You are on page 1of 14

O QUE É SINTAXE?

NA GRAMÁTICA TRADICIONAL
Estudo da construção da frase. (ROCHA LIMA, 1986. p. 6)

e regras que são elementos ou propriedades de todas as línguas humanas.NA GRAMÁTICA GERATIVA Chomsky parte da concepção de Gramática Universal (doravante UG[1]). Universal Grammar.. 1976 apud COOK . a essência da linguagem humana” (CHOMSKY.2). condições. .1996. vista aqui como “o sistema de princípios. [1] Do inglês.. p.

é emprestada a Humboldt (1836). segundo os autores. .Chomsky e Lasnik (1991) afirmam que uma característica importante desse sistema é o fato de ele permitir infinito uso de meios finitos e que esses meios finitos compõem uma língua em particular. que já preceituava que “uma língua faz uso infinito de meios finitos” e que “a gramática dessa língua deve descrever os processos que tornam isso possível”. Essa afirmação.

As quatro questões clássicas de Chomsky na busca por uma “gramática humana” (1) O que constitui o conhecimento da linguagem? (2) Como tal conhecimento é adquirido? (3) Como tal conhecimento é posto em uso? (4) Quais são os mecanismos físicos que servem de base material para esse sistema de conhecimento e para o uso que é feito de tal conhecimento? .

o que Chomsky define como o conjunto de normas internalizadas que nos permitem a construção de frases gramaticais. . para estabelecer comunicação e entendimento. É a competência. cujo estudo parte da terceira pergunta. O uso dessas construções. que permitirá à Linguística investigar o funcionamento da linguagem humana.Delas partiu para as definições de competência e desempenho. As duas primeiras perguntas enquadram-se na competência. é o desempenho. no entanto.

Vejamos exemplos: (1) a. O que determina a agramaticalidade de (1 a) é o fato de o verbo gostar exigir como seu constituinte imediato um PP e de Maria ser um NP. se é propriedade do verbo determinar seus constituintes imediatos dentro do VP. . Ou seja. b. é propriedade sua a de determinar com que categoria gramatical de constituintes poderá – ou não – ocorrer no interior do VP. é a partir dele que poderemos distinguir as três classes de verbos tradicionalmente descritas: transitivos direto ou indireto. *João gosta Maria. bitransitivos e intransitivos. João gosta de Maria. Ora.A Subcategorização Verbal Cada verbo é sensível à composição categorial do VP em que ocorre.

S [VI + Compl.)]  João guarda no coração o amor de Maria. S [VTDI + OD (SN) + OI (SP)]  João mora na casa de Maria. S [VTD + OD (Sintagma Nominal)]  João ofereceu flores à Maria. OS PREDICADORES  Os predicadores determinam as estruturas básicas da oração. (SAdv)] . S [VTD + SN (OD) + Compl.A APLICAÇÃO NO ENSINO GT + GB TERMOS DA ORAÇÃO I. (Sintagma Adv. S [VTI + OI (Sintagma Prep. Adv. Observe os exemplos abaixo.)]  João ama Maria. Adv. BLOCO 1  João gosta de Maria.

___ [VTD + OD (SN)]  Houve dúvidas sobre isso. ___ [V TD + OD (SN)] BLOCO 3 Quando eles estão juntos.BLOCO 2  Há um belo amor entre eles. [VI]  troveja. [VI] . [VI]  escurece.  chove.

CONCLUSÃO Na GT. aquelas que têm um verbo transitivo ou intransitivo como núcleo. os blocos 1. isto é. 2 e 3 caracterizam estruturas de PREDICADO VERBAL. .

)]  João é seu namorado. aquele que tem como núcleo um nome (adjetivo – feliz – ou substantivo – namorado) . S [Vlig + PREDICATIVO (Sintagma Adj. S [Vlig + PREDICATIVO (SAdj.BLOCO 4  Maria está feliz. isto é. as estruturas do bloco 4 correspondem ao PREDICADO NOMINAL.)] CONCLUSÃO: Na GT.

BLOCO 5  João deixa Maria enlouquecida. S [VTD + OD (SN) + PREDICATIVO (SAdj]  Maria considera João um Don Juan. Adv. (SAdv) + PREDICATIVO (SAdj] . S [VTD + OD (SN) + PREDICATIVO (SAdj]  João entra no quarto ofegante. S [VI + Compl.

já que combina PREDICADO VERBAL e PREDICADO NOMINAL. . também denominado PREDICADO COMPLEXO.CONCLUSÃO Na GT. as estruturas do bloco 5 correspondem ao PREDICADO VERBONOMINAL.

)] PREDICADO NOMINAL S [Vlig PREDICATIVO] PREDICADO VERBO-NOMINAL S [V (OD) (Compl.A partir desse levantamento. Adv.) PREDICATIVO] . podemos chegar a uma estrutura básica para cada um dos tipos de predicado estabelecidos pela GT. PREDICADO VERBAL (S) [V(TD)(TI)(TDI) (OD) (OI) (Compl. Adv.

N. Porto Alegre. E. 27. . L. Explanation in linguistics. ed. 1994.. 6 SILVA. Língua portuguesa – módulo I: gramática. Cambridge: MIT Press.. As vozes verbais sob a perspectiva da teoria da regência e ligação : uma análise de manuais de ensino da língua portuguesa. In: Hornstein and Lightfood (eds). Diplomacia – curso preparatório por disciplina. Chomsky’s universal grammar: an introduction. RAPOSO. 1965. N. Oxford: Blackwell. Ana Márcia Martins. 2006. p. Lisboa: Editorial Caminho. P.. 1986. / Ana Márcia Martins Silva. ed. _________. NEWSON. H. – Porto Alegre. LASNIK . CHOMSKY.. A faculdade da linguagem. Gramática normativa da língua portuguesa. 1991. Teoria da gramática. Rio de Janeiro : José Olympio.BIBLIOGRAFIA COOK. CHOMSKY. 1992 ROCHA LIMA. Introduction to government and binding theory. Carlos Henrique da. 2. Oxford: Blackwell. M. 2009. 1996. 112 f. Aspects of the theory of syntax. V. HAEGEMAN. (Principles and parameters in syntactic theory.