You are on page 1of 44

Aula 8

:
AVALIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE

MEDIDAS E AVALIAÇÃO Profa. Mariana Carnelossi

FLEXIBILIDADE
 Flexibilidade é a capacidade de uma determinada articulação, ou

conjunto de articulações, se moverem na sua completa amplitude de movimento, sem haver lesão.

 A flexibilidade é específica de cada articulação, podendo variar de indivíduo para indivíduo e até no mesmo indivíduo com o passar do tempo.

CONCEITOS...
Mobilidade: Refere-se à amplitude de movimento permitida pela articulação em função de seus diversos componentes.

Elasticidade: Diz-se à capacidade de extensão elástica dos componentes.
Plasticidade: É a capacidade dos elementos articulares de se distender e não retornar à sua medida inicial. Em parte, no caso dos componentes articulares, a deformação é apenas

temporária, porém, uma pequena parte das deformações plásticas ocorridas como resultado do treinamento de flexibilidade de alta intensidade são irreversíveis.

TIPOS DE FLEXIBILIDADE

ATIVA

PASSIVA

É a máxima amplitude que se pode obter através de movimentos efetuados pelos músculos de forma voluntária.

É a máxima amplitude articular que se consegue em um movimento através da ação de uma segunda pessoa ou de um aparelho e etc.

MANIFESTAÇÃO DA FLEXIBILIDADE ESTÁTICA DINÂMICA Estática: o componente estático se refere à amplitude máxima de um movimento. Dinâmica: o componente dinâmico refere-se á resistência ou rigidez oferecida ao movimento dentro de uma determinada amplitude .

contribuem para o desenvolvimento de dores lombares. favorecendo a mobilidade  Prevenção de lesões  A falta de flexibilidade da zona lombar e coxofemural. conjuntamente com a falta de força e resistência muscular abdominal. .BENEFÍCIOS  Aumento da capacidade de realização das tarefas diárias. por aumentar a qualidade dos movimentos  Aumento da performance desportiva.

o que não significa que tenham pouca flexibilidade (Heyward. 1962): • cápsula articular . Wright. .47% • músculos e suas fáscias .FATORES QUE AFETAM A FLEXIBILIDADE DIFERENTES TIPOS DE TECIDOS Contribuição dos tecidos para a resistência oferecida pela articulação ao alongamento (Johns.41% (alta elasticidade) • tendões . devido às suas elevadas circunferências.10% (baixa elasticidade e plasticidade) • pele .2% COMPOSIÇÃO CORPORAL • A hipertrofia muscular e obesidade diminuem a amplitude de movimento pela dificuldade em aproximar os seus segmentos corporais. 2002).

Os idosos conseguem aumentar os níveis de flexibilidade se realizarem treino específico pelo menos 3 x/semana (Girouard & Hurley. Gledhill. 1996.  À inatividade. Payne. 1995). SEXO  As mulheres têm mais flexibilidade do que os homens em qualquer idade (Alter. depende da articulação e do tipo de movimento articular . Porém. 2000). Katzmarzyk.IDADE A flexibilidade diminui com o aumento da idade devido:  Ao desenvolvimento de problemas articulares.  A maior flexibilidade das mulheres usualmente é devida à sua estrutura pélvica e à quantidade hormônios. Jamnik & Keir.

a quantidade de gordura corporal.. 1981).  A falta de atividade física é a maior causa da falta de flexibilidade.  As pessoas inativas são menos flexíveis do que as ativas (McCue. 1969. possivelmente. aumentando. sexo ou idade (Harris.ATIVIDADE E INATIVIDADE FÍSICA  A atividade física é mais determinante na flexibilidade do que a composição corporal. . 1953). Kirby et al.  O exercício melhora a flexibilidade  A inatividade física pode reduzir indiretamente a flexibilidade.

.  O resfriamento articular (18ºC) reduz a flexibilidade em cerca de 10 a 20% (Wright & Johns. 1960).  Quando são administrados testes de flexibilidade.TEMPERATURA  O aquecimento articular (45ºC) produz um aumento de aproximadamente 20% da flexibilidade. • Realizar várias séries de cada teste. deve-se: • Realizar um aquecimento de forma a aumentar a temperatura corporal. devido ao aumento da oferta de sangue e do líquido sinovial. um lubrificante das articulações.

após o relaxamento da musculatura. . São basicamente: mitocôndrias (30% a 35% de volume muscular). discos intervertebrais.COMPONENTES MECÂNICOS DO MÚSCULO: • Componentes elásticos: são os que retornam à sua forma original. Por mais intensas que estas sejam. não provocam deformações. caso não haja influência de força externa. ligamentos (tecido conjuntivo existente nas articulações). • Componentes inextensíveis: esses componentes são os que não trabalham quando submetidos à ação de forças longitudinais. são ossos e tendões. • Componentes plásticos: são aqueles que não retornam à forma original após cessada a contração. retículo e sistema tubular (5% do volume muscular). São basicamente os miofilamentos e os tecidos conjuntivos. Estruturalmente. sem influência de forças externas.

AVALIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE .

FINALIDADES  Estabelecer a amplitude existente e compará-la a valores de referência.  Reavaliar após programa de exercícios. .  Prescrição de alongamento ou fortalecimento para grupo músculo-articulares desequilibrados.  Comparar a simetria entre membros direito e esquerdo.

PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE  Realizar um aquecimento antes de executar o teste. de forma a evitar lesões.  Usar os resultados para identificar as necessidades específicas de cada articulação.  Durante a realização do teste evitar movimentos rápidos e bruscos.  Explicar ao indivíduo qual o objetivo do teste. e alongar para além do limite provocando dor.  Comparar os resultados com tabelas normativas. para poder prescrever adequadamente treino de flexibilidade. em termos de flexibilidade. registando-se como resultado o melhor destes 3. .  Normalmente realizar o teste 3 vezes.

fonte de medida métrica  Sentar-e-alcançar  Mobilidade de ombros  Flexão de tronco a frente  Extensão de tronco MÉTODOS ADIMENSIONAIS → valores dados às observações  Flexiteste MÉTODOS ANGULARES → instrumentos específicos que fornecem os valores em graus  Goniômetro  Flexômetro  Flexímetro (Achour Júnior. 2004) .MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE MÉTODOS LINEARES → distância de um ponto do corpo a um ponto de referência.

SENTAR E ALCANÇAR  Propósito: Componente motor associado à flexibilidade com flexão à frente dos quadris com ambas as pernas estendidas. com as mão sobrepostas  Realizar a flexão de tronco. três segundos para ser feita a leitura  Repetir o teste 3 vezes.  Encostar toda a planta do pé junto a caixa  Manter os joelhos em extensão  Braços em extensão. até tocar a caixa  Aguardar cerca de dois. 1980) . acima da cabeça. adotando-se o maior valor atingido (AAHPERD.

parte superior plana com 56cm de comprimento. e com o valor 23 coincidindo com a linha onde o avaliado acomodará os pés. . sobre a qual se fixa a escala de medida de 50cm.SENTAR E ALCANÇAR Equipamento: 1 caixa madeira com dimensões de 30cm x 30cm.

SENTAR E ALCANÇAR VANTAGENS  Fácil aplicabilidade  Baixo custo operacional  Objetivo saúde: mais indicado DESVANTAGENS  Indicador de flexibilidade de apenas uma região .

Muito alto Alto Intermediário Baixo M >48 3348 2532 F >55 4155 3340 30-39 M >46 3046 2329 F >52 3852 3037 40-49 M >43 2843 2027 F >49 3649 2835 50-59 M >41 2541 2824 F >47 3347 2532 M >38 2338 1522 > 60 F >45 3045 2329 < 25 < 33 < 23 < 30 < 20 < 28 < 18 < 25 < 15 < 23 AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE – ACSM (1996) .Classificação do Teste de Sentar e Alcançar FAIXA ETÁRIA 20-29 CLASSIFIC.

Classificação do Teste de Sentar e Alcançar P90 – bem acima da média P70 – acima da média P50 – média P30 – abaixo da média P10 – bem abaixo da média .

o avaliado deve alcançar a linha da coluna. O avaliado coloca-se em pé. com afastamento lateral das pernas acompanhando a linha dos ombros e os braços ao longo do corpo. com o braço direito por cima do ombro e a palma da mão em contato com as costas.TESTE DE MOBILIDADE DE OMBROS  Propósito: componente motor associado à flexibilidade com movimentos que exigem a participação das estruturas articulares dos ombros e dos cotovelos  Procedimentos: o propósito do teste é tentar tocar a ponta do dedo médio de ambas as mãos por trás das costas. . com um dos braços por cima do ombro e outro por baixo do cotovelo. próximo ao ponto médio entre as escápulas. Com relação ao lado direito.

.TESTE DE MOBILIDADE DE OMBROS Simultaneamente a mão esquerda deve ser colocada e a região dorsal da mão em contato com as costas com o fim de realizar o toque entre a ponta do dedo médio da mão esquerda e a ponta do dedo médio da mão direita. A posição deve ser mantida por 2 seg. Depois inverte os braços. em cada um dos lados. registra-se +. Caso o contato entre as pontas dos dedos. Caso o avaliado consiga tocar nas pontas dos dedos médio com a mão que está por cima do ombro.. 3 tentativas. realizadas consecutivamente para cada um dos lados. caso contrário registra-se . dispensam-se as tentativas restantes para aquele lado. venha ocorrer antes da terceira tentativa.  Escores: o resultado do teste é computado com o sinal de + e -.

TESTE DE MOBILIDADE DE OMBROS .

com os membros inferiores estendidos. O queixo fica em contato com o solo.ELEVAÇÃO DE TRONCO  Propósito: componente motor associado à flexibilidade com movimento de elevação do tronco quando posicionado em decúbito ventral  Procedimentos: o propósito do teste é elevar a parte superior do corpo (cabeça e tronco) a partir do solo e manter essa posição por algum tempo. o avaliado deve colocar-se em decúbito ventral. . os pés em extensão e em contato com o solo. Na posição inicial. as mãos debaixo das coxas e em contato com o solo.

procurando alcançar a elevação máxima.ELEVAÇÃO DE TRONCO Para execução do teste o avaliado eleva a cabeça e o tronco do colchão de maneira lenta. Registra-se a distância entre a região inferior do queixo do avaliado e o chão.  2 tentativas com intervalo suficiente para total recuperação do avaliado. Adota-se a melhor medida .

ELEVAÇÃO DE TRONCO NÍVEL Excelente Bom Médio Fraco EXTENSÃO DO TRONCO (cm) > 29 20-29 10-19 < 10 .

FLEXITESTE Medidas Adimensionais: informações que não apresentam unidades convencionais de medida para expressar seus resultados  Movimentos articulares (20) com alongamento muscular passivo  Escala crescente de medida: 0 – muito fraca 1 – fraca 2 – média 3 – boa 4 – excelente  Movimentos executados lentamente  Registro das medidas → observação direta entre movimento e a figura  Não utilização de valores fracionados  Hemicorpo direito do avaliado  Sem aquecimento prévio .

FLEXITESTE .

FLEXITESTE .

FLEXITESTE .

FLEXITESTE .

FLEXITESTE .

FLEXITESTE .

FLEXITESTE .

Análise das informações dos movimentos articulares para o Flexiteste .

FLEXITESTE VANTAGENS  Fácil aplicabilidade  Baixo custo operacional DESVANTAGENS  Subjetividade .

GONIÔMETRO .

FLEXÔMETRO .

com agulha de gravidade em seu centro controle da amplitude do movimento articular pela gravidade  Posicão inicial → agulha da gravidade e ponto zero da escala de medida coincidem  Durante o movimento articular → agulha de gravidade se move na escala de medida e aponta deslocamento angular ocorrido .FLEXÍMETRO  Escala de medida de 360°.

adotando-se o maior valor atingido .FLEXÍMETRO  Nove articulações  32 ações  Escolher as ações/ articulações de interesse  Realizar duas ou três medidas.

FLEXÍMETRO Recomendações práticas  Vestimentas que não dificultam a realização do movimento articular máximo  Realização de aquecimento específico  Fixar flexômetro mais próximo possível do eixo de rotação da articulação  Ajustar a agulha de gravidade no ponto zero da escala de medida  Estrutura articular bem posicionada e movimentos lentos  Alongamento muscular passivo e manutenção da amplitude articular máxima  Não movimentação de outros segmentos corporais .

Exemplo de avaliação da flexibilidade por medidas angulares mensuradas pelo Flexímetro Flexão e extensão do tronco .