You are on page 1of 17

Funções da Linguagem

• A comunicação não acontece somente quando falamos, estabelecemos um diálogo ou redigimos um texto. Ela se faz presente em todos (ou quase todos) os momentos. Comunicamo-nos com nossos colegas de trabalho, com o livro que lemos, com a revista, com os documentos que manuseamos, através de nossos gestos, ações, até mesmo através de um beijo de “boa noite”. • Por meio da linguagem, também realizamos diferentes ações: transmitimos informações, tentamos convencer o outro a fazer (ou dizer) algo, assumimos compromissos, ordenamos, pedimos, demonstramos sentimentos, construímos representações mentais sobre nosso mundo; enfim, pela linguagem organizamos nossa vida do dia a dia, em diferentes aspectos. • Diferenciar que objetivo predomina em cada situação de comunicação auxilia a compreender melhor o que foi dito.

Elmentos da comunicação Receptor Contexto Canal Mensagem Código Emissor .

Canal de comunicação: é o meio pelo qual a mensagem é transmitida.é o conteúdo (assunto) das informações que ora são transmitidas. Contexto: é o objeto ou a situação a que a mensagem se refere. também conhecido como destinatário. . Código: é o conjunto de signos e de regras de combinação desses signos utilizado para elaborar a mensagem: o emissor codifica aquilo que o receptor irá decodificar. são eles: Emissor: é aquele que envia a mensagem (pode ser uma única pessoa ou um grupo de pessoas). Mensagem .No ato de comunicação percebemos a existência de alguns elementos. Receptor: é aquele a quem a mensagem é endereçada (um indivíduo ou um grupo).

ligadas ao ato da comunicação: Conativa Expressiva Referencial Metalinguística Poética Fática .O linguista russo Roman Jakobson caracterizou seis funções de linguagem.

.Importante:  Toda comunicação apresenta uma variedade de funções. sendo uma dominante. de acordo com o enfoque que o destinador quer dar ou do efeito que quer causar no recebedor. mas elas se apresentam hierarquizadas.

As funções da linguagem estão centradas nos elementos da comunicação e com elas se relacionam. Expressiva Referencial Fática Apelativa Poética Metalinguística Emissor Contexto Meio Receptor Mensagem Código .

. autobiografia. cartas de amor etc. “ antes de começar o conserto de rachaduras da casa. Comumente percebemos a função expressiva em blogs. 3. Função referencial: também chamada de denotativa ou informativa. 2. “ eu odeio tomar refrigerante quente”. Função emotiva ou expressiva: através dessa função. buscando transmitir informações objetivas sobre ele. busca-se envolver o receptor com o conteúdo transmitido. O emissor mostra que está presente no texto mostrando aos olhos de todos seus pensamentos. levando-o a adotar este ou aquele comportamento. discursos políticos etc. opiniões. Na função conativa a presença do receptor está marcada sempre por pronomes de tratamento ou da segunda pessoa e pelo uso do imperativo e do vocativo. avaliações. o emissor imprime no texto as marcas de sua atitude pessoal: emoções. É valorizado o objeto ou a situação de que se trata a mensagem sem manifestações pessoais ou persuasivas. Ex.Funções da Linguagem: 1. Exemplos em sermões. Função conativa ou apelativa: essa função procura organizar o texto de forma a que se imponha sobre o receptor da mensagem. A função referencial privilegia justamente o referente da mensagem. certifique-se de possuir material adequados”. Ex. seduzindo-o. Essa função predomina nos textos de caráter científico e é privilegiado nos textos jornalísticos. Nas mensagens em que predomina essa função. persuadindo-o. Referente é o objeto ou situação de que a mensagem trata. onde a 1ª pessoa do singular tende a prevalecer.

• “Não só baseado na avaliação do Guia da Folha. Fantástico! Parabéns. fantástico). sua adesão ao conteúdo que informa. mas tive uma satisfação imensa quando li críticas unânimes na imprensa. Sérgio Rizzo. sua percepção dos acontecimentos.” Luciano Duarte. apesar de tantos enlatados. advérbios (nunca me decepcionam). seus textos nunca me decepcionam. Temia que a crítica brasileira condenasse o filme por não ser convencional. uso de recursos gráficos que indicam ênfase. o destinador usa alguns procedimentos. temia. No texto acima. • . tive.Exemplo: Função Expressiva. mas também por iniciativa própria. assisti cinco vezes a “Um filme falado”. destaque para qualidades subjetivas por meio de adjetivos (satisfação imensa. tais como. O efeito que resulta é o destaque para a subjetividade do emissor. Nesse exemplo. temos o enfoque no emissor e a função predominante nesse texto é a função emotiva ou expressiva. Isso mostra que. a nossa crítica é antenada com o passado e o presente da humanidade e com as coisas que acontecem no mundo. mas o ponto de vista do emissor que está em destaque. Não é o fato. Guia da Folha. críticas unânimes. 10 a 16 de junho 2005. como o ponto de exclamação (fantástico!). li (eu). emprego de 1ª pessoa: assisti.

19h30 e 21h50. 96 min. como se a informação traduzisse verdadeiramente o que acontece no mundo real. Stefania Sandrelli e Irene Papas.Produção França/Itália/Portugal. quatro indica muito bom). Horário: 13h. Esse conjunto de informações dá ao destinador a impressão de objetividade. 15h10. 17h20. No texto acima. Catherine Deneuve. 2003. o endereço. a função predominante é a função referencial ou informativa. ausência de expressões que indicam a opinião do emissor. Com: Leonor Silveira. Jovem professora de história embarca com a filha em um cruzeiro que vai de Lisboa a Bombaim. Box 2 Manaíra Shopping. ausência de adjetivos (a indicação de que o filme é bom aparece na quantidade de estrelinhas. emprego de um conjunto de informações que diz respeito a coisas do mundo real. John Malkovich. • . “eu desejo”. Nesse caso. Direção: Manoel de Oliveira. 12 anos. como “eu acho”. explicitado no trecho: jovem professora de história (ela). tais como a exatidão dos horários.Exemplo: Função Referencial • *****UM FILME FALADO . os nomes próprios. outros procedimentos são colocados em destaque: uso da 3ª pessoa.

. Não perca a inauguração do Armazém Paraíba. Para isso o emissor se valeu de procedimentos como o uso da 2ª pessoa (você). Se não tiver dinheiro. o uso do imperativo (Não perca). O resultado é a interação com o destinatário procurando convencê-lo a realizar uma ação.Exemplo: Função Conativa FIADO!? SÓ NO ARMAZÉM PARAÍBA. * Nesse texto. o destaque está no destinatário. não tem problema: fiado só aqui. Não perca tempo em outro lugar. com desconto em todos os eletro-eletrônicos. Você nunca viu promoção assim.

interpretações e críticas diversas. Esse tipo de mensagem serve para manter o contato. ou fórmulas prontas para dar continuidade á conversa como em ahan. Função fática: Essa função ocorre quando a mensagem se orienta sobre o canal de comunicação ou contato.. O emissor usa procedimentos para manter o contato físico ou psicológico com o interlocutor. quero dizer que essa palavra poderia ser substituída por outra mais precisa. pôr em destaque o canal de comunicação. o que você está querendo dizer?. uh. transformando-se em seu próprio referente. estamos usando a linguagem (o código) para falar. que desse a entender que. o que está dizendo. descrever o próprio código linguístico.. pois é ou em está me ouvindo?. Nessas situações..Funcões da Linguagem (continuação): 4.“ . ao preencher um exercício de palavras cruzadas ou consultar um dicionário. Função metalinguística: quando a linguagem se volta sobre si mesma ou quando a linguagem fala de si própria. como em alô!.. para sustentar ou "encompridar" ou interromper a conversa . bem. comentários sobre o clima etc. ao iniciar uma conversa telefônica. ou em que o emissor quer precisar. como em eu quis dizer. bem.. isto é.. explicar. Fazemos uso de metalinguagem. estamos nos atendo ao próprio código. Exemplos em saudações. como?. 5. Ex. buscando verificar e fortalecer sua eficiência.. para retomar o contato telefônico. Predomina em análises literárias.. esclarecer.

ocorre a superposição de várias delas. assim podemos identificar a finalidade principal do texto. de modo geral. no entanto. utilizando combinações sonoras ou rítmicas. Há. aquela que se sobressai. . • ATENÇÃO: Essas funções não são exploradas isoladamente. É explorado na poesia e em textos publicitários. Função poética: quando a mensagem é elaborada de forma inovadora e imprevista.Função Poética • 6. Essa função é capaz de despertar no leitor prazer estético e surpresa. temos a manifestação da função poética da linguagem. jogos de imagem ou de idéias.

fumaça Corre. cerca Ai seu foguista Bota fogo Na fornalha Que eu preciso Muita força Muita força Muita força Oô. Quando me prendero No canaviá Cada pé de cana Era um oficiá Oô. Vou depressa Vou correndo Vou na toda Que só levo Pouca gente Pouca gente Pouca gente. Foge. Vou mimbora vou mimbora Não gosto daqui Nasci no sertão Sou de Ouricuri Oô.... . povo Passa ponte Passa poste Passa pasto Passa boi Passa boiada Passa galho Da ingazeira Debruçada No riacho Que vontade De cantar! Oô.TREM DE FERRO (De: Manuel Bandeira) Café com pão Café com pão Café com pão Virge Maria que foi isso maquinista? Agora sim Café com pão Agora sim Voa.... Menina bonita Do vestido verde Me dá tua boca Pra matar minha sede Oô..... bicho Foge...

de novidade. como se o conteúdo fosse transparente. a estrutura. pela exploração dos vários elementos do signo. .Exemplo: Função Poética Trem de ferro de Manuel Bandeira. Aqui. temos um texto em que a função se centra na própria mensagem. como a sonoridade. A mensagem chama a atenção para o lado material do signo. o ritmo. O efeito é de estranhamento.

• O trem assume uma importância muito maior que um simples meio de locomoção: ele é dor e alegria. • Do singular (subjetividade lírica ) para falar do plural: o homem e a sociedade.“Trem de Ferro” (Considerações) • Ritmo lúdico. sem afetação literária + temáticas retiradas do quotidiano. • A viagem : a dificuldade e a esperança do eu lírico / cenário de problemas sociais. • Simplicidade : uma linguagem da fala natural. • Somos conduzidos para um universo mágico do imaginário da infância. . o que gera um som onomatopaico imitando os movimentos de um trem. • O verso "Café com pão“ apresenta variação entre uma sílaba forte e uma fraca. • Complexidade: pluralidade de significados na metáfora "trem de ferro”.

embora a função poética. A linguagem da publicidade explora os recursos dos signos. . não é exclusividade da literatura. esteja mais presente na poesia.Ainda sobre a Função Poética: • É importante lembrar que. construindo novos sentidos ao romper com o modo tradicional como vemos as palavras.

Acesso em 12 de janeiro de 2010.Referências: • http://www.youtube.uol. Acesso em 12 de janeiro de 2010.br/redacao/funcoes-delinguagem/. Acesso em 12 de janeiro de 2010.br/portugues/funcoes_linguagem.com. Disponível em • <http://www.com/redacao/as-funcoeslinguagem.alunosonline. • http://educacao.brasilescola.htm. • http://www. • Comercial Havaianas “Menos é mais”.jh tm.com/watch?v=G8aDobXEtrQ> .com. Acesso em 27 de fevereiro de 2010.