You are on page 1of 18

GLICOBIOLOGIA: uma nova área da ciência que ganhou impulso a partir de 1980

Glicanos “decoram” as superfícies das células eucarióticas e mediam uma variedade de eventos

Reconhecimento celular
Ponto de ligação de organismos patogênicos (vírus, bactérias) Adesão celular Modulação de sinapses Resposta imune: adesão de leucócitos, ativação e sinalização das células B Mediador de metásteses Eventos intracelulares: tráfego de proteínas aos lisossomos, transcrição e translação

glicoproteínas. glicolipídeos e lipopolisacarídeos A combinação de diferentes acúcares e seus derivados através de diferentes tipos de ligações permite inúmeras combinações e portanto grande diversidade estrutural.GLICOCONJUGADOS Proteoglicanos. especificidade e .

–OH por -H no C3 Oxidação do C6: Oxidação do C1: ác. acético Ác. aldônico corres.Derivados de hexoses -OH do C2 é substituído por –NH2 -NH2 condensado com ác. urônico corres. Láctico Subst. Ésteres intramol: lactona . ác.

Derivados de hexoses Derivado do fosfoenolpiruvato Der. N-acetilmanosamina .

elastina. fibronectina e laminina) Hialuronidase (bactérias patogênica) Alta densidade de compostos negativos força uma conformação estendida Ácido hialurônico: determina a viscosidade do fluido sinuvial das juntas. a consistência gelatinosa do humor vítreo dos olhos.Proteoglicanos: proteínas + glicosaminoglicanos Glicosaminoglicanos (Heteropolissacarídeo) polímeros lineares de dissacarídeos (N-acetilglucosamina ou Nacetilgalactosamina + ácido urônico) Formam a matriz extra-celular junto com proteínas (colágeno. força tênsil e elasticidade das cartilagens e tendões .

separa e organiza as células Sindecana: proteína integral de membrana com três heparana sulfato e 2 condroitinas sulfato no lado extracelular .PROTEOGLICANO Proteoglicanos: proteínas + glicosaminoglicanos Lâmina basal: proteínas + heparana sulfatos.

transmite informações em ambas as direções através da membrana plasmática. Interação entre as células e a matriz extracelular: dirige a migração . Inibição por contato entre células diferentes.Uma molécula longa de hialuronato (50 mil dissacarídeos) é associada a cerca de 100 moléculas de uma proteínas central agrecana. cada uma ligada a queratana sulfato e condroitina sulfato Altamente hidratadas ocupa volume igual a de uma bactéria Proteoglicanos formam enormes agregados das células no tecido em desenvolvimento e. através da integrina.

PROTEÍNAS QUE MEDIAM AS INTERAÇÕES CÉLULA-CÉLULA E ADESÃO CELULAR CADERINA: sofre interação homófila (com mesmo tipo) com outra caderina da célula adjacente Proteína semelhante a imunoglobulina: sofre interação homófila com outra célula ou heterófila com uma integrina de céulas vizinhas .

Domínio extracelular: liga com proteína da matriz extracelular Muitas combinações entre as subunidades  e  são possíveis e cada combinação pode-se ligar a um ou mais ligantes (proteínas da matriz extracelular) INTEGRINAS As integrinas são reguladas por sinalização “inside-out”. ou seja um processo no qual uma via de sinalização dentro da célula pode regular a atividade ligante da integrina na superfície celular A adesão celular guiada pela integrina permite à célula se mover. proliferar e eventualmente diferenciar . crescer.

GLICOPROTEÍNAS Conjugados de proteína e carboidratos: as porções de carboidratos são menores e estruturalmente mais diversas .

Ligação glicosídica entre C anomérico e –OH da serina ou treonina (O-ligada) ou nitrogênio da amida da asparagina (N-ligada) Maioria das proteínas secretadas pelas células são glicoproteínas: imunogobulinas. siálico (Neu5Ac) protege algumas proteínas da degradação pelo fígado GLICOPROTEÍNAS Mesma proteína com dif. hormônios proteínas do leite proteínas secretadas pelos pâncreas Ác. oligossacarídeos: Marcador celular + 40 tipos de ligações (. ) Cadeias de oligossacarídeos influenciam o correto arranjo das cadeias polipeptídica Determinam processos de reconhecimento célula-célula .

Ligação e fusão de membrana na infecção pelo vírus da influenza HA: hemaglutinina é a glicoproteína implicada na ligação e fusão de membrana do vírus Os resíduos de ácido siálico terminais de glicoproteínas e glicolipídeos são os receptores para o vírus Ac siálico (2.6)-gal (hum) 2.3 (aves) Os oligosacarídeos da HA não são reconhecidos como antigênicos pelo sistema imune HA inativa HA sofre clivagem e se torna ativa HA modificação conformacional e desencadeia a fusão de membranas .

Todos os 24 sítios de consenso (Asn-XThe) são N-glicosilados CCR5 é um receptor para mediadores que dirigem a migração de leucócitos ao local da inflamação A necessidade dos dois receptores para infecção viral explica a especifidade do HIV por linfócitos T e fagócitos do sistema imune Agentes que interfiram na interação do HIV com CD4 ou com o seu co-receptor seriam úteis no tratamento e prevenção da AIDS .Infecção pelo HIV Glicoproteína 41(gp41) e gp120 da membrana do vírus se ligam ao receptor CD4 e a uma proteína co-receptora (CCR5) A gp120 ocupa metade da massa de glicanos da membrana.

Sialidade remove o ácido siálico sinalizando para a remoção das mesmas pelo fígado (hormônios. promovendo endocitose e destruição.Lecitinas: proteínas que ligam carboidratos com alta afinidade e especificidade LECITINAS A membrana plasmática do hepatócito tem moléculas de lecitinas. por exemplo) . que ligam especificamente oligosacarídeos com unidades de galactose não protegidas por ácido siálico terminal.

implicada em vários processos tais como: Fertilização: a interação entre lecitinas do espermatozóide e oligossacarídeos do óvulo dispara a liberação de proteases e hialuronidases Infecção bacteriana: Helicobacter pylori reconhece o oligossacarídeo Leb da membrana de células epiteliais gástricas (parte do determinante do grupo sanguíneo O) Linfócitos: migração para o local da inflamação bem como o retorno para os nódulos linfóides é feito pela interação entre lecitinas e oligossacarídeos . da membrana plasmática.SELECTINA: Uma família de lecitinas.

os grupos sanguíneos em humanos São normalmente encontrados na face externa da membrana plasmáticas A Helicobacter pylori reconhece o oligossacarídeo Leb da membrana de células epiteliais gástricas (parte do determinante do grupo sanguíneo O) .GLICOLIPÍDEOS Lipídeos contêm cadeias de oligossacarídeos complexos Gangliosídeos: determinam. por exemplo.

GLICOLIPÍDEOS Lipídeos contêm cadeias de oligossacarídeos complexos .

coli e Salmonella typhimurium Determinantes do sorotipo da cepa bacteriana. Alvos dos anticorpos produzidos pelo sistema imune em resposta à infecção bacteriana São tóxicos e determinam a síndrome do choque tóxico (redução acentuada da pressão) AbeOAc: 3.LIPOPOLISSACARÍDEOS Componente da membrana externa de bactérias gram – como a E.6-dideoxihexose acetilada Kdo: ácido 3-deoxi-D-mano-octonico Hep: L-glicero-D-manoheptose .