You are on page 1of 26

SENSIBILIZAÇÃO NOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM PEDIATRIA

ENFERMAGEM DA PEDIATRIA SCMS

• A humanização não resulta apenas na aplicação de recursos materiais. Ela pode ser conseguida também através de atitudes. Assim, num hospital precário, os pacientes podem ser bem recebidos com a pouca comodidade do local, desde que não excessiva, para que sintamse bem devido ao acolhimento. (MEZOMO, 2001, p. 13)

é necessário refletir: – O que entendemos por infância? – Quais as necessidades de uma criança? – Quais delas estão e quais podem estar em nossa esfera de ação? – Qual é nossa atual esfera de ação? .Abordagens na Assistência à Criança • Para escolhermos a abordagem que adotaremos na assistência à criança.

ASSISTÊNCIA A CRIANÇA E AO ADOLESCENTE • Os profissionais envolvidos com a assistência à criança devem: • Conhecer os padrões normais de crescimento e desenvolvimento. • Planejar ações direcionadas aos problemas identificados. . • Compreender os marcos importantes do desenvolvimento. • Reconhecer os desvios o mais rápido possível.

muitas vezes brinca de estar saudável” .Piaget) • “Criança mesmo doente ás vezes brinca.BRINCADEIRAS NA INFÂNCIA: Crescimento e Saúde • "Nas brincadeiras. (J. uma criança age de acordo com sua visão do mundo".

aprende à respeitar o outro. sonha e fantasia experiências cotidianas.A criança precisa brincar porque através da brincadeira ela: • • • • • • • • • • explora o mundo. . auto-realizar-se. exerce sua imaginação. descobre limites. bate e apanha. cria e constrói seu saber e suas brincadeiras. chora e ri. socializa-se e desenvolve o sentido de grupo. briga. se zanga.

ambiente adequado de moradia. provocando prazer. carinho e respeito. medo.. • É bom lembrar que. o organismo pode liberar substâncias que fazem bem ou mal à saúde. todos os sentidos do corpo são estimulados. • Em determinados momentos. alguns sentidos podem ser estimulados mais que outros.. . e dependendo de cada emoção.• Brincar é tão importante para a criança quanto provê-la de boa alimentação. expectativa. sono tranquilo. qualquer que seja a brincadeira ou o brinquedo. segurança.

• Porém a hospitalização não deve constituir-se uma experiência traumática ou uma interrupção no desenvolvimento.BRICANDO COM A CRIANÇA HOSPITALIZADA • O planejamento das ações de enfermagem. . está mais voltado para os cuidados físicos. sem valorizar devidamente os aspectos psicológicos e emocionais.

encorajando-a a expressar seus sentimentos mais abertamente. tornam-se os profissionais mais indicados não só para observar.• Pelo fato da equipe de enfermagem permanecer 24hs em contato com a criança. mas também para interagir com ela. .

• Será que nós.PARA PENSAR.. perderíamos nosso precioso profissionalismo se brincássemos com a criança? .. profissionais de enfermagem.

CUIDADOS PARA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE HOSPITALIZADOS .

• Não tocar a criança com agressividade. força. informando que vai fazer um medicamento. falando com ele. evacuadas. mesmo que ele não troque informações com você. .• Nunca deixar crianças molhadas. cuidar de seu corpinho. dar um alimento. falando alto ou com perfumes fortes. mal acomodadas no berço ou incubadora. • Comunicar-se com o bebê acariciando-o.

a mãe e o pai também adoecem e acabam internados com a criança.ADMISSÃO • É o recebimento da criança no hospital. Sua finalidade é favorecer a adaptação da criança e de sua família ao hospital e auxiliar no diagnóstico e tratamento. cuidando de ambas através de intervenções terapêuticas. • Nunca devemos esquecer que. quando a criança adoece e se interna. .

principalmente se esta transferência for para UTI Pediátrica. A equipe deve colocar-se à disposição para esclarecer dúvidas. .TRANSFERÊNCIA • A criança e responsável devem ser devidamente informados sobre a transferência da mesma para onde quer que seja. além de oferecer apoio emocional e encorajamento.

ALTA HOSPITALAR • A alta deve favorecer a reintegração da criança ou do adolescente ao lar através de orientações que permitam à mãe propiciar-lhe assistência e convivência adequada. .

Mesmo assim. o cuidado para a criança ainda aporta apenas na racionalidade científica.• Sabendo que a enfermagem é uma profissão com natureza diferenciada. Apesar dos avanços. a emoção como objeto do cuidado e da pesquisa ainda não foi assumida como uma dimensão da ação de cuidar. . temos seguido em nossas pesquisas que “uma boa dose de amor é indispensável em todas as ações diárias”.

além de cuidarmos da criança.CUIDADO CENTRADO NA FAMÍLIA • Quando uma criança necessita de hospitalização. . temos que cuidar dos pais pois eles também ficam hospitalizados.

são eles que respondem por este ser. . tios ou tutores. alguém responsável por aquele menor. e tudo deve ser feito para dar tranquilidade e conforto a estes familiares. avós. e a enfermagem ás vezes não compreende esta situação.QUEM SÃO OS FAMILIARES? • Os familiares são os pais. cuidando destes acompanhantes.

 . acessos venosos e aparelhos.A FAMÍLIA  Tem medo do desconhecido. da morte. e da qualidade do tratamento dispensados a sua criança. das lesões corporais. E o sentimento de incapacidade quando vê a criança com sondas. da dor.

• A enfermagem deve entender quando a família não quer ou não poder ficar como acompanhante. . sem julga-lá.A FAMÍLIA • Tem ou não tempo disponível para dedicar-se ao filho durante a hospitalização.

. apoio emocional e espiritual podendo ajudar na recuperação da criança com orientação a participar dos cuidados.DOENÇA NOS FAMILIARES • Os familiares estão doentes no “psicológico”. aflitos e necessitam de informações sobre a criança.

mostrando seus deveres e seus limites.REGRAS PARA OS ACOMPANHANTES • A enfermagem precisa ajudá-lo a compreender como deve se comportar dentro do hospital. .

.LEI FUNDAMENTAL.. • Mães e pais e outros acompanhantes precisam saber que a lei fundamental de enfermagem que é a de nunca colocar em risco a vida da criança e a paz dos que acompanham durante o período de internação .

• Esclarecer as dúvidas dos acompanhantes. • Dar informações claras e sinceras do que está acontecendo com as crianças. • Torná-los parceiros e companheiros na luta para restaurar a saúde a criança.DA ENFERMAGEM PARA OS ACOMPANHANTES • Incentivar sua permanência junto as crianças. • Fazer com que se sintam úteis no cuidado à criança. .

. . • Não esquecer que as ações e gestos e expressões dos acompanhantes.. mostram o que realmente estão sentindo. tanto quanto das crianças...ATENÇÃO AO QUE O CORPO FALA.

Fim Prof. Denis de Jesus Pereira . Enfº.