You are on page 1of 13

Crimes contra a dignidade sexual Aspectos controvertidos decorrentes da vigência da Lei n. 12.

015/2009

§ 1o Se da conduta resulta lesão corporal de natureza grave ou se a vítima é menor de 18 (dezoito) ou maior de 14 (catorze) anos: Pena . de seis a dez anos. de 12 (doze) a 30 (trinta) anos . • Art. Parágrafo único. mediante violência ou grave ameaça: Pena .reclusão.Constranger mulher à conjunção carnal. mediante violência ou grave ameaça. de 8 (oito) a 12 (doze) anos. 223 – Se da violência resulta lesão corporal de natureza grave: Pena – reclusão.reclusão. § 2o Se da conduta resulta morte: Pena . de oito a doze anos. Se do fato resulta morte: Pena – reclusão de doze a vinte e cinco anos.ESTUPRO Como era: • Art. de 6 (seis) a 10 (dez) anos. a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso: Pena . 213 . 213.reclusão. Como ficou: • Art. Constranger alguém.reclusão.

(revogado pela Lei n.015/09) .Constranger alguém. mediante violência ou grave ameaça.Inovação • Integrou no mesmo tipo penal o “antigo” atentado violento ao pudor Art. 214 .reclusão. a praticar ou permitir que com ele se pratique ato libidinoso diverso da conjunção carnal: Pena . de seis a dez anos. 12.

Consequências • Sujeito ativo: passou a ser qualquer pessoa. • Sujeito passivo: igualmente passou a ser qualquer pessoa. • Elementos do tipo objetivo: ter conjunção carnal . praticar ou permitir que com ele se pratique ato libidinoso diverso • Interpretação analógica • Qualificadoras • Causas de aumento de pena • Concurso de crimes .

Classificação do tipo penal diante da nova estrutura típica • Tipo misto de conteúdo alternativo » OU • Tipo misto de conteúdo cumulativo » ou • Tipo penal que admite as duas construções .

71. 12. se num mesmo contexto.015/09 era no sentido de que havia concurso material (art. 69.Relevância da adoção de um ou outro entendimento • A jurisprudência majoritária anterior à Lei n. CP) entre o estupro e o atentado violento ao pudor. • A jurisprudência majoritária não admitia a continuidade delitiva (Art. • Assim. CP) nestes caso. o agente praticasse sexo vaginal e anal com a mesma vítima haveria dois crimes e as penas seriam somadas. .

reclusão. Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos: Pena . 224. de 8 (oito) a 15 (quinze) a . • Utilizava-se a combinação do art. 214 com os dispositivos do art. incapaz ou quem não pudesse oferecer resistência) • Art. que eram ficticiamente denominado casos de “presunção de violência” (menor de catorze anos. 217-A.Estupro de vulnerável Como ficou Como era • Não havia uma figura típica específica para esses casos. 213 e art.

por qualquer outra causa. não tiver o necessário discernimento para a prática do ato. de 12 a 30 anos. . § 4º Se da conduta resulta morte: Pena – reclusão. de 10 a 20 anos. não possa oferecer resistência. • § 2º vetado • § 3º Se da conduta resulta lesão corporal de natureza grave: Pena – reclusão.Figura equiparada • § 1º Incorre na mesma pena (8 a 15 anos) quem pratica as ações descritas no caput com alguém que por enfermidade ou deficiência mental. ou que.

9º As penas fixadas no art. estando a vítima em qualquer das hipóteses referidas no art. 214 e sua combinação com o art. 224 também do Código Penal. Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com alguém.Consequências • Ato sexual com menor no dia em que completa catorze anos? • Questão de direito intertemporal “Art.reclusão. 215. caput e sua combinação com o art.” • Questão da incapacidade relativa e o crime de violação sexual mediante fraude • Art. todos do Código Penal. 223. de 2 (dois) a 6 (seis) anos . caput e seus §§ 1º. § 2º. mediante fraude ou outro meio que impeça ou dificulte a livre manifestação de vontade da vítima: Pena . 157. 213. caput e parágrafo único. 159. são acrescidas de metade. caput e parágrafo único. 2º e 3º. respeitado o limite superior de trinta anos de reclusão. § 3º. 158. 6º para os crimes capitulados nos arts. 223.

de 2 (dois) a 5 (cinco) anos.reclusão.reclusão.Corrupção de menores – abolitio criminis • Redação anterior Art. (vetado). 218. . com ela praticando ato de libidinagem. Induzir alguém menor de 14 (catorze) anos a satisfazer a lascívia de outrem: Pena . 218 .Corromper ou facilitar a corrupção de pessoa maior de 14 (catorze) e menor de 18 (dezoito) anos. ou induzindo-a a praticá-lo ou presenciá-lo: Pena . • Redação atual Art. de um a quatro anos. Parágrafo único.

§ 2o Incorre nas mesmas penas: I .quem pratica conjunção carnal ou outro ato libidinoso com alguém menor de 18 (dezoito) e maior de 14 (catorze) anos na situação descrita no caput deste artigo.o proprietário. 218-B. impedir ou dificultar que a abandone: Pena . aplicase também multa. II . facilitá-la. § 1o Se o crime é praticado com o fim de obter vantagem econômica. constitui efeito obrigatório da condenação a cassação da licença de localização e de funcionamento do estabelecimento . § 3o Na hipótese do inciso II do § 2o. de 4 (quatro) a 10 (dez) anos. não tem o necessário discernimento para a prática do ato.reclusão. Submeter.Sexo consentido com menor de 18 e maior de 14 anos “Favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Art. por enfermidade ou deficiência mental. induzir ou atrair à prostituição ou outra forma de exploração sexual alguém menor de 18 (dezoito) anos ou que. o gerente ou o responsável pelo local em que se verifiquem as práticas referidas no caput deste artigo.

225 . 225. mediante ação pública: I .No caso do nº I do parágrafo anterior. Parágrafo único. Nos crimes definidos nos Capítulos I e II deste Título. § 2º . procedese mediante ação penal pública condicionada à representação. tutor ou curador. ou da qualidade de padrasto. a ação do Ministério Público depende de representação. entretanto.Ação Penal • • Capítulo IV – Disposições gerais Art.se a vítima ou seus pais não podem prover às despesas do processo.Nos crimes definidos nos capítulos anteriores. • • Capítulo IV – Disposições gerais Art.Procede-se. II .se o crime é cometido com abuso do pátrio poder. sem privar-se de recursos indispensáveis à manutenção própria ou da família. mediante ação penal pública incondicionada se a vítima é menor de 18 (dezoito) anos ou pessoa vulnerável . somente se procede mediante queixa. Procede-se. § 1º . entretanto.

a ação penal é pública incondicionada. cabe ação pública em relação àquele. desde que. .Súmula 608 – No crime de estupro. em relação a qualquer destes. por si mesmos. constituem crimes.Soluções apontadas • A ação penal no crime complexo Art. praticado mediante violência real. se deva proceder por iniciativa do Ministério Público.Quando a lei considera como elemento ou circunstâncias do tipo legal fatos que. 101 . STF .