MÉTODOS QUANTITATIVOS

LOGÍSTICA MBA ESUDA – 4

LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES DE SERVIÇOS ( MODELO DE ARDALAN )

Pretende-se instalar um posto de venda de gás de cozinha em um dos locais no Bairro do Cordeiro na cidade do Recife em Pernambuco. Representados pelo esquema a seguir, numerados de 1 à 7. O diagrama mostra as principais rotas de acesso de um local no bairro à outro.

LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES DE SERVIÇOS ( MODELO DE ARDALAN )

Sobre cada rota, está identificado o tempo médio, partindo de um local e atingir outro imediatamente próximo. Em diversos casos , não há ligação direta entre dois locais, devendo-se passar pelo menos por um local intermediário.

É o caso, por exemplo para ir-se até o local 7 .
Partindo-se do local 1 : o caminho mais curto passa obrigatóriamente pelo local 2 .

Deve-se determinar qual o local mais conveniente para a instalação do posto de venda de gás de cozinha, com base no menor dos máximos tempos de acesso de um local aos demais.

7 minutos 3 6 minutos 2 minutos 5 minutos 6 2 minutos 1 7 minutos 4 minutos 2 minutos 5 minutos 2 7 4 5 . com base no menor dos máximos tempos de acesso de um local aos demais.Deve-se determinar qual o local mais conveniente para a instalação do posto de venda de gás de cozinha.

Tempos Mínimos de acesso ( minutos ) Para De 1 0 7 6 2 7 0 2 3 6 2 0 4 4 7 9 5 9 2 4 6 13 7 7 7 12 5 7 1 2 3 4 5 6 7 4 9 13 12 7 2 7 5 9 4 7 7 0 5 14 12 5 0 9 7 14 9 0 2 12 7 2 0 .

de cada local a outra qualquer.Da tabela anterior retira-se o tempo máximo de acesso . Assim. temos : LOCAL 1 TEMPO MÁXIMO 13 2 3 4 5 6 7 7 9 14 9 14 12 .

o local 2 para sediar o posto de venda de gás. por acrescentar o menor tempo de acesso entre todos os locais.Escolhe-se . portanto . .

Em muitos desses casos o roteirizador buscará efetuar o caminho mínimo necessário entre a origem ( ponto A ) e destino ( ponto B ). . visando mini mizar o custo de transporte. O início do trajeto é a partir da Central Logística da Rapidão Cometa em Muribeca. tem entregas para serem efetuadas entre uma origem e um destino.MÉTODO DO CAMINHO MÍNIMO Trata-se do método de buscar o caminho mínimo necessário entre origem e destino. Exemplo : A empresa de transporte de cargas Rapidão Cometa. passando por uma série de pontos de ao longo do percurso. visando encontrar o menor custo.

B 3 2 2 2 E 4 1 5 A 2 C 1 5 3 4 F 1 2 3 I 1 3 K J 6 D 3 1 2 G 2 4 H .A rede apresentada tem os custos alocados nas setas que ligam os pontos da rede.

temos os seguintes caminhos possíveis com seus respectivos custos.NOTA : nessa rede verificamos que existem deslocamentos que representam custos diferentes entre dois pontos ( por exemplo . que é 6 tanto para ir de J para K quanto para se ir de K para J. o deslocamento de A para B custa 2 . . na maioria das situações o custo do deslocamento entre dois pontos é o mesmo. mas o deslocamento inverso de B para A custa 3 ). Resolução : Não repetindo os pontos. como entre J e K .

OPÇÕES ABEIFCDGHJK CUSTO 28 ABECJHDGFIK ABFGDHJCEIK 22 28 AGDHJCFBEIK ADCJHGFBEIK 33 27 ADGHJCFBEIK ADGHJCEBFIK 30 29 Dos caminhos encontrados. . o que apresenta o menor custo é o ABECJHDGFIK.

Logo. o percurso de custo mínimo para as entregas a serem efetuadas é : B E A C F I K D G J H .

. As fábricas têm um nível máximo de produção baseado nas suas dimensões e nas safras previstas. Os custos em R$/t estão anotados em cada rota ( ligação entre as fábricas e depósitos ). minimizando o custo total do transporte.Exemplo ( ENADE – Administração 2006 ): A Cia de Produtos Vegetais – CPV possui duas fábricas que abastecem três depósitos . estudante de Administração. foi contratado pelo Departamento de Logística com a finalidade de atender a demanda dos depósitos sem exceder a capacidade das fábricas. José de Almeida.

00/t R$ 4.000 1 Oferta ≤ 2.500 2 Oferta ≤ 1.500 R$ 4.R$ 5.000 R$ 3.00/t 3 Demanda = 500 .00/t DEPÓSITOS 2 Demanda = 1.00/t R$ 5.00/t 1 Demanda = 1.00/t FÁBRICAS R$ 6.

500 unidades devem ser transportadas da Fábrica 1 para os Depósitos 1 e 2. III – 1. II – 2.000 unidades devem ser transportadas da Fábrica 2 para o Depósito 2. Apresenta(m) o(s) menor(es) custo(s) apenas a (s) situação (ões) (A) I (B) II (C) III (D) I e III (E) II e III . A demanda restante deve ser suprida a partir da Fábrica 1.000 unidades devem ser transportadas da Fábrica 2 para o Depósito1. A demanda restante deve ser suprida a partir da Fábrica1. A demanda restante deve ser suprida a partir da Fábrica 2.Em sua decisão ele considerou as seguintes situações: I – 1.

trabalhar com as probabilidades condicionais. O seu método consiste na partição do espaço amos tral em diversos sub-conjuntos cujas probabilidades sejam conhecidas e. tenha ocorrido. o reverendo Thomas Bayes apresentou um procedimento bastante importante para se calcular a probabilidade de um evento dado que um outro. A formula de Bayes é : P ( H i ) . em seguida. P ( A / H j) j . P ( A / H i) P ( H i / A ) = -----------------------------------------∑P ( H j) . relacionado de alguma maneira ao primeiro.Modelo Teorema das Hipóteses ( formula de Bayes ) Em 1763.

A regra de Bayes. .A formula H i . é o evento cuja probabilidade se deseja calcular dado que o evento A tenha ocorrido. H j representa genéricamente uma das “fatias” da partição do espaço amostral ( H i é uma dessas fatias ). como é conhecido o método. permite que se ajuste uma probabilidade a priori ( conhecida ) de um dado evento à luz de novas evidências envolvendo um outro evento que apresenta relação de dependência com o primeiro.

A probabilidade do veículo com sorvetes de chegar primeiro é de 90 % e a do veículo com refrigerantes é de 60%( por estar mais afastado da lanchonete ). Um dos veículos chegou ao ponto de venda. . atendem uma lanchonete no bairro de Boa Viagem.Exemplo : Dois veículos de entrega de produtos de conveniên cia ( sorvetes e refrigerantes ). Procurar a probabilidade de ter chegado o veículo com sorvetes.

as probabilidades eram as seguintes : H 1 : nenhum dos dois veículos chegarem a lanchonete P ( H 1 ) = 0.6 = 0.36 H 4 : só o veículo com refrigerantes chega a lanchonete P ( H 4 ) = 0.04 H 2 : os dois chegam a lanchonete P ( H 2 ) = 0.Antes do início dos deslocamentos dos veículos. 0.1 . 0.54 H 3 : só o veículo com sorvetes chega a lanchonete P ( H 3 ) = 0. 0. 0.06 .6 = 0.4 = 0.9 .9 .4 = 0.1 .

as probabilidades relativas às hipóteses H 3 e H 4 .As probabilidades condicionais do evento A ( chegada à lanchonete ) para essas hipóteses são : P(A/H1)=0 P(A/H3)=1 P(A/H2)=0 P(A/H4)=1 Portanto. P ( A / H 3) + P ( H 4 ) . sendo essas as únicas possíveis após a observação ( chegada à lanchonete ) são as seguintes : P(H3) . P(A/H3) P ( H 3 / A ) = ------------------------------------------------------------------------P ( H 3 ) . P ( A / H 4 ) .

P(H3).86 ou 86 % do caminhão de sorvetes chegar em primeiro à Lanchonete. . 1 P( H3/A) = 0. P ( A / H4 ) 0. 1 + 0.P(A/H3) P ( H 3 / A ) = -----------------------------------------------------------------------P ( H 3 ) . P ( A / H3 ) + P ( H 4 ) .14 ou 14 % do caminhão de refrigerantes chegar em primeiro à lanchonete. A probabilidade P ( H 4 / A ) é de 0.86 A probabilidade P ( H 3 / A ) é de 0. 1 P ( H 3 / A ) = --------------------------------------------0.36 .36 .06 .

levando a T = 6 dias úteis/semana ). n v : número de veículos em operação na frota de distribuição p : número de paradas ou visitas por roteiro. t : período de atendimento aos clientes. Seja: n Z : número de zonas em que a região deve ser dividida. isto é. N : número total de pontos a serem visitados num período t . visitando uma zona em cada viagem. a região atendida é submetida em zonas de entrega. o intervalo de tempo entre bi-semanais ( t = 14 ) T : total de dias úteis na semana ( usualmente. n R : número de roteiros que um veículo pode fazer por dia. atendendo a uma determinada região. trabalha-se aos sábados.DISTRIBUIÇÃO FÍSICA DOS PRODUTOS Uma empresa que distribui produtos a partir de um depósito. Normalmente . podendo ser para coleta ou entrega de produtos.

Cada roteiro compreende 20 pontos de parada. em média. cada veículo realize 2 roteiros por dia. que a região atendida tenha um total de 3. temos : nZ 180 n v = --------------------------n V = ----------------------------t 2 x 6 dias x14 dias n R x T x ----7 .Suponhamos.600 n Z = ----------. operando 6 dias por semana.= 180 zonas 20 Supondo que.600 pontos a serem visitados com freqüência bi – semanal ( t = 2 x 7 = 14 dias ) . O número de zonas é então : n Z N = --------p 3.

o número de zonas vai aumentar e o número de pontos de parada irá diminuir : t n Z =n V xn R xTx ------- 7 n z = 8 x 2 x 6 x 14 --------.= 192 zonas 7 .O número de veículos ( n de distribuição será : n V ) em operação na frota V 180 = --------------. Ao fazer isso.5 veículos 24 Arredondamos o resultado para 8 veículos.= 7.

Temos então. em média. .600 clientes p = -----------------------------. 192 zonas em lugar de 180 zonas anteriormente Calculadas. 18.= 18.7 clientes ( número de paradas para entrega ou coleta ) . Considerando : n N = ------------------p Z Temos : N p = --------------------nZ 3.7 clientes/ zona 192 zonas Em cada roteiro serão atendidos.

que entrega bebidas aos seus clientes no varejo a partir do seu Centro de Distribuição localizado no Distrito Indus ² trial . ZONA DE DISTRIBUIÇÃO C4 C3 C2 REGIÃO ATENDIDA DEPÓSITO C5 C1 . atendendo uma região de 830 km. sediada em Petrolina.DISTÂNCIA PERCORRIDA E TEMPO DE CICLO Exemplo: vamos considerar o caso da distribuidora Grande Rio .

dentro da zona de entrega.Condições . Paradas nos clientes para coleta ou entrega de bebidas Percurso de retorno. Cada roteiro de visitas é constituído pelos seguintes componentes : a) b) c) d) Um percurso desde o depósito até a zona de entrega ( dd ) . desde a zona de entrega até o depósito . Percursos diversos entre pontos de parada sucessivos.

o percurso de ida e volta até a zona de entrega é .Solução Passo 1 : a distância percorrida entre o depósito e a zona de entrega é de 11. zona de entrega = 2 x 11.6 km . portanto.3 km = 22.3 km.

√ A z xp) . K : coeficiente empírico.Passo 2 : Uma forma aproximada de estimar a distância total percorrida dentro da zona de entrega ( Antonio Novaes ) é através da fórmula dz =K ( α Onde : d z : distância total percorrida dentro da zona ( em km ) A z : área da zona atendida ( em km² ) p : número de pontos visitados na zona α : coeficiente de correção que transforma distâncias em linha reta em distância real.

. estradas ) e de tráfego ( mão e contra – mão ) na distância percorrida.765 α : leva em conta efeitos de sinuosidade das vias ( ruas .Passo 2 : Coeficientes K : ajustado empiricamente por pesquisadores diversos . obtendo-se o valor de K = 0. d : distância real ao longo do sistema viário d coeficiente α = ------------AB O valor de α será sempre igual ou maior que 1.

∑ (AB i ) x ( d i ) α = ------------------------∑ AB ²i i i Distância em linha reta ( euclidiana ) B A Distância real ( d ) euclediana vem de Euclides Geômetra da Grécia Antiga ( século III a.Passo 3 : Para se ter uma medida relativa de α torna-se conveniente levantar um conjunto grande de pares de pontos. calculando-se para cada par a distância em linha reta ( AB ) e o percurso real ao longo do sistema viário ( d ). ) . C.

Sendo AB i e d i os valores de AB e d encontrados para o par i ( i = 1.3. considerando pares de pontos distanciados a mais de 60 km entre si.. Antonio Novaes encontrou o valor α = 1.= 18.7 clientes 192 zonas . A fórmula estatística permite calcular α segundo a fórmula anterior. Sendo : N p = ---------nz 3.600 clientes p = ------------------------....11 ao analisar 110 ligações no Estado de São Paulo.. Para deslocamentos regionais na rede rodoviária..n ) .2..

A distância média entre o depósito e as zonas de entregas é igual a 11. Compõe-se de 192 zonas.tendo cada uma em média. 4. .32 km² de área. 18.Passo 4 : Suponhamos . que a região atendida pela empresa Grande Rio tenha 830 km ² de área.3 km.7 pontos ( clientes ) . Em cada zona são atendidos em média.

4 ) 7.2 km ( euclidiana ) .54 2 ( 2.2 ) 4.84 Sendo : dd : percurso do depósito até a zona de entrega dz : distância total percorrida dentro da zona Az : área da zona ( km ² ) p : número de pontos visitados na zona de entrega .= 1.2 x 3.48 α = ---------------------.Considerando distância média entre pontos de entregas em torno de 3.= ------------. teremos: ( 2.4 km é a distância média em linha reta de 2.

32 km ² p = 18.3 km K α = = 0.O percurso estimado para um roteiro de entregas qualquer é : D = ( 2 x dd ) + ( dz ) ou D = 2 dd + K . α Sendo : dd = 11.765 1.54 √A z x p A z = 4.7 pontos de paradas .

6 + 1.32 x 18.Então teremos : D = 2 ( 11.765 x 1.6 + 10.1781 x 8.54 D = 22.19 km .3 ) + 0.7 √ 80.784 D = 22.6 + 1.1781 x √ 4.98799 D = 22.59 D = 33.

o tempo necessário para realizar um roteiro completo de entregas ( ou coletas ). e vice-versa ( km / hora ) V z = velocidade média no percurso dentro da zona de entrega ( km / hora ) T p = tempo médio de parada em cada ponto visitado ( minutos ) . consideramos as seguintes variáveis : V d = velocidade média no percurso entre o depósito e a zona.Passo 5 : Para estimar o tempo médio de ciclo. isto é .

O tempo de ciclo . é dado por : 2 dd dz Tp T c = --------.+ -----.+ -----.5 minutos . em horas . vamos considerar ( distribuição urbana ) Vd = 30 km / hora Vz = 27 km / hora Tp = 7.x p Vd Vz 60 No exemplo .

7 30 27 60 ( 22.39 + 2.5 ) Tc = ---------------------.25 ) Tc = -------------.x 18.O tempo estimado de ciclo é dado então por : ( 2 x 11.75 Tc = 3.34 ≈ 3.5 horas Tc = 3 horas e 30 minutos .48 + 0.59 ) ( 7.6 ) ( 10.+ ----------------30 27 60 Tc = 0.59 ) ( 140.+ ----------------.3 ) ( 10.+ ------------.+ ----------------.

Passo 6 : No dimensionamento de um sistema de distribuição física . b ) na situação de zonas bem mais distantes.versa ( produção menor em relação a clientes visitados em zonas mais próximas ao depósito ). os veículos gastam um tempo signitivamente maior para se deslocar do depósito à zona. é necessário considerar ainda alguns aspectos importantes : a ) no caso de regiões relativamente grandes atendidas por um único depósito ( há zonas do depósito e outras bem mais distantes ). e vice . .

d ) a capacidade física dos veículos é um dos aspectos que devem receber a devida atenção no dimensionamento das zonas de distribuição.c ) é necessário um ajuste compensatório. aumentando-se as áreas das zonas mais próximas e diminuindo-se as das zonas ditantes. .

marciliocunha.com.br .br marciliocunha@marciliocunha.www.com.