You are on page 1of 22

AMBIENTE MULTIMÍDIA DE SUPORTE À DISCIPLINA DE

PÓS-GRADUAÇÃO

FERRAMENTAS DE DIAGNÓSTICO DE MÁQUINAS
Mauro Hugo Mathias
Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá
Programa de Pós-graduação em Mecânica
Área de Projetos
Conteúdo do capítulo
Neste capítulo efetuaremos o estudo de:
3.1 - Avaliação de falhas com o uso de técnicas do domínio do tempo;
3.2 - Avaliação de falhas com o uso de técnicas do domínio da freqüência;
3.3 - Avaliação de falhas com o uso de técnicas do domínio tempo-
freqüência;
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
AMBIENTE MULTIMÍDIA DE SUPORTE À DISCIPLINA DE
PÓS-GRADUAÇÃO

FERRAMENTAS DE DIAGNÓSTICO DE MÁQUINAS
Capítulo 3.1 – Avaliação de falhas com o uso de técnicas no domínio
do tempo
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações:
A medição de nível global é um método de análise aproximado da condição
da máquina através do sinal de vibração, mensurando a amplitude do sinal,
avaliada de diferentes formas.
• O valor RMS ou valor eficaz que mede a energia da vibração;
• O valor de pico-a-pico, que mede a amplitude máxima da onda
fundamental. Esta medida é bastante útil quando a amplitude de
deslocamento constitui um parâmetro crítico em relação às restrições de
carga máxima.
• O valor de pico, ou de crista, parâmetro útil para identificar eventos de
curta duração, como choques de curta duração, por exemplo.
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações:
Quando alguma característica mecânica é alterada as solicitações sobre os
elementos mecânicos são alteradas modificando as freqüências que
compõe a vibração do sistema.
O desgaste, presença de trincas, folgas, alterações no acoplamento,
dentre outros fenômenos são alterações mecânicas que interferem na
solicitação mecânica dos componentes e geram freqüências que se
propagam pela estrutura do sistema alterando a vibração global
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações:
Este tipo de medição precisa de um valor de referência para identificação
dos pontos de alarme pois a base de comparação passa a ser a própria
máquina.
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
Parâmetros calculados a partir do sinal no domínio do tempo:
• Valor RMS (Root Mean Square)
• Valor de pico (Peak-Value)
• Fator de Crista (Crest-Factor)
• Curtose (Kurtosis)
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
• Valor RMS (Root Mean Square)
O valor médio quadrático (RMS) é utilizado para indicar o nível de energia
das vibrações do equipamento:


n = número de ponto do sinal x
i
(t) = sinal da vibração medido
O valor RMS é uma medida simples da energia da vibração, podendo ser
utilizado para indicar deterioração das condições do equipamento.
O valor RMS sofre poucas alterações nos estágios iniciais dos danos nos
elementos mecânicos, pois a energia total do sinal permanecerá
praticamente inalterada.
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
¿
}
= · ÷
= =
n
i
i
T
T
x
n
dt t x
T
RMS
1
2
0
2
1
) (
1
lim
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
• Valor RMS (Root Mean Square)
Com a progressão da falha o valor RMS tende a aumentar pois o numero
de picos no sinal cresce, desta forma é possível utilizar níveis de alarme
para manutenção:




O monitoramento do equipamento através do valor RMS deve sempre
considerar dados históricos para permitir uma avaliação dos pontos de
parada e alarme.
3 - Ferramentas de diagnóstico de falhas
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
• Valor de pico (Peak-Value)
O valor de pico é o valor da maior amplitude presente no sinal.
Quando seu valor aumenta é um indicativo de que impactos começaram a
surgir no equipamento com uma possível falha futura.
Geralmente seu valor aumenta antes do valor RMS, pois o valor de pico é
pontual, já o valor RMS depende da energia global do sinal e demora mais
para ser alterado.
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
• Fator de Crista (Crest-Factor)
É a relação entre o valor de pico e o valor RMS:


Conforme o início e a progressão da falha o fator de crista pode exibir
aumentos abruptos, causados pelo aumento de um defeito localizado
(aumenta o valor de pico, mas o valor RMS permanece praticamente o
mesmo), sendo possível utilizá-lo como um indicador de monitoramento do
surgimento de um defeito.
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
RMS
Pico de Valor
Crista de Fator =
RMS
Pico de Valor
Crista de Fator =
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
• Relação entre Valor RMS, Fator de Crista e valor de Pico:

3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
• Curtose (Kurtosis)
A curtose é definida como sendo o valor do quarto momento estatístico da
função distribuição da densidade de probabilidade:



Para mancais de rolamento o valor da curtose varia conforme o progresso
da falha, sendo que cresce rapidamente quando a falha se inicia e continua
crescendo até certa fase do progresso da falha, quando então com o
aumento do valor RMS a curtose pode ser reduzida.
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
( )
( )
2
1
2
1
4
1
1
|
.
|

\
|
÷
÷
=
¿
¿
=
=
n
i
i
n
i
i
X X
n
X X
n
K
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações -
Exercício prático
Nos discos serão
acopladas massas para
induzir desbalanceamento
no eixo em 5 condições:
• Massas opostas a 180º
(sem desbalanceamento)
• Massas a 135º, 90º e
45º
•Massas lado a lado
(situação mais crítica)
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações -
Exercício prático
Massas opostas a 180º
(sem desbalanceamento):
* Esta seria a assinatura inicial “Baseline” da máquina,
contra a qual os níveis de alarme seriam definidos.
m/s
2
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações -
Exercício prático
Massas opostas a 135º:
m/s
2
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações -
Exercício prático
Massas opostas a 90º:
m/s
2
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações -
Exercício prático
Massas opostas a 45º:
m/s
2
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações -
Exercício prático
Massas opostas a 0º
(massas lado a lado)
m/s
2
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações -
Exercício prático
Distribuição das massas:
Monitoramento de desbalanceamento por Valor RMS
0
0,01
0,02
0,03
0,04
0,05
0,06
Posição das massas
V
a
l
o
r

R
M
S
Valor RMS 0,0318 0,0357 0,0449 0,0483 0,0496
180º 135º 90º 45º 0º
Baseline
180º
135º
90º
45º

m/s
2
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações -
Exercício prático
Monitoramento de desbalanceamento por Valor RMS
0
0,01
0,02
0,03
0,04
0,05
0,06
Posição das massas
V
a
l
o
r

R
M
S
Valor RMS 0,0318 0,0357 0,0449 0,0483 0,0496
180º 135º 90º 45º 0º
Baseline
• Uma máquina nova teria
repetidas medições com
amplitude igual a do Baseline;
• Um nível de alarme especificado
pelo usuário ou pelo fabricante da
máquina poderia ser usada para
identificar o ponto correto de
parada
3.1 – Avaliação de falhas com técnicas do domínio do tempo
3 – Ferramentas de diagnóstico de falhas
• Monitoramento de máquinas utilizando valor global de vibrações -
Exercício prático para o aluno
• Com base nos sinais fornecidos do exemplo acima, elaborar rotina em
um dos softwares a seguir para cálculo dos parâmetros RMS, valor de
pico, Fator de Crista e Curtose.
• Softwares que podem ser utilizados: Matlab, Scilab, Octave ou
Labview
• Os sinais estão disponíveis na base de dados do Teleduc