Papa vai a Loreto rezar pelo Sínodo e pelo Ano da Fé

Bento XVI vai deslocar-se a 4 de outubro ao Santuário de Loreto para rezar pelo Sínodo dos Bispos e pelo Ano da Fé. O Papa repete, 50 anos depois, o gesto de João XXIII que se deslocou a Loreto, de comboio, para confiar a Nossa Senhora os trabalhos do II Concílio Ecuménico do Vaticano, que começou a 11 de outubro de 1962.
O Ano da Fé decorre entre outubro de 2012 e novembro do ano seguinte e foi proclamado por Bento XVI com o objetivo de assinalar o 50.º aniversário do II Concílio do Vaticano (19621965) e relançar o anúncio da fé à sociedade contemporânea. O início coincide com a abertura dos trabalhos da assembleia sinodal, que vai decorrer entre 7 e 28 de outubro, dedicada ao tema ‘A nova evangelização para a transmissão da fé cristã’.

Vinde & Vede
Unidos em Igreja - Ano 2 - junho de 2012 – Nº 16

O SÍNODO LÁ VAI IMPÁVIDO E SERENO
O ano pastoral vai-se aproximando do fim. Porque só a verdade nos libertará, é tempo de avaliar o nosso desempenho, sem rodeios nem subterfúgios, sobretudo em relação ao Sínodo Diocesano, realidade em aberto à espera da colaboração de cada um. Impávido e sereno por entre a tensão sadia de quem vive com esperança e sente a necessidade de repensar o presente e projetar o futuro, o Sínodo Diocesano lá vai caminhando de cabeça erguida, tocado pela alegria daqueles que sabem envolver as comunidades e acreditam na presença e Acão do Espírito Santo. A nossa Igreja diocesana precisa, também ela, de um “um empenho eclesial mais convicto … para descobrir de novo a alegria de crer e reencontrar o entusiasmo de comunicar a fé” (PF, 9). Precisa que os evangelizadores, com entusiasmo renovado e sem medo, “a partir de Cristo, com Cristo e como Cristo” sejam capazes de reacender em todos o impulso das origens e de os permear pelo fervor da pregação que se seguiu ao Pentecostes (cf. NMI, 40). E se as conclusões do Sínodo irão, por certo, ser importantes, não menos importante será o aprofundamento da fé que a reunião e a oração, a reflexão e o debate, estão a proporcionar a todos quan tos se resolvem a participar com alegria e esperança. É essa a riqueza da caminhada sinodal! Se damos graças a Deus por tudo quanto está a acontecer através dos grupos sinodais, sentimo-nos no dever de continuar a desafiar todos os agentes da pastoral para este grande evento diocesano. Agradecer este acontecimento de graça, envolver-se nele e procurar envolver os outros continua a ser um desafio para todos. Antonino Dias Bispo diocesano

A abertura do Ano da Fé, na nossa Diocese, será em Cernache do Bonjardim no próximo dia 20 de Outubro, dia da Jornada Diocesana das Missões.
.

Próxima Atividade
II Encontro dos Amigos do Caminho de Santiago da Beira Baixa, Norte Alentejano e Ribatejano - em Nisa a 28 de julho de 2012

Assinatura Digital “Vinde& Vede”
Os inter essados dever ão enviar email par a o secr etar iado atr avés de: sdcsociais@por talegr e-castelobr anco.pt

Secretariado Diocesano das Comunicações Sociais Largo P. Manuel Vaz 6150 –737 Sobreira Formosa — Tlm. - 96 604 72 80 http://portalegre-castelobranco.pt/

Dia Diocesano do Encerramento da Renovamento Caris- Catequese da Paróquia de São Lourenço mático Católico Em boa hora a Catequese Paroquial de São LouRealizou-se, em Ponte de Sor, no passado dois de Junho, a Assembleia, comemorativa do Dia Diocesano do R.C.C., subordinada ao tema: «Quem Me segue não anda nas trevas»(cf.Jo,12). Participaram onze Grupos de Oração, pessoas convidadas e um número alargado de paroquianos de Ponte de Sor, num total superior a 200 pessoas. Foi orador o Dr. José Luís Oliveira, Presidente Nacional do R.C.C, cuja formação humana, académica e teológica, aliada à experiência e à fé esclarecida, fazem dele terreno

Sacerdotes e Diáconos do Arciprestado da Sertã em dia de confraternização
No passado dia 20 de junho de 2012, a Equipa Arciprestal da Sertã terminou o ano pastoral com um passeio-convívio. Participaram os sacerdotes e os diáconos permanentes deste Arciprestado. O autocarro saiu de Proença-a-Nova pelas 8h00 com o clero deste concelho e recolheu os restantes participantes junto ao quartel dos bombeiros da Sertã. A viagem decorreu com serenidade, passando por Vila de Rei, Ferreira do Zêzere e Tomar, seguindo a nova IC9 até à Nazaré, mais propriamente até ao Sítio, onde fomos acolhidos pelo P. José

Conselho Pastoral e Presbiteral avaliam e projetam novo ano do Sínodo Diocesano
Ponto comum das agendas: o ponto da situação do Sínodo Diocesano em curso, avaliar a sua concretização e refletir formas para continuar a sensibilizar e envolver a comunidade diocesana. O Bispo diocesano salientou a dificuldade que existe, em alguns cantos da Diocese, para envolver as comunidades na participação, devido à idade avançada das mesmas. Referiu, por outro lado, que, onde há pessoas mais sensíveis e disponíveis para a participação, há preocupação em respeitar os prazos estabelecidos para apresentar os frutos da reflexão, há alegria no empenho, curiosidade em saber o que se passa na Diocese, esperança nos resultados e maior consciência de pertença a uma Igreja que é construída pela participação de todos. Ressaltou ainda que são estes que a todos animam e confortam, sem pessimismos nem indiferenças, colocando a candeia no candelabro e não permitindo que o sal perca o seu sabor. A par desta abordagem sobre o Sínodo e daquilo que a sua dinâmica estará a pedir para uma envolvência mais englobante da comunidade diocesana, abordouse como programar a vivência do Ano da Fé, sem criar programas paralelos mas incluindo essa vivência dentro da caminhada sinodal. Sendo o Ano da Fé um “convite para uma autêntica e renovada conversão ao Senhor”, também desejamos que a Diocese o celebre “de forma digna e fecunda”, se intensifique “a reflexão sobre a fé”, se confesse “a fé no Senhor ressuscitado”, se assuma “a responsabilidade social daquilo que se acredita” e se intensifique “o testemunho da caridade”. Foram dadas sugestões várias que agora serão analisadas mais profundamente e, tanto quanto possível, integradas na programação pastoral.

renço, Portalegre, decidiu que, este ano, a festa de

fecundo do Espírito Santo jorrando Graça através da palavra e da oração que profere. A ele, ao nosso incansável e atento Assistente, Reverendo Padre Alberto Tapadas, aos Escuteiros e aos seus paroquianos, que com tanto carinho, trabalho e generosidade nos acolheram, o nosso sincero reconhecimento e a nossa Oração. Ao Senhor Bispo, que não pôde estar connosco porque nesse dia esteve em serviço, fora do País, confiamos e, à Igreja Diocesana, com muita alegria, os bons frutos desta “sementeira”. Somos “servos inúteis”; creio que todos fizemos com muito amor, o que tínhamos que fazer! Tudo para honra e glória da Santíssima Trindade - Deus Uno e Trino, três vezes Santo - que louvámos, cantámos, invocámos, escutámos - através da Palavra - adorámos na Divina Eucarística e ao Qual, de todo o coração e com muito amor, damos graças!

encerramento juntaria todos os catequizandos dos dez anos de catequese, bem como os seus pais, catequistas, familiares, amigos, e, evidentemente, o nosso pároco, o Pe. João Maria Lourenço. Teve lugar na Igreja da Srª da Penha no passado sábado, dia 16 de Junho. Um dia e um lugar que se revelaram maravilhosos! O programa (integralmente cumprido) propunha a celebração da Eucaristia às 17h, seguida de um convívio com lanche partilhado, jogos e brincadeiras e a subida à Cruz da Penha. A adesão de familiares e amigos surpreendeu, superando todas as expectativas, fazendo deste encontro uma verdadeira festa com muita alegria, animação e o envolvimento de todos, desde os irmãos mais pequenitos até aos avós. No seguimento da Palavra proclamada na celebração, entendemos este dia como uma sementeira, em função do próximo ano, pois ao catequista cabe semear e, tal como o agricultor, ficar á espera, pois "a semente germina e cresce, sem sabermos como. A terra produz por si, primeiro a planta, depois a espiga, por fim o trigo maduro na espiga" (Mc 4, 27 -28). A escolha do local foi feliz, permitindo, mesmo aos poucos que não subiram à Cruz da Penha, usufruir da vasta paisagem e de largos horizontes. Para os que conseguiram subir até à Cruz (construída para a passagem do séc. XIX para o séc. XX), além do horizonte mais vasto de que puderam desfrutar, houve também um momento de reflexão, e um momento breve de oração confiando as famílias dos catequizandos à proteção maternal de Maria, aqui inovada como Senhora da Penha.

Luís dos Santos Guerreiro, pároco de Pederneira e Reitor do Santuário de Nossa Senhora da Nazaré. Para surpresa de muitos, este santuário localizado no Sítio bem como o lugar da Nazaré pertence à Paróquia de Pederneira da diocese de Lisboa . O dia tinha como grande objetivo o criar laços do "ser família". E, cada vez mais, a grande família dos padres terá de ser o presbitério e é só como família que os padres serão capazes de construir Igreja e motivar os leigos para essa mesma comunhão eclesial. De facto, aquilo que mais poderá ser um contra testemunho na vivência da fé em Igreja é o individualismo ou as tomadas de posições contra a orientação do Arciprestado ou do Bispo. E por isso escolhemos este dia não apenas para conviver mas para crescermos mais na amizade com Deus e uns com os outros.