You are on page 1of 1

FALANDO DE QUALIDADE

O conceito de “qualidade”, do latim qualitas ou qualitate, aparece na primeira vez historicamente através do filósofo Aristóteles (384-322 AC), na sua obra “Estudo das Formas Geométricas". Mas se tem muitos vestígios de rigorosos controles de qualidade em construções, produção de vinhos, ferramentas, etc. Até hoje não se chegou a um consenso mesmo sobre seu significado, pois qualidade é também um conceito abstrato, varia da percepção de cada um. Falando um bem mais a frente vamos para no início do século XX, década de 20, foi quando começou a produção em massa, e junto com ela os problemas em massa sobre qualidade. Como manter ou assegurar que os produtos fossem sempre adequados e de qualidade igual? Simples: alguém tem de conferir se o produto está bom ou não antes que seja passado adiante, começam aí as Inspeções de Qualidade. A segunda fase da Qualidade não demorou a entrar em cena. Ainda na década de vinte, Shewart percebeu que quem gerava a qualidade não eram os inspetores, mas o processo produtivo!... Aplicando técnicas de estatística sobre o processo (CEP), com técnicas de amostragem (de Dodge e Roming), aparecia o Controle de Qualidade. Estudos, correções, mudanças... e os processos foram melhorando e a qualidade melhorava por tabela, mas nem tanto assim. Até a década de 40 não mudou muita coisa, aí tivemos a Segunda Grande Guerra, a indústria bélica precisava de produtos com “MUITA” Qualidade. Imaginem o cara lá no meio da trincheira, puxa a trava de uma granada e... ela não sai, trava! Fazer o quê? Reclamar pra quem? A ênfase nessa época era em treinamento: fazer bem o serviço, montar bem os mísseis, tanques, as bombas.... Foi à partir daí que Deming popularizou o PDCA (criado por Shewart), que ficou conhecido então como Ciclo de Deming, uma ideia genial que trazia acoplado o conceito de melhoria contínua! Na década de 50 entramos na próxima fase da Qualidade, a da Garantia da Qualidade. Juran e Deming levam ao Japão os conceitos do CEP. Surge em cena outro grande gênio da Qualidade: Kaoru Ishikawa. Daí em diante a Qualidade não seria nunca mais a mesma!... Os conceitos americanos e os japoneses sobre o tema acabaram criando a Qualidade que conheceríamos até a década de 80! Chegamos então no que se pode chamar de “Era das Normas”, mas pode chamar de Fase da Gestão da Qualidade. Com base na norma inglesa BS (British Standard)-5750, vieram as normas da família ISO 9000. A ISO (International Organization fo Standardization) foi fundada em 1947 em Genebra, Suíça, mas só em 79 é que criaram o Comitê TC-176, responsável exclusivamente por Qualidade. Qualidade é tão amplo quanto o que buscamos dela, exigimos qualidade em praticamente tudo na vida, seja na padaria, no amor, no açougue ou na compra de um carro, sempre queremos algo melhor.