You are on page 1of 66

DIAGNÓSTICO DO POTENCIAL DE REATIVIDADE DOS AGREGADOS E DO POTENCIAL DE INIBIÇÃO DE RAA COM USO DE CIMENTOS E DE ADIÇÕES MINERAIS DISPONÍVEIS NA RMR

.
Tibério Wanderley C. de O. Andrade
PROFESSOR DA UFPE

José Jeferson do Rêgo Silva
PROFESSOR DA UFPE

RECIFE, FEVEREIRO DE 2006.

Resumo da apresentação
 Apresentação dos estudos de casos e conclusões

 Apresentação dos resultados do experimento
 Potencial de reatividade dos agregados miúdos e graúdos da RMR  Potencial de inibição da RAA dos cimentos pozolânicos da RMR

.

HISTÓRICO NA CIDADE DE RECIFE • Alguns casos foram relatados de fissuras em blocos de fundação que foram detectados antes de janeiro de 2005. • 04 casos em que ainda não foi realizado ensaio é evidente a existência da reação. em períodos diversos. • Em todos os casos em que foi realizado ensaio petrográfico foi confirmada a reação álcali. em que não chegaram a nenhuma conclusão evidente do problema. • Estimativa de 21 casos de fissuração em blocos de fundação de janeiro até a presente data.agregado (07 casos). .

03 casos . média e pequena tem-se: • Alto grau de fissuração – 07 casos • Médio grau de fissuração .03 casos • Baixo grau de fissuração .HISTÓRICO NA CIDADE DE RECIFE • A idade das edificações variam de 3 a 30 anos •Em uma classificação visual quanto a intensidade de fissuração das peças de alta.

Relato dos casos confirmados com análise petrográfica do concreto .

Edifício residencial em Piedade Idade: 21 anos Dez de 2004 .

Características Gerais  Pavimentos : 12  Fundação direta (sapatas isoladas)  Intensidade média do quadro fissuratório  Baixa umidade do solo na época da inspeção .

.

.

Ensaio petrográfico  Agregado graúdo  Tipo de Rocha : Metamórfica  Class. petrográfica: Gnaisse/cataclástico  Textura : Cataclástica  Minerais reativos : Quartzo deformado com extinção ondulante. potencialmente reativo . quarzto microcristalino em estrutura mortar.  Reatividade Potencial: Ag.

materializados por cristais foliares ou lancetados e pela presença do gel gretado disposto na interface pasta agregado preenchendo poros e vazios • .Conclusão • O concreto exibe feições típicas da instauração da reação álcali-agregado do tipo álcali-silicato • Os agregados exibem bem definidas bordas de reação e ao microscópio eletrônico podem-se caracterizar os produtos da reação.

Edifício residencial em Boa Viagem Idade: 09 anos março de 2004 .

Características Gerais  Pavimentos : 24  Fundação profunda (blocos e estacas)  Intensidade alta do quadro fissuratório  Alta umidade do solo na época da inspeção .

.

.

 Reatividade Potencial: Ag.Ensaio petrográfico  Agregado graúdo  Tipo de Rocha : Metamórfica  Class. petrográfica: Milonito  Textura : Milonítica/Cataclástica  Minerais reativos : Quartzo deformado com extinção ondulante. Potencialmente reativo . quartzo microcristalino em estrutura mortar.

Conclusão • O concreto exibe feições típicas da instauração da reação álcali-agregado do tipo álcali-silicato • Os agregados exibem bem definidas bordas de reação e ao microscópio eletrônico podem-se caracterizar os produtos da reação. materializados por cristais foliares ou lancetados e pela resença do gel gretado disposto na interface pasta agregado preenchendo poros e vazios .

Edifício residencial Idade: 03 anos abril de 2004 .

Características Gerais  Pavimentos :  Fundação profunda (blocos e estacas)  Intensidade média do quadro fissuratório  Muito alta umidade do solo na época da inspeção .

petrográfica: Cataclasito  Textura : Milonítica/Cataclástica  Minerais reativos : Quartzo deformado com extinção ondulante.  Reatividade potencial : Agregado reativo .Ensaio petrográfico  Agregado graúdo  Tipo de Rocha : Metamórfica  Class. quartzo microcristalino em estrutura mortar.

principalmente o gel gretado e os produtos cristalizados. Esses últimos na forma de cristais mal desenvolvidos de aspecto granular dispostos na interface pasta/agregado • A ocorrência frequente de etringita em meio à argamassa sugere que o concreto sofreu um aporte significativo de íons sulfato e que pelo menos em parte podem ter contribuído para o processo de expansão .Conclusão • O concreto exibe feições típicas da instauração da reação álcali-agregado do tipo álcali-silicato • Os agregados exibem tênues bordas de reação ao redor dos agregados graúdos e ao microscópio eletrônico podem-se caracterizar.

Edifício residencial em Piedade Idade: 11 anos maio de 2004

Características Gerais
 Pavimentos : 25  Fundação profunda (blocos e estacas)  Intensidade média do quadro fissuratório  Baixa umidade do solo na época da
inspeção

quartzo recristalizado.Ensaio petrográfico  Agregado graúdo  Tipo de Rocha : Metamórfica  Class. petrográfica: Horblenda gnaisse  Textura : Granoblástica  Minerais reativos : Quartzo deformado com extinção ondulante.  Reatividade Potencial: Ag. Potencialmente reativo .

Conclusão • O concreto exibe feições típicas da instauração da reação álcali-agregado do tipo álcali-silicato • Os agregados exibem bem definidas bordas de reação e ao microscópio eletrônico podem-se caracterizar os produtos da reação. materializados por cristais foliares ou lancetados e pela presença do gel gretado disposto na interface pasta agregado preenchendo poros e vazios .

Edifício residencial em Boa Viagem Idade: 21 anos Agosto de 2005 .

Características Gerais  Pavimentos : 15  Fundação profunda (blocos e estacas)  Intensidade alto do quadro fissuratório  Alta umidade do solo na época da inspeção .

.

.

.

.

 Reatividade Potencial: Ag. Potencialmente reativo . petrográfica: Gnaisse/Cataclástico  Textura : Granoblástica/ Cataclástica  Minerais reativos : Quartzo deformado com extinção ondulante. quartzo recristalizado e quartzo fino.Ensaio petrográfico  Agregado graúdo  Tipo de Rocha : Metamórfica  Class.

materializados por cristais foliares ou lancetados e pela presença do gel gretado disposto na interface pasta agregado preenchendo poros e vazios .Conclusão • O concreto exibe feições típicas da instauração da reação álcali-agregado do tipo álcali-silicato • Os agregados exibem bem definidas bordas de reação e ao microscópio eletrônico podem-se caracterizar os produtos da reação.

Edifício público Idade: 12 anos Setembro de 2005 .

Características Gerais  Pavimentos : 15  Fundação profunda (blocos e estacas)  Intensidade alto do quadro fissuratório  Alta umidade do solo na época da inspeção .

.

.

.

reativo .Ensaio petrográfico  Agregado graúdo  Tipo de Rocha : Metamórfica  Class.  Reatividade Potencial: Ag. quartzo recristalizado e quartzo fino. petrográfica: Milonito  Textura : Milonítica  Minerais reativos : Quartzo deformado com extinção ondulante.

materializados por cristais foliares ou lancetados e pela presença do gel gretado disposto na interface pasta agregado preenchendo poros e vazios .Conclusão  O concreto exibe feições típicas da instauração da reação álcali-agregado do tipo álcali-silicato  Os agregados exibem bem definidas bordas de reação e ao microscópio eletrônico podem-se caracterizar os produtos da reação.

4 Expansão % 0.15 0.45 0.05 0 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 Idade (dias) Brita Areia clara (RN) Areia escura (RN) Basalto (SUL) Brita (caso 07) .2 0.REATIVIDADE COMPARATIVA ASTM C-1260 0.5 0.35 0.3 0.25 0.55 0.1 0.

quartzo microcristalino recristalizado em estrutura mortar.Nº Tipo de rocha Classif petrográfica Gnaisse cataclástico Textura Minerais reativos 01 Metamórfica Cataclástica 02 Metamórfica Milonito Milonítica/ cataclástica 04 Metamórfica Cataclasito Milonítica/ cataclástica 05 Metamórfica Horblenda gnaisse Gnaisse cataclástico Milonito Granoblástica Quartzo deformado com extinção ondulante. quartzo fino 06 Metamórfica Granoblástica/ Cataclástica Milonítica 07 Metamórfica .

 Esses agregados foram originados de rochas ígneas que sofreram acentuado metamorfismo dinâmico. quebramento e moagem dos grãos (minerais). a textura da rocha. foram os principais responsáveis pelo desenvolvimento de reação álcali/agregado nos concretos da RMR. gerando texturas miloníticas e cataclásticas . encontrado em falhas geológicas e que que afeta principalmente. até o momento.Conclusão das análises petrográficas realizadas em concretos com RAA  Os agregados graúdos. levando a deformação.

 Análise Petrográfica. .EXPERIMENTO  1ª Etapa Avaliar a reatividade potencial dos agregados miúdos e graúdos consumidos na RMR.  Expansão acelerada em barras de argamassa (ASTM C-1260).

.  Expansão acelerada em barras de argamassa (ASTM C-1260).EXPERIMENTO  2ª Etapa Avaliar o potencial de inibição da RAA pelos cimentos pozolânicos e adições minerais disponíveis. empregando como referência os 02 agregados de maior reatividade obtidos na 1ª Etapa.

EXPERIMENTO 1ª Etapa  Agregados miúdos Agregado Miúdo Jazida Rio Sirinháem Rio Ipojuca Origem Natural de rio Natural de rio Localização Zona da mata sul Zona da mata sul Votorantim Pombos Paraíba Natural de bancada Natural de rio Natural de bancada Divisa dos Estados da PB e PE Agreste (Serra das Russas) Paraíba .

Pedreira Líder Guarany velha/ Emacol Guarany Paraiso FAT Brical Localização Situação Em atividade Desativada desde 19XX Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Estrada de Muribeca Estrada de Muribeca Rodovia BR 101 Rodovia BR 101 Rodovia BR 232 Rodovia BR 232 Rodovia BR 232 Rodovia PE 060 Estrada de Muribeca Estrada de Muribeca Brinel Anhanguera Extra Pedra Usibrita Em atividade Em atividade Desativada desde 19XX Em atividade .

RESULTADOS 1ª ETAPA .

AGREGADOS MIÚDOS .

apresentando extinção ondulante maior do que 25º. O quartzo existente ainda possui ângulo de extinção ondulante superior a 25%. o ensaio de petrografia mostrou que o agregado possui além do quartzo como mineral principal. situado no início do Agreste de Pernambucano (oeste da capital). ao norte. na subida das Serra das Russas (BR 232). e as areias da Paraíba e da Votorantin. Rio Ipojuca. .ANÁLISE PETROGRÁFICA  As areias do Rio Sirinháem. com o quartzo como mineral predominante. ambas situadas na zona da Mata Sul do Estado. evidenciando características de reatividade potencial. possuem feições similares.  Para areia da região do Município de Pombos. o quartzo microcristalino e feldspato.

3 Expansão % 0.2 0.05 0 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 Idade (dias) Sirinhaem Ipojuca Votorantin Pombos Paraíba .35 0.1 0.4 0.25 0.15 0.EXPANSÃO ACELERADA (ASTM C-1260) Agregados miúdos da RMR 0.

Maior dificuldade de monitoramento devido à informalidade do setor e o caráter transitório da atividade. a possibilidade de vir a ocorrer. até o presente momento. não pode ser descartada a existência. nem tão pouco.CONCLUSÕES SOBRE AS AREIAS  Apesar de não ter sido detectada RAA nos 07 casos estudados em concretos. não existindo instalações fixas para a sua exploração. originada da reatividade das areias naturais.  .

AGREGADOS GRAÚDOS .

Granulação média a muito grossa. Granulação média a fina. proveniente da fragmentação de cristais originalmente mais desenvolvidos. Quartzo com intensa extinção ondulante (>25º) Granulação muito grossa. evidenciada pela fragmentação dos cristais de feldspatos. Granulação média a fina Maioria do quartzo com extinção ondulante de alto grau (>25º). submetida a deformação e recristalização (principalmente do quartzo).Agregado Graúdo Pedreira Líder Guarany velha/ Emacol Guarany Paraiso FAT Class. Feldspato e quartzo com extinção ondulante. granito Granito Gnaisse Biotita granito Biotita granito Milonito gnaisse Biotita granito Natureza Ígnea Observações Granulação grossa a média Maioria do quartzo com extinção ondulante de alto grau (>25º). Matriz mais fina envolvendo os cristais mais desenvolvidos. Textura cataclástica. Extra Pedra Usibrita Biotita granito Biotita granito Ígnea Ígnea . Granulação muito grossa. Granulação média e fina. Mostrou feições texturais evidenciando deformação tectônica. Granulação média a muito grossa Forte extinção ondulante (>25º). Matriz mais fina envolvendo os cristais mais desenvolvidos. Rocha originalmente granítica. Granulação média a muito grossa extinção ondulante moderada a forte. Quartzo recristalizado. Ígnea Ígnea Ígnea metamórfica Brical Ígnea Brinel Granito milonitizado ígnea/ metamórfica Anhanguera Granito cataclástico Ígnea Granulação grossa. Quartzo com extinção ondulante moderada (<25º). Quartzo com extinção ondulante moderada a forte.

15 0.05 0 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 Idade (dias) Lider Guarany (Escura) FAT Seqüência14 Brinel Guarany (Clara) Usibrita Guarany Velha/Emacol Paraíso Brical (Escura) Anhanguera Extra Pedra Brcal (Clara) .25 0.2 0.45 0.4 0.1 0.0.3 Expansão % EXPANSÃO ACELERADA ASTM 1260 Agregados graúdos da RMR 0.35 0.

CONCLUSÕES SOBRE AS BRITAS  Existem fortes indícios que os agregados das pedreiras Brinel e Anhanguera podem estar contribuindo com uma maior incidência de casos de reação álcali-agregado e expansão em blocos de fundação na RMR. até o momento. em função dos ensaios de expansão. e as informações adquiridas dos estudos de casos. . aliados aos ensaio de petrografia.

não pode ser descartada a possibilidade de ocorrência de casos de RAA na RMR proveniente desse agregado. que possui uma expansão. que aliado também à classificação petrográfica desfavorável. Apesar dessa classificação.CONCLUSÕES SOBRE AS BRITAS  Em um segundo patamar. . sua taxa de expansão é constante e elevada após os 16 dias. está o agregado da FAT. que o caracteriza como um agregado no limite entre inócuo e potencialmente reativo. aos 16 dias.

apesar da ocorrência de quartzo deformado e microcristalino em todas amostras. . Entretanto. mesmo nos agregados de menor expansão. podendo levar maior tempo para que as expansões venham demonstrar sintomas visíveis do fenômeno. em virtude das reações serem bastante lentas. a ocorrência não pode ser descartada. os demais agregados possuem uma conjunção menos favorável ao desenvolvimento de RRA.CONCLUSÕES SOBRE AS BRITAS  Com níveis mais baixos de expansão e classificação petrográfica favorável.

EXPERIMENTO 2ª Etapa • Agregados: • Brita da pedreira Brinel • Brita da pedreira Anhanguera • Cimentos: .

23 1.1 1.11 1.39 0.14 .01 Poty 0.00 0.18 0.23 0.70 0.53 1.26 Resíduo insolúvel % 24.62 2.11 35.0 0.CP IV 32 Propriedades Nassau Expansão em autoclave (%) Álcalis Totais % Óxido de sódio (Na2O) Óxido de potássio (K2O) Equivalente alcalino Álcalis Solúveis Óxido de potássio (K2O) % Equivalente alcalino Óxido de sódio (Na2O) 0.48 0.

1 0.15 0.25 Expansão % 0.3 0.25%POZ) CPIV (POTY .35%POZ) .35 0.05 0 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 Idade (dias) Referência CP IV (NASSAU .2 0.Eficiência dos cimentos CP IV da RMR ASTM C-1567 Pedreira Anhanguera 0.

45 0.05 0 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 Idade (dias) Referência CP IV (NASSAU -25%) CP IV (POTY .35%) .4 0.1 0.25 0.0.15 0.3 Eficiência dos cimentos CP IV da RMR ASTM C-1567 Pedreira Brinel Expansão % 0.35 0.2 0.

com aproximadamente 25% de poz. expansões aceitáveis quando testadas no ensaio das barras de concreto (ASTM C-1293) e devem ter baixo risco de expansão deletéria. o potencial de reação deletéria deve ser confirmado pelo o ensaio das barras de concreto (ASTM C-1293). deve possuir.CONCLUSÕES SOBRE O POTENCIAL DE INIBIÇÃO DOS CIMENTOS  Para ambos os agregados estudados o cimento Poty CP IV 32. provavelmente. . apresentou indicativo de expansão potencial deletéria.  Para ambos os agregados estudados o cimento Nassau CP IV 32. com aproximadamente 35% de poz. Entretanto. quando usadas em concretos em condição de campo.