You are on page 1of 68

NATUREZA DAS RADIAÇÕES NUCLEARES E SUAS CARACTERISTICAS

ANA MENDONÇA BIOFÍSICA-UFPE

Os modelos atômicos
• 1911 – Modelo de Rutherford
Muitas partículas atravessaram a folha em linha reta

Poucas partículas refletiram

O espaço vazio era muito maior que o espaço ocupado

Os modelos atômicos

A descoberta dos prótons e elétrons para os cientistas Modelo planetário

O átomo de RUTHERFORD, 1911

1932 – a descoberta dos nêutrons, CHADWICK

Os modelos atômicos  Modelo atual – Rutherford e Bohr • Nuclídeo 1 1 H 18 8 O dez mil vezes menor que o átomo .

Estrutura Nuclear NUCLEONS .

60210 x 10 -19 xxxxxxxxx REPRESENTAÇÃO DE UM ATOMO A XZ A= numero de nucleons (A = Z +N) X = elemento considerado OBS: padrão de medida de massa atômica é o 12C 1 ev = variação de energia cinética de um elétron submetido a uma ddp de 1 volt.0087 uma uma Carga (C) .486 x 10-4 uma 1. Gev) 1 ev = 1.60210 x 10 -19 + 1. (Kev.0073 1.1.Estrutura Nuclear Partícula Elétron Próton Nêutron Massa 5.6 x 10-19 J . Mev.

A diferentes e mesmas propriedades químico ISOBAROS = mesmo no. Átomo nêutrons = o no. de prótons = no. de elétrons Energia de ligação nuclear Forças intranucleares= atuam apenas dentro do núcleo. (mesons) Estabilidade nuclear Barreira de potencial . de A e Z mas diferentes níveis energéticos. Z ISOMEROS = mesmo no. de A e diferentes no.Estrutura Nuclear ISOTOPOS= Z IGUAIS.

Z=N ATOMOS PESADOS A = deve ser maior que 2 x o no de carga CAUSAS DA INSTABILIDADE NUCLEAR •Agitação nuclear constante •Desproporção de prótons e nêutrons •Expulsão da partícula alfa EMISSÃO DE RADIAÇÃO .Estrutura Nuclear ESTABILIDADE NUCLEAR  ATOMOS LEVES   A = 2 x Z ou seja.

RADIOATIVIDADE .

Descoberta da radioatividade • 1896 – Antonie Henri Becquerel Minério uranita (sulfato de urânio e potássio) .

Descoberta da radioatividade  1898 – o casal Curie estudando Polônio e Rádio observou a mesma emissão espontânea do Urânio. RADIOATIVIDADE Casal Curie .

ex: 17O8 . Corpos radioativos artificiais. Tório. Polônio.. se modifica por meio da cessão de energia em forma de partículas ou radiações eletromagnéticas.. Rádio. Corpos radioativos naturais.ex: Urânio. Radioatividade Conceito: Fenômeno pelo qual um núcleo atômico. espontaneamente.

RADIOATIVIDADE .

.

retilíneas e curtas  São facilmente absorvidas pela matéria. Possui estrutura exatamente igual ao núcleo do Hélio. Representação:  42 CARACTERÍSTICAS GERAIS:  Possui grande poder de ionização (60.  Não conseguem penetrar nossa pele. porém se ingeridas podem causar danos aos tecidos internos. podendo serem detidas por uma folha de papel. .000 pares de íons/mm)  Pequena capacidade de penetração na matéria  Fazem trajetórias espessas.Radiações particuladas   Partícula Alfa(  ) Formadas por 2 prótons e 2 nêutrons associados.

Tório. são formadas no núcleo e expelidas Exemplos: 226Ra 222Rn * +  +  88 86 238U 234 Th ++ 92 239Pu 235U ++ 94 212Po 208Pb + 84  . Netúnio e 148Sm62 (samário) e alguns terras raras Tem todas a mesma energia.São produzidas por elementos de elevado número atômico (família radioativa – urânio. Actínio.

Representação: +. - Características:  São capazes de penetrar alguns milímetros de alumínio  Os emissores de beta podem ser corpos naturais ou artificiais  São partículas menos ionizantes que as alfas. são altamente energética.Partícula Beta ()   São partículas idênticas aos elétrons. pois tem massa e volume desprezíveis  As trajetórias são tênues. . delgadas e tortuosas  Somente lâminas metálicas de certas espessuras conseguem detê-las. porém são mais penetrantes. emitidas pelo núcleo com velocidade que podem atingir até quase a velocidade da luz.

Radiação Gama ( )  A radiação gama não surge isoladamente mas sempre. É extremamente penetrante. Possui trajetórias tênues. porém pouco ionizante. se sucede a emissão  ou .       . Representação : 0 Características gerais. Esta energia é geralmente emitida em tempo extremamente curto após a expulsão da partícula. tortuosas e muitas vezes ramificadas Possui a velocidade da luz Somente pode ser detida por espessas camadas de chumbo ou concreto.

 A relação N/P diminui  Núcleo ricos em nêutrons  Ex: I-127 ( 53 prótons e 74 nêutrons)  I -131 ( 78 nêutrons  .Decaimentos   Decaimento Alfa  A energia de transição corresponde à energia cinética da radiação alfa e a energia liberada na forma de radiação gama.+ antineutrino+  A desvantagem dos emissores  é alta dose para o paciente. .  Indesejáveis para aplicações diagnósticas Decaimento por negatron  Conversão de um nêutron em um próton + antineutrino.)   com 6 energias diferentes + 19  364Kev  A energia de transição é liberada na forma de energia cinética do .

Decaimento por pósitron e Captura eletrônica  Pósitron    Ocorre em nuclídeos pobres em nêutrons Decaimento: + +  + neutrino A energia mínima de transição requerida para o decaimento por pósitron é 1.  Captura eletrônica   . Núcleos pobres em nêutrons e energia de transição menor que 1.02 Mev.02 Mev. O életron da camada K é incorporado ao núcleo  raios X característicos.

não altera o número atômico.Decaimento  Tipos:   ou  +    ou  +    TRANSIÇAÕ ISOMÉRICA É a transição do estado metaestável para o basal .      Tc 99m ocorre do decaimento do Mo-99 T1/2 = 6 horas tempo que permite separar o radionuclídeo metaestável do radionuclídeo pai e a sua aplicação para imagens clínicas. Radiação pura não associada a partículas Baixa energia Baixas doses de radiação para o paciente .

Origina-se de núcleos instáveis excitados Ocorre em larga escala de energia. Energia superior a 400 KeV  eficiência da gama-câmera. As energias de maior aplicabilidade em imagens convencionais de fóton-único em aplicações clínicas variam entre 80 e 400 KeV. Os fótons de 511 keV  aniquilação de pósitron e negatron  PET OBS: radiação característica = raios X característicos. Abaixo de 80 KeV trazem dificuldades.atenuação e espalhamento.        .Emissão gama () A emissão de fótons  acompanha as emissões  e .

Radiação alfa Radiação beta .

Decaimentos  e   Négatron .

Ana Mendonça .Dra.UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE BIOFÍSICA E RADIOBIOLOGIA RADIOATIVIDADE 2 Profa.

Átomo → Íon positivo  Não ionizantes  Excitação da matéria (estado mais elevado de energia) .arrancam elétrons do átomo A interação das radiações ionizantes com a matéria  Transferência de energia para o meio irradiado Íon: ·ganhou ou perdeu ē.Radiações  De acordo com efeitos provocados na matéria  Ionizantes .

raios-X. nêutrons.Radiações  Radiações eletromagnéticas (EM) :  Raios cósmicos. prótons. raios Gama. partículas Beta e alfa . luz visível  Radiações corpusculares:  Elétrons.

Introdução ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO DAS RADIAÇÕES .

.Espectro eletromagnetico  Conceito de ondas eletromagnéticas (EM)  São produzidas por vibrações de partículas que possuem cargas (propriedades elétricas e magnéticas).

Espectro eletromagnético   Comprimento Frequência   Quantidade de picos que passam num determinado tempo (seg) – Hertz Ondas de radio = baixa frequência. grande comprimento e baixa energia .

Propriedades das ondas .

Espectro eletromagnético Comprimento de ondas são refletidos e outros são absorvidos Aplicação: identificar composição química. Temp 1nm= dividir o metro em um bilhão de vezes . densidade.

aumenta nível de energia • NÃO é ejetado Radiação Ionizante IONIZAÇÃO • energia suficiente para EJETAR e- .Radiação Radiação Não-Ionizante EXCITAÇÃO • e.

Radiações ionizantes RADIAÇÃO .

.Interação da radiação com a matéria    Interação da partícula alfa: Excitação Ionização (primária e secundária).transferência de energia para o meio.

Interação da radiação com a matéria    Interação do négatron (-): Repulsão Négatron (-) repele elétrons (produzindo íons)   Interação do pósitron(+): Aniquilação da matéria  Pósitron (+) ao se chocar com négatron (-)   .

Interação da radiação com a matéria  Raios  EM que acompanham transições nucleares  Raios X Acompanham transições eletrônicas  Interação da radiação gama e X :    Efeito fotoelétrico Efeito Compton Formação de pares (inverso da aniquilação) .

Efeito fotoelétrico   ou X transfere sua energia total para um único ē orbital ejetando-o do átomo (ionização).  O ē ejetado é o fotoelétron e poderá perder a energia recebida. produzindo ionização em outros átomos .

Efeito Compton  Maior energia Radiação de  Parte da energia incidente é transferida para o ē e o restante é cedida para o fóton espalhado   O fóton terá energia menor e direção diferente .

02 MeV passam próximos do núcleo Radiação desaparece. originando um par elétron-pósitron Perderão sua Ec pela ionização e excitação.Produção de pares  Somente quando fótons de 1.   .

Interação Radiação-Matéria Nuclídeo Raios gama .

Radionuclídeos .

Radionuclídeos (radioisótopos) Isotopos naturais Z > 82 (família radioativa)  .Na biologia -uso limitado Isotopos artificiais  .IRENE e JOLIOT CURIE Obs: Importantes para medicina nuclear .

IPEN/SP EX: Iodo-131 e Samário-153 .Produção de radionuclideos  Reatores nucleares Reator IEA R1.

Produção de radionuclideos  Acelerador . Iodo-123. Gálio-67 e Tálio-201 .Ciclotron Ex: Flúor-18.

Produção de radionuclideos filme .

COMO TRAÇADORES (radiofámacos) .O material biológico recebe apenas as radiações emitidas pelo radionuclídeo. .O radioisótopo é incorporado ao meio biológico que se deseja estudar.Aplicaçoes dos radionuclideos Os radioisótopos podem ser usados de duas maneiras distintas: 1 – FONTES DE IRRADIAÇÃO. 2 .

CARACTERÍSTICAS DO USO COMO FONTE DE IRRADIAÇÃO  A ESCOLHA DA FONTE      TIPO DE RADIAÇÃO EMITIDA: . . Ƴ ENERGIA DA RADIAÇÕES MEIA VIDA DO RADIONUCLIDEO DISPONIBILIDADE PREÇO .

FIOS CIRÚRGICOS .EXEMPLOS DO USO COMO FONTES DE IRRADIAÇÃO  MEDICINA:  RADIOTERAPIA - TUMORES MALIGNOS   RADIOBIOLOGIA FUNDAMENTAL .pesquisas RADIOESTERILIZAÇÃO – SERINGAS.

Cobaltoterapia .

.átomos radioativos RADIOQUIMICOS.radionuclideos+ molécula química com propriedades de localização desejadas.RADIOFÁRMACO  TERMINOLOGIA    RADIONUCLÍDEO. RADIOFÁMACOS – radioquímico utilizados em pacientes .

Alta especificidade .CARACTERISTICAS DOS RADIOFARMACOS IDEAIS      Fóton gama com energia e quantidade adequada para detecção externa. Energias entre 100 e 200 keV Meia vida efetiva adequada Marcadores ideais não devem emitir radiações de partícula.

Os radiofármacos não devem sofre dissociação nem in vitro nem in vivo Disponiveis Ser fáceis de marcar Custo razoável . ausência de toxicidade ou efeitos secundários.CARACTERISTICAS DOS RADIOFARMACOS IDEAIS      O fármaco deve ter biodistribuição adequada.

RADIOFÁRMACO

GERADORES DE RADIONUCLIDEOS

MOLIBDÊNIO-99 (66 HORAS)

FILHO – TECNÉCIO-99M ( 6 HORAS) CRIPTÔNIO- 81 ( 13 SEGUNDOS) Gálio – 68 ( 68 minutos)

RUBÍDIO-81 (4,5 HORAS)

GERMÂNIO – 68 HORAS

RADIOFÁRMACO

Gerador de Mo-99 e Tc-99m

Caracteristicas
  

Produção Coluna de troca iônica (Al2O-alumina) pH ácido Blidagem de chumbo Autoclavado – controle de qualidade

GERADOR DE 99TCm

criptônio – imagem pulmonar de ventilação .RADIOFÁRMACO      Radioiodos Índio-111 Gálio-67 – marcadores ósseo. tumores e focos de infecções Tálio-201 Xenônio.

CA –13 ESTUDOS DA FUNÇÃO TIROIDIANA  125 I . 99Tcm ESTUDOS DE FÍGADO E BAÇO  113In + cloreto férrico. .      MEDICINA CINTILOGRAFIA DE ESQUELETO  99Tcm DIAGNÓSTICO DO CÂNCER CA-15. 131I ESTUDOS RENAIS  113In.

RADIOFÁRMACO   Radiofámacos usados no tratamento da dor oncológica Linfonodo sentinela – câncer de mama   Cintilografia após 3 horas Cirurgia 18 a 24 horas após .

Varredura do corpo inteiro para tumores. Diagnóstico de albumina. Varredura da ventilação no pulmão. Varredura dos ossos para doenças. ossos. ou tumores pós-cirúrgicos. Detecção de constrições e obstruções do sistema circulatório.Principais radioisótopos usados na Medicina Isótopos Trítio Carbono-11 Carbono-14 Sódio-24 Fósforo-32 Cromo-51 Ferro-59 Cobalto-60 Gálio-67 Selênio-75 Criptônio-81m Estrôncio-85 Tecnécio-99m Iodo-131 Mercúrio-197 Principais usos Determinação do conteúdo de água no corpo. diagnóstico de anemias. músculos e varredura de todo o corpo. Varredura do cérebro com tomografia de emissão positrônica. fígado. Varredura do pâncreas. rins. Varredura dos rins. Diagnóstico de mal funcionamento da glândula tireóide. Um dos mais utilizados: diagnóstico do cérebro. . Mal função das juntas ósseas. incluindo câncer. tamanho e forma do baço. Tratamento do câncer. Detecção de tumores oculares. desordens gastrointestinais. câncer de pele. tratamento do hipertireoidismo e câncer tireoidal. Ensaios de radioimunidade.

113 Gálio-68 Iodo 132 Índio-113m 68 min 2.Sistemas de geradores de radionuclídeos radioinuclideo pai 99Mo T1/2 pai Radionuclídeo filho 99mTc T1/2 66 h 4.3 h 1.2 d 115 d .5 h 6h 13 seg Rubideo-81 Criptônio -81m Germânio-68 270 d Telúrio-132 Estanho.7 h 3.

1 Gerador (68Ge) .73 0.3 2.  Características físicas de radionuclideos emissores de pósitrons utilizados em medicina nuclear Radioinuclideo T1/2 (min) Energia pósitron (MEV) Penetração partes moles (mm) Método de Produção 11C 15O 18F 20 2 110 0..635 4.96 1.4 acelerador acelerador acelerador 68Ga 68 1.9 8.1 7.

35 KeV Alcance Máxima: 2.PROPRIEDADES NUCLEARES 18F  Meia Vida: 109. EC (3%)   E β+ máxima: 6.7 min Decaimento: β+ (97%).4 mm(H2O)  .

ANIQUILAÇÃO .

Imagens cerebrais utilizando o 18F-FDG obtidas com o PET. À esquerda imagem de um cérebro normal e à direita um paciente drogado com cocaína. .

APLICAÇÕES  PET .

 CINTILOGRAFIA ÓSSEA .

TRAÇADORES RADIOATIVOS  DESVANTAGENS:     TÉCNICAS ESPECIAIS APARELHAGEM CARA CUSTO ELEVADO DAS SUBSTÂNCIAS MARCADAS POSSIBILIDADE DE DANOS NO SISTEMA PROVOCADA PELA RADIAÇÃO .