You are on page 1of 49

Fraturas do Planalto Tibial

Dr Antonio Alberto Affonso Filho Dr Alex Sandro P. de Freitas 05/05/11

Características
• Ocorrem na superfície articular da Tíbia Proximal • Fratura do “pára-choque” • Mecanismo: decorrente de consideráveis forças em varo/valgo associadas a solicitação axial • Elevada incidência de limitação funcional • Em torno de 1% a 8% de todas as fraturas • 8% das fraturas nos pacientes acima de 70 anos • Platô Lateral 2x mais frequente que o Medial • Elevada incidência de rigidez articular

Características
• Causa frequente: acidentes de trânsito • Energia do trauma lesa os tecidos adjacentes à fratura • Intervenção cirúrgica precoce viabiliza a manipulação • Dor, edema e incapacidade funcional • Deformidade e instabilidade articular

Anatomia
• Inclinação Articular no sentido Póstero - Inferior de 10 a 15 graus • Cartilagem hialina com 3 a 4 mm espessura • Platô Medial: côncavo • Platô Lateral: convexo • Estruturas Menisco - Ligamentares (associação em torno de 20%)

bastante utilizada.Classificações • Diversas classificações. como fratura-luxação • Schatzker. abrangência completa? • Hohl: desvio. depressão articular. cinco categorias • AO: completa. cisalhamento e cominuição • Moore: inclui padrões incomuns. simples. . difícil memorização.

Hohl .

AO .

Moore .

Schatzker .

Imagenologia • Radiografias: Frente e Perfil. • TC / Reconstrução Digital: planejamento cirúrgico • RNM: auxílio no diagnóstico das fraturas por compressão e lesões ligamentares . Oblíquas Interna / Externa e Frente com 10 graus de inclinação caudal.

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Avaliação Inicial • Desvio entre os fragmentos e presença de instabilidade • Outros fatores: condição clínica. aspecto da pele. lesão arterial. fratura ipsilateral .

Fraturas do Planalto Tibial • Tratamento conservador: desvio articular até 4mm e ausência de instabilidade • Imobilização gessada ou órteses • Mobilização em 4 a 6 semanas • Evitar carga por 6 a 12 semanas .

Osteossíntese • Busca de resultados funcionais • Vias de acesso • Osteotomia Tuberosidade Tíbia / desinserção parcial meniscos: melhor resultado quando preservados • Enxerto ósseo: depressão > 10 mm • Radiografias intra-operatória • Diâmetro tibial: importante na relação com o fêmur .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

independente de RAFI ou Conservador • Carga parcial a partir de 4 a 6 semanas. carga total a partir de 12 semanas .Considerações • • • • • • • • • Planejamento pré-operatório Fraturas instáveis exigem RAFI Gravidade do deslocamento e cominuição Localização Condiçoes da pele Lesão aberta x fechada Lesões neurovasculares associadas Outras fraturas associadas Imobilização por mais que 4 semanas resultam em rigidez.

Fraturas do Planalto Tibial OBRIGADO! .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .

Fraturas do Planalto Tibial .