O Transformador

Isabel Lopes Nº2
Máquinas eléctricas 08/12/2012

História

Tipos

relação de transformação

Transformadores elevadores, elevam a tensão do primário, a tensão no secundário tem valor superior à do primário (a ˂ 1) Transformadores abaixadores, baixam a tensão do primário, apresentam uma tensão no secundário inferior à do primário (a ˃ 1) Transformadores de isolamento quando a tensão de alimentação è igual à tensão a fornecer (a = 1)

Transformadores abaixadores
Mais espiras no primário que no secundário

Transformadores elevadores

Mais espiras no secundário que no primário

Número de fases

material do núcleo

monofásicos (uma fase) polifásicos

Transformadores com núcleo ferromagnético Transformadores com núcleo de ar

Transformador monofásicos
São transformadores que apresentam somente uma fase na tensão de entrada. E tem apenas uma fase na saída.
 

Um núcleo de ferro Enrolamentos (primário e secundário) Isolamento entre os enrolamentos e núcleo

Transformador Trifásico

Para transformação de um sistema trifásico, pode ser utilizado o agrupamento de três transformadores monofásicos. Os três enrolamentos primários serão alimentados pelo sistema e agrupados em estrela ou triangulo. Dos três enrolamentos secundários que também são interligados em estrela ou triangulo sai a linha trifásica apresentando um defasamento esperado de 120º.

Quanto a finalidade

Transformadores de corrente

é um dispositivo que reproduz no seu circuito secundário, uma amostra da corrente que circula no enrolamento primário. Esta corrente tem proporções definidas e conhecidas, sem alterar sua posição vectorial. Esta aplicação é largamente utilizada em circuitos de medição, onde seria economicamente inviável medir utilizando equipamentos para altas correntes.

Quanto a finalidade

Transformadores de potencia

REDUZIR A TENSÃO A VALORES CONVENIENTES PARA:  Medição  Proteção

Quanto a finalidade

Transformadores de força

Para distribuição de energia ao consumidor final (concessionárias de energia, cooperativas, instaladoras e empresas de modo geral)

Transformador ideal
Os transformadores podem ser representados por um modelo idealizado, levando ao que se convencionou chamar transformador ideal.

Para considerar um transformador ideal, as seguintes hipóteses devem ser assumidas:

 

todo o fluxo deve estar confinado ao núcleo e enlaçar os dois enrolamentos; as resistências dos enrolamentos devem ser desprezíveis; as perdas no núcleo devem ser desprezíveis; a permeabilidade do núcleo deve ser tão alta que uma quantidade desprezível de fmm é necessária para estabelecer o fluxo.

Relações de tensão

  

ep = tensão na bobina do primário. es = tensão na bobina do secundário. Np = número de espiras da bobina do primário. Ns = número de espiras da bobina do secundário. A razão entre o número de espiras do primário com o número de espiras do secundário é igual à razão da tensão no primário com a tensão do secundário.

Transformador

PRIMÁRIO - Enrolamento que recebe a tensão de alimentação. SECUNDÁRIO - Enrolamento onde se desenvolve a f.e.m. induzida que vai alimentar os aparelhos de utilização. NÚCLEO - Peça ferromagnética que serve de caminho magnético às linhas de força, e sobre o qual estão instaladas as bobinas do secundário e do primário.

Funcionamento

Quando uma bobina é conectada a uma fonte de CA, um campo magnético variável surge ao seu redor. Se outra bobina for aproximada da primeira, o campo magnético variável gerado na primeira bobina corta as espiras da segunda bobina.

Em consequência da variação do campo magnético sobre as espiras, surge uma tensão induzida na segunda bobina. A bobina na qual se aplica a tensão CA é denominada primário do transformador. A bobina onde surge a tensão induzida é denominada secundário do transformador.

As bobinas primária e secundária são electricamente isoladas entre si. A transferência de energia de uma para a outra se dá exclusivamente através das linhas de forças magnéticas (acoplamento magnético).

A tensão induzida no secundário é proporcional ao número de linhas magnéticas que cortam a bobina secundária e ao número de suas espiras. Por isso, o primário e o secundário são montados sobre um núcleo de material ferromagnético

O núcleo tem a função de diminuir a dispersão do campo magnético, fazendo com que o secundário seja cortado pelo maior número possível de linhas magnéticas. Como consequência, obtém-se uma transferência melhor de energia entre primário e secundário.

Representação esquemática

Os traços colocados no símbolo entre as bobinas do primário e secundário indicam o núcleo de ferro laminado.

Os transformadores com mais de um secundário

Os transformadores com mais de um secundário permitem a disponibilização de vários níveis de tensão eléctrica no seu secundário, a mesma filosofia se aplica para o circuito do primário.

PERDAS DO TRANSFORMADOR

Perdas no ferro

correntes de Foucault Quando o primário é ligado a uma fonte de corrente alternada, gera-se uma corrente no núcleo devido ao fluxo magnético variável, pois ele se comporta como uma espira em curtocircuito. Esta corrente parasita circulando pelo núcleo é denominada de Foulcaut e provoca o aquecimento do transformador. histerese no circuito magnético Devido a haver um atraso na indução em relação ao campo magnético, quando a corrente eléctrica passa do valor máximo para o valor zero, o campo magnético também passa, mas a indução mantem um valor residual ou permanente, isto provoca perdas no ferro, pois precisamos gastar energia para desmantar o ferro, a perda por histerese aumenta com a frequência dificultando a construção de transformadores para altas frequências, ela também aumenta com a indução.

Perdas no cobre : Devido a resistência ohmica do cobre temos perda de potência no cobre, a resistência ohmica do cobre contribui para o aquecimento do transformador.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful