TECIDO MUSCULAR

Responsável pelos movimentos corporais.

Características
 Origina-se

do mesoderma;  Presença de proteínas filamentosas contráteis (miofibrilas);  Componentes recebem nomes especiais: sarcolema (MP), sarcoplasma (citoplasma) e reticulo sarcoplasmático (REL).

Classificação
 Músculo

estriado esquelético;  Músculo estriado cardíaco;  Músculo liso.

Músculo estriado esquelético
 São

formados por feixes de células longas, cilíndricas e multinucleadas, que tem origem no embrião através de células alongadas, os mioblastos;  Cada fibra muscular apresenta uma terminação nervosa motora (placa motora).  Possuem envoltórios: epimísio, endomísio e perimísio.

As miofibrilas contêm quatro proteínas principais:  Actina:

Actina F formada por monômeros globulares (actina G), torcidas uma sobre a outra em forma de hélice dupla; Possui uma região que interage com a miosina;
Molécula longa e fina; Localiza-se no sulco existente entre os dois filamentos de actina G;

 Tropomiosina:
 

   

Troponina:  Possui três subunidades: TnT, que se liga fortemente à tropomiosina; TnC, que tem grande afinidade por íon cálcio; TnI, que cobre o sítio ativo onde ocorre interação entre a actina e miosina; Miosina:  Molécula grande, em forma de bastão;  Em uma de suas extremidades, possui locais específicos para a combinação com ATP e é dotada de atividade ATPásica;  Nesta parte também se encontra o local de combinação com actina;

Contração muscular

Placa Motora e Unidade Motora

Uma junção neuromuscular (ou junção mioneural) é a junção entre a parte terminal de um axónio motor com uma placa motora (ou sinapse neuromuscular), que é a região da membrana plasmática de uma fibra muscular (o sarcolema) onde se dá o encontro entre o nervo e o músculopermitindo desencadear a contração muscular. É a fibra nervosa mais as fibras musculares por ela inervada.

Visão global da junção neuromuscular: 1. Axônio 2. Placa motora 3. Fibra muscular 4. Miofibrila

Músculo estriado cardíaco
É

constituído por células alongadas que se anastomosam irregularmente;  Apresentam estriações transversais semelhantes a do músculo esquelético;  Possuem um ou dois núcleos localizados centralmente;  São revestidos por uma delgada bainha de tecido conjuntivo muito irrigado;  Presença de díades.

Músculo liso

  

Formado por associação de células longas, fusiformes, com núcleo único e central; São revestidas por lâmina basal e mantidas unidas por uma rede muito delgada de fibras reticulares; O sarcolema apresenta grande quantidade de vesícula de pinocitose; Os filamentos de actina e miosina não apresentam organização encontrada nas fibras estriadas; Apresentam feixes de miofilamentos que se cruzam em todas as direções formando uma trama tridimensional; A miosina da célula lisa só interage com a actina quando a miosina está fosforilada.

Regeneração

O músculo cardíaco não se regenera. Nas lesões do coração, as partes destruídas são invadidas por fibroblastos que produzem fibras colágenas, formando uma cicatriz de tecido conjuntivo denso. O músculo liso é capaz de uma resposta regenerativa mais eficiente. Ocorrendo lesão, as células musculares lisas que permanecem viáveis entram em mitose e reparam o tecido destruído. Na regeneração do tecido muscular liso da parede dos vasos sanguíneos há também a participação dos pericitos, que se multiplicam por mitose e originam novas células musculares lisas.

O músculo estriado esquelético tem pequena capacidade de regeneração. Admite-se que as células satélites sejam responsáveis por esta regeneração. Tais células são mononucleadas, fusiformes, dispostas paralelamente às fibras musculares dentro da lâmina basal. Após uma lesão,as células satélites tornam-se ativas, proliferam por divisão mitótica e se fundem umas às outras para formar novas fibras musculares esqueléticas. As células satélites também entram em mitose quando o músculo é submetido a exercício intenso. Neste caso elas se fundem coma s fibras musculares preexistentes, contribuindo para a hipertrofia do músculo.