You are on page 1of 64

IDOSO

INSTITUIÇÃO

ANIMAÇÃO

ANIMADOR

COMUNIDADE LOCAL

Numa perspectiva pessoal, a animação parte do interior do indivíduo para

depois se exprimir no exterior, nas atitudes, nos gestos, nos comportamentos, nas palavras e nas interacções, levando a pessoa

desanimada a encontrar a fonte da sua vida no mais profundo de si mesma.
 Numa perspectiva de grupo, significa a acção de estímulo e mobilização de indivíduos , grupos e colectividades, sendo uma forma de infundir ânimo e insuflar dinamismo, entusiasmo e movimento a um conjunto de pessoas.

.

.

.

.

         

Histórias e contos populares Poemas, rimas, anedotas Visitas à comunidade, passeios Ciência divertida Culinária Jogos de mesa Jogos tradicionais Jardinagem Tarefas agrícolas Actividades específicas: bordado, rendas e tapeçarias, carpintaria…

  

Conversar Sessões de leitura Visionamento de filmes

Participação em pequenas tarefas da
instituição

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

com bastante experiência . lentos. com doenças. deprimidos. mais lento. mesmo jovens estão muito perto da morte? TODOS RESPONDERAM QUE SIM Ou seja: A maior parte das características do velho não são peculiaridades de uma faixa etária. experientes. com bastante tempo. tranquilo e mais perto da morte Ao grupo de jovens foi colocada a seguinte questão: . deprimida. Uma pessoa não passa a ter uma determinada personalidade porque envelheceu. com tempo de sobra. elas simplesmente mantêm ou acentuam características que já possuíam antes . tranquilos e que. com doenças. cansada doente e solitária Alguém muito vivido.Nenhuma de vocês já encontrou jovens muito vividos. tristes. doentes ou solitários? Ao grupo de mulheres foi colocada esta questão: . cansados. triste.Quais são as características que definem uma pessoa velha? Um grupo de estudantes na faixa dos 18 aos 21 anos Um grupo de mulheres dos 51 aos 83 anos Responderam Uma pessoa chata.Nenhum de vocês conhecem jovens chatos.

No entanto. se foi uma pessoa alegre. da sua história genética. o apoio psicológico. essas transformações são gerais. a idade do seu corpo. da sua parte psicológica e da sua ligação com a sociedade. se foi sempre uma pessoa insatisfeita. se foi resmungão vai continuar a sê-lo. a exposição moderada ao sol. são naturais e gradativas. são alguns factores que podem retardar ou minimizar os efeito da passagem do tempo. de acordo com as características genéticas de cada indivíduo e. a prática de exercício físico. principalmente como modo de vida de cada um. Envelhecer pressupõe alterações nestes campos porém. a atitude positiva perante a vida e o envelhecimento. psicológicos e sociais do envelhecimento. A alimentação adequada . Aspectos físicos. podendo-se verificar em idade mais precoce ou mais avançada e em maior ou menor grau. Se foi um batalhador. .IDOSO: É aquele que tem diversas idades. a estimulação mental. o controlo do stress. É a mesma pessoa que sempre foi.

• o metabolismo fica mais lento. • a pele perde tónus. • os ombros ficam mais arredondados. tornando-se menos eficiente. • a insónia aumenta assim como a fadiga durante o dia. • a digestão é mais difícil. • a produção de células novas diminui. • o nariz alarga-se • os olhos ficam mais húmidos. • os órgãos internos atrofiam-se. • as veias destacam-se sob a pele e enfraquecem. • aparecem manchas escuras na pele. • o cérebro perde neurónios e atrofia-se. tornando-se mais flácida. • há aumento de pêlos no nariz e orelhas. • a visão de perto piora devido à falta de flexibilidade do crisstalino. • diminuição da estatura por desgaste das vértebras Modificações internas: • os ossos endurecem. reduzindo o seu funcionamento. .Assim: Aspectos físicos: • as bochechas enrugam-se e embolsam. • encurvamento postural devido a modificações na coluna vertebral.

em função de: • crise de identidade. • o olfacto e o paladar diminuem. deprimidas e sem rumo. à perda de parentes e amigos. • o endurecimento das artérias e seu entupimento provocam arteriosclerose. vida agitada. • diminuição dos contactos sociais que se tornam reduzidos em função das suas possibilidades. • perdas diversas que vão da condição económica ao poder de decisão. distâncias. Com o passar dos anos o desgaste é inevitável. o que levará o idoso a uma perda da sua auto-estima. uma fase na qual o ser humano fica mais susceptível a doenças. Aspectos sociais: O envelhecimento social da população traz uma modificação no estatuto do idoso e do relacionamento dele com outras pessoas. ele deverá adequar-se a novos papéis.• a perda de transparência (catarata). . devem estar preparadas para não acabarem isoladas. porque ainda restam à maioria das pessoas muitos anos de vida. provocada pela falta de papel social. da independência e da autonomia. • as células responsáveis pela propagação dos sons no ouvido interno e pela estimulação dos nervos auditivos degeneram-se. no trabalho e na sociedade. senão operada pode provocar cegueira. Com o aumento do seu tempo de vida. • mudança de papéis na família. A velhice não é uma doença mas sim. • reformas. É uma época em que as pessoas adoecem mais rapidamente. falta de tempo. circunstâncias financeiras e a realidade da violência das ruas.

como as características físicas do envelhecimento. sendo encarados como características naturais do envelhecimento. • necessidade de trabalhar as perdas orgânicas. hipocondria e outros transtornos. paranóia. o envelhecimento traz ao ser humano uma série de mudanças psicológicas que podem resultar em: • dificuldade em se adaptar a novos papéis. • baixas auto-imagem e auto-estima. suicídios. • depressão. hipocondria. E. e 2% das pessoas com mais de 65 anos apresentam quadros de depressão que muitas vezes não são percebidos pelos familiares e/ou cuidadores. • alterações psíquicas que exigem tratamento. • dificuldade em se adaptar às mudanças rápidas que tem reflexos dramáticos nos idosos. Segundo estudos internacionais 15% dos idosos necessitam de atendimento em saúde mental. a aprendizagem de um novo estilo de vida para que as perdas sejam minimizadas. assim como para que sejam criados novos relacionamentos já que muitos acabaram. colegas e amigos. as de carácter psicológico . Assim. • falta de motivação e dificuldade em planear o futuro. netos. Aspectos psicológicos: Além das alterações no corpo.É necessário um trabalho para que sejam ajustadas as suas relações sociais. afectivas e sociais. Há dados que mostram que além de estarem sujeitos à depressão. com filhos. os idosos são atingidos por estados paranóides.

Além de ser alguém do tempo do lápis. É necessário mudar comportamentos. sem o que fazer. o envelhecimento aos poucos vai-se tornando uma realidade. alguém sem objectivos.É preciso ver o envelhecimento como um processo que vai ocorrendo de forma gradual. arranjar alguma actividade. Se nos soubermos adaptar às mudanças psíquicas e sociais que vão ocorrendo ao longo da vida. até porque. é comum a família se opor: . ele torna-se então. vivendo no mundo do computador. adquirir novos hábitos e criar uma postura. para superar as perdas. É preciso ter coragem para enfrentar a terceira idade. como as pessoas não têm paciência para ouvi-lo e familiarizá-lo com as novidades e não há quem o estimule. continuar a amar e a ter prazeres na vida. O idoso acaba sempre por se sentir a mais. Se eventualmente. Flexibilidade e equilíbrio são duas condições fundamentais para um envelhecimento para um envelhecimento sem traumas ou stress. não conseguindo acompanhar a realidade que o cerca.

da discussão. vizinha. da busca de maiores conteúdos. E lá continua o idoso. de sentimentos. colega. . A estimulação é uma das práticas mais importantes para manter o idoso com vida e saúde. Outro aspecto importante é o da actualização. de conhecimentos. pode acontecer algum acidente. filha. mãe. mudos. A importância da convivência: Viver com alguém / com alguma coisa / alguma ideia. professora. sendo ao mesmo tempo. principalmente do aprender. viver diferentes papéis simultaneamente. com o olhar parado. do fazer. Há uma troca permanente de afecto. solitário e sem objectivos… Ficamos felizes quando vemos idosos na rua. ter importância ao desenvolver este ou aquele papel. ou seja. A convivência faz com que nos sintamos pertencer a algo. do trocar. Circulamos por diversos grupos. do dar. de carinho. aborrecido. amiga. Além deste aspecto da convivência existe outro muito importante que é a estimulação do pensar. ocupando diferentes papéis. de dúvidas. normalmente encontramo-los inertes. do reformular e . é melhor ficar quieto. a alguém. a não quererem comunicar.Sair? Com quem? Para fazer o quê? Não! Sair de casa é perigoso. Mas. sentados nas praças a conviver. de ideias.

que permita boa visibilidade . Ao planear uma casa onde vai viver uma pessoa da 3 idade devem ser considerados alguns aspectos como: 1. Providenciar iluminação adequada.A moradia do idoso: Se a casa tem muita importância para a maioria das pessoas. Procurar usar pisos antiderrapantes em todos os ambientes. A casa deve ser simples e funcional. . para o idoso assume uma papel ainda mais relevante. Pintar as paredes com cores claras. para facilitar a ligação dos aparelhos. banqueta. 4. que dificultam a visão. 12. 7. 5. Evitar desníveis no piso. na casa dos filhos. Evitar degraus no box. colar na parte de baixo borrachas ou telas aderentes. 10. abrindo sempre para fora. 3. Evitar tapetes soltos e. em caso de serem usados. 8. 11. pensando no bem-estar do idoso e na facilidade para quem vai estar com ele. Instalar campainhas em todos os ambientes. pois é dentro dela que ele vai passar a maior parte do seu tempo. sempre que possível havendo um interruptor na entrada e outro próximo à cama para controlar a mesma lâmpada. 6. Colocar portas de 80 cm de largura nos banheiro. seja morando sozinho ou com outras pessoas. Prever iluminação de emergência para os casos de falta de luz. 9.o idoso precisa de se sentir confortável e seguro. assim como formações de cores diferentes de um ambiente para outro e pisos com estampas. para quando houver necessidade do uso da cadeira de rodas. Ter em atenção a orientação solar do prédio para evitar humidades e o uso de ar condicionado. muitas vezes prejudicial ao sistema respiratório. por exemplo . 2. basculante e espaço para uma pessoa auxiliar. Colocar tomadas em lugar mais alto do que o usado normalmente. se possível de pilhas que podem ser transportadas por todas a casa. que deve ter agarradores. Observar a colocação das chaves de luz. tanto do ponto de vista estético como prático.

mas alguns deles requerem apenas adaptações simples no ambiente. para auxiliar como apoio na locomoção e sem cantos pontiagudos. se for inevitável procurar que tenham no máximo 16 cm de altura e 30 cm de profundidade. adormecer com ela ligada prejudica a qualidade do sono. 16. 14. Aumentar a altura dos sofás e poltronas que devem . Evitar o uso de graus mas. 20. Dar preferência a camas mais altas. se necessário em circulações. 15. o que auxilia na estimulação criando a sensação de mudança de ambiente. Sem dúvida. 27. com suporte lateral para auxiliar ao levantar . pois. Preferir maçanetas de alavanca às de bola. quanto mais eles forem seguidos maior será o conforto e segurança física e psíquica do idoso que terá assim. ter assento firme e forrado com tecido resistente. 24. 19. poltronas reclináveis para pequenos sonos. 26. Utilizar poucos móveis nos ambientes. 21. ainda. 17. Usar na mesa de jantar cadeiras com braços para serem usados como alavanca. 23. 18. Elevar a altura dos balcões de cozinha e utilizar tampos mais largos que permitam que trabalhe sentado e possa acomodar as pernas ou a cadeira de rodas sob o balcão. Colocar em frente à tv. Evitar colocar a tv no quarto. Sempre que possível usar aparelhos com controlo remoto e “timer” quando tiver algum perigo maior. ou utilizar assentos especiais e agarradores laterais. Criar um ambiente de lazer para actividades como pintura.13. facilitando a circulação. Nem sempre estes cuidados que foram enunciados poderão ser observados. Instalar corrimões em todas as escadas e. bordado. 22. . 28. utilizando um “timer” para desligar na hora programada. 25. Se for inevitável. colocar o aparelho num local alto e usar a inclinação da cama para regular o ângulo de visualização. Aumentar a altura da sanita cerca de 15 cm de altura. uma melhor qualidade de vida e uma significativa redução de quedas e outros acidentes comuns. jogos de cartas e outros. Preferir móveis altos. Preferir fogão eléctrico para prevenir vazamentos de gás.

.

se possível. falar com ele sobre o seu passado. Tentar obter a sua colaboração para as decisões que lhe digam respeito. Reformular objectivos. ou sentir que o médico lhe presta atenção. Mostrar consideração pelas suas opiniões e experiência. Respeitar a sua personalidade: tratar o doente pelo seu nome. suprimindo todo o mal-estar e promovendo um bom ciclo de actividade/sono.4. a sua família e profissão anterior. a posse dos seus objectos pessoais e o uso de algum espaço próprio. Pôr em evidência as suas aptidões e qualidades. Dar confiança ao doente. 6. Reeducar na medida na medida do possível: fazer aprender o que pode ser reaprendido. Pôr em evidência os êxitos conseguidos. Respeitar o seu pudor físico e mesmo psíquico. se não for inconveniente. . Dar valor ao que o doente pode fazer: não deixar que façam mais por ele do que aquilo que é necessário. não sublinhando falhas de memória ou erros de linguagem. ou a todos os doentes se estiver num hospital deverão ser consideradas sugestões e iniciativas. pode querer acima de tudo. desde que o médico não o rejeite. Garantir-lhe . também. trabalhos manuais ou contar histórias. deixá-lo executar as tarefas à sua maneira. e por isso não se importa de não ter melhoras clínicas. 8. se eles não se mostrarem realistas. Ter uma prioridade correcta de objectivos: não pretender tratar todos os sintomas que o doente apresenta. 5. pintura. Na instituição. Procurar ter em vista o que o doente espera do médico: ele tem os seus objectivos e prioridades. mas sim restabelecer a sua autonomia e mobilidade. ter uma ocasião de confidenciar com alguém. música. mesmo que não se partilhe delas. na instituição. não lhe pedindo mais do que ele pode fazer de cada vez. Por exemplo. 7. bem como a escolha do companheiro de mesa e de quarto. mesmo que seja mais lento.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.Há três níveis de prática clínica de musicoterapia para tratar as necessidades tão variadas e divergentes de pacientes psiquiátricos.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

etc. também conhecidas como “cores puras”. o azul e o amarelo. . Cores Primárias: As cores primárias. são pigmentos naturais: vegetal (colorau) e mineral (cobalto. Não se formam pela mistura de outras cores. cromo.COR PIGMENTO: 1.). são elas o vermelho.

.

4. O círculo das Cores: .