You are on page 1of 17

Alocação de Recursos

:

pesquisa e assistência. Conflito de interesses
“Os fatos sem os valores são cegos, e valores distanciados dos fatos são vazios.” - Zoboli. ELCP. Bioética.

. a ética tem a ver com ações de um alcance causal que carece de precedentes (. . l995..“Sob o signo da tecnologia. principio da responsabilidade). p. 16-17.). tudo isso coloca a responsabilidade no centro da ética” (JONAS Hans.

Mas tendo o recurso proveniente de um Estado devemos considera-lo finito ou não? De onde é tirado? E como deve ser empregado? Deve se pensar também em como o custo de algo que é de benéficio coletivo torna-se realmente mais importante a ponto de sobrepor o beneficio individual? E o contrario deve ser pensado de que forma? .

expunha o principal fator de mortalidade e causa de morbidade e sofrimento em todo o planeta aparecia quase ao final da Classificação Internacional de Doenças : a extrema pobreza.No último relatório que visava a situação sanitária mundial. Quais seriam as prioridades sanitarias mundiais? . em 1995 pelo Fórum Mundial de Saúde.

. Isso significa que umhomem rico e sadio pode viver o dobro que um pobre e doente. o cientista italiano Giovanni Berlinguer declarou sua perplexidade diante do fato de que a expectativa de vida de um nordestino pobre é. em média.. ao passo que um dos mais desenvolvidos alcança 78 anos..“ .a esperança de vida em um dos países menos adiantados do mundo é de 43 anos.. segundo estimativas de 1993. o que constitui uma diferença de mais de um terço de século.." Em visita recente ao Brasil. 15 anos menor do que a de um sulista igualmente pobre.

Faz parte do papel do Estado analisar o resultado da implantação de suas políticas de modo a planejar de forma responsável o destino de suas verbas orçamentárias. .

o que torna o valor investido na saúde per capita da população muito abaixo do estipulado como necessário pela Organização Mundia da Saúde.Como fica a ética frente à escassez de recursos? Vivemos em um país em que a escassez de recursos é uma realidade. .

o direito à saúde.Situações como a de extrema pobreza impedem não apenas o cumprimento do direito social e histórico à assistência mas. o cumprimento do direito mais fundamental. . que é o direito à vida. através de uma de suas exigências primárias. principalmente.

.

). alocação. malária. esquistossomose. problemas cardiovasculares. No que se refere à ética da responsabilidade pública.) até o registro significativo de mortalidade dos problemas comuns aos países mais avançados (câncer. febre amarela.  . incluindo o estudo da destinação. No Brasil convivemos com realidades contraditorias que vão desde a insistente presença de doenças comuns às nações mais pobres do planeta (dengue. etc. um aspecto que não deve ser deixado de lado na reflexão sanitária diz respeito as prioridades nos investimentos do Estado. acidentes de trânsito... distribuição e controle dos recursos financeiros dirigidos ao setor. Chagas.

referencial dos direitos humanos mais elementares. Em que equidade consiste em propiciar a cada indivíduo meios para que os mesmos possam perseguir e atingir seu nível máximo de saúde. onde o objetivo futuro é o reconhecimento da Cidadania.A igualdade é o ponto de chegada da justiça social. .

Mas mesmo tendo todo direito a uma saúde e um investimento digno até onde ficaria a ética em tais pacientes? .

pois passado certo limite. . Pórém decisões têm sérias implicações éticas. autonomia e justiça. que se baseia na articulação dos princípios éticos da beneficência. não maleficência. A teoria mais difundida na bioética é o principialismo. É ao mesmo tempo essencial e instrumental.A saúde tem um duplo valor moral. o que em princípio era beneficente pode se tornar maleficente. Essencial porque é condição para a qualidade de vida e instrumental porque a vida é pré-condição para liberdade.

.

 Não se trata somente de avaliar o que é benéfico para o paciente. os profissionais de saúde e a sociedade. . porque ele não está sozinho neste cenário de decisões. existem seus familiares.  Um dos aspectos mais importantes é definir se a pessoa à qual dispensamos cuidados e atenção trata-se de um paciente crítico ou terminal.

não corresponde aos serviços de terapia intensiva. Muitas vezes em paciente ditos terminas deveriam ser atendidos e cuidados em unidades que favorecessem o contato com as pessoas queridas e que pudessem lhe proporcionar um maior benefício que. Visando aprimorar a qualidade de vida do paciente e não um prolongamento desta. sem dúvida. .  Nem tudo que é tecnicamente possível é eticamente correto ou aceitável. mas sim aos cuidados paliativo.

certas. não absoluto. “A bioética. A incerteza com isso deve ser diminuida a um mínimo prudencial. na sua árdua tarefa de lidar com os limiares da vida e da saúde humanas.Zoboli . pode ser um profícuo instrumental para a prática da saúde. como amálgama de humanismo e fatos biológicos.As decisões na área da saúde serão sempre.” . prováveis e. nunca.