Estilos de Aprendizagem: Como educar com Estilo.

 Qual a importância de conhecer estilos de aprendizagem nos dias atuais .

nossas vidas profissional e pessoal dependem mais e mais de nossa capacidade de adaptação e recriação. se nos dedicarmos a compreender como aprendemos e como podemos melhorar nosso desempenho como aprendizes.Qual a importância de conhecer estilos de aprendizagem nos dias atuais?  Vivemos hoje em um mundo de muitas mudanças ocorrendo em uma velocidade crescente.  E só conseguiremos isto. .  Por isso. nossos objetivos de aprendizagem devem incluir sermos eficientes aprendizes ao longo da vida.  Neste contexto.

 afetivo.  cultural  sócio-econômico influenciam de forma positiva ou não .  cognitivo.Fatores  Físico.  ambiental.

.. devem ser nossas principais estratégias para conseguirmos a flexibilidade necessária a essa nova realidade. .  Entender como estes fatores nos afetam. conhecer nossos próprios processos de aprendizagem e aprendermos como aprender.  O caminho para atingirmos este objetivo é tão individual quanto o processo de aprendizagem em si.Entender.

em constante modificação e construção ...Percepção da realidade.  Embora o processo de aprendizagem é individual ele acontece muitas vezes num espaço coletivo  A representação da realidade é um processo individual.

 Na obra de Jung classificou as pessoas em tipos primários de funções psicológicas. Um dos primeiros a estudar foi Tipos Psicológicos obra de Carl Gustav Jung publicado originalmente por Rascher Verlag.  Ele desenvolve suas idéias sobre a existência de duas "atitudes" ( extroversão / introversão ) e quatro "funções" ( pensamento / sentimento e sensação / intuição ). . duas funções de percepção: sensação e intuição . em 1921. e refere-se pela primeira vez o auto como o objetivo do desenvolvimento psíquico. Zurique . As funções são modificadas por duas atitudes principais: introversão e extroversão . e duas funções de julgamento: pensando e sentindo . Propôs a existência de quatro principais funções da consciência.

designando abordagens individuais para resolver problemas. receber e recuperar informações memorizadas .Autores Estilos cognitivos ou estilos de aprendizagem. O termo “estilo cognitivo” foi cunhado por Allport (1937).

Atualmente  Atualmente os estudos foram divulgados por Gardner (1994). “a teoria das inteligências múltiplas sugere abordagens de ensino que se adaptam às ‘potencialidades’ individuais de cada aluno. assim como à modalidade pela qual cada um pode aprender. .

.

 Hipoassimilação Pobreza de contato com o objeto. dificuldade na interiorização das imagens. déficte lúdico e criativo.  DA como: Modalidade sintomatizada Resultados na adaptação  Hiperassimilação Predomínio da subjetivação. dificuldade em resignar-se. submissão. superestimulação da imitação.  Hipoacomodação Pobreza de contato com o objeto. obediência acrítica às normas. .Modalidades de Aprendizagem  Alicia Fernández.  Hipercomodação Pobreza de contato com a subjetividade. evidenciando a relação que existe entre predominância de um movimento sobre o outro e o modo como ocorre o processo adaptativo. apresenta a sumarização das modalidades de aprendizagem. desrealização do pensamento. falta de iniciativa.

inteligência e desejo). A inibição cognitiva. nessa ótica.Inibição cognitiva  inibição cognitiva é a uma diminuição da atuação de algum aspecto da cognição. enquanto o sintomatizar é a sua transformação. é a diminuição dos processos cognitivos os quais a adaptação mobiliza. entendido como dificuldade de aprendizagem. corpo. o que é expresso na forma de sintoma. A inibição de um dos movimentos do processo de equilibração impede a permanente reconstrução pessoal da modalidade a partir dos quatro níveis (organismo. .

e a ressignificação possibilita que a modalidade possa ir se modificando.Modalidade de Aprendizagem  O sintoma cristaliza a modalidade de aprendizagem em um determinado momento. 1991 p. esta modalidade fica enrijecida. O sintoma implica colocar em outro lado.116) . jogar fora. (Fernández. a partir daí. atuar o que não se pode simbolizar. impedindo ou dificultando a aprendizagem de determinados aspectos da realidade. Ao não poder estabelecer este processo de ressignificação interno à própria modalidade de aprendizagem. enquanto a simbolização permite ressignificar. esta perde a possibilidade de ir transformando-se e de ser utilizada para transformar.

 A Inibição Cognitiva de fundo emocional. vale tomar como premissa a afirmação de Paulo Freire sobre afetividade.Inibição Cognitiva.  Por esta razão. pode ser questionada se o psicopedagogo não tiver a afetividade como variante no processo de aprendizagem. no trato dos objetos cognoscíveis que devo ensinar. sobretudo do ponto de vista democrático. quando diz que na verdade. mais frio. mais distante e "cinzento" me ponha nas minhas relações com os alunos. Não é certo. é preciso descartar como falsa a separação radical entre seriedade docente e afetividade.. que serei tão melhor professor quanto mais severo. A afetividade não se acha excluída da cognoscibilidade. (Freire. 1997) .. ou de ordem das relações.

Distúrbios de fala e linguagem  dificuldade em produzir sons da fala (distúrbio da articulação)  dificuldade em colocar as suas ideias em forma oral (desordem expressiva)  dificuldade em perceber ou entender o que as outras pessoas dizem (transtorno receptivo)  (F81.termo geral para uma deficiência na área da leitura.o termo geral para uma deficiência na área da escrita física. b.São empregados vários termos para descrever dificuldades de aprendizagem em particular. todos distinguidos principalmente pela orientação à mão. Na sua forma mais grave. . que é estereotipado na confusão das letras b e d.1) Discalculia .o termo geral para uma deficiência na área da matemática.  . respectivamente):  (F80.2-3/315. É geralmente associada à dificuldade de integração visual-motora e habilidades motoras finas. de tal forma que uma pessoa pode ver uma combinação de letras.2/315.  (F81. aparência idêntica à do disléxico  dificuldade com a ordenação sequencial. p e q. mas não percebê-las na ordem correta  (F81.2) Disgrafia . Algumas delas são (os códigos apresentados são CID-10 e DSM-IV.0/315.1/315. assim como outros pares.31) Disfasia/Afasia .  dificuldade em mapeamento fonético.02) Dislexia .0-F80. onde doentes têm dificuldade em correspondência com várias representações ortográficas para sons específicos  dificuldade com orientação espacial. Um indivíduo pode apresentar uma ou mais de uma. d.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful