MODELO IS-LM: A INTERLIGAÇÃO ENTRE O LADO REAL E O LADO MONETÁRIO ESTE MODELO ORIGINA-SE DO TRABALHO DE HICHS (1937), NO QUAL TENTA SINTETIZAR AS CONTRIBUIÇÕES DE KEYNES. Agora na pag. 101 apostila on line

OS PRESSUPOSTOS BÁSICOS MANTÊM-SE OS MESMOS DO MODELO KEYNESIANO SIMPLES, OU SEJA, COM A DEMANDA DETERMINANDO O PRODUTO, SENDO O NÍVEL DE PREÇOS CONSTANTE. NO MODELO IS-LM INCORPORAMOS O MERCADO DE ATIVOS E A DETERMINAÇÃO DE JUROS À ANÁLISE, COM ESTA PASSANDO A INFLUIR NA DETERMINAÇÃO DA RENDA ATRAVÉS DO INVESTIMENTO.

NO MODELO IS-LM, TEMOS A DETERMINAÇÃO SIMULTÂNEA DA TAXA DE JUROS E DA RENDA QUE EQUILIBRAM O MERCADO DE BENS E DE ATIVOS. NESSE SENTIDO, O MERCDO DE ATIVOS REPRESENTADO PELA OFERTA E DEMANDA DE MOEDA DETERMINA A TAXA DE JUROS. O INVESTIMENTO AGREGADO, SUPOSTO CONSTANTE NO MODELO KEYNESIANO SIMPLES, É AFETADO PELA TAXA DE JUROS.

O INVESTIMENTO AGREGADO, SUPOSTO CONSTANTE NO MODELO KEYNESIANO SIMPLES, É AFETADO PELA TAXA DE JUROS. ASSIM, A TAXA DE JUROS, DETERMINADA NO MERCADO DE ATIVOS, AFETA A DEMANDA AGREGADA, POR MEIO DOS INVESTIMENTOS, E PORTANTO O NÍVEL DE PRODUTO DA ECONOMIA.

A RENDA, POR SUA VEZ, TAMBÉM INFLUI NO MERCADO DE ATIVOS, POR MEIO DA DEMANDA DE MOEDA QUE AFETA A DETERMINAÇÃO DA TAXA DE JUROS. PERCEBEMOS QUE SE TRATA DE UM SISTEMA DE DETERMINAÇÃO SIMULTÂNEA INVESTIMENTO AGREGADO, É O INVESTIMENTO TOTAL DA ECONOMIA, FORMAÇÃO DE CAPITAL, INVESTIMENTO PRODUTIVO, CONSTRUÇÃO DE FÁBRICAS.

TOMANDO-SE COMO VARIÁVEIS EXÓGENAS NO MODELO A POLÍTICA MONETÁRIA (OFERTA DE MOEDA), A POLÍTICA FISCAL (IMPOSTOS E GASTOS PÚBLICOS) E O NÍVEL DE PREÇOS, QUE É CONSIDERADO CONSTANTE.

A CURVA IS MOSTRA AS CONDIÇÕES DE EQUILÍBRIO NO MERCADO DE BENS, ISTO É, EM QUE A OFERTA AGREGADA IGUALA A DEMANDA AGREGADA DE BENS E SERVIÇOS. MANTEMOS A MESMA ESTRUTURA DO MODELO KEYNESIANO, APENAS ACRESCENTANDO A TAXA DE JUROS COMO VARIÁVEL PARA EXPLICAR O INVESTIMENTO.

O INVESTIMENTO VARIA INVERSAMENTE À TAXA DE JUROS. QUANTO MAIOR A TAXA DE JUROS, MENOR O INVESTIMENTO E QUANTO MENOR A TAXA DE JUROS, MAIOR O INVESTIMENTO. ENTÃO, NOSSO MODELO É EXPANDIDO DA SEGUINTE MANEIRA:

Y = C (Yd) + I (i) + G, ONDE, C = CONSUMO, Yd = RENDA DISPONÍVEL, I = INVESTIMENTO, i = TAXA DE JUROS E G= GASTO DO GOVERNO. VIMOS NO MODELO KEYNESIANO QUE ALTERAÇÕES NO INVESTIMENTO LEVAM À AMPLIAÇÃO DA RENDA. NAQUELE CASO, CONSIDERAVA-SE O INVESTIMENTO COMO EXOGENAMENTE DETERMINADO. AGORA, AO INTRODUZIRMOS A TAXA DE JUROS, PASSAMOS A DEFINIR ENDOGENAMENTE O INVESTIMENTO CONFORME OSCILA A TAXA DE JUROS.

ASSIM, REDUÇÕES NA TAXA DE JUROS LEVAM A ELEVAÇÃO NO INVESTIMENTO E, CONSEQUENTEMENTE, NA RENDA. Agora abram a apostila on line na figura 6.1

 

EIXO VERTICAL, TEMOS A TAXA DE JUROS, EIXO HORIZONTAL TEMOS O PRODUTO-RENDA NESSA FIGURA TEMOS A CURVA IS. ELA TEM INCLINAÇÃO DESCENDENTE, OU SEJA, QUANTO MAIOR A TAXA DE JUROS, MENOR É O PRODUTO-RENDA

DESSE MODO, A INCLINAÇÃO DA CURVA IS DEPENDE ESSENCIALMENTE DE DOIS FATORES: 1) A SENSIBILIDADE DO INVESTIMENTO EM RELAÇÃO A TAXA DE JUROS; 2) A PMC

 

QUANTO AO PRIMEIRO TEMOS: QUANTO MAIOR A SENSIBILIDADE DO INVESTIMENTO EM RELAÇÃO A TAXA DE JUROS, MAIS HORIZONTAL SERÁ A CURVA IS, ISTO É, MENOR SUA INCLINAÇÃO. ISTO ACONTECE PORQUE UMA PEQUENA VARIAÇÃO NA TAXA DE JUROS INDUZIRÁ UMA GRANDE VARIAÇÃO NO INVESTIMENTO E, PORTANTO, NA DEMANDA AGREGA E NA RENDA.

O OPOSTO OCORRERÁ QUANDO O INVESTIMENTO FOR POUCO SENSÍVEL A TAXA DE JUROS: VARIAÇÕES NO INVESTIMENTO IRÃO REQUERER MAIORES VARIAÇÕES NA TAXA DE JUROS, LEVANDO A IS PRÓXIMA DA VERTICAL.

QUANTO A PMC, TEM-SE O SEGUINTE: SE A PMC FOR ELEVADA, VARIAÇÕES NO INVESTIMENTO GERARÃO GRANDES EXPANSÕES INDUZIDAS NO CONSUMO, AMPLIANDO A DEMANDA E A RENDA. DESSA FORMA, QUANTO MAIOR A PMC, MAIOR SERÁ O IMPACTO SOBRE A RENDA DE VARIAÇÕES NAS TAXAS DE JUROS, OU SEJA, MENOR SERÁ A INCLINAÇÃO DA IS (MAIS HORIZONTAL).

ATÉ AQUI FALAMOS DA INCLINAÇÃO DA IS, OU SEJA, QUANDO ELA TENDE A SER MAIS HORIZONTAL OU MAIS VERTICAL. AGORA ELA TAMBÉM PODE DESLOCAR-SE PARA A DIREITA OU PARA A ESQUERDA.

OU SEJA, A POSIÇÃO DA CURVA IS DEPENDEM DO VOLUME DOS GASTOS AUTÔNOMOS, NOS QUAIS INCLUEM-SE O CONSUMO E O INVESTIMENTO AUTÔNOMO E OS ELEMENTOS DA POLÍTICA FISCAL, COM DESTAQUE PARA OS GASTOS PÚBLICOS. QUANTO MAIOR O CONSUMO, OU O INVESTIMENTO, OU AINDA O GASTO DO GOVERNO, MAIS PARA A DIREITA SE LOCALIZARÁ A CURVA IS (FIGURA 6.2 DA APOSTILA ONLINE).

ASSIM, MUDANÇAS NESTAS DESPESAS DESLOCAM A CURVA, ALTERAM A SUA POSIÇÃO. POR EXEMPLO, UMA EXPANSÃO NOS GASTOS DO GOVERNO DESLOCA A IS PARA A DIREITA (PARA CIMA) E CONTRAÇÃO A DESLOCA PARA A ESQUERDA (PARA BAIXO). Abrir apostila on line pag 102

AS VARIÁVEIS RESPONSÁVEIS PELOS DESLOCAMENTOS DA CURVA IS SÃO: GASTO DO GOVERNO, CONSUMO, INVESTIMENTO, EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO,OU SEJA, SÃO TODAS A QUELAS VARIÁVEIS QUE ESTÃO NO MODELO KEYNESIANO SIMPLES. NO CASO DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES, JÁ SABEMOS QUE O QUE IMPORTA AQUI SÃO AS EXPORTAÇÕES LÍQUIDAS, OU SEJA, AS EXPORTAÇÕES MENOS AS IMPORTAÇÕES. VALE LEMBRAR QUE AS IMPORTAÇÕES ENTRAM AQUI COM O SINAL NEGATIVO.

CURVA LM: EQUILÍBRIO NO MERCADO MONETÁRIO. A CURVA LM (FIGURA 6.3) REPRESENTA O EQUILÍBRIO NO MERCADO DE ATIVOS. PARA FACILIAR A EXPOSIÇÃO, VAMOS CONSIDERAR QUE EXISTEM DOIS TIPOS DE ATIVOS NA ECONOMIA, NOS QUAIS OS INDIVÍDUOS ALOCAM SUA RIQUEZA: MOEDA E TÍTULOS.

CARACTERÍSTICA DA MOEDA: POSSUI LIQUIDEZ ABSOLUTA, MAS QUE NÃO RENDE JURO, ISTO É, SUA POSSE NÃO DÁ UM RENDIMENTO AO DETENTOR. JÁ OS TÍTULOS RENDEM JUROS, MAS POSSUEM UMA LIQUIDEZ INFERIOR A MOEDA, ISTO É, EXISTE UM CUSTO PARA TRANSFORMÁ-LA EM PODER DE COMPRA.

SUPONDO UM ESTOQUE DE RIQUEZA (W), TEREMOS: DEMANDA TOTAL DE MOEDA (Md) + DEMANDA TOTAL DE TÍTULOS (Bd) = RIQUEZA W/P O TERMO W/P = RIQUEZA (PATRIIMÔNIO) EM TERMOS REAIS. A OFERTA TOTAL DE ATIVOS SERÁ DADA POR: Ms / P + Bs = RIQUEZA. ONDE Ms É A OFERTA DE MOEDA E Bs A OFERTA DE TÍTULOS.

 

ASSIM, QUANDO A OFERTA DE ATIVOS IGUALA A DEMANDA DE ATIVOS, TEMOS: Md - Ms/P + Bd - Bs =0 PERCEBEMOS COM ESSA EQUAÇÃO QUE, COMO O EXCESO TOTAL DE DEMANDA NO MERCADO DE ATIVOS É IGUAL A ZERO E COMO ESTAMOS CONSIDERANDO DADO O ESTOQUE DE RIQUEZA, SE O MERCADO MONETÁRIO ESTIVER EM EQUILÍBRIO, O MESMO VALERÁ PARA O MERCADO DE TÍTULOS.

SE HOUVER EXCESSO DE DEMANDA POR MOEDA, HAVERÁ EXCESSO DE OFERTA DE TÍTULOS, E VICE-VERSA GRAFICAMENTE A CURVA LM É REPRESENTADA NA FIGURA 6.3 DA APOSTILA ELA É POSITIVAMENTE INCLINADA REPRESENTANDO A RELAÇÃO DIRETA ENTRE TAXA DE JUROS E PRODUTO-RENDA.

OS FATORES QUE AFETAM A INCLINAÇÃO DA CURVA LM SÃO AS ELASTICIDADES DA DEMANDA DE MOEDA EM RELAÇÃO A RENDA E A TAXA DE JUROS. OU SEJA, QUANTO MAIOR A ELASTICIDADE DA DEMANDA DE MOEDA EM RELAÇÃO À RENDA, MAIOR SERÁ A INCLINAÇÃO DA CURVA LM, UMA VEZ QUE UMA PEQUENA VARIAÇÃO NA RENDA LEVARÁ UMA GRANDE EXPANSÃO NA DEMANDA DE MOEDA, EXIGINDO UMA MAIOR ELEVAÇÃO NA TAXA DE JUROS PARA COMPENSÁ-LA.

QUANTO MAIOR A ELASTICIDADE DA DEMANDA DE MOEDA EM RELAÇÃO A TAXA DE JUROS, MENOR SERÁ A INCLINAÇÃO.

A POSIÇÃO DA CURVA LM É DADA PELA OFERTA REAL DE MOEDA. COMO ESTAMOS CONSIDERANDO O NÍVEL DE PREÇOS CONSTANTE, ESTA É AFETADA BASICAMENTE PELA POLÍTICA MONETÁRIA. ASSIM EXPANSÕES NA OFERTA DE MOEDA DESLOCAM A LM PARA A DIREITA (PARA BAIXO) E CONTRAÇÕES PARA A ESQUERDA (PARA CIMA).

Agora acompanhem a figura 6.5 da apostila on line. Lá temos o equilíbrio do mercado de bens e de ativos quando as curvas IS-LM se cruzam. Na curva LM está o equilíbrio no mercado de ativos, a oferta de moeda é igual a demanda de moeda, de modo que a taxa de juros e o nível de renda se equilibram. Na curva IS, no ponto em que as duas curvas se cruzam há o equilíbrio no mercado de bens

Numa situação de equilíbrio no mercado IS-LM, o que poderá acontecer com esse equilíbrio se houver um aumento nos gastos do governo??? A curva IS ela é curva do mercado de bens e serviços. Um aumento nos gastos do governo terá como primeiro impacto um deslocamento da IS para a direita (figura 6.6)

Então, para equilibrar o mercado novamente o que é preciso fazer? O impacto inicial do aumento do gasto público é o deslocamento da IS para a direita. E o impacto final sobre a economia será o aumento da renda e da taxa de juros. Conforme a renda se amplia em de ocorrência do aumento dos gastos, aumenta a demanda de moeda, as pessoas querem gastar mais.

Com a oferta de moeda fixa, a taxa de juros deve se elevar para equilibrar o mercado monetário. Então a taxa de juros aumenta para frear o aumento da demanda de moeda que ocorreu em função do aumento do gasto do governo. A elevação da taxa de juros, por sua vez, faz com que o investimento se reduza, amenizando o impacto da política fiscal expansionista. Olhem o gráfico novamente (figura 6.6)

Considerando um mercado de bens e de ativos equilibrado, o que acontecerá com esse mercado se o governo implementar uma política monetária expansionista??? Uma política monetária expansionista significa aumentar a quantidade de moeda em circulação. Então, com a implementação de uma política monetária expansionista a curva LM se desloca para a direita, para baixo, (ela se desloca de LM1 para LM2 figura 6.7) de modo que o efeito imediato é uma redução na taxa de juros e um aumento da renda.