You are on page 1of 65

Ondas Eletromagnéticas.

Física Geral F-428
E
• Alguns Teoremas:
:
:
Usando mais :
podemos mostrar que :
• As duas últimas equações mostram que variações espaciais ou temporais do
campo elétrico (magnético) implicam em variações espaciais ou temporais do
campo magnético (elétrico)
A equação de onda
Utilizando as quatro equações de Maxwell e um pouco de álgebra
vetorial (com os teoremas de Gauss e Stokes), podemos obter as
seguintes equações de onda com fontes [ ]:
0 ) , ( e 0 ) , ( = = t r J t r µ
A equação de onda
A equação de onda
A equação de onda
• Em geral, qualquer função periódica pode ser solução de uma
equação de onda pois poderá ser expressa por uma Série de Fourier
Ex.: Onda quadrada
Ondas eletromagnéticas
(3ª Eq. de Maxwell)
• Sejam:
) sen( ) , ( e ) sen( ) , ( t kx B t x B t kx E t x E
m z m y
e e ÷ = ÷ =
c
B
E
c
k B
E
z
y
m
m
= ÷ = =
e
B
z
transverso à direção
de propagação da onda:
0 0
1
c µ
= c



ck t kx E ct x k E t x E
y
= ÷ = ÷ = e e ; ) sin( ) ( sin ) , (
0 0
Ondas eletromagnéticas planas
Período:
Freqüência:
Comprimento
de onda:
Velocidade de
uma onda:
T
1
f
T
=
ì
v f
k
e
ì = =
Freqüência
angular:
2 f e t =
Número de
onda:
2
k
t
ì
=
Ondas eletromagnéticas
L
~
Ondas eletromagnéticas
Problema 1
Um certo laser de hélio-neônio emite luz
vermelha em uma faixa estreita de comprimentos
de onda em torno de 632,8 nm, com uma
“largura”de 0,0100 nm. Qual é a “largura”, em
unidades de frequência, da luz emitida?
Um certo laser de hélio-neônio emite luz vermelha em uma faixa estreita de
comprimentos de onda em torno de 632,8 nm, com uma “largura”de 0,0100
nm. Qual é a “largura”, em unidades de frequência, da luz emitida?
nm ) 0100 , 0 8 , 632 (
2
± =
A
± =
ì
ì ì
Hz G Hz m
m
s m
f 5 , 7 10 75 , 0 10 10
) 10 8 , 632 (
/ 10 3
10 9 2
2 2 9
8
= × ~ ×
×
×
= A
÷ ÷
÷
ì
ì
ì
ì ì ì
ì
ì
A = A ÷ A ÷ = A ¬ ÷ = ÷ = =
÷
2 2 2
1
c
f
c
f
c
d
df
c
c
f
! 10 74083 , 4
) 10 8 , 632 (
10 3
14
9
8
Hz f × ~
×
×
=
÷
mas:
Note que:
ì
ì
ì
ì
A
=
A
÷ A = A
f
f
f
f
z
f
f f H 10 ) 004 , 0 083 , 474 (
2
12
× ± =
A
± =
Ondas eletromagnéticas
Transporte de energia
As densidades de energia elétrica e magnética
2
0
0
2
2
2
1
2
) , ( como E
c
E
t r u
c
E
B
B
c
µ
= = ¬ =

0
2
2
0
2
) , ( e
2
1
) , (
µ
c
B
t r u E t r u
B E
= =
 
A densidade total de energia armazenada no campo de radiação
2
0
) , ( ) , ( ) , ( E t r u t r u t r u
B E
c = + =
  
Ondas eletromagnéticas
Transporte de energia
Como
) ( sin ) , (
2 2
0
2
t r k E t r E e ÷ · =



A média temporal da densidade de energia é dada por
2
0 0
2
1
0
2 2
0 0
2
0
2
1
) ( sin
1
E dt t r k
T
E E u
T
c e c c = ÷ · = =
=
}
        


Intensidade da radiação:
2
0 0
2
1
E c c u
t s
U
t s
U
I c = =
A
A
A A
A
=
A A
A
÷


Ondas eletromagnéticas
Transporte de energia
x
z
y
k

0
E

0
B

s d

t cA = A
U A
Por outro lado
k t r k
c
E
B E
ˆ
) ( sin
2
2
0
e ÷ · = ×

  
2
0 0 0
2
0
2
1
2
| | E c
c
E
B E c µ = = ×
 
2
0 0
2
1
E c
t s
U
I c =
A A
A
÷
I B E
0
| | µ = ×
 
Ondas eletromagnéticas
Transporte de energia
x
z
y
k

0
E

0
B

da n s d ˆ =

t cA = A
U A
Definindo
B E S
  
× ÷
0
1
µ
0
E

0
B

S

| | S I

=
S

é o vetor de Poynting e
}
· =
A
da n S
dt
dU
ˆ

I B E
0
| | µ = ×
 
t s
U
I
A A
A
÷
Ondas eletromagnéticas
Transporte de energia
Se a potência fornecida pela fonte é P
f
temos
}
· =
A
f
da n S P ˆ

Emissão isotrópica
S r S n S = · = · ˆ ˆ
 
2
4 R
P
S I
f
t
= =
Ondas eletromagnéticas esféricas
Uma estação de rádio AM transmite isotropicamente com uma
potência média de 4,00 kW. Uma antena de dipolo de recepção
de 65,0 cm de comprimento está a 4,00 km do transmissor.
Calcule a amplitude da f.e.m. induzida por esse sinal entre as
extremidades da antena receptora.
Ondas eletromagnéticas
Problema 2
Uma estação de rádio AM transmite isotropicamente com uma potência média
de 4,00 kW. Uma antena de dipolo de recepção de 65,0 cm de comprimento está
a 4,00 km do transmissor. Calcule a amplitude da f.e.m. induzida por esse sinal
entre as extremidades da antena receptora.
kW P
d
P
I t kx E E
f
f
m
4
4
; ) ( sen
2
=
= ÷ =
t
e
f
d = 4 km
E
B
x
y
L =
0,65 m
2 / 1
0
0
2
) ( ) ( . . .
|
|
.
|

\
|
= = = =
}
c t
c
c
P
d
L
L d E dy d E m e f
f
m
L
m L
mV V
m F s m
W
m
m
L
80 080 , 0
) / 10 85 , 8 ( ) / 10 3 ( 2
10 4
10 4
65 , 0
2 / 1
12 8
3
3
= ~
|
|
.
|

\
|
× × × ×
×
×
~
÷
t
c
;
2
) (
2
1
2 / 1
2
0
2
0
|
|
.
|

\
|
= ÷ =
d c
P
d E E c I
f
m m
c t
c
m F / 10 85 , 8
12
0
÷
× ~ c
Problema 3 (Cap.33; Ex.18)
Uma fonte pontual isotrópica emite luz com um comprimento de
onde de 500 nm e uma potência de 200 W. Um detector de luz é
posicionado a 400 m da fonte. Qual é a máxima taxa dB/dt com a
qual a componente magnética da luz varia com o tempo na posição
do detector?
s T
t
B
max
/ 10 44 , 3
6
× =
c
c
Ondas eletromagnéticas
Transporte de momento linear: pressão de radiação
x
z
y
k

0
E

0
B

da n s d ˆ =

t cA = A
U A
0
E

0
B

S

O mesmo elemento que transporta
a energia também transporta o
momento linear
U A
k
c
U
p
ˆ
A
= A

Densidade de momento linear
k
c
S
k
c
u
V
p
ˆ
| |
ˆ
2


= =
A
A
B E
c
S
g
 


× = =
0
2
c
c u I S = =

Momento linear do campo
Eletromagnético ?
Sim !
( Aguardem as aulas de relatividade! )
Momento linear transferido para um
objeto onde incide a radiação
k
c
U
p
a
ˆ
A
= A

Ondas eletromagnéticas
Transporte de momento linear : pressão de radiação
k
c
U
p
r
ˆ
2
A
= A

no caso de absorção
total da radiação
no caso de reflexão
total da radiação
p

p

p

÷
Ondas eletromagnéticas
Transporte de momento linear : pressão de radiação
t IA U A = A
c
I
A
F
P
c
IA
t
p
F
a
a
a
a
= = ¬ =
A
A
=
c
I
A
F
P
c
IA
t
p
F
r
r
r
r
2 2
= = ¬ =
A
A
=
Pressão de radiação
na absorção total
Pressão de radiação
na reflexão total
}
· =
A
da n S
dt
dU
ˆ

p

p

p

÷
Ondas eletromagnéticas
Problema 4
Uma pequena espaçonave, cuja massa é 1,5 x 10
3
kg
(incluindo um astronauta), está perdida no espaço, longe de
qualquer campo gravitacional. Se o astronauta ligar um
laser de 10 kW de potência, que velocidade a nave atingirá
após transcorrer um dia, por causa do momento linear
associado à luz do laser?
Uma pequena espaçonave, cuja massa é 1,5 x 10
3
kg (incluindo um astronauta),
está perdida no espaço, longe de qualquer campo gravitacional. Se o astronauta
ligar um laser de 10 kW de potência, que velocidade a nave atingirá após
transcorrer um dia, por causa do momento linear associado à luz do laser?
m
x v v ˆ =

luz n
p p
 
÷ =
dt
dp
F
dt
p d
F
luz
n
n
n
= ÷ =


mc
P
a ma
c
P
F
n
= ÷ = =
x
c
U
p
luz
ˆ ÷ =

c
P
dt
dU
dt
dp
luz
= =
c
1
at t v v at v t v = ÷ = + = ) ( 0 se ; ) (
0 0
s kg m kW P 86400 60 60 24 dia 1 ; 1500 ; 10 = × × = = =
! / 10 9 , 1
/ 10 3 1500
86400 10
3
8
4
s m
s m kg
s W
t
mc
P
v
÷
× ~
× ×
×
= =
Problema 5 (Cap.33; Ex.29)
Pretende-se levitar uma pequena esfera, totalmente absorvente,
0,500 m acima de uma fonte luminosa pontual e isotrópica fazendo
com que a força para cima exercida pela radiação seja igual ao peso
da esfera. A esfera tem 2,00 mm de raio e uma massa específica de
19,0 g/cm
3
. (a) Qual deve ser a potência da fonte luminosa? (b)
Mesmo que posse possível construir uma fonte com essa potência,
por que o equilíbrio da esfera seria instável?
Ondas eletromagnéticas
Polarização da radiação
Polarização linear:
Direção do campo elétrico ) , ( t r E


http://www.colorado.edu/physics/2000/polarization/index.html

Ondas eletromagnéticas
Polarização da radiação
) sin( ) , (
0
t r k E t r E e ÷ · =

 


y t kz E
x t kz E t r E
ˆ ) cos(
ˆ ) sin( ) , (
0
0
e
e
÷ +
÷ =


Polarização linear Polarização circular
2
0
2 2
) , ( ) , ( E t r E t r E
y x
= +
 
Ondas eletromagnéticas
Polarização da radiação
Um pulso eletromagnético geral corresponde a uma
superposição de vários pulsos que oscilam em
diferentes direções, com diferentes fases
radiação não-polarizada
Polarização elíptica
y t kz E x t kz E t r E
y x
ˆ ) cos( ˆ ) sin( ) , (
0 0
e e ÷ + ÷ =


1
) , (
) , (
2
0
2
2
0
2
= +
y
y
x
x
E
t r E
E
t r E


x
E
y
E
Fios metálicos
Ondas eletromagnéticas
Polarizadores
A luz polarizada em uma dada direção é absorvida pelo material
usado na fabricação do polarizador. A intensidade da luz
polarizada perpendicularmente a esta direção fica inalterada.
Exemplo:
http://www.colorado.edu/physics/2000/polarization/

Ondas eletromagnéticas
Polarizadores
Intensidade de uma componente
da radiação incidente:
) (
2
1
2
1
2
0
2
|| 0 0
2
0 0 0 ±
+ = = E E c E c I c c
u
u
sin
cos
0 0
0 || 0
E E
E E
=
=
±
Intensidade da radiação
polarizada ao longo de :
u
2
0
cos I I =

y E x E E ˆ ˆ
0 // 0 0
  
+ =
±
eixo de
polarização
2
|| 0 0
2
1
E c I c =
Ondas eletromagnéticas
Polarizadores
Intensidade da radiação incidente não-polarizada
(ex.: luz natural)
Intensidade da radiação
polarizada ao longo de : yˆ }
= = =
t
u u
t
u
2
0
0
2
0
2
0
2
cos
2
cos
I
d
I
I I
u
u
Visualização através de um polarizador:
Ondas eletromagnéticas
Polarizadores
Ondas eletromagnéticas
Problema 6
Um feixe de luz polarizada passa por um conjunto de dois
filtros polarizadores. Em relação à direção de polarização
da luz incidente, as direções de polarização dos filtros são
u para o primeiro filtro e 90º para o segundo. Se 10% da
intensidade incidente é transmitida pelo conjunto, quanto
vale u ?
Um feixe de luz polarizada passa por um conjunto de dois filtros polarizadores. Em
relação à direção de polarização da luz incidente, as direções de polarização dos
filtros são u para o primeiro filtro e 90º para o segundo. Se 10% da intensidade
incidente é transmitida pelo conjunto, quanto vale u ?
u
90
0

I
2

I
0

I
1

E
1 , 0
0
2
=
I
I
dado:
| | 1 , 0 sen cos sen 90 sen cos 90 cos cos
2 2 2 2
0
2
= = + = u u u u u
I
I
) 90 ( cos cos ) 90 ( cos ; cos
2 2
0
2
1 2
2
0 1
u u u u ÷ = ÷ = = I I I I I
u u u
2 2 2 4
cos ; 0 1 , 0 0 1 , 0 cos cos = = + ÷ ÷ = + ÷ x x x
=
±
=
÷ ±
=
2
775 , 0 1
2
4 , 0 1 1
x
° ~ ÷ = ÷
° ~ ÷ = ÷
4 , 70 3354 , 0 cos 1125 , 0
6 , 19 9421 , 0 cos 8875 , 0
2 2
1 1
u u
u u
Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração
x k k t kx ˆ se const. = = ÷

e
A frente de onda é o lugar geométrico dos pontos onde
const. = ÷ · t r k e


Frente de onda plana
Ondas eletromagnéticas
0 0
1
c µ
= c
c µ
1
= v
) ( ) (
1
) (
r r
r v
 

c µ
=
v c >
No vácuo
Em meios materiais
Em geral
t
t t A +
t t A +2
t t A +3
raios
frentes de
onda
Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração: Princípio de Huygens
Todos os pontos de uma frente de onda se comportam
como fontes pontuais para ondas secundárias.
Depois de um intervalo de tempo t, a nova posição da
frente onda é dada por uma superfície tangente a estas
ondas secundárias.
Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração: Princípio de Huygens
Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração
1
v
2
v
Índice de refração
v
c
n ÷
h
t
t
p
:
/
/
w
w
w
.
p
h
y
.
n
t
n
u
.
e
d
u
.
t
w
/
n
t
n
u
j
a
v
a
/
v
i
e
w
t
o
p
i
c
.
p
h
p
?
t
=
3
2

r i
u u =
reflexão especular
AD
t v
AD
BD
i
1
sin = = u
AD
t v
AD
AC
r
1
sin = = u
Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração
u
i
u
r
Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração: reflexão especular x reflexão difusa
Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração: Lei de Snell
AD
t v
AD
BD
i
i
= = u sen
AD
t v
AD
AE
t
t
= = u sen
1
v
2
v
i
i
v
c
n ÷
2 2 1 1
sin sin u u n n =
i
u u =
1
t
u u =
2
onde
u
i
u
t
Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração: Lei de Snell
2 1
n n >
1 2
2 1
u u <
< n n
1
2
1
2
sen sen u u
n
n
=
Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração: Lei de Snell
1 2
2 1
u u >
> n n
1
2
1
2
sen sen u u
n
n
=
1 2
2 1
u u <
< n n
Problema 7 (Cap.33; Ex.55)
Na Fig. 33-57 um raio incide em uma das faces de um prisma triangular de vidro
imerso no ar. O ângulo de incidência é escolhido de tal forma que o raio
emergente faz o mesmo ângulo com a normal à outra face. Mostre que o
índice de refração n do vidro é dado por:
n=
sen
1
2
(ψ+Φ)
sen
1
2
(Φ)
Onde é o ângulo do vértice superior do prisma e é o ângulo de desvio,
definido como o ângulo entre o raio emergente e o raio incidente. (Nessas
condições, o ângulo de desvio tem o menor valor possível, que é denominado
ângulo de desvio minimo).
θ
ψ
θ
Φ
No ar n = 1

senθ= n senα →n=
senθ
senα
Do triângulo temos:
θ= α+
ψ
2
→θ=
ϕ
2
+
ψ
2
β+ ψ/ 2+β+ ψ/ 2+ Φ= 180º →α=
ϕ
2
α+ ψ/2+β= 90→β= 90− α− ψ/2
Substituindo temos:
Problema 7 (Cap.33; Ex.55)
n=
sen
1
2
(ψ+Φ)
sen
1
2
(Φ)
Φ
Φ
Ondas eletromagnéticas
Reflexão interna total
Se a incidência se dá de um meio mais refringente para outro
menos refringente, ou seja, , há um ângulo crítico acima
do qual só há reflexão.
2 1
n n >
2 2 1
2
sin sin n n n
c
= =
t
u
|
|
.
|

\
|
=
÷
1
2
1
sin
n
n
c
u
n
1

n
2

n
1
> n
2

u
c

u
1

u
2

2 2 1 1
sin sin u u n n =
Ondas eletromagnéticas
Reflexão interna total: fibras ópticas
Ondas eletromagnéticas
Dispersão cromática ) (e n n =
) sin( ) ( ) , ( t r k k E t r E
k
e ÷ · =
¿

 


Luz branca
) ( ) ( se
2 1 2 1
e e e e n n > ¬ > Em geral,
1
2
1
2
sen sen u u
n
n
=
1 2
2 1
u u <
< n n
Ondas eletromagnéticas
Dispersão cromática ) (e n n =
Luz branca
) ( ) ( se
2 1 2 1
e e e e n n > ¬ > Em geral,
) sin( ) ( ) , ( t r k k E t r E
k
e ÷ · =
¿

 


1 2
2 1
u u >
> n n
1 2
2 1
u u <
< n n
1
2
1
2
sen sen u u
n
n
=
Ondas eletromagnéticas
Dispersão cromática:
Formação do arco-íris
~ 42º
Ondas eletromagnéticas
Polarização por reflexão
A luz refletida por uma superfície
é totalmente polarizada na direção
perpendicular ao plano de
incidência quando
2
t
u u = +
refr i
Então
|
.
|

\
|
÷ =
i i
n n u
t
u
2
sin sin
2 1
1
2
tan
n
n
i
= u
1
2
1
tan
n
n
B i
÷
= ÷u u
B
u : ângulo de Brewster
u
B

n
2

n
1

u
r

u
refr

|
.
|

\
|
= +
2
t
u u
refr r
-
Ondas eletromagnéticas
Problema 8
Uma fonte luminosa pontual está 80,0 cm abaixo da
superfície de uma piscina. Calcule o diâmetro do
círculo, na superfície, através do qual a luz emerge
da água.
Uma fonte luminosa pontual está 80,0 cm abaixo da superfície de uma piscina.
Calcule o diâmetro do círculo, na superfície, através do qual a luz emerge da água.
d
R
h
( )
2 / 1 2 2
R d h
m 0,8 d
+ =
=
ar ar c O H
n n n = ° = u 90 sen sen
2
1/2 2 2
) R (d
R
h
R
752 , 0
33 , 1
1
sen
2
+
= = ~ = = u
O H
ar
c
n
n
) 565 , 0 1 ( R ) ,8 0 ( 565 , 0 R ) R (d 565 , 0
2 2 2 2 2
÷ = ÷ = +
cm 182 D
m 1,824 2R D ; m 0,912 R 832 , 0 R
2
~
~ = ~ ÷ ~
Na Fig. 33-66 um raio luminoso que estava se propagando inicialmente no ar
incide em um material 2 com um índice de refração n
2
= 1,5. Abaixo do
material está o material 3, com um índice de refração n
3
. O raio incide na
interface ar – material com o ângulo de Brewster para essa interface e incide
na interface material 2 – material 3 com o ângulo de Brewster para essa
interface. Qual é o valor de n
3
?
Problema 9 (Cap.33; Ex.70)
θ
1
θ
2
β
(ar)
n
2
n
3
Pela definição do ângulo de Brewster
nas duas interfaces:
1
3
2 1
2
3
2
1
2
1
) tan( ) tan( : seja ou
) tan( ; ) tan(
n
n
n
n
n
n
= ×
= =
u u
u u
) (ar também 1 : ou ; 1 : logo
) tan(
1
) tan(
2
: mas
3
1
3
1
2 1 2
= =
= ÷ ÷ =
n
n
n
u
u u
t
u
θ
2
1
n

E .

.

• Alguns Teoremas: : : .

Usando mais : podemos mostrar que : .

• As duas últimas equações mostram que variações espaciais ou temporais do campo elétrico (magnético) implicam em variações espaciais ou temporais do campo magnético (elétrico) .

A equação de onda Utilizando as quatro equações de Maxwell e um pouco de álgebra vetorial (com os teoremas de Gauss e Stokes). t )  0 e J ( r. t )  0]: . podemos obter as seguintes equações de onda com fontes [  ( r.

A equação de onda .

A equação de onda .

A equação de onda .

: Onda quadrada . qualquer função periódica pode ser solução de uma equação de onda pois poderá ser expressa por uma Série de Fourier Ex.• Em geral.

t )  E m sen(kx  t ) e Bz ( x.Ondas eletromagnéticas ˆ z (3ª Eq. de Maxwell) ˆ y ˆ x Bz transverso à direção de propagação da onda: • Sejam: E y ( x. t )  Bm sen(kx  t ) Em   c Bm k  Ey Bz c c 1 0 0 .

Ondas eletromagnéticas planas E y ( x. t )  E0 sin k ( x  ct )  E0 sin( kx  t ) .   ck .

Ondas eletromagnéticas Comprimento de onda: Período: T 1 f  T    2 f v Freqüência: Freqüência angular: Número de onda: k 2  Velocidade de uma onda:  k f .

L ~ .

.

Ondas eletromagnéticas Problema 1 Um certo laser de hélio-neônio emite luz vermelha em uma faixa estreita de comprimentos de onda em torno de 632. da luz emitida? .0100 nm. Qual é a “largura”.8 nm. em unidades de frequência. com uma “largura”de 0.

004)  1012 Hz 2 Note que: f  f    f   f  .8  10 9 ) 2 m 2 mas: 3  108 f   4.8 nm.Um certo laser de hélio-neônio emite luz vermelha em uma faixa estreita de comprimentos de onda em torno de 632.74083  1014 Hz ! (632.8  0. Qual é a “largura”.083  0.0100 nm. com uma “largura”de 0.8  109 ) f f  f  (474. em unidades de frequência. da luz emitida?      (632 .0100 ) nm 2 f  c   c1  df c  2 d   f   c  2   f  c  2  3  10 8 m / s f  10 2  10 9 m  0.5 G Hz (632.75  1010 Hz  7.

Ondas eletromagnéticas Transporte de energia As densidades de energia elétrica e magnética 1  u E (r . t )  u B (r . t )  u E (r . t )  20 E2 1  u B (r . t )   0 E 2 . t )  2   0 E 2 2c 0 2 A densidade total de energia armazenada no campo de radiação    u (r . t )   0 E 2 2 como E B c  e B2  u B (r .

Ondas eletromagnéticas Transporte de energia Como 2    2 2 E (r . t )  E0 sin (k  r   t ) A média temporal da densidade de energia é dada por   1 1 2 u  0 E  0E sin (k  r   t ) dt   0 E02 T 0 2     2 2 0  T  1 2 Intensidade da radiação: U U  1 2 I   u c  c 0 E0 s t s  t 2 .

Ondas eletromagnéticas Transporte de energia Por outro lado U 1 I  c 0 E02 s t 2 y   E02 2   ˆ EB  sin (k  r   t )k c   E02 1 | EB|  c0 0 E02 2c 2   | E  B |  0 I z U  E0  ds  B0  k x   ct .

Ondas eletromagnéticas Transporte de energia Definindo   | E  B |  0 I  E0 y  B0 U I s t  1   S  EB  S 0  I | S |  S é o vetor de Poynting e U  E0  ds  n da ˆ   x k B0  dU  S  n da ˆ dt A  z   ct .

Ondas eletromagnéticas Ondas eletromagnéticasesféricas Transporte de energia Se a potência fornecida pela fonte é Pf temos  Pf  S  n da ˆ  A Emissão isotrópica   S n S r S ˆ ˆ Pf I S  2 4 R .

. Calcule a amplitude da f.00 km do transmissor.Ondas eletromagnéticas Problema 2 Uma estação de rádio AM transmite isotropicamente com uma potência média de 4. Uma antena de dipolo de recepção de 65.00 kW.m.e. induzida por esse sinal entre as extremidades da antena receptora.0 cm de comprimento está a 4.

induzida por esse sinal entre as extremidades da antena receptora.0 cm de comprimento está a 4.m.85  10 12 F / m 1/ 2 L  Pf  f .   L   Em ( d ) dy  Em (d ) L    2 c   d 0  0  0.65 m x d = 4 km 1 2 I  c 0 Em 2  L Pf     .00 kW. Calcule a amplitude da f.m.00 km do transmissor.e.e. I  Pf  4 kW Pf 4 d 2 f y E B L= 0. E  Em sen ( kx   t ) . Em ( d )   2   2 c 0 d  1/ 2  0  8.65 m  4  10 W  L  3  2  (3  108 m / s)  (8.080 V  80 mV . Uma antena de dipolo de recepção de 65.85  1012 F / m)   4  10 m   3 1/ 2  0.Uma estação de rádio AM transmite isotropicamente com uma potência média de 4.

Ex.44 106 T / s t max .18) Uma fonte pontual isotrópica emite luz com um comprimento de onde de 500 nm e uma potência de 200 W. Qual é a máxima taxa dB/dt com a qual a componente magnética da luz varia com o tempo na posição do detector? B  3.Problema 3 (Cap. Um detector de luz é posicionado a 400 m da fonte.33.

Ondas eletromagnéticas Transporte de momento linear: pressão de radiação O mesmo elemento que transporta a energia U também transporta o momento linear  E0  S y  B0 U  U ˆ p  k c Densidade de momento linear    p u ˆ | S | ˆ S  I  uc  k 2 k V c c  E0  ds  n da ˆ   x k B0     S g  2  0E  B c z   ct .

Momento linear do campo Eletromagnético ? Sim ! ( Aguardem as aulas de relatividade! ) .

Ondas eletromagnéticas Transporte de momento linear : pressão de radiação Momento linear transferido para um objeto onde incide a radiação  p  U ˆ pa  k c no caso de absorção total da radiação U ˆ no caso de reflexão  pr  2 k total da radiação c  p  p .

Ondas eletromagnéticas Transporte de momento linear : pressão de radiação U  IA t Pressão de radiação na absorção total  dU  S  n da ˆ dt A  pa IA Fa I Fa    Pa   t c A c  p  p Pressão de radiação pr 2 IA Fr 2 I Fr    Pr   na reflexão total  t c A c p .

5 x 103 kg (incluindo um astronauta). Se o astronauta ligar um laser de 10 kW de potência. longe de qualquer campo gravitacional. que velocidade a nave atingirá após transcorrer um dia. por causa do momento linear associado à luz do laser? .Ondas eletromagnéticas Problema 4 Uma pequena espaçonave. está perdida no espaço. cuja massa é 1.

Se o astronauta ligar um laser de 10 kW de potência. está perdida no espaço.9  10 3 m / s ! mc 1500 kg  3  108 m / s .5 x 103 kg (incluindo um astronauta). longe de qualquer campo gravitacional. cuja massa é 1. m  1500 kg . por causa do momento linear associado à luz do laser? m  U ˆ pluz   x c  ˆ v vx   pn   pluz   d pn dpluz Fn   Fn  dt dt P P Fn   ma  a  c mc dpluz 1 dU P   dt c dt c v(t )  v0  at . que velocidade a nave atingirá após transcorrer um dia.Uma pequena espaçonave. 1dia  24  60  60  86400 s P 104 W  86400 s v t  1. se v0  0  v(t )  at P  10 kW .

por que o equilíbrio da esfera seria instável? .29) Pretende-se levitar uma pequena esfera.0 g/cm3. totalmente absorvente.500 m acima de uma fonte luminosa pontual e isotrópica fazendo com que a força para cima exercida pela radiação seja igual ao peso da esfera. A esfera tem 2.Problema 5 (Cap. (a) Qual deve ser a potência da fonte luminosa? (b) Mesmo que posse possível construir uma fonte com essa potência.33. 0.00 mm de raio e uma massa específica de 19. Ex.

colorado.edu/physics/2000/polarization/index.html . t ) http://www.Ondas eletromagnéticas Polarização da radiação Polarização linear:   Direção do campo elétrico E (r .

t )  E02 . t )  E0 sin( kz   t ) x ˆ  E0 cos(kz   t ) y ˆ Polarização linear Polarização circular 2  2  Ex (r . t )  E y (r . t )  E0 sin( k  r   t )   E (r .Ondas eletromagnéticas Polarização da radiação      E (r .

com diferentes fases radiação não-polarizada .Ondas eletromagnéticas Polarização da radiação Polarização elíptica   E (r . t ) E y (r . t )  1 2 2 Ex 0 Ey0 2 x Ex Um pulso eletromagnético geral corresponde a uma superposição de vários pulsos que oscilam em diferentes direções. t )  E x 0 sin( kz   t ) x  E y 0 cos(kz   t ) y ˆ ˆ Ey  2  E (r .

A intensidade da luz polarizada perpendicularmente a esta direção fica inalterada. Exemplo: Fios metálicos http://www.edu/physics/2000/polarization/ .colorado.Ondas eletromagnéticas Polarizadores A luz polarizada em uma dada direção é absorvida pelo material usado na fabricação do polarizador.

Ondas eletromagnéticas Polarizadores Intensidade de uma componente da radiação incidente:    ˆ ˆ E0  E0 x  E// 0 y E0||  E0 cos  E0  E0 sin  Intensidade da radiação ˆ polarizada ao longo de y : 1 1 I 0  c 0 E02  c 0 ( E02||  E02 ) 2 2 eixo de polarização 1 I  c 0 E02|| 2 I  I 0 cos  2 .

Ondas eletromagnéticas Polarizadores Intensidade da radiação incidente não-polarizada (ex.: luz natural) Intensidade da radiação ˆ polarizada ao longo de y : I  I 0 cos 2   I0 2 2  0 cos 2  d    I0 2 .

Ondas eletromagnéticas Polarizadores Visualização através de um polarizador: .

as direções de polarização dos filtros são  para o primeiro filtro e 90º para o segundo. quanto vale  ? . Se 10% da intensidade incidente é transmitida pelo conjunto.Ondas eletromagnéticas Problema 6 Um feixe de luz polarizada passa por um conjunto de dois filtros polarizadores. Em relação à direção de polarização da luz incidente.

9421  1  19. 1  1  0.1  0 . I 2  I1 cos2 (90   )  I 0 cos2  cos2 (90   ) I2  cos2  cos 90 cos  sen 90 sen 2  cos2  sen2  0. as direções de polarização dos filtros são  para o primeiro filtro e 90º para o segundo.1125  cos 2  0.3354 . quanto vale  ? dado: E  900 I2  0. Se 10% da intensidade incidente é transmitida pelo conjunto.775 x   2 2 x  cos2    2  70.1  0  x 2  x  0.8875  cos1  0. Em relação à direção de polarização da luz incidente.6 0.4 1  0.1 I0 I2 I1 I0 I1  I 0 cos2  .4 0.Um feixe de luz polarizada passa por um conjunto de dois filtros polarizadores.1 I0 cos4   cos2   0.

se k  k x ˆ . Frente de onda plana  kx  t  const.Ondas eletromagnéticas Reflexão e refração A frente de onda é o lugar geométrico dos pontos onde   k  r  t  const.

Ondas eletromagnéticas t  3t No vácuo c 1  0 0 1 t  2t Em meios materiais v  t  t t  cv Em geral  v(r )  1    (r ) (r ) frentes de onda raios .

. Depois de um intervalo de tempo t.Ondas eletromagnéticas Reflexão e refração: Princípio de Huygens Todos os pontos de uma frente de onda se comportam como fontes pontuais para ondas secundárias. a nova posição da frente onda é dada por uma superfície tangente a estas ondas secundárias.

Ondas eletromagnéticas Reflexão e refração: Princípio de Huygens .

edu.tw/ntnujava/viewtopic.phy.http://www.php?t=32 Ondas eletromagnéticas Reflexão e refração Índice de refração c n v v1 v2 .ntnu.

Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração
reflexão especular

BD v1t sin i   AD AD

AC v1t sin  r   AD AD

i   r
i r

Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração: reflexão especular x reflexão difusa

Ondas eletromagnéticas
Reflexão e refração: Lei de Snell
BD vi t sen i   AD AD
vt t AE sen t   AD AD

c ni  vi

v1
i

n1 sin 1  n2 sin  2
onde

t

1   i  2  t

v2

Ondas eletromagnéticas Reflexão e refração: Lei de Snell n1 sen  2  sen 1 n2 n1  n2  2  1 n1  n2 .

Ondas eletromagnéticas Reflexão e refração: Lei de Snell n1 sen  2  sen 1 n2 n1  n2  2  1 n1  n2  2  1 .

33. Mostre que o índice de refração n do vidro é dado por: 1 sen (ψ + Φ) 2 n= 1 sen (Φ) 2 Onde Φ é o ângulo do vértice superior do prisma e ψ é o ângulo de desvio. o ângulo de desvio tem o menor valor possível.Problema 7 (Cap. definido como o ângulo entre o raio emergente e o raio incidente.55) Na Fig. O ângulo de incidência θ é escolhido de tal forma que o raio emergente faz o mesmo ângulo θ com a normal à outra face. Ex. . (Nessas condições. 33-57 um raio incide em uma das faces de um prisma triangular de vidro imerso no ar. que é denominado ângulo de desvio minimo).

55) No ar n = 1 sen θ= n sen α →n= Do triângulo temos: sen θ sen α α+ ψ/2+ β= 90→β= 90− α− ψ/2 β+ ψ/2+ β+ ψ/2+ Φ= 180º →α= θ= α + ψ ϕ Φ ψ →θ= + 2 2 2 ϕ Φ 2 Substituindo temos: 1 sen (ψ + Φ) 2 n= 1 sen (Φ) 2 . Ex.33.Problema 7 (Cap.

Ondas eletromagnéticas Reflexão interna total Se a incidência se dá de um meio mais refringente para outro menos refringente. há um ângulo crítico acima 1 2 do qual só há reflexão. n1 sin 1  n2 sin  2 n1 sin  c  n2 sin 1  2  n2 2 1 n2 n1  n2   c  sin   n   1 c n1 > n 2 . n  n . ou seja.

Ondas eletromagnéticas Reflexão interna total: fibras ópticas .

se 1  2  n(1 )  n(2 ) Luz branca n1  n2  2  1 .Ondas eletromagnéticas Dispersão cromática n  n( ) n1 sen  2  sen 1 n2      E ( r . t )   E ( k ) sin( k  r   t ) k Em geral.

t )   E ( k ) sin( k  r   t ) k Em geral.Ondas eletromagnéticas Dispersão cromática n  n( ) n1 sen  2  sen 1 n2      E ( r . se 1  2  n(1 )  n(2 ) Luz branca n1  n2  2  1 n1  n2  2  1 .

Ondas eletromagnéticas Dispersão cromática: Formação do arco-íris ~ 42º .

Ondas eletromagnéticas Polarização por reflexão A luz refletida por uma superfície é totalmente polarizada na direção perpendicular ao plano de incidência quando B r n1  n2 refr i   refr  Então  2    r   refr   2    n1 sin i  n2 sin   i  2  n2 tan  i  n1  B : ângulo de Brewster n2  i   B  tan n1 1 .

0 cm abaixo da superfície de uma piscina. através do qual a luz emerge da água. na superfície. Calcule o diâmetro do círculo. .Ondas eletromagnéticas Problema 8 Uma fonte luminosa pontual está 80.

D  2R  1.0 cm abaixo da superfície de uma piscina.912 m . através do qual a luz emerge da água. d  0.33 h (d  R ) 0.752   2 2 1/2 nH 2O 1.Uma fonte luminosa pontual está 80.565 (d 2  R 2 )  R 2  0. na superfície.565) R 2  0.8 m h  d 2  R 2 1 / 2 R d h nH 2O sen c  nar sen 90  nar nar 1 R R sen c    0.824 m D  182 cm .565 (0.82 )  R 2 (1  0.832  R  0. Calcule o diâmetro do círculo.

5. n1 ou : n3  1 (ar também ) .33. Ex. Abaixo do material está o material 3. 33-66 um raio luminoso que estava se propagando inicialmente no ar incide em um material 2 com um índice de refração n2 = 1. Qual é o valor de n3? Pela definição do ângulo de Brewster nas duas interfaces: θ1 n1 θ2 θ2 (ar) tan(1 )  ou seja : mas : n2 . O raio incide na interface ar – material com o ângulo de Brewster para essa interface e incide na interface material 2 – material 3 com o ângulo de Brewster para essa interface.Problema 9 (Cap.70) Na Fig. n1 tan( 2 )  n3 n2 n3 n1 1 tan(1 ) n2 β tan(1 )  tan( 2 )  n3 2   2  1  tan( 2 )  n3 logo : 1 . com um índice de refração n3.