Exames Radiológicos Contrastados Iodados Das Vias Biliares -Colecistograma Oral -Colangiografia Intravenosa -Colangiografia Transoperatória -Colangiografia Pós

-Operatória -Colangiografia Retrógrada Endoscópica -Colangiografia Transparieto-Hepática COLECISTOGRAMA ORAL Exame radiológico em que se administra contraste iodado, na véspera do exame, por via oral. O contraste é absorvido pela mucosa intestinal e levado ao fígado. O contraste é conjugado no fígado com a bile e é armazenado na vesícula biliar juntamente com a bile. OBS: Atualmente o colecistograma oral não é mais realizado. Foi substituído pela ultra-sonografia, que não usa contraste e nem raios-x, e é o método de primeira escolha para as vias biliares.

COLANGIOGRAFIA INTRAVENOSA Consiste na injeção de contraste iodado por via intravenosa. O contraste conjuga-se com a bile permitindo a opacificação das vias biliares. Este exame foi abandonado devido ao alto índice de complicações após uso contraste.

COLANGIOGRAFIA TRANSOPERATÓRIA Nas cirurgias abertas de colecistectomia, em casos de litíase vesicular, após a ressecção da vesícula, acopla-se um pequeno cateter no coto do canal cístico e injeta-se contraste iodado. Há contrastação do colédoco e das vias biliares. Podem ser detectados cálculos ou tumores localizados nas vias biliares, que poderão ser removidos antes do fechamento do abdome.

COLANGIOGRAFIA PÓS-OPERATÓRIA Nas colecistectomias convencionais deixa-se um dreno em “T” comunica-se com um recipiente de vidro. Nos dias que sucedem a cirurgia, o volume de bile é medido (dreno de Kehr) acoplado no ducto cístico e no colédoco, que diariamente. A evolução normal é que o volume de bile drenada diminua gradativamente. Nos casos em que o volume drenado não diminua ou aumente haverá a suspeita de obstaculizaçaõ à passagem da bile no colédoco ou na papila de Vater. A colangiografia pós-operatória consiste na injeção de contraste iodado através do dreno de Kehr e a obtenção de radiografias das vias biliares.

COLANGIOPANCREATOGRAFIA RETRÓGRADA ENDOSCÓPICA (C.P.R.E.) O exame é realizado em conjunto com o endoscopista e o radiologista. Por via endoscópica cateteriza-se o colédoco distal pela papila de Vater e injeta-se contraste retrógradamente. Endoscopia Endoscópio C.P.R.E. Esquema

COLANGIOGRAFIA TRANSPARIETO- HEPÁTICA Consiste na punção direta do fígado, pela porção lateral e superior da parede abdominal à direita , com agulha fina e longa. A saída de bile pela agulha permite a injeção de contraste iodado diretamente na via biliar intra-hepática e a conseqüente opacificação da árvore biliar. Usada nos casos em que outros métodos de investigação das vias biliares não são conclusivos. Colangiocarcinomas e cálculos obstrutivos são exemplos de doenças que podem ser detectadas.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful