito solvente de uma só vez. O melhor é repetir a operação várias vezes com pequenas porções do solvente, sempre puro, pois isso garante resultados finais muito mais rendosos. É também frequente recorrer à característica que muitas substâncias orgânicas possuem de diminuir a própria solubilidade em água quando existem na solução sais inorgânicos. É o chamada efeito de salgadura . Com isso reduz-se bastante as perdas do solvente na extração. A extração é feita da seguinte maneira: no funil em suporte introduz-se quantidades iguais da solução e do solvente (como exemplo, usaremos o clorofórmio, mais denso que a água). Inicialmente, pode-se perceber uma nítida divisão entre a solução (previamente corada) e o solvente incolor. Retira-se então o funil do suporte e agita-se até que o soluto passe também para o clorofórmio. Recoloca-se o funil no suporte, permitindo que as duas camadas se separem novamente. Como o soluto é mais solúvel no solvente orgânico, este fica mais escuro, pois está mais concentrado com o soluto. Em seguida abre-se a torneira e deixa-se escoar a primeira porção (a do clorofórmio) em um erlenmeyer ou béquer. A solução que restou é novamente extraída. Geralmente bastam, em média, três extrações. As frações orgânicas são reunidas e em seguida evaporadas, de maneira que o soluto seja isolado.

O método contínuo: 1- Para extração líquido-líquido - Quando a solubilidade de um composto orgânico é maior na água recorre-se à extração contínua. Caso contrário, seria preciso empregar grandes quantidades de solvente orgânico nas sucessivas extrações. Para o processo utilizam-se dois diferentes tipos de aparelhagem, conforme o solvente seja mais leve ou mais pesado que a água. No primeiro caso o solvente (geralmente éter dietílico, devido ao seu baixo ponto de ebulição - 35º C) é mantido em ebulição em uma retorta, onde os vapores são então condensados por um refrigerador e caem num funil que os faz descer para o recipiente de vidro onde está a solução a ser extraída. Daí o éter, sempre puro, sobe através da camada aquosa, conduzindo consigo um pouco da substância, e volta à retorta, onde se evapora de novo, deixando a substância que havia extraído: o ciclo recomeça. Desse modo, pouco solvente consegue substituir a grande quantidade que uma extração única descontínua exigiria. Quando o solvente de extração é mais pesado que a água, utiliza-se uma outra aparelhagem, baseada, porém, no mesmo princípio: o clorofórmio ou o tetracloreto de carbono são levados à ebulição em uma retorta. Os vapores sobem pelo braço superior do aparelho, condensam-se em gotas no refrigerador, caindo sobre o líquido a ser extraído. A diferença em relação à primeira aparelhagem é que, neste caso, o solvente cai através da solução, ao invés de subir, e volta à retorta pelo princípio dos vasos comunicantes, através do braço de vidro inferior, convenientemente dobrado. A extração contínua não empenha totalmente o operador, e pode ser deixada de lado por vários dias.

2- Para extração sólido-líquido - No caso de extração de um sólido, utiliza-se aparelhos chamados Soxhlet, que possuem um recipiente de vidro onde deverá ser colocado o sólido a ser extraído, completamente envolto por uma papel de filtro. O aparelho é conectado a um balão com o solvente em ebulição, que evapora-se e sobe pelo braço do aparelho, condensando-se no refrigerador e gotejando sobre o cartucho de papel de filtro. O recipiente possui um pequeno braço retorcido (sifão), que retorna ao balão. Ao encher o recipiente até a altura da dobra do sifão, o solvente, contendo parte da substância dissolvida, volta ao balão completamente através do sifão. O solvente evapora-se novamente, deixando a substância dissolvida no balão. O processo se repete até que todo o material tenha sido extraído. Caso existam outros materiais a serem extraídos do mesmo sólido, utiliza-se outros solventes em seguida.

Fonte: http://reocities.com/Vienna/choir/9201/extracao_com_solvente.htm 30.04.12

Conceitos de Extração com Solventes A extração líquido-líquido é uma técnica em que uma solução aquosa é colocada em contato com um segundo solvente orgânico imiscível com o primeiro solvente, a fim de colocar a transferência de um ou de mais de um soluto para o segundo solvente. As separações que se podem fazer são simples, limpas, rápidas, convenientes, em muitos casos a separação pode ser efetuada pela agitação durante alguns minutos, num funil de separação. Esse tipo de extração é utilizado na química orgânica, para separação, purificação e concentração de certas substâncias de misturas que ocorrem na natureza. Esse método está baseado na propriedade física da substância: a solubilidade. Pode-se usar o método da extração com solventes para se extrair cafeína do café e das folhas de chá, essências aromáticas das flores ou o açúcar da cana de açúcar. Os solventes mais utilizados na extração são: clorofórmio, acetona, dissulfeto de carbono, álcool e água. Fonte: http://www.coladaweb.com/quimica/quimica-organica/extracao-com-solventessimples-e-multipla 30.04.12

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful