Universidade de Brasília Decanato de Extensão Escola de Extensão

Introdução à Produção de Cosméticos
Uma abordagem teórica e prática com utilização de produtos da flora amazônica

Ministrantes: Floriano Pastore Jr. Maria Clara Roriz Haag Alexandre Bandeira de Faria

ÓLEOS DA AMAZÔNIA
 TABELA Óleo de andiroba (Carapa guianensis):  utilizado tradicionalmente como antiinflamatório e antiséptico.  composição do óleo atinge 65% em ácidos graxos insaturados, como o linoléico, repositores da barreira lipídica, bastante estudado pelos pesquisadores japoneses da área cosmética.  patente americana (1999): efeito inibidor da glucose-6-phosphate dehydrogenase e na conversão do adipócito tratamento efetivo contra a celulite.

Óleo de murumuru (Astrocaryum murumuru)  possui grande aplicação na fabricação de sabonetes devido à alta porcentagem de ácidos láuricos.

Manteiga de Cupuaçu (Theobroma grandiflorum):  emoliente hidratante que proporciona um toque agradável, maciez e suavidade à pele.  possui alta capacidade de absorção de água, aproximadamente 240%, superior a da lanolina e de alguns esteróis de origem animal e vegetal.  capaz de auxiliar na estabilidade de emulsões.

Óleo de patauá (Oenocarpus batua):  muito similar ao óleo de oliva na aparência física e na composição de ácidos graxos, sendo conhecido como “óleo de oliva da Amazônia”.  rico em ômega 9, sendo um bom lubrificante para pele e cabelo. Há relatos que demonstram que o óleo de Patauá pode prevenir a queda de cabelo. Óleo de buriti (Mauritia flexuosa)  excelente fonte de carotenóides.  utilizado em formulações de produtos para exposição solar – incremento de até 20% no FPS  minimiza o eritema – possível ação antiinflamatória.  excelente compatibilidade com a pele.

Óleo de tucumã (Astrocaryum tucuma)  rico em ômega 3 e 9 – excelente hidratante e antioxidante.  conteúdo graxo extraído em grande quantidade, tanto da polpa quanto da amêndoa.

CONCEITUAÇÕES BÁSICAS
 COSMÉTICO

“são preparações constituídas por substâncias naturais ou sintéticas, de uso externo nas diversas partes do corpo humano, pele, sistema capilar, unhas, lábios, órgãos genitais externos, dentes e membranas mucosas da cavidade oral, com o objetivo exclusivo ou principal de limpá-los, perfumá-los, alterar sua aparência e/ou corrigir odores corporais e/ou protegê-los ou mantê-los em bom estado”.

 TENSOATIVOS

OU SURFANTANTES

O QUE SÃO? * Surface * Active * Agent

Substâncias que possuem na mesma molécula grupos polares e apolares.

Primeiro tensoativo sintético: o sabão

Classificação de tensoativos

Aniônico

Catiônico pH > 7 Anfótero Não-iônico

Tipos de tensoativos
Não iônicos
• Parte hidrófila derivada de óxido de etileno • Parte hidrófoba pode ser um Álcool graxo, Nonilfenol, Amina graxa, entre outros
O(CH2CH2O)nH

Nonilfenol etoxilado Álcoois graxos etoxilados Álcoois graxos etoxilados e propoxilados Ácidos graxos etoxilados

O (CH2CH2O)nH
O(CH2CH2O)n (CH2CHO)mH CH3
C O O(CH2CH2O)nH

Aniônicos
• Parte hidrófila composta por grupos com carga negativa • Parte hidrófoba pode ser um Álcool graxo, Dodecilbenzeno, Ácidos graxos, entre outros
_ SO3 Na+

Alquilbenzeno sulfonato de Sódio
_ + OSO3 Na

Lauril sulfato de sódio Ácidos graxos saponificados ou Sabões

C

O O
_ Na+

Catiônicos
• Parte hidrófila composta por grupos com carga positiva
CH3 N CH3 CH
3

+

_ Cl

Quaternários de amônio com cadeia graxa

Anfóteros
• Parte hidrófila pode apresentar carga positiva ou negativa, de acordo com o pH
CH3 + N CH2 CH3 O C _ O

Betaínas

Objetivo do tensoativo
Agir como conciliador entre compostos sem afinidade, pela alteração da tensão superficial principalmente da água.

Denominações dos tensoativos
• Emulsionante • Dispersante • Umectante • Detergente • Antiespumante • Surfactante • Espumante • Desengraxante • Espalhante • Lubrificante • Emoliente • Amaciante • Penetrante • Solubilizante

TENSÃO SUPERFICIAL E FORMAÇÃO DE MICELAS

A

B

C

D

A
Tensão superficial

B C D

CMC

Concentração

(log10C)

- Micelas-

Agua / Óleo

Óleo / Agua

HLB do Tensoativo
Balanço Lipófilo / Hidrófilo

 Griffin (1949) ⇒ números de 0 a 20  Expressa a relação numérica entre os grupos polar
e apolar da molécula de tensoativo.

 Está relacionado à solubilidade do tensoativo nas
fases oleosa e aquosa.

 HLB > 6 ⇒ maior solubililidade em água

⇒ tensoativo é mais hidrófilo ⇒ emulsões O/A

 HLB < 6 ⇒ menor solubililidade em água

⇒ tensoativo é lipófilo ⇒ emulsões A/O

Aplicação do HLB
Faixa de HLB Aplicação Emulsionante A/O Umectante Emulsionante O/A Detergentes Solubilizantes Nonilfenóis etoxilados
(moles de EO)

Álcoois Laurílicos etoxilados
(moles de EO)

4-6 7-9 8 - 18 13 - 15 10 - 18

1,8 4,0 4 a 40 9,5 a 15 5 a 40

2a3 3 a 23 9 6 a 23

EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS
 Tanque principal de aço inoxidável 316 ou fibra para processos a frio);  Tanque secundário com capacidade de 1/3 a 1/2 do tanque principal, munido de agitador tipo turbina e sistema de aquecimento;  Tubulação (linhas): aço inoxidável 316 ou tubos de PVC;  Cotovelos das linhas: nunca devem formar ângulos de 90ºC;  Sistema de agitação do tanque principal com raspadeiras laterais:  para xampus e sab. Líq. , usa-se hélice naval  em condicionadores, usa-se hélice tipo âncora. Nunca se usa hélice naval, pois derruba a viscosidade. Controle de velocidade  para xampu e sab. líq. :1000 a 2000rpm  para condicionador: 10 a 100rpm Sistema de aquecimento e resfriamento: tanque encamizado para passagem de água quente ou fria.

DEMONSTRAÇÃO PRÁTICA
SHAMPOO PARA CABELOS NORMAIS COMPONENTES Lauril éter sulfato de sódio(27%) Cocoamido Propil Betaína(30%) DEA 90 Fragrância Cloreto de Sódio Àcido Cítrico ATPEG Manteiga de cupuaçu Proteína de Trigo EDTA dissódico Fenoxietanol e parabenos Corante Água COMPOSIÇÃO(%) 25 5 2 q.s.p. 1 q.s.p pH= 5,5-6,0 0,5 0,5 0,5 0,1 0,08 q.s.p q.s.p 100