Interpretação de Cartas de Aproximação por Instrumentos

Por João Marinheiro Marinheiro@airandinas.com

IAL
As carta de Descida ou Aproximação por Instrumentos (IAL - Instrument Approach and Landing ou IAC - Instrument Approah Chart) tem a finalidade de mostrar ao piloto as informações necessárias da trajetória do procedimento de descida que será executado a partir de um auxílio básico até o ponto onde deverá ser avistada a pista para completar o pouso visual, ou então ser iniciada uma arremetida. Normalmente, as Cartas de Descida ou Aproximação são utilizadas após as Cartas de Área ou Rota. As Cartas apresentam vista "em planta" e "em perfil". Exemplo de Carta de Aproximação por Instrumentos

Agora Vamos Explicar a Carta por Partes Na parte Superior da Carta é indicado o tipo de procedimento da carta e a localidade o nome do aeródromo Tipo de Procedimento Localidade e Nome do Aeródromo .

DME. VHF – DF e ASR • Localidade e Nome do Aeródromo Nome do Procedimento Pista e Auxílio Localidade e Nome do Aeródromo . MSL . que poderá ser de precisão (DA): ILS .Na parte Inferior da Carta é indicado • O nome do procedimento • A pista e qual o auxílio. VOR. PAR ou de não precisão (MDA): NDB.

.Vista “em planta” Nesta parte o procedimento é apresentado no formato de planta. dentro da planta existem diversas informações importantes para a realização do procedimento de descida.

S.1) MSA – Altitude Mínima de Setor: Para cada procedimento de aproximação IFR serão estabelecidas altitudes mínimas de setor que serão aquelas altitudes mais baixas que poderão ser utilizadas. Designativo do Auxílio Base Raio de Alcance do MSA Altitude Mínima do Setor Níveis Mínimos do Setor Auxílio Base Graus Magnéticos . E ou W (magnéticos). As MSA serão apresentada em altitude quando forem iguais ou inferiores à altitude transição (TA) ou em forma de níveis de vôo (FL) em caso contrário. Sempre que possível os setores corresponderão aos quadrantes determinados pelo N. centrado no auxílio rádio básico do procedimento. prevendo-se uma separação mínima de 1000 pés acima dos obstáculos contidos num raio circular de 25Nm de raio.

Mesmo constando as freqüências. o piloto deve consultar o ROTAER e os Notam´s para ver se existe alguma alteração.2) Órgãos e Freqüências: Neste campo. na parte superior direita ficam as freqüências e os órgãos de controle. Freqüências Órgãos Localidade .

Órbita Fixo Trajetória do procedimento Rumos da Órbita Identificação do Fixo e sua Freqüência . Além da órbita são indicados o fixo base para a órbita.3) Órbita Principal: Local de início do procedimento de aproximação por instrumentos. a sua freqüência e os rumos que a aeronave deverá seguir para realizar a manobra e a trajetória do procedimento.

geralmente é a trajetória prolongada da pista que a leva até uma órbita de espera. Veremos isso mais detalhadamente depois.4) Trajetória de Arremetida: Indica para o onde a Aeronave deve prosseguir após arremeter. A descrição da Arremetida vem explicada na carta logo abaixo da visão “em perfil”. Fixo da Órbita Órbita de Espera Trajetória de Arremetida e o rumo a seguir .

5) Órbita de Espera: Local onde a Aeronave que arremeteu e seguiu a trajetória de arremetida deverá aguardar até ser autorizado a reiniciar o procedimento de aproximação. Órbita de Espera .

temos ainda indicação dos aeródromos vizinhos. represas e outros. como rios. Obstáculo e sua Elevação Aeródromo Vizinho . além das informações dos procedimentos. obstáculos e suas altitudes e ainda referências visuais.6) Obstáculos e Aeródromos: Nas cartas de aproximações.

7) Procedimento ILS:Sistema que permite tomar com a pista o alinhamento e ângulo de planeio ideal para a aeronave pousar. que podem ser: VASIS.500 pés da pista. Rampa do Localizador Marcador Externo Aeródromo Marcador Médio Localizador do ILS Distância da Pista . ALS. • Marcador Interno: tem a mesma finalidade do Marcador Médio e do Externo. Fica entre 3. Fica entre 250 pés e 1000 pés da cabeceira.. • Marcador Externo: Antena localizada no eixo de aproximação. Instalado em Aeroportos que operam ILS de CAT II e III.. Fica normalmente a 3. variando conforme o relevo do setor de aproximação. tem alcance de aproximadamente 25Nm e 10º para os lados. PAPIS etc. •Glide Slope: fornece o ângulo de planeio que está entre 2º e 4º.5Nm e 7Nm da pista. É composto por: • Localizer: fornece a direção da pista. • Marcador Médio: Tem a mesma finalidade do Marcador Externo. • Auxílios Visuais: Fazem parte ainda do ILS auxílios visuais. com a finalidade de fornecer distância em relação a cabeceira.

Os fixos servem de referência para realizar o procedimento e a partir destes toma-se os rumos pré – determinados para pousar a aeronave.7) Procedimento VOR / NDB: São procedimentos de Não Precisão. Procedimento NDB Procedimento VOR / DME . as velocidades e altitudes que devem ser mantidas. os rumos. onde o piloto tem que realizar o procedimento por meios próprios interpretando a carta.

principalmente quando não se tem visibilidade. Distância da Torre Procedimento RADAR Raios de Distância Aeródromo . Esta aproximação é pouco utilizada no Brasil.8) Aproximação RADAR: Aproximação de Não Precisão onde o controlador vai “cantando” ao piloto a altitude e o rumo que deve ser mantido. Dizem alguns pilotos que é um procedimento um pouco complicado. pois você tem que acreditar no que o controlador fala sem ter nenhuma referência visual. Segundo informações em Aeródromos militares e no Aeródromo de Porto Alegre são operados este sistema.

Deve ser sempre lido pois são dados muito importantes.9)Campo RMK: Neste campo localizado logo após a vista “em planta” ficam as informações pertinentes ao procedimento de aproximação. Informações Importantes Campo RMK .

. altitudes. rumos.Vista “em perfil” Nesta parte o procedimento é apresentado no formato de perfil. trajetória de arremetida e outras informações importantes. No perfil são apresentados as distâncias.

1) Interpretação de uma Aproximação ILS Altitude Mínima de Início de Procedimento Marcador Médio Nível de Transição Rumo de Aproximação Final Fixo de Início de Procedimento Marcador Externo Distância para a Pista Pista de Pouso Elevação do Aeródromo Indica o Fixo de Aproximação (FAF) Distâncias Indicadas em Milhas Náuticas (Nm) Ponto de Início de Aproximação Perdida Fixo de Órbita de Espera Trajetória de Aproximação Perdida com GS operante Ângulo de Trajetória de Planeio Altura de Cruzamento da Cabeceira Início da Trajetória do Procedimento com o GS inoperante Trajetória de Aproximação Perdida com GS Inoperante .

2) Interpretação de uma Aproximação VOR Altitude de Início de Procedimento Fixo de Início de Procedimento Rumo Magnético do Afastamento Distância para início da curva Nível de Transição Arremetida Aproximação Final Elevação do Aeródromo Altitude .

3) Interpretação de uma Aproximação NDB Altitude de Início de Procedimento Fixo de Início de Procedimento NDB NDB Arremetida Nível de Transição Altitude Fixo Aproximação Final Aproximação Final Elevação do Aeródromo Distâncias Indicadas em Milhas Náuticas (Nm) Pista .

4) Interpretação de uma Aproximação RADAR Altitude de Início de Procedimento NDB Altitudes NDB Nível de Transição Arremetida Rumo Aproximação Final Distâncias Indicadas em Milhas Náuticas (Nm) Elevação do Aeródromo .

Todo o piloto deve ter ciência do procedimento realizado no aeródromo de destino. Campo Aproximação Perdida Procedimento .Campos Explicativos 1)Campo Aproximação Perdida: Local onde é explicado o procedimento a ser realizado em uma arremetida.

2)Campo de Restrições de Visibilidade: Será estudado por partes .

CAT A < 91 Kts CAT B 91/120 Kts CAT C 121/140 Kts CAT D 141/165 Kts CAT E 166/210 Kts .2. É a Vat (1.3 do velocidade de estol).1)Campo de Restrições de Visibilidade:Categoria das Aeronaves Categoria: corresponde a velocidade de realização do procedimento.

2)Restrições de Visibilidade e Teto de acordo com Equipamento Inoperante Identificação da Pista Para o Glide Slope Inoperante Categoria da Aeronave Para o Marcador Médio Inoperante Operação Para Full ILS Teto Mínimo MDA – Momento de Descisaõ de Aremetida Teto Mínimo DA – Momento de Descisaõ de Aremetida VIS .2.Visibilidade Teto Mínimo DA – Momento de Descisaõ de Aremetida VIS Valores Mínimos em Metros DA – Procedimento de Precisão MDA – Procedimento de Não Precisão *Note que quando o procedimento é de MDA os mínimos aumentam muito .

2.3)Restrições de Visibilidade e Teto para Pouso na Pista Oposta Teto Mínimo MDA – Momento de Descisaõ de Aremetida Teto Mínimo Visibilidade Mínima Categoria da Aeronave .

Velocidade em Kts Razão de Descida em Pés / Minuto .3)Campo Velocidade e Razão de Descida na Aproximação Final: Neste campo é indicada a razão de descida ideal para se chegar à pista em determinada velocidade.

Velocidade em Kts Tempo de Vôo em minutos e segundos . o piloto tem como saber se está no ponto de Decisão de Arremetida ou Ponto de Aproximação Perdida.4)Campo Tempo de Vôo de um Fixo ao Ponto de Aproximação Perdida: Caso a aeronave não receba o Marcador Médio. Neste caso usa-se o tempo para calcular o local onde a aeronave se encontra.

airandinas. Bons Vôos!!! Dúvidas: Entre na página da Airandinas e escreva para : João Marinheiro – Diretor Geral www.com no setor .Dúvidas .Nota: As informações são destinadas aos pilotos virtuais que Utilizam o Flight Simulator.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful