You are on page 1of 269

PSICOLOGIA APLICADA À ADMINISTRAÇÃO

Profa. REGINA LÚCIA L.L. SARDINHA

PSICÓLOGO
– Utilizando-se de métodos científicos pretende ampliar o conhecimento que o indivíduo tem de si mesmo. – Sempre que necessário intervém em prol da saúde do cliente utilizando instrumentos e técnicas científicas

ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO

• PSICOLOGIA CLÍNICA • PSICOLOGIA ESCOLAR • PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL

.

PSICOLOGIA • Na antiguidade. era ligada a filosofia e possuía como objeto de estudo A ALMA • No mundo moderno tem como objeto de estudo O COMPORTAMENTO .

Fazem previsões. Grafologia e outros. hora e mês do nascimento e a posição dos astros na ocasião. • Na pré-história da psicologia os estudos do comportamento humano eram feitos através da Astrologia.  A Quiromancia estuda o caráter e o destino das pessoas pelas linhas das mãos. através do dia. os montes que se formam na palma e a estrutura das unhas e dos dedos. sendo a alma reservada aos ser humano a o carpo aos animais. .  A Astrologia dedica-se ao estudo do comportamento pela posição dos astros.  A Grafologia estuda o comportamento dos homens pela escrita.HISTÓRIA DA PSICOLOGIA • No século XVII com Descartes defendia a a existência de duas entidades separadas corpo e alma . Quiromancia.

• No século XIX surge a chamada Psicologia Moderna fundada por WUNDT com seu primeiro laboratório de Psicologia em 1879 • Outros cientistas. mudando de forma definitiva o objeto seu objeto de estudo para COMPORTAMENTO . como Darwin.HISTÓRIA DA PSICOLOGIA cont. também realizaram estudos no laboratório de Leipzig .

onde para tal seria necessário :  Mensurabilidade – grau em que os termos e conceitos sob consideração podem ser especificados  Repetibilidade – refere-se a generalidade das observações que foram levadas a efeito  Controle – é a metodologia que reduz o número de fatores que podem contribuir com o comportamento observado .PSICOLOGIA X CIÊNCIA • Na tentativa de tornar-se uma ciência tal qual as exigências da comunidade científica da época.

os ditos grupos de controle e os grupos experimentais que são tratados aparentemente de forma idêntica mas com uma variável manipulada pelo investigador. O interesse primário reside nos tipos e diferenças entre as respostas e a situação padrão.  Testes – requer uma situação típica em que o estímulo seja apresentado a cada indivíduo.  Método Experimental – Comparação entre dois grupos. ou descrições e relatos dados por outros ou pelo próprio indivíduo. diários.  Método Clínico ou anamnese – Informação obtida através de interrogatórios. . relatos escritos.MÉTODOS CIENTÍFICOS  Observação Naturalista – o investigador deve unicamente observar e não interferir no comportamento em curso.

. que podem ser observadas por outra pessoa.COMPORTAMENTO • Objeto de estudo da Psicologia moderna definido como a totalidade das atividades de um indivíduo. com ou sem auxílio de instrumentos.

na tentativa de auxiliar pessoas “introvertidas” a comportar-se de modo que possam exercer atividades que seriam privativas das “extrovertidas” e assim evitar custos de seleção e treinamento . vendas e atendimentos a clientes têm obtido êxito.ALGUMAS PARTICULARIDADES DO COMPORTAMENTO • O comportamento pode ser modificado através de técnicas que vem sendo desenvolvidas por psicólogos – Cursos de supervisão.

ser único.ALGUMAS PARTICULARIDADES DO COMPORTAMENTO • Todo indivíduo tente a individualização. o que significa. homogêneo e incomparável – Conceito plenamente adotado pelo conceito de atual de Gestão pela Qualidade Total. que reconhece que cada pessoa é única .

superproteção. com forte interesse social e cooperação – Considera o interesse social inato – Considera um dos maiores obstáculos ao crescimento a inferioridade orgânica. e a rejeição • Chefes que superprotegem contribuem para bloquear o desenvolvimento dessas pessoas • O espírito paternalista nas organizações contribui para a acomodação e a incapacidade de enfrentar desafios .ALGUMAS PARTICULARIDADES DO COMPORTAMENTO • Segundo Alfred Adler a luta pela superioridade dirige o ser humano – Adler considera saudável a luta construtiva pela superioridade.

TEORIAS PSICOLÓGICAS • Quando a psicologia se tornou uma ciência . quatro sistemas principais ou escolas surgiram:  A Psicanálise  A Gestalt  O Behaviorismo  O Existencialismo .

afasta-se de Breuer e abandona a hipnose criando o método de associação livre . – Mais tarde.PSICANÁLISE • Fundada por Sigmund Freud – Freud após desenvolver estudos sobre histeria em Paris com o psiquiatra Jean Charcot – Retorna a Viena e juntamente com o médico Josef Breuer propõe a criação de um novo método de tratamento através da palavra – Método catártico – liberação de emoções e afetos ligados a eventos traumáticos com auxilio da hipnose.

É a percepção do mundo exterior. É atemporal e regido por leis próprias . atenção e raciocínio Sistema onde permanecem conteúdos acessíveis à consciência mas que não estão sendo usados no momento ou já foram usados pela consciência Constituído por conteúdos inacessíveis à consciência. conteúdos reprimidos e mantidos fora da consciência por um processo de censura interna.Recebe ao mesmo tempo informação do mundo exterior e interior.

. Uma das características que distinguem a teoria psicanalítica de FREUD é a existência de 2 modos de pensamentos:  Processo primário – que obedece ao princípio do prazer.PSICANÁLISE cont. busca do prazer e evitação da dor  Processo secundário – obedece ao princípio da realidade. refere-se ao controle do comportamento pelo mundo real.

sendo entendido como nossos “desejos”primários. o que é um ponto de questionamento na psicanálise . fica difícil de ser comprovado. é a presença da sociedade dentro de nós.PSICANÁLISE cont. Se id não tem 2 iguais.Sua energia é a LIBIDO • SUPEREGO – Atua por intermédio da culpa e da proibição. • EGO – Considerado como mediador entre as idéias do ID e as forças externas da realidade. A Psicanálise propõe que nossa cognição é dinamicamente formada por três construtos • ID – Utiliza-se unicamente do processo primário de pensamento.

cerca de 20% das pessoas são pessoas são consideradas altamente hipnotizáveis. – Todas as pessoas.HIPNOSE • Segundo estudos. podendo até mesmo executar atos sem poder dizer exatamente porque. possuem a capacidade se voltar para dentro e relaxar – O sujeito estaria consciente apenas de parte dos processos que se desenrolam na sua mente. » Retirado da apostila de Marcelo Henrique Costa .

A FORÇA DO INCONSCIENTE • A idéia da existência do inconsciente é tão forte que atribuímos com naturalidade sua responsabilidade em determinados atos .

• Para Jung possuímos um inconsciente pessoal.INCONSCIENTE COLETIVO • O conceito foi formulado por Carl JUNG discípulo de Freud. repleto de memórias de cada indivíduo e um inconsciente coletivo constituído pela memória da história – Como por exemplo os símbolos religiosos .

que “significa sempre mais do que o seu significado imediato e óbvio” (Jung. o símbolo constitui um produto natural. 1991) • O conceito de Jung remete ao papel desempenhado pelas logomarcas de muitas organizações.INCONSCIENTE COLETIVO • A força dos símbolos – Para Jung. reconhecidos pelos profissionais de Marketing como importante vinculo entre cliente e a Organização . espontâneo.

Alguns conceitos psicanalíticos • Realidade psíquica – o que assume o valor de realidade não importando se aconteceu ou não no mundo objetivo • Pulsão – Processo gerador de estado de tensão e busca do equilíbrio (pulsão de vida e de morte) • Sintoma – Comportamento ou pensamento resultante do conflito .

. que aparecem de maneira disfarçada no sonho.O SONHO PARA A PSICANÁLISE • Conteúdo Manifesto – O que efetivamente se passa no sonho – Aquilo que narramos ao contarmos o sonho • Conteúdo Latente – Desejos e impulsos inconscientes.

Visão Moderna do Sonho 1. 3. Ajudam a processar as informações do dia e principalmente fixá-las na memória. Seriam resposta para acessos periódicos de atividade cerebral noturna. 2. – Estas produziriam alucinações que o cérebro se esforçaria em dotar de sentido no sonho . Servem à função fisiológica de desenvolver e preservar os caminhos neuronais do cérebro.

• John Watson foi considerado o pai do Behaviorismo ao publicar em 1913 um artigo declarando um novo ramo da psicologia. Skinner e Pavlov são importantes estudiosos que contribuíram para o desenvolvimento desta nova teoria Explica o comportamento através da aprendizagem . BEHAVIORISMO OU TEORIA COGNITIVA COMPORTAMENTAL • Watson.

CONDICIONAMENTO RESPONDENTE • Celebrizado pela experiência de Pavlov com cães onde identifica os tipos de estímulos como “incondicionados” e os “condicionados” gerando o condicionamento respondente – A propaganda utiliza esta técnica ao associar a imagem de um automóvel a uma mulher bonita • Para haver bons resultados o indivíduo tem que aprender a discriminar o estímulo correto e emitir a resposta esperada ao estímulo correto .

CONDICIONAMENTO OPERANTE • Esta idéia foi desenvolvida por Skinner que afirma “Todo comportamento reforçado tende a aumentar de freqüência enquanto possuir uma expectativa favorável sobre o resultado da ação” – Bons exemplos são os programas de milhagens. bônus e brindes de cartões de crédito etc. Ratinho que ganha ração quando aperta a alavanca (vai apertando cada vez +) .

as pessoas perseveram quando consideram possível o êxito – Da freqüência e da intensidade do estímulo. muito monótonos desaparecem . se muito fracos não há percepção.CONDICIONAMENTO OPERANTE • A freqüência e a intensidade de emissão de um comportamento operante dependerão: – Das conseqüências (reais ou imaginárias) – Da expectativa de sucesso.

faz o reforço e depois a pessoa se comporta (ex: para aumentar a atenção dos alunos na aula.CONDICIONAMENTO OPERANTE Tanto no positivo quanto no negativo a pessoa se acomoda se tiver sempre a mesma intensidade • POR REFORÇO POSITIVO • POR REFORÇO NEGATIVO – Aumenta a freqüência do comportamento apresentando-se um estímulo percebido como agradável • O atingimento das metas fixadas é um grande exemplo – Aumenta a freqüência do comportamento pela retirada de um estímulo desagradável • Situações de fuga ou evitação devem ser levadas em consideração Reforço negativo – é para aumentar um comportamento. liga o ar condicionado para tirar o calor .

levou falta) .PUNIÇAO • Na punição apresenta-se um estímulo aversivo ou retira-se um positivo após o comportamento para diminuir a ocorrência • Afeta emocionalmente quem recebe. primeiro se comporta e depois pune (ex: não veio à aula. impactando todas as funções mentais superiores – A eficácia de punição aumenta quanto menor o grau de maturidade na relação entre gerencias e profissionais Reforço por punição – é para diminuir um comportamento.

CONDICIONAMENTO OPERANTE • GENARALIZAÇÃO DO ESTÍMULO – Indispensável para o desenvolvimento intelectual – Damos respostas iguais a estímulos semelhantes .

resposta .BEHAVIORISMO OU TEORIA COMPORTAMENTAL • Seu princípio básico refere-se a idéias de que todo comportamento reforçado tende a aumentar de freqüência o que significa dizer que nosso comportamento é resultado de uma aprendizagem Cognitivo S–R Autonômico Motor Conseqüência    Cognitivo – pensamento Autonômico – sentimento. sensação Motor – comportamento O estímulo inicial é equivalente ao ID Legenda: S – estímulo inicial R .

• O comportamento pode ser descrito e explicado sem recorrer aos esquemas mentais ou aos esquemas psicológicos internos.Outras idéias do behaviorismo • A Psicologia é a ciência do comportamento. • A fonte dos comportamentos é o ambiente (que pode ser inclusive os órgãos internos) e não a "mente" interna individual . e não a ciência da mente.

O problema é que mudando só o comportamento. • PUNIÇÃO – Quando é adicionado ao condicionamento um estímulo que suprime a freqüência de um comportamento no futuro. a pessoa depois de um tempo volta a ter o comportamento indesejado . diz-se que houve uma punição. sem a cognição.CONCEITOS DO BEHAVIORISMO • REFORÇO – Estímulo capaz de alterar a freqüência do comportamento. pode ser positivo ou negativo • EXTINÇÃO – Perda da capacidade de responder.

só não pode beber no trabalho) . porque passa a aceitar a dinâmica de grupo (é muito superficial. – Faz oposição as demais teorias. principalmente a psicanálise e a comportamental – Voltada para o EU e sua relação com o MEIO no qual esta inserido. É perfeita para a adm.TEORIA EXISTENCIALISTA ou HUMANISTA – Surge para resgatar os valores humanos básicos e a dignidade humana que estaria sendo perdida pelas formas tradicionais de psicologia. ex: alcoólatra – não interessa o porque bebe. mas funciona para dentro do ambiente da organização. – É a de maior utilidade para a Administração por ser ela a única a utilizar a técnica de Dinâmica de Grupo O que interessa é a relação indivíduo/meio (o ser humano é o fruto do meio em que está inserido).

EXISTENCIALISMO • O Existencialismo é uma corrente filosófica que adota os pressupostos da Fenomenologia. • 2) A predileção por temas como a angústia e o desespero. ele define a si mesmo. – Para o existencialismo o ser humano nunca está determinado. do homem diante da morte e da busca das causas dos males mentais da vida moderna É + importante o que o cliente pensa dele mesmo do que o que os outros pensam dele Retirado da apostila de Marcelo Henrique Costa . As principais características desta abordagem em Psicologia são: 1) A ênfase na responsabilidade do ser humano pelo que quer que venha a lhe ocorrer e no que ele venha a se tornar.

ALGUNS ASPECTOS DO EXISTENCIALISMO • Centrada no presente – Preocupa-se com os meios que o cliente pode usar no presente para mudar os conflitos • Psicologia centrada no cliente – Toda a ênfase é dada na visão que o cliente tem de si mesmo .

.TEORIA DA GESTALT • A psicologia da gestalt surge para se opor ao behaviorismo. apesar de também entender a psicologia como estudo do comportamento • A percepção é o ponto central desta teoria – O que o indivíduo percebe e como percebe são dados importantes para a compreensão do comportamento humano.

de uma paisagem é diferente da soma das partes – O todo consiste nas partes relacionadas entre eles. . de um evento.TEORIA DA GESTALT • De acordo com essa teoria nossa experiência depende dos modelos (estruturas) que os estímulos despertam na organização da nossa experiência. – O que nós vemos ou percebemos esta relacionado com a totalidade do campo de observação – A totalidade do que percebemos de um fato.

.

PENSAMENTO E INTELIGÊNCIA • EMOÇÃO .FUNÇÕES MENTAIS SUPERIORES • SENSAÇÃO E PERCEPÇÃO • ATENÇÃO E MEMÓRIA • LINGUAGEM.

ou ao estado do organismo.SENSAÇÃO • Sensação é a operação que possibilita levar ao cérebro informações relativas a fenômenos do mundo exterior. – Sem ela nenhuma atividade (física ou mental seria possível) 45 .

TIPOS FUNDAMENTAIS DE SENSAÇÕES
• INTROCEPTIVAS
– São as mais elementares, em geral menos precisas e conscientes nem sempre possibilitam identificar o que de fato ocorre – Podem manifestar-se de diferentes maneiras, como fome , calor, frio, desconforto – As não conscientes podem manifestar-se cedo, como os pressentimentos (relacionados a fenômenos ainda não manifestos ou acontecidos)

• PROPRIOCEPTIVAS
– Sensações que possibilitam ao cérebro tomar conhecimento do movimento do corpo no espaço e de sua posição em relação aos outros corpos – Uma sensação proprioceptiva especial é o equilíbrio, cujos receptores estão no ouvido
47

TIPOS FUNDAMENTAIS DE SENSAÇÕES
• EXTEREOCEPTIVAS

– Permitem o contato entre o indivíduo e o meio externo, por meio do tato, paladar, olfato, audição e visão – A sensação, em si, não tem marcadores para tamanho e distância, que precisam ser aprendidos pela experiência .
• (Oliver Sacks, 1995:134)

48

LIMIAR DE SENSAÇÃO
• Para existir , a sensação requer a estimulação dos mecanismos de recepção celular em intensidade para ocorrer a transmissão da informação e posterior decodificação.
– Limiar inferior – é o nível mínimo de intensidade de um estímulo capaz de produzir sensação reconhecível – Limiar superior – é o limiar de sensação acima do qual um estímulo
• Danifica os mecanismos de recepção deixando de registrar • Ultrapassa a possibilidade de resposta • Atinge um patamar de saturação de maneira que as variáveis deixam de ser detectadas pelos receptores
– Exemplos, sons excessivamente altos

49

ADAPTAÇÃO SENSITIVA
• É o processo que diminui a sensibilidade para estímulos constantes ou rotineiros.
– É muito útil ao organismo pois libera sua atenção para mudanças no ambiente sem nos distrair com estímulos pouco importantes.

50

PERCEPÇÃO
• “Processo de transferência de estimulação física em informação psicológica; processo mental pelo qual os estímulos sensoriais são trazidos à consciência” (Kaplan e Sadock, 1993)
• “O ponto de partida em que a cognição e a realidade se encontram…atividade cognitiva mais fundamental, da qual emergem todas as outras”(Davidoff, 1983)

.

.

FATORES QUE INFLUENCIAM AS DIFERENÇAS NA PERCEPÇÃO • Observador – atitudes.o ambiente empresta significado ao estímulo . experiências e expectativas determinam como os estímulos são percebidos. • Estímulos – intensidade. tamanho e outras características afetam a capacidade dos estímulos sejam percebidos • Situação . interesses. motivações. freqüência.

FATORES QUE AFETAM A PERCEPÇÃO • A sensação que constitui a base da percepção e ao mesmo tempo a limita • As características do estímulo – Intensidade (tende-se a selecionar o de maior intensidade) – Dimensões (maior atenção aos maiores) – Mobilidade (estímulos móveis são mais facilmente percebidos) – Cor (o amarelo destaca-se em relação ao cinza) – Freqüência (a continuação diminui a receptividade) – Forma (os de forma e contornos bem definidos são melhor percebidos) 56 .

apesar de se transmitir apenas a parte da fala. maturidade. preconceitos. crenças.FATORES QUE AFETAM A PERCEPÇÃO • Estados psicológicos de quem recebe o estímulo – Experiências anteriores – Formação do indivíduo • valores. emoções e expectativas • Envolvem o estimulo ou as circunstancias que o geram – Pressuposições a respeito do estímulo • Exemplo . regras normas. nível de conhecimento – Motivos. na transmissão telefônica espera-se que o outro. saúde física. construa a lógica aprendida 57 .

podem provocar ilusões construídas pelo cérebro – Indivíduos alcoolizados constantemente cometem erros na avaliação da distância 58 . como iluminação. ruídos.FENÔMENOS DA PERCEPÇÃO • Condições ambientais. temperaturas etc.

FENÔMENOS DA PERCEPÇÃO • Constância perceptiva . Ex: Folha 59 .Ilusão construída pelo cérebro que nos permite admitir que os objetos tem sempre as mesmas características.

destaca-se do conjunto a porção mais bem definida ou importante .FENÔMENOS DA PERCEPÇÃO • Organização perceptiva – consiste em integrar os diversos estímulos recebidos em uma única unidade – Relação figura e fundo . por fechamento – Lei da boa forma – o cérebro atribui a uma seqüência de elementos uma continuidade 60 . Ex: Administração por objetivos – Princípio do agrupamento – por semelhança.

.

AGRUPAMENTOS FECHAMENTO .

LEI DA BOA FORMA CONTINUIDADE MOVIMENTO .

FENÔMENOS DA PERCEPÇÃO
• Movimento aparente induzido
– movimento aparente - ex;luzes acendendo sucessivamente provocando a percepção de movimento – Movimento induzido – o movimento de um objeto cria a percepção de deslocamento. Ex: Lua parece mover-se atrás das nuvens

FENÔMENOS DA PERCEPÇÃO
• Ilusões perceptivas – estados emocionais provocam interpretações errôneas de estímulos sensoriais. Ex:ao torcedores percebem melhor as faltas que o outro time comete.
• O mesmo acontece no ambiente organizacional, gerentes tendem a ser menos rigorosos na avaliação dos colegas de trabalho

COMO O CÉREBRO TRATA A PERCEPÇÃO
• Segundo René Spitz “A percepção, no sentido no qual os adultos percebem (...) deve ser aprendida” • A imagem mental que representa a percepção depende dos sentidos utilizados. • A aprendizagem ocorre por Assimilação ou por Generalização (segundo Jean Piaget)

PSICOFÍSICA
• Limiares Absolutos
– Nosso limiar absoluto para qualquer estímulo é a estimulação mínima necessária para que possamos detectá-lo.

• Limiares Relativos
– O limiar relativo de dois estímulos é a diferença mínima entre eles que permite a identificação da desigualdade em 50% dos casos. – Quanto maior a intensidade dos estímulos, maior o limiar relativo

Estímulos Subliminar
• Estímulos tão fracos que estão abaixo do limiar absoluto de detecção.
– Estudos comprovam que estímulos subliminares que não podemos identificar podem afetar nosso comportamento de maneira leve, mas dificilmente poderiam justificar a crença de que estes estímulos possam ser usados para nos “programar” ou influenciar de maneira decisiva.

Percepção Extra-sensorial
• Apesar de haverem estudos recentes que poderiam confirmar a realidade de, pelo menos, alguns destes fenômenos, maioria dos cientistas permanecem céticos.

Atenção Seletiva
• De todos os estímulos que compõe nosso campo perceptivo nós focalizamos nossa atenção apenas naqueles mais importantes • Muitos objetos podem ser vistos em mais de uma configuração,
– a atenção seletiva pode focalizar a percepção em uma destas configurações enquanto a outra deixa de ser percebida.

PROBLEMAS NO PROCESSO DE PERCEPÇÃO
CONTRASTE As pessoas são percebidas dentro de um contexto e contrastadas com outras, o que produz impressões favoráveis e desfavoráveis As características de um grupo social são simplificadas e projetadas em todos os integrantes
Um traço de comportamento serve de base para uma generalização a respeito da conduta de uma pessoa (a pessoa é julgada por ser ela mesma, independente do meio em que ela está inserida, é como se fosse uma primeira impressão)

ESTERIÓTIPOS E PRECONCEITOS EFEITO HALO

Adaptação de Maximiano, A .C “Teoria Geral da Administração” São Paulo Ed. Atlas, 2000 (pg279)

.DROGAS • As drogas psicoativas modificam a percepção e o ânimo das pessoas – O uso continuado de drogas faz com que sejam necessárias doses cada vez maiores para que o usuário sinta seu efeito.

•Afeta a memória de curto prazo •Em pouca quantidade pode relaxar •Diminuem as funções do corpo (são os remédios para pessoas muito agitadas e não o anti-depressivo.•Reduz a capacidade de auto-censura. embora este também vicie) . •Auto-reveladora e ousada. •Pode deixar a pessoa mais agressiva.

.

•Induzem uma sensação transitória de intenso prazer .•Derivados do ópio. morfina e heroína •É uma das drogas mais viciantes •Provocam dilatação das pupilas.respiração lenta e letargia.

.•Reproduzem os efeitos do álcool •Podem ser fatais se consumidos em grande quantidade ou associados ao álcool.

as anfetaminas e a cocaína. •Aceleram as funções fisiológicas. •O usuário experimenta um aumento na energia e autoconfiança . reduzem o apetite. nicotina. dilatam as pupilas. aumentam o ritmo cardíaco e respiratório.•Os mais utilizados são a cafeína.

injetada ou fumada. uma vez interrompida.•Quando aspirada. parada cardíaca e colapso respiratório. o que a longo prazo leva a comportamentos diferentes mesmo fora do efeito da droga . provoca um fluxo de euforia que dura de 15 a 30 minutos •Pode provocar distúrbios emocionais. •Pode aumentar as reações agressivas •Interrompe a transmissão de informações das sinapses e. desconfiança. convulsões . essa conexão não se refaz.

ou • sintéticos. .Distorcem as percepções e produzem alucinações.desligamento e pânico. •Produz intensas experiências visuais. como a maconha. como o PCP (pó de anjo) e o LSD. podendo provocar euforia. • Podem ser naturais.

– Prejudica a coordenação motora. mas também apresenta um componente alucinógeno leve.ALUCINÓGENOS • Maconha – A maconha pode ser fumada ou ingerida com alimentos – Possui propriedades depressivas. as faculdades perceptivas e o tempo de reação além de interferir na formação da memória – Pode reduzir o hormônio masculino e os níveis de esperma. bem como lesar o pulmão de maneira mais intensa do que o cigarro normal e do que o álcool .

.

.

internos ou externos. organizando as informações significativas para possibilitar algum tipo de ação.ATENÇÃO • Mecanismo que permite a fixação em alguns estímulos. .

Motivações e interesses. a não identificação de comunicados.pela personalidade do indivíduo e pelos conteúdos culturais • Numa festa o cabeleireiro presta mais atenção nos penteados. – Pelas constâncias ou modificações do estímulo (habituação) • Erros na execução de tarefas.ATENÇÃO SELETIVA • Influenciada por : – Necessidades. são bons exemplos na administração . um psicólogo nos comportamentos etc.

quando dirigida pela vontade do indivíduo – Involuntária .quando despertada possui grande eficácia • A nomeação constitui uma condição básica para a pessoa reconhecer sua existência e tornar possível despertar a tenção involuntária – O nome bem escolhido de um produto pode facilitar a fixação da imagem .ATENÇÃO • Atenção pode ser: – Arbitrária (voluntária) .

MEMÓRIA • Três aspectos tem interesse direto para a administração: – Memorização e a recuperação do material armazenado – As falhas de recuperação do material armazenado – A possibilidade de enriquecimento da memória .

se os sinais não levam à atenção a informação se perde  Uma vez que se tenha a atenção torna-se possível a recuperação das informações  O material verbal é armazenado por significado (não nos lembramos em formas de letras) e o material visual em forma de quadros  Questões dolorosas tendem a ser esquecidas  As coisas concretas são mais facilmente lembradas do que as abstratas .MEMÓRIA  Memorização e a recuperação do material  Os conteúdos da memória são ativados com base nos sinais (informações recebidas pelos sentidos).

) • Recuperação – o processo de recuperação pode ser distorcido. mesmo que bem armazenado • Interferência – competição com novos conteúdos influenciam nos registros anteriores • Falhas no resgate – o código de busca não corresponde ao do armazenamento . por falha na atenção (o cérebro privilegia o significado mas não sua forma) • Armazenamento.com o tempo os traços podem se tornar menos vibrantes (lembramos “o que” mas não o “como”. “quando” etc.MEMÓRIA • As falhas de recuperação do material armazenado podem ser decorrentes de: • Codificação – pode ser ineficiente.

com o tempo não se pode afirmar que não se encontrem distorcidas . tinham dificuldades para distinguir as fantasias das lembranças” ( Myers 1999) – Memórias anteriores a três anos não são confiáveis assim como as recuperadas pela hipnose. – Por mais nítidas que sejam as imagens da memória.• CURIOSIDADES As falhas de recuperação do material armazenado – Pessoas que na infância fantasiavam costumeiramente “reviviam experiências ou imaginavam cenas com tanto ardor que de vez em quando. mais tarde.

.

LINGUAGEM • “ A linguagem é a maior realização do homem e o sinal que. Vernoy e Vernoy 2003) . 1973) • “ É uma forma especializada de comunicação (. Crutchfield e Ballachey.)demarcada por um repertório limitado de sons ou movimentos que são realizados sempre que certos estímulos os evoquem”(Huffman... acima de todos os outros. o distingue dos antropóides”(Krech.

assim. por som. expandem. imagem ou signo • As palavras ajudam a pensar sobre pessoas e objetos não presentes. • A palavra exerce poder sobre o pensamento .LINGUAGEM • Para dominar a linguagem a pessoa tem que representar mentalmente uma coisa. restringem e limitam o pensamento.

1999) .PENSAMENTO • “O pensamento é uma atividade mental associada com o processamento. a compreensão e a comunicação da informação” (Myers.

como raciocinar. como fantasias. – Pouco se entende de seus mecanismos • Podem ser: – Não Dirigidos-quando não possuem meta.PENSAMENTO • O pensamento compreende as atividades mentais. resolver problemas e formar conceitos. – Dirigidos. lembranças etc.possui metas. destina-se a resolução de problemas (ex: tenho que prestar atenção na aula para ir bem na prova) .

) .0 a 2 anos.. esse não desenvolvimento pode ser gerado por uma falta de estímulo ou por não ser bem alimentado ou problema genético. inicia a solução de problemas com objetos concretos.Estágios de desenvolvimento segundo Piaget • 1) estágio sensório motor .por volta de 11 anos. crianças descobre o mundo e a si mesma e inicia-se a aquisição da linguagem • 2) estágio pré-operacional .7 a 11 anos.3 a 7 anos. atinge a capacidade mental do adulto ao final desse estágio (algumas crianças não conseguem entrar nesse estágio. gerando pessoas adultas que levam à famosa brincadeira “tá difícil?! Quer que eu desenhe?”. desenvolve a capacidade de compreensão lógico-abstrata de pensar sobre o pensamento. expande a capacidade de distinguir aparência de realidade. tende a resolver problemas por ensaio e erro mas persiste a dificuldade de lidar racionalmente com idéias abstratas (ex: fica girando a peça do quebra-cabeças para ver aonde encaixa ao invés de pensar aonde a peça pode encaixar) • 4) estágio de operações formais .. a capacidade de abstração e de representação da realidade com figuras • 3) estágio operatório-concreto . em sua maioria emprega a linguagem adulta.

raciocínio matemático. desta forma o indivíduo pode obter escores bem diferentes em itens como habilidade verbal. mas múltiplas inteligências. pensamento espacial e muitos outros – Teoria das inteligências múltiplas – Howard Gardner disse que não temos uma única inteligência. cada uma independe das outras e que cada pessoa pode apresentar um padrão bem pessoal no qual uma delas sobressaia .INTELIGÊNCIA • Capacidade geral X Capacidade específica – Análise fatorial – o método da análise fatorial que mede as habilidades cognitivas em grupos qualitativamente diferentes.

foi uma pretensa ciência que conquistou muita fama no século XIX mas que se mostrou totalmente falha – Estudos modernos. efetuados mediante RMN. apontam uma correlação leve entre tamanho do cérebro e inteligência .INTELIGÊNCIA • Inteligência X Neurologia – A Frenologia tentava estabelecer uma correlação entre o tamanho da cabeça com a inteligência e personalidade das pessoas.

INTELIGÊNCIA • Avaliação da Inteligência – Testes de aptidão – testes que procuram prever a capacidade de aprender uma nova habilidade – Teste de aproveitamento – visam avaliar o que já foi aprendido pelo sujeito (de uma maneira geral as provas escolares podem ser consideradas testes desse tipo) .

INTELIGÊNCIA • Inteligência X Criatividade (criatividade é a habilidade de produzir idéias que são novas e valiosas) – De uma maneira geral pessoas que apresentam escores altos em testes de inteligência também apresentam bons índices de criatividade. . mas a partir de um escore 120 parece que a correlação entre criatividade e inteligência desaparece. Pessoas superdotadas não são necessariamente mais criativas do que outras ainda dentro de uma escala normal. geralmente até focam em uma especialidade e se desinteressam pelas demais.

não adianta ser filho deles. vaia acabr não desenvolvendo). . Depende também do ambiente aonde ele foi criado (se for filho de 2 pessoas muito inteligentes. mas for criado pela babá. ficou claramente estabelecido que há uma importante influência hereditária na inteligência.INTELIGÊNCIA • Inteligência X Genética – Pelo estudo com gêmeos idênticos e com outras relações familiares.

relacionados ao afeto (é o que é apresentado. ligada a percepção do mundo do indivíduo .EMOÇÕES Emoção é conceituada como: um complexo estado de sentimentos. subjetiva. voz etc. • Humor – é a experiência interior. como gestos. psíquicos e comportamentais. expressa pelo indivíduo e tem representação no comportamento. com componentes somáticos.é a experiência da emoção observável. o seu gesto) e ao humor (é o que se sente interiormente) • Afeto .

acredita-se que tenha influencia nos estados de vigilância e de excitação emocional. localizado na coluna cerebral e prolonga-se até o Tálamo e o Hipotálamo serve como um mecanismo geral de alerta não específico. – Sistema reticular de motivação .EMOÇÕES • Envolve dois sistemas gerais no cérebro: – Sistema límbico . Ele excita o córtex. A estimulação de varias partes do sistema límbico produz o medo ira e outras reações emocionais.. estando relacionada a reações autonômicas e a alterações associadas à emoção. .que envolve o Tálamo e o Hipotálamo esta envolvido em muito dos motivos homeostáticos e contém as áreas de prazer e dor. facilita o transito de mensagens entre o meio circundante e o cérebro e dá tônus ao corpo.

no entanto. e silencia aqueles que geram pensamentos de preocupação. MEDO – O sangue vai para os músculos do esqueleto. • IRA – O sangue flui para as mãos (tornando mais fácil pegar uma arma ou golpear um inimigo). • • . energia suficiente para ação vigorosa.EMOÇÕES Lembrando que quem decide a ação é a percepção e não a emoção. os batimentos cardíacos aceleram . Nosso corpo por segundos se imobiliza até que nosso cérebro emocional dispare a torrente de hormônios que põe nosso corpo em alerta geral pronto para agir. com a atenção fixada na ameaça imediata de modo a dar a melhor resposta. Não há. e uma onda de hormônios como a adrenalina gera uma pulsação. uma mudança particular na fisiologia a não ser uma tranqüilidade que faz com que o corpo se recupere mais depressa do estimulo emoções perturbadoras. como os das pernas (tornando mais fácil fugir) e fazendo com que nosso rosto fique lívido e gelado já que o sangue foi desviado dele. FELICIDADE – Aqui a principal mudança biológica está a maior atividade no centro cerebral que inibe os sentimentos negativos e favorece o aumento da energia existente.

e o nariz ligeiramente enrugado) sugere uma tentativa primordial de tapar as narinas contra um odor nocivo ou cuspir for uma comida estragada. • • • .EMOÇÕES • AMOR – Sentimento afetuoso de satisfação sexual. SURPRESA – O erguer de sobrancelhas na surpresa permita a adoção de uma varredura visual mais ampla. REPUGNÂNCIA – A expressão facial de nojo (lábio superior retorcido para o lado. Isso oferece maior informação sobre o fato inesperado. implica em estimulações parassimpáticas (oposto fisiológico de lutar e fugir) seria um conjunto de reações em todo o corpo que gera um estado geral de calma e satisfação facilitando a cooperação. tornando mais fácil perceber o que está acontecendo e conceber o melhor plano de ação. em particular diversão e prazeres. TRISTEZA – A tristeza traz uma queda de energia e entusiasmo pelas atividades da vida. e também maior quantidade de luz a atingir a retina. reduzindo a velocidade metabólica do corpo que impossibilita a planejar novos começos.

EMOÇÕES • Das emoções a que mais interessa a administração é a felicidade por que reconhece que pessoas felizes: – – – – – – Tomam decisões com mais facilidade Percebem o mundo como mais seguro Qualidade do ambiente de trabalho Qualidade na gestão de pessoas Mostram maior satisfação com a vida em geral Apresentam relacionamentos interpessoais mais promissores – Contribuem para despertar esperança nos outros – São mais propensas a ajudar os outros ou seja indicadas para o trabalho em equipe .

Fatores Ligados ao estímulo percepção Fatores Ligados ao indivíduo comportamento Fatores Ligados ao meio Fatores ligados à sociedade Fatores que influenciam o comportamento .

. levando a percepção de uma tentativa de assalto. onde um indivíduo é tocado em uma rua deserta. • Diferentes comportamentos podem ser desencadeados dependendo dos fatores presentes.Fatores que influenciam o comportamento • Vamos levar em conta a situação.

ou se bom corredor pode disparar pela rua etc. .influencia em sua decisão.Fatores que influenciam o comportamento • Fatores ligados ao indivíduo: de o indivíduo sabe defesa pessoal. pode ser tentado a usar alguma ação física. • Fatores ligados ao meio: se o indivíduo tem a disponibilidade de objetos de defesa ou se esta em lugar desconhecido e/ou ermo.

ele tenderá a lutar. – “é possível considerar que os seres humanos . – Muitos fatores influenciam o comportamento. mas nenhum deles é determinante de suas características.Fatores que influenciam o comportamento • Aspectos ligados à sociedade: se o indivíduo pertencer a um grupo social em que se percebe o enfrentamento como edificante.

2002) . composto por inúmeras variáveis. econômico. como ambiente social. bem como a partir de um contexto. (KienennenWolf. social e político”.COMPORTAMENTO • “é possível considerar que os seres humanos atuam a partir de determinada história pessoal.

daí a importância do autoconhecimento. recebe influencia do observador (ex: em uma prova quando o professor para do seu lado e você tampa a prova ou para de escrever) • O observador somente consegue perceber a partir de suas experiências anteriores. • Os comportamentos acontecem em um esquema de referencia de valores.LIMITAÇÕES DO COMPORTAMENTO • Ao se perceber estudado. .

os reflexos (movimentos automáticos ante uma estimulação)constituem a limitada quantidade de comportamento não aprendido • O comportamento instintivo pouco de manifesta. que pouco varia de um indivíduo para outro. que se desenrola segundo uma sequencia temporal.COMPORTAMENTO NA ORGANIZAÇÃO • Comportamento por instinto: – Para Laplanche e Pontalis. (1995)“esquema de comportamento herdado. pouco suscetível de alterações e que parece correspondera uma finalidade”. como regra geral nas organizações . – Para Lundin(1977). próprio de um espécie animal.

.

PERSONALIDADE • “ Personalidade é o padrão característico de comportamento do indivíduo. porque para que seja forte ou fraca tem que comparar com alguma coisa e essa coisa varia de grupo social para grupo social (já que diferentes grupos sociais aceitam diferentes tipos de comportamento como normal) . Os outros vêem esse padrão como personalidade. e o indivíduo o considera como sendo o EU”. Não existe personalidade forte ou fraca.

. Sua tendência é mais com timidez. portanto uma pessoa direta e enérgica. É. que define três tipos físicos básicos que determinam as características de personalidade.TEORIAS TIPOLÓGICAS Diversas teorias tentam associar tipo físico e personalidade. Este gosta de prazeres da vida e tende a ser sociável e comunicativo. uma das mais divulgadas foi a do tipo morfológico. • Ectomórficos – alto delgado e frágil. são elas: • Endomórficos – caracterizado pela gordura e flacidez. preocupação e retraimento na sociedade. • Mesomórficos – muscular e atlético.

. • No entanto serviu como base para outra teoria a teoria do S-R. • Esta teoria caiu em desuso por listarem inúmeros padrões como formadores da personalidade dificultando o entendimento deste conceito.TEORIA DO TRAÇO • Analisa os padrões consistentes e sistemáticos do comportamento definindo-os como componentes da personalidade.

. • Fase Genital – refere-se a idade adulta normal onde o prazer se dá através das relações sexuais normais (foco na relação). que define como amor ao progenitor do sexo oposto acompanhado pela aversão em relação ao mesmo sexo como razão aos desentendimentos ou comportamentos anormais (foco no órgão sexual). • Fase Oral – inicia-se desde o nascimento do bebe .TEORIA PSICANALISTA A personalidade se forma segundo Freud de acordo com o desenvolvimento da sexualidade que ocorre em fases determinadas. mas que não necessariamente acompanham o desenvolvimento etário do indivíduo. É nesta fase que surge o Complexo de Édipo ou de Electra muito divulgado. experimentando este ato como fonte de prazer. bebida e fumo. • Fase fálica – inicia-se quando há a descoberta e a curiosidade da existência dos órgãos sexuais e suas diferenças. • Fase Anal – nesta fase se inicia a percepção do ato de defecar e urinar. Traumas nessa fase geram problemas de relacionamento. Traumas nessa fase geram doenças como prisão de ventre. onde apresenta como primeira demonstração de prazer físico e afetivo a sucção ao mamar ao seio .. por exemplo) . Traumas nessa fase geram problemas na realização do ato sexual (não gosta. Traumas nessa fase geram distúrbios de excesso de comida.

Neuroticismo–agrupamento de características comportamentais que apresentam comportamentos descritos como neuróticos. O primeiro a organizar os conceitos de personalidade segundo esta visão foi EYSENK.R • Utiliza-se das idéias básicas da teoria do traço. .TEORIA DO E . Neste enfoque são definidos 3 características inatas: Psicoticismo – agrupamento de comportamentos com características psicóticas claras ExtroversãoX Introversão – características de comportamentos que se manifestam de forma expansivas ou recatadas de acordo com as situações vividas pelo indivíduo.

Para a teoria existencialista o entendimento do que ela define como EU REAL e o EU IDEAL é a forma de entendimento da personalidade • EU REAL – o que o indivíduo acredita ser.TEORIA EXISTENCIALISTA • Tem como base a idéia de que o indivíduo é fruto de suas potencialidades relacionadas com o mundo em que esta inserido. • EU IDEAL – o que o indivíduo gostaria de ser. • EU – o que o indivíduo apresenta  EU REAL + EU IDEAL = EU .

.

manifestado pela : – Cognição • percepção de si mesmo.TRANSTORNOS DA PERSONALIDADE .Diagnóstico • Quando o comportamento e experiência se desviam da cultura vigente . dos outros e dos eventos – Afeto • alcance. intensidade. maleabilidade das respostas emocionais – Funcionamento Interpessoal – Controle do impulso Manual Psiquiátrico da associação Americana de Psiquiatria DSM IV .

• O padrão é estável .Diagnóstico • Comportamento é inflexível e invasivo com amplo alcance nas áreas sociais. de longa duração e se iniciou na adolescência ou pelo menos no início da idade adulta Manual Psiquiátrico da associação Americana de Psiquiatria DSM IV . • Comportamento leva a desconforto e a prejuízo nas áreas de funcionamento social.TRANSTORNOS DA PERSONALIDADE .

• O comportamento não pode ser identificado como manifestação ou conseqüência de causas – fisiológicas ou – de abuso de substancias ou – condição médica geral (dano cerebral) Manual Psiquiátrico da associação Americana de Psiquiatria DSM IV .TRANSTORNOS DA PERSONALIDADE .Diagnóstico • O comportamento não pode ser identificado como uma manifestação.ou conseqüência de outra doença mental.

.

LISTA DE TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE Grupo A (transtornos excêntricos ou estranhos) – transtorno de personalidade esquizóide – transtorno de personalidade esquizotímica – transtorno de personalidade paranóide Manual Psiquiátrico da associação Americana de Psiquiatria DSM IV .

LISTA DE TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE Grupo B (transtornos dramáticos. imprevisíveis ou irregulares) – transtorno de personalidade anti-social – transtorno de personalidade histriônica – transtorno de personalidade limítrofe – transtorno de personalidade narcisista Manual Psiquiátrico da associação Americana de Psiquiatria DSM IV .

LISTA DE TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE Grupo C (transtornos ansiosos ou receosos) – transtorno de personalidade dependente • ''não'' confundir com distimia – transtorno de personalidade esquiva • timidez excessiva – transtorno de personalidade obsessivocompulsiva Manual Psiquiátrico da associação Americana de Psiquiatria DSM IV .

.

sem aceitar qualquer um .RECRUTAMENTO • Para que se inicie o processo de recrutamento é necessário: – A descrição detalhada dos cargos a serem preenchidos – Os atributos requeridos para o desempenho da função (ex: para uma secretária tem que ter algo que seja voltado ao atendimento do público) – A política de remuneração e contratação da empresa O problema do recrutamento é saber aonde você vai recrutar. para que seja feito da melhor forma.

Vantagens: satisfação do funcionário (por possibilidade de crescer dentro da empresa) e custo baixo (tanto para o recrutamento em si quanto para a contratação do funcionário. uma seleção. posteriormente. para que os interessados se inscrevam e para que haja. finalmente. e somente para pessoas de dentro. já que o primeiro não está exercendo a função ainda e o segundo já. já que o funcionário que é promovido recebe menos do que uma pessoa que viria de fora. não consegue pegar o melhor do melhor (como o externo consegue fazer) O que muitas empresas estão fazendo hoje em dia é unir recrutamento interno e externo: avisa e faz recrutamento internamente e externamente em paralelo.monta perfil com requesitos necessários e divulga dentro da empresa. depois faz a seleção de ambas as opções e. então esse tem que ser contratado com salários maiores). Desvantagens: todos os funcionários ficam pensando muito igual (porque as pessoas de fora têm idéias diferentes e novas).TIPOS DE RECRUTAMENTO • RECRUTAMENTO DENTRO DA EMPRESA (interno) . atrito entre o funcionário que se inscreveu e seu chefe (muitas empresas hoje em dia só liberam o funcionário com a liberação do chefe). coloca elas para competirem de igual para igual pela vaga .

Embraer. globo. mas geralmente pouco eficaz porque vem gente de tudo quanto é tipo e não necessariamente do tipo que você deseja • RECOMENDAÇÃO – é minimizado o turnover porque a pessoa já sabe de tudo. Vantagem: já vem selecionado e não gasta muito tempo. empresas de arquitetura. porque quem indicou já contou tudo • PESSOAL DISPENSADO – é usado quando a empresa trabalha por projetos (ao invés de abrir um novo recrutamento quando acaba um projeto e começa outro.. bastando apenas saber escolher como e aonde anunciar • HEADHUNTERS (CAÇA-TALENTOS) – mais utilizado para alta gerência. .. As empresas estão abrindo espaços seguros dentro de seus sites. Isso é feito porque alivia a carteira dos encargos sociais • AGÊNCIAS • ASSOCIAÇÕES PROFISSIONAIS • ANÚNCIOS – é muito caro (para cargos mais baixos não vale a pena).TIPOS DE RECRUTAMENTO Recrutamentos externos: • CARTAZES – é barato e de fácil aplicação. simplesmente remaneja as pessoas para outro projeto). • INTERNET – apesar de estar cada vez mais utilizada. geralmente são empresas de engenharia. as pessoas ainda tem medo de colocar dados pessoais dentro da internet. onde o interessado coloca o básico do que o candidato é para que não seja possivelmente prejudicado. Desvantagem: muito caro. mas tem uma abrangência muito grande. projetos de trainee.

ANÚNCIOS • Por que anunciar • Mesmo que a resposta seja óbvia convém ser mais específico. . através da imagem projetada pelo anuncio. – Atrair leitores certos para responder ao anuncio – Eliminar candidatos que não convenham – Melhorar a reputação da empresa.

. é preciso identificar os melhores meios de atingi-los – Tiragem do jornal e da revista – Custo do anuncio – Quantidade de anúncios semelhantes na publicação – Freqüência e data da publicação.ANÚNCIOS • Onde anunciar • Uma vez definidas os objetivos.

ANÚNCIOS • Como anunciar – Os anúncios devem ser redigidos de forma a: • • • • Despertar o interesse do leitor Inspirar confiança Mostrar vantagens do cargo Estimular os candidatos a respondê-lo .

pois as etapas de recrutamento e seleção podem ser longas e com isto comprometer a empresa. .ANÚNCIOS • Quando anunciar – Como regra geral deve-se anunciar o mais rápido possível.

.

SELEÇÃO – PROCESSO • ANÁLISE DOS CURRÍCULOS – Competência profissional – Desejo de permanência no emprego e de seguir carreira – Experiência prática – Adequação ao grupo – Vontade de trabalhar e de aceitar novos desafios – Orientação para lucros e melhoria de desempenho .

PROCESSO • TESTE ESCRITOS • TESTES PSICOLÓGICOS • ENTREVISTAS .SELEÇÃO .

SELEÇÃO -ENTREVISTA • • • • • • Pré-seleção dos candidatos Elaboração do roteiro Definição do local Preparação do material Quebra de gelo Formulação de perguntas .

• Devem ser formuladas um pergunta de cada vez. . com ampla liberdade de expressão. com propósito definido. • Convém deixar que o candidato exponha os fatos a seu modo. devem ser evitadas. perguntas com longas respostas ajudam a observar e a avaliar o candidato. • Não devem ser feitas perguntas que induzam a respostas predeterminadas • Perguntas que coloque os candidatos na defensiva.SELEÇÃO -ENTREVISTA • Formulação de perguntas • Respostas que requerem respostas “sim” ou “não” devem ser evitadas.

SELEÇÃO -ENTREVISTA • • • • • • • • • Controle da entrevista Tomada de anotações Atitude de escuta Autocontrole Análise do comportamento não verbal Sinceridade Conclusão da entrevista Sumarização da entrevista Auto-avaliação .

Fatores ligados ao estímulo Percepção Fatores ligados Ao indivíduo Comportamento Fatores ligados Ao meio Fatores ligados A sociedade .

FATORES QUE INTERFEREM DIRETAMENTE NO INTERRELACIONAMENTO • • • • A PERCEPÇÃO A PERSONALIDADE AS EMOÇÕES INTEGRAÇÃO SOCIAL – Comunicação Interpessoal .

Expectativas dos Profissionais Modernos em sua Relação com as Organizações e com o seu Trabalho • Pessoas mobilizadas pela autonomia e liberdade nas suas escolhas de carreira e de desenvolvimento profissional • Pessoas atentas a elas mesmas tanto em relação a sua integridade física quanto psíquica e social • Pessoas com expectativa de vida maior e conseqüente ampliação de sua vida profissional • Pressão para a contínua atualização e ganho de competência como condição para manutenção da competitividade profissional .

.

 Meios de comunicação Sonoro Escrito Audiovisual Multimídia .

Ferramentas .

COMUNICAÇÃO “Comunicação é a transferência de informação de uma pessoa para outra. 1983 ) . fatos.” ( Davis. pensamentos e valores. É uma ponte de significação entre pessoas para que elas possam partilhar o que sentem e o que sabem…. é o modo de alcançar os outros com idéias.

ETAPAS DO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO IDEAÇÃO CODIFICAÇÃO TRANSMISSÃO RECEPÇÃO DECODIFICAÇÃP AÇÃO RUÍDO .

gráfico ou símbolos.Processo de comunicação • EMISSOR • desenvolve a idéia ou o pensamento que se deseja transmitir • codifica a idéia em palavras adequadas. • transmite pelo método escolhido .

Processo de Comunicação • RECEPTOR • recebe a mensagem • decodifica a mensagem para que ela possa ser entendida • faz uso da mensagem .

RUÍDOS DECORRENTES DO EMISSOR E DO RECEPTOR (Gil. 2001) • DO EMISSOR – Falta de clareza nas idéias – Comunicação múltipla – Problemas de codificação – Bloqueio emocional – Hábitos de locução – Suposição acerca do receptor • DO RECETOR – Audição seletiva – Desinteresse – Avaliação prematura – Preocupação com a resposta – Crença e atitudes – Reação ao emissor – Preconceitos e esteriótipos – Experiências anteriores – Atribuição de intenções – Comportamento defensivo . A.C.

.

Sente-se ou fique de pé de modo a mostrar determinação. incline-se para a pessoa com quem esta falando. sorria quando tiver que sorrir. • Use expressões faciais apropriadas. mantenha o corpo ereto. franza a testa quando estiver zangado e etc. não titubeie . • Controle o tom de voz. fique próximo `a pessoa com que esta falando.COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL • Posicione-se apropriadamente. mantenha o contato de olhar. esforce-se para manter o controle de voz com inflexão firme e confiante.

.

Barreiras na Comunicação Interpessoal .

interferências no ambiente • Semânticas .interferências que surgem da emoção .limitações nos símbolos com que nos comunicamos • Pessoais .Barreiras da Comunicação • Físicas .

.

.

INTERESSE CREDIBILIDADE DA FONTE HABILIDADE DE COMUNICAÇÃO CLIMA ORGANIZACIONAL COMPLEXIDADE DO CANAL .BARREIRAS DA COMUNICAÇÃO OU VARIÁVEIS INTERVENIENTES • • • • • • • • IDÉIAS PRECONCEBIDAS RECUSA DE INFORMAÇÃO CONTRÁRIA SIGNIFICADOS PERSONALIZADOS MOTIVAÇÃO.

.

Barreiras da comunicação Inconscientes • Mecanismos de defesa – – – – – – racionalização reação substituição ou compensação projeção repressão identificação .

ignorando as mensagens emocionais – O Filtro da distração – os pensamentos vagueiam.BARREIRAS DA COMUNICAÇÃO INCONSCIENTES • FILTROS PESSOAIS – O Filtro da predileção – em situações de ansiedade ou raiva. tendemos a ouvir apenas o que queremos – O Filtro do quem – este filtro impede de escutar o que está sendo dito por darmos demasiada importância aquilo que pensamos saber da outra pessoa – O Filtro dos fatos – as vezes a pessoa só consegue ouvir os fatos. esta distração bloqueia as informações por diversas razões .

BARREIRAS CONSCIENTES FALTA DE ASSERTIVIDADE • PASSIVIDADE • ASSERTIVIDADE • AGRESSIVIDADE .

BARREIRA CONSCIENTE ASSERTIVIDADE Capacidade que cada indivíduo tem de expressar de forma adequada seus pensamentos e sentimentos .

q Aumenta a probabilidade de uma boa receptividade ao que temos a dizer. .ESCUTA DINÂMICA q Ajuda os receptores a obterem mensagens verdadeiras q Reduz os mal entendidos q Ajuda aos receptores a entenderem melhor os sentimentos. as emoções e as necessidades dos comunicadores.

.

.

Feedback .

RETROINFORMAÇÃO OU FEEDBACK Nas Organizações • Permite a troca de idéias entre superior e empregado • Permite o diálogo entre superior e empregado • Facilita o esclarecimento de problemas • Envolve o empregado nos assuntos da empresa Nos relacionamentos • Permite a troca de idéias • Evita o surgimento de conflitos • Evita o aparecimento de frustrações e mecanismos de defesa negativos ao relacionamento • Facilita o relacionamento propriamente dito .

Comunicação na Empresa .

cooperação e satisfação nos cargos.COMUNICAÇAÕ NA EMPRESA • OBJETIVO – Proporcionar informação e compreensão necessárias para que as pessoas possam conduzir-se em suas tarefas – Proporcionar as atitudes necessárias que promovam a motivação. .

•A boa comunicação é essencial para a eficácia de qualquer organização ou grupo. . •Pesquisas indicam que as falhas de comunicação são as fontes mais freqüentemente citadas de conflitos interpessoais.

• Também chamada de Endocomunicação. o conhecimento. a Comunicação Interna é responsável por fazer circular as informações. • A comunicação interna de um modo geral amplia a visão do empregado. e horizontalmente (entre os empregados de mesmo nível de subordinação). os relacionamentos dentro de uma empresa ou instituição. .O que é Comunicação Interna? • A Comunicação Interna são as interações. os processos de trocas. de forma vertical ( da direção para os níveis subordinados).

COMUNICAÇAÕ NA EMPRESA • FORMAS DE COMUNICAÇÃO – Comunicações formais e informais – Comunicações orais e escritas – Comunicações descendentes. . ascendentes e laterais ou horizontais.

Comunicação Formal x Informal • Formal: circulam as mensagens oficiais e legitimadas pela estrutura. mensagens. utilizando os canais formais. • Informal: mais conhecida como rádio peão ou rádio corredor. na qual circulam todas as informações. . consideradas inadequadas para circulação.

relatórios de atividades.mail. mapas. bandeiras. filmes mudos com legenda. manuais. circulares. . diplomas e certificados. fax. diagramas. – Pictográficos: pinturas.Os instrumentos e recursos mais utilizados nas empresas são: • Visuais – Escritos: instruções e ordens escritas. – Escritos-pictográficos: cartazes. formulários. cartas pessoais. jornais e revistas. quadros de avisos. boletins. e. panfletos. fotografias. desenhos. gráficos. – Simbólicos: luzes.

televisão. . reuniões. rádio. – Simbólicos: sirenas.•Auditivo – Diretos: conversas. apitos e buzinas. entrevistas. videofone. – Indiretos: telefone. vídeo. sinos. alto-falantes. demonstrações. •Audiovisuais – filmes. etc. conferências.

Telefone. Intranet. E-mail. Quadro de avisos. folhetos.cartas. Memorados.Meios de Informações: Conversa Face a face. . Vídeo-coferência.relatórios em geral.

Problemas na comunicação Interna .

que continuamente buscam melhores salários e reconhecimento profissional.A falta ou mal uso da comunicação interna numa organização pode gerar insatisfação aos funcionários. .

.

• Sobrecarga de informações:as informações excedem a capacidade de processamento do receptor. • Falta de conhecimento:Um dos interlocutores tem pouco conhecimento do assunto. motivações.mensagens distorcidas. experiências pessoais. . com base em suas próprias necessidades. • Percepção seletiva:o receptor vê e escuta seletivamente.Falhas na Comunicação • Boatos:Fofocas.

idioma. para que ela seja vista de maneira mais favorável pelo receptor.• Filtragem:manipulação da informação pelo emissor.entre outras. sem motivo aparente. . • Diferenças linguísticas e culturais: ambiguidade.  Medo: tensão ou ansiedade em relação à comunicação oral ou escrita.

Como melhorar a Comunicação: • Organize as informações e as transmita com objetivo e clareza. • Assertividade:exponha suas ideias de maneira correta. • Adequação da mensagem e do canal ao público que desejar atingir. . • Empatia: Colocar-se no lugar do outro. • Foque sua atenção e saiba ouvir. • Cuidado com a postura e entonação.

• Utilize o feedback:verificação do sucesso na transmissão de uma mensagem. é o elo final do processo. .

.

o indivíduo tem que escolher apenas uma. Chocolate é bom mas engorda . • Evitação – Evitação – metas separadas. Ex.CONFLITOS INTERPESSOAIS PADRÕES BÁSICOS • Abordagem – Abordagem – duas metas positivas. especialmente separadas e o indivíduo deve escolher uma. • Abordagem – Evitação – envolve duas tendências de respostas contrárias.

mas um em cada turno) • indefinição das regras do jogo • interdependências de recursos • sistemas de recompensas competitivos (ex: dar salário fixo para um grupo e para outro dar salário fixo + comissão) • mudanças .CONFLITOS Causas mais comuns Interpessoais • falhas na comunicação • pressão temporal (ex: um ficante esperando que seja pedida em namoro e o outro ficante não quer namorar) • expectativas diferentes • conflitos de valores de personalidades • perspectivas de mudança Grupos • superposição de funções (ex: dois gerentes para o mesmo cargo.

• Leva a descoberta de novos fatos e informações que podem resultar em benefícios • • • DESVANTAGENS Causa tensão e pode causar sequelas (ex: deixa de falar com um funcionário) Cria ambiente improdutivo Pode gerar perda de poder ou de status (ex: troca de cargo. demissão ou funcionário se demitir) Tende a distorcer o comportamento das pessoas .VANTAGENS E DESVANTAGENS DO CONFLITO VANTAGENS (dependem sempre da intensidade do conflito) • • Cria desafios para busca de soluções. motiva grupos e indivíduos a resolver problemas em conjunto.

A CRÍTICA • CONSIDERADA UMA PODEROSA CAUSADORA DE CONFLITO – ninguém gosta de receber crítica porque ela explicita uma falha e/ou um erro .

então dilui um pouco. por isso os gestores fazem muito isso CRÍTICA • A crítica vem carregada de desprezo. mas também no tom de voz e nas expressões etc. • Se torna pessoal . • É mais bem administrável. já que está se queixando de uma situação. uma emoção particularmente destrutiva • Geral expresso não apenas nas palavras empregadas.DIFERENCA ENTRE QUEIXA E CRÍTICA QUEIXA • Na queixa a referência é à ação e não o indivíduo.

MANEIRA DE RESPONDER A CRÍTICA NO SER HUMANO
• LUTAR – revidar, responder, argumentar (mesmo que seja “tá, vou pensar nisso”) • FUGIR – silêncio, fechar-se em copas, sair de perto, simplesmente aceitar (dizer “ok”)

DICAS PARA SE FAZER UMA CRÍTICA
Harry Levinson

• Seja específico – pegue um fato que ilustre o problema, diga exatamente qual é o problema – a especificidade é tão importante para o elogio quanto para a crítica (não adianta dizer que está fazendo tudo errado, passe por cada um dos pontos que estão errados, mesmo que eles no total sejam o todo). • Ofereça uma solução – a crítica como todo feedback útil, deve indicar uma maneira de resolver o problema para não deixar quem as recebe frustradas, desmoralizado ou desmotivado. • Esteja presente – As críticas como os elogios são mais eficazes cara a cara. • Seja sensível - quando não há empatia, a crítica assume efeito destrutivo, em vez de abrir caminho para correção, estimula comportamentos de ressentimento, ira, defensividade e distanciamento

DICAS PARA SE RECEBER UMA CRÍTICA
Harry Levinson

• Veja a crítica como uma informação (uma forma de crescimento) e não como um ataque pessoal. • Vigie o impulso para a defensividade, em vez de assumir a responsabilidade. • Caso ela se torne muito perturbadora, peça para retomar o encontro mais tarde, peça um período para absorver melhor a mensagem. • Veja a crítica como uma oportunidade de trabalhar com o crítico e não como uma situação de adversários.

• Ansiedade

DEFINIÇÕES
• Estresse
“Perturbações que causam distúrbios agudos ou crônicos no bem-estar das pessoas, e podem surgir em função de estímulos físicos e ou emocionais”. Albert e Ururahy (1997) A palavra chave para a identificação da presença do estresse é distúrbio, agudo ou crônico.

“Um sentimento de apreensão provocado pela antecipação de um perigo interno ou externo”.
(Kaplan, H. & Sadock, B. 1993)

Trata-se de emoção normal, presente no cotidiano, necessária à concentração, à vigilância e toda uma série de comportamento do indivíduo.

254) Situação Originadora de conflitos Exposição Sensibilidade a conflitos existente ou antecipado Reações autonômicas Aumento da ansiedade Respostas mal adaptadas . 2001 p..O. J.CICLO DE AMPLIAÇÃO DA ANSIEDADE (Fiorelli.

ORIGENS DO ESTRESSE • Frustrações – pelo fracasso na busca de objetivos • Conflito – decorrente da competição entre de impulsos ou motivações incompatíveis • Mudança – resultante de uma alteração na forma de vida • Pressão – envolvendo expectativas ou exigências para que a pessoa se comporte de determinada forma .

Neste caso afirmamos haver ruptura do equilíbrio interno do indivíduo.  Distresse – tensão ligada a sentimentos carregados de negativismo. . gravidez.TIPOS DE ESTRESSE  Eustresse – refere-se à tensão com conotação positiva. que pode ser facilmente identificada com exemplos do tipo casamento. natal e etc. É o estresse que nos referimos de maneira tradicional. neste caso dizemos que não houve ruptura do equilíbrio.

FATORES QUE DETERMINAM O ESTRESSE PERSONALIDADE ESTRATÉGIA DE ENFRENTAMENTO CONSTITUIÇÃO ORGÂNICA EXPECTATIVAS DO AMBIENTE ESTRESSE AVALIAÇÃ DA PERCEPÇÃO CONTEXTOS ORGANIZACIONAIS EXPECTATIVAS DA PESSOA .

que são avaliadas por ela como excessivas ou acima de suas possibilidades.FATORES QUE DETERMINAM O ESTRESSE • Estratégia de enfrentamento – conjunto de esforços que uma pessoa desenvolve para manejar ou lidar com as solicitações externas ou internas. • Expectativas do ambiente – refere-se a avaliação feita pelo indivíduo relativo ao ambiente • Contextos organizacionais – percepção de sua inserção na organização • Personalidade – padrão característico de comportamento • Avaliação da percepção – refere-se a percepção da avaliação do ambiente pessoal organizacional e social • Expectativas da pessoa – expectativas próprias de sua atividade social e pessoal .

Felicidade e estresse: a flexibilização dos papéis profissionais X ajustamento emocional” rea lizada no 9º Fórum de R. em 1999 . . H.• • • • • • • • • • • • ACONTECIMENTOS QUE ESTRESSAM Morte do (a) companheiro (a) Divórcio Doenças ou ferimentos pessoais Casamento Perda de emprego Gravidez Dificuldades sexuais Problemas com sogros Desentendimento com o patrão Férias Natal Retirado da Palestra “Trabalho.

SINTOMAS TÍPICOS DE ESTRESSE • • • • • • • • • • Nervosismo e tensão Preocupação crônica Problemas digestivos Alta pressão sangüínea Incapacidade de relaxar Excesso de álcool ou fumo Insônia Atitudes não cooperativas Incapacidade para lutar Cólera e agressão .

quer seja por hostilidade ou como meio calculado de alcançar um fim. .AGRESSÃO • É qualquer comportamento físico ou verbal com a intenção de magoar ou destruir.

bioquímicos e neurais – Eventos aversivos – Frustração .AGRESSÃO • Fatores que interferem na agressão: – Fatores genéticos.

.Fatores que interferem na agressão • Fatores genéticos – Nos seres humanos estudos com gêmeos idênticos e fraternos mostra que uma tendência agressiva pode ser creditada a fatores genéticos.

Fatores que interferem na agressão • Influências bioquímicas – Os seres humanos são menos sensíveis às variações hormonais do outras espécies • mesmo assim podemos encontrar entre criminosos violentos um perfil provável que aponta baixos níveis do neurotransmissor serotonina e altos níveis de testosterona. . o hormônio masculino.

mas diversos centros nervosos que facilitam ou tornam mais provável o comportamento agressivo. . • o que o torna um aspecto bastante complexo do comportamento.Fatores que interferem na agressão • Influências neuronais – O cérebro não possui um centro nervoso que controle a agressão.

que provocam desconforto ou sofrimento e podem colocar o sujeito em um estado que favoreça o comportamento agressivo – O aumento de casos de agressão em períodos de alta temperatura é conhecido há muito tempo. odores fétidos.Fatores que interferem na agressão • Eventos aversivos – são eventos aversivos. fumaça e vários outros estímulos aversivos podem ajudar a desencadear agressividade. • Dor física. insultos pessoais. .

principalmente se as condições permitirem. 2008) . • (Retirado da apostila de Marcelo Henrique Costa. IBMEC.Fatores que interferem na agressão • Princípio frustração – Um caso particular de evento aversivo é a frustração. o bloqueio que impede uma pessoa de alcançar seu objetivo • A frustração pode gerar um sentimento de raiva que torna propícia a agressão.

.

• O mecanismo pelo qual ela faz isso parece envolver vários aspectos: – – – – Excitação pelo estímulo violento Fortalecimento das idéias relacionadas com violência Enfraquecimento das inibições Imitação .Televisão x Agressividade • Alguns estudos revelam que a exposição a programas com altos graus de violência na TV torna as crianças e adolescentes mais agressivos.

Agressão sexual e mídia • Os filmes pornográficos e a mídia em geral ajudam a estabelecer um roteiro absolutamente irreal de que a mulher que inicialmente frustra a investida sexual irá ceder e ter prazer em seqüência – Os filmes pornográficos e de terror facilitam a associação entre sexo e violência. mas favorecem a violência e o comportamento punitivo com relação às mulheres . • Ao contrário do que pensam alguns. filmes pornográficos e violentos não oferecem uma descarga de impulsos reprimidos.

principalmente em casos onde a pessoa não se sente segura de como agir. – A responsabilidade é grande. nesse sentido culpar a mídia somente seria errado. – os meios de comunicação fornecem scripts sociais que tendem a ser usados.OBSERVAÇÕES IMPORTANTES • Comportamentos agressivos não podem ser creditados a uma única causa. .

quando não há empatia. estimula comportamentos de ressentimento.DICAS PARA SE FAZER UMA CRITICA Harry Levinson • Seja específico – pegue um fato que ilustre o problema. deve indicar uma maneira de resolver o problema para não deixar quem as recebe frustradas. ira. • Esteja presente – As críticas como os elogios são mais eficazes cara a cara. a crítica assume efeito destrutivo. defensividade e distanciamento . • Ofereça uma solução – a crítica como todo feedback útil. diga exatamente qual é o problema – a especificidade é tão importante para o elogio quanto para a crítica. desmoralizado ou desmotivado. • Seja sensível . em vez de abrir caminho para correção.

• Vigie o impulso para a defensividade. peça um período para absorver melhor a mensagem. • Caso ela se torne muito perturbadora. . em vez de assumir a responsabilidade.DICAS PARA SE RECEBER UMA CRITICA Harry Levinson • Veja a crítica como uma informação e não como um ataque pessoal. • Veja a crítica como uma oportunidade de trabalhar com o crítico e não como uma situação de adversários. peça para retomar o encontro mais tarde.

Relações interpessoais • Necessidade de Inclusão • Necessidade de Controle • Necessidade de Afeição .

.

em que entre outros atributos fica clara a elevada interdependência na execução das atividades” ( Wagner III e Hollenbeck 1999) .GRUPO OU EQUIPE ? – “Grupo é um conjunto de duas ou mais pessoas que interagem entre si de tal forma que cada uma influencia e é influenciada pela outra” ( Wagner III e Hollenbeck 1999) – “Equipe seria um tipo especial de grupo.

– Será facilitadora social o quando a tarefa for pouco complexa – e será negativo quando a tarefa for complexa ou que o indivíduo se sinta inseguro.Comportamento Individual frente ao grupo • A presença de uma pessoa realizando uma mesma tarefa. ou mesmo apenas assistindo. pode afetar de maneira positiva ou negativa o seu desempenho. .

.Vadiagem social • É a redução do empenho do sujeito em uma atividade quando cumprida em uma equipe. como parte de um esforço coletivo. – ocorre porque a pessoa se sente menos responsável pelo desempenho quando é parte do grupo ou pode considerar sua participação dispensável.

Desindividualização • É o efeito de tornar menos inibido e menos contido um sujeito numa situação de grupo .

Polarização do grupo • É a tendência de intensificação da diferença entre grupos quando estas diferenças são constantemente apresentadas ou discutidas. .

Efeitos da interação de grupo • Pensamento de grupo • Influência da minoria – É o pensamento coletivo unificado mas falsamente harmonioso – grupos minoritários que se apegam a suas convicções tendem a ser mais influentes do que grupos menos persistentes. .

– conhecer bem esas normas favorecer uma atividade mais integrada • Ritmo de vida – Tem a ver com a relação que cada cultura estabelece com o tempo nos seus compromissos e atividades diárias ex: pontualidade etc • Espaço pessoal – É o espaço em torno do sujeito que regula sua interação com as outras pessoas estabelecendo o grau de intimidade • Papéis sexuais – As normas culturais com relação aos papeis de homens e mulheres na sociedade variam bastante de cultura para cultura .Influências culturais • Normas culturais – As muitas normas culturais em diferentes países podem provocar embaraço ou confusão.

voltado para tarefa ou para relações interpessoais .definição dos padrões de funcionamento • Estágio de confrontação.DINÂMICA DA FORMAÇÃO DOS GRUPOS • Estágio de formação.estabelecimento das “regras do jogo” • Estágio de desempenho.questionamento das regras e formas de conduta • Estágio de normatização.

ADMINISTRAÇÃO DAS DIVERGÊNCIAS • GANHA – PERDE Acordo forçado Imposição/cessão- • GANHA – GANHA efetivo Negociação .Desacordo .Acordo • PERDE – PERDE Empate forçado / cristalização/ rompimento .

250 . – Será facilitadora social o quando a tarefa for pouco complexa – e será negativo quando a tarefa for complexa ou que o indivíduo se sinta inseguro. ou mesmo apenas assistindo. pode afetar de maneira positiva ou negativa o seu desempenho.Comportamento Individual frente ao grupo • A presença de uma pessoa realizando uma mesma tarefa.

251 . como parte de um esforço coletivo. – ocorre porque a pessoa se sente menos responsável pelo desempenho quando é parte do grupo ou pode considerar sua participação dispensável.Vadiagem social • É a redução do empenho do sujeito em uma atividade quando cumprida em uma equipe.

Desindividualização • É o efeito de tornar menos inibido e menos contido um sujeito numa situação de grupo 252 .

Polarização do grupo • É a tendência de intensificação da diferença entre grupos quando estas diferenças são constantemente apresentadas ou discutidas. 253 .

Influências culturais • Normas culturais – As muitas normas culturais em diferentes países podem provocar embaraço ou confusão. – conhecer bem esas normas favorecer uma atividade mais integrada • Ritmo de vida – Tem a ver com a relação que cada cultura estabelece com o tempo nos seus compromissos e atividades diárias ex: pontualidade etc • Espaço pessoal – É o espaço em torno do sujeito que regula sua interação com as outras pessoas estabelecendo o grau de intimidade • Papéis sexuais – As normas culturais com relação aos papeis de homens e mulheres na sociedade variam bastante de cultura para cultura 255 .

256 .

EQUIPE • Uma equipe é um conjunto de pessoas: – Com um senso de identidade manifesto em comportamentos desenvolvidos e mantidos para o bem comum. decorrentes da necessidade mútua de atingir objetivos e metas específicas. – Em busca de resultados de interesse comum. 257 .

mas seus membros precisam de orientações sobre sua finalidade. objetivos e produtos pertencem a cada indivíduo Equipe potencial – ele quer verdadeiramente produzir trabalho conjunto. mas responsabilidades. Grupo de trabalho – os membros não vêem nenhuma razão para se transformarem numa equipe. (in Moscovici. mas não se preocupa com o desempenho coletivo nem tenta consegui-lo. sem produzir ganho coletivo. 2003)  Pseudo-equipe – pode definir um trabalho a fazer.CURVA DE DESENVOLVIMENTO DE EQUIPE Katzenbach & Smith. podem partilhar informações. objetivos.  As interações dos membros inibem o desempenho individual. produtos e/ou abordagem da tarefa 258 .

comprometidas umas com as outras através de uma missão e objetivos comuns além de uma abordagem de trabalho bem definida. seus membros estão profundamente comprometidos com o crescimento pessoal de cada um e o sucesso deles mesmos e dos outros 259 . – Seus membros aprenderam a confiar uns nos outros e assumem plena responsabilidade por seu desempenho. (in Moscovici. • Equipe de Elevado Desempenho – atende a todos os requisitos de uma equipe real e mais ainda.CURVA DE DESENVOLVIMENTO DE EQUIPE Katzenbach & Smith. 2003) • Equipe real – compõe-se de pessoas com habilidades complementares.

empatia .FATORES COMPONENTES DE UMA EQUIPE • Uniformidade – valores compartilhados • Diversidade – recortes sociais nos quais se inserem os componentes • Complementaridade – diferentes competências do domínio dos indivíduos • Compartilhamento.interdependência funcional na realização dos trabalho • Convergência – foco compartilhado • Compatibilidade .

• • • • • • • • • • • VANTAGENS DO TRABALHO EM EQUIPE Melhor tratamento das informações Redução da ansiedade nas situações de incerteza Maior geração de idéias Interpretação mais flexível dos fatos e situações Maior probabilidade de evitar erros de julgamentos Simplificação da supervisão Simplificação das comunicações interpessoais Fidelidade às decisões tomadas Maior aceitação das diferenças individuais Maior aproveitamento das potencialidades individuais Maior chance de sucesso para ações complexas 261 .

ASPECTOS NEGATIVOS DO TRABALHO EM EQUIPE • • • • • • • Inibição do exercício da perícia Criação da cultura de “consenso obrigatório” Redução excessiva da supervisão Radicalização em torno de decisões tomadas Sentimento de identidade excessiva Comprometimento do profissionalismo Redução da ousadia em tomadas de decisão 262 .

em maior ou menor grau. sonhando a organização ideal nos horários de confraternização • Em alguns momentos. • Com outros ele empregará a fantasia. encontrará apoio para negar a realidade e racionalizar e praticar estratégias de deslocamento 263 .PAPEL EMOCIONAL DA EQUIPE • A participação em uma equipe facilitará a manifestação de seus mecanismos de defesa: • Com alguns colegas ele se identificará.

MECANISMOS DE DEFESA • Racionalização – “afinal todo mundo faz assim”. as posturas de um eventual líder. (Ex: barba) • Negação da realidade – relutância dos integrantes em utilizar novas tecnologias. 264 . • Modelação ou Identificação – os integrantes da equipe imita.

265 . – Preservação da coesão – em muitos momentos funciona como uma tábua de salvação em meio as mudanças.os profissionais transferem para a equipe a demanda de afeto que supervisores (e familiares) não conseguem suprir.PAPEL EMOCIONAL DA EQUIPE – Derivativos para carências afetivas . – Espaço para representar – na equipe o membro pode dar vazão a suas fantasias sem compromissos outros que não o desempenho do conjunto.

o que causa um notável conforto emocional. 266 . • Isolamento excessivo pode evoluir para acomodação.PAPEL EMOCIONAL DA EQUIPE cont. – Espaço para catarse – em situações de crise equipes se tornam muros de lamentação – Útero protetor – o trabalho em equipe proporciona a oportunidade de isolamento.

267 . • Escolha dos participantes sem preocupação com o perfil.CAUSAS DO MAU FUNCIONAMENTO DE UMA EQUIPE • Liderança despreparada. • Supervisão inadequada ou inexistente. • Falta de preocupação em fixar missão a perseguir e objetivos a atingir. com a tarefa e com a disponibilidade de tempo.

FATORES QUE AFETAM O FUNCIONAMENTO DAS EQUIPES • Formalismo – rituais para evitar exposição. 268 . • Condições ambientais – desde a ergonomia até à forma física com que as pessoas se relacionam. • Quantidade de pessoas – entre 5 e 7 seria o número ideal. • Qualificação das pessoas – as pessoas devem ser especialistas no que fazem.

269 . • Tipo de trabalho – grupos cujos componentes possuem conhecimentos de mesma natureza atuam de forma diferente de outros grupos. • Técnicas de trabalho em equipe – o domínio das técnicas de trabalho em equipe pelos participantes e pelo coordenador facilitam a eficiência e a eficácia.FATORES QUE AFETAM O FUNCIONAMENTO DAS EQUIPES cont.

270 . • Fluxo das atividades – pouca ou muita interdependência das atividades. • Características comportamentais das pessoas – valores. • Experiências anteriores – pessoas com experiências anteriores positivas ou negativas afetam a equipe. • Cultura organizacional . preconceitos etc.FATORES QUE AFETAM O FUNCIONAMENTO DAS EQUIPES cont. sentimentos.

EQUIPES QUANTO A SUA FINALIDADE • A finalidade das tarefas influi no funcionamento da equipe. no comportamento de cada integrante e nos papéis de cada um. – Distingue-se os seguintes tipos: • • • • De produção De desenvolvimento de produtos e serviços De aprendizagem De gerentes 271 .

EQUIPES DE PRODUÇÃO  Cada indivíduo participa na execução ou responde por uma parcela do produto ou serviço oferecido. 272 .

EQUIPES DE APRENDIZAGEM  O processo de aprendizagem pode ser desenvolvido na forma de trabalho em equipe 273 .

EQUIPES DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS E SERVIÇOS  Neste tipo de equipe cada profissional pode ser o único especialista em sua área prejudicando os vínculos emocionais 274 .

EQUIPES DE GERENTES  Profissionais com autoridade sobre as pessoas e patrimônio da organização que constituirão equipe caso consigam polarizar-se para obtenção de resultados coletivos. 275 .

.

SATISFAÇÃO PESSOAL Ca rg o Fa m ília VIDA Polític a Relig iã o La zer .

sexo alimento repouso etc. • NECESSIDADES SECUNDÁRIAS – são mais vagas pois representam necessidades da mente e do espírito . como água.MOTIVAÇÃO: NECESSIDADES HUMANS • NECESSIDADES PRIMÁRIAS – refere-se as necessidades físicas básicas.

MOTIVAÇÃO • • • • TEORIAS COGNITIVAS TEORIA HEDONISTA TEORIA DO INSTINTO TEORIA DO IMPULSO .

SENDO A VONTADE. UMA FACULDADE MENTAL A PAR DO PENSAMENTO E DO SENTIMENTO. .TEORIAS COGNITIVAS • MOTIVAÇÃO RELACIONADA AO CONCEITO DE VONTADE.

TEORIA HEDONISTA • INTERLIGA AS FORMULAÇÕES FILOSÓFICAS SOBRE RAZÃO E VONTADE COM UMA NOVA IDÉIA. A DE QUE O HOMEM PROCURA O PRAZER E EVITA A DOR .

TEORIA DO INSTINTO • PROVENIENTE DAS IDÉIAS DE DARWIN SOBRE A EVOLUÇÃO • CERTAS AÇÕES “INTELIGENTES “ SÃO HERDADAS .

O ESTADO DE DESEQUILÍBRIO INSTALA-SE SEMPRE QUE AS CONDIÇÕES INTERNAS SE DESVIAM DO ESTADO CONSTANTE NORMAL • MOTIVAÇÃO DEFINIDA COMO IMPULSOS SURGIDOS DOS DESEQUILÍBRIOS INTERNOS.TEORIA DO IMPULSO • BASEIA-SE NO CONCEITO DE HOMEOSTASE • NESTE CONCEITO . INSTABILIDADES OU TENSÃO HOMEOSTÁTICAS .

MOTIVAÇÃO Equilíbrio interno Estímulo Interno ou Externo Desequlíbrio Interno Necessidade Tensão Ação Motivação ou Comportamento Meta Equilíbrio Interno .

impulso para o relacionamento com pessoas • Motivos para competência .FORÇAS MOTIVACIONAIS • Motivos para realização .impulso para trabalhos de alta qualidade • Motivos para poder .impulso para influenciar pessoas .força para vencer desafios e obstáculos na busca de objetivos • Motivos sociais .

Treinamen...mp4 .

MODELOS MOTIVACIONAIS • • • • • • Hierarquia das Necessidades Teoria de Herzberg Teoria da Modificação de Comportamento Teoria de Recompensa e Desempenho Teoria de Motivos Humanos de McClelland Teoria da expectativa de Vroom .

Hierarquia das Necessidades • Necessidades Primárias – Físicas – Segurança e Seguridade • Necessidades Secundárias – Sociais – Status – Auto-realização .

MODELO DE HERZBERG • Fatores Motivacionais • Fatores Higiênicos ou de Manutenção .

MODELO DE MODIFICAÇÃO DE COMPORTAMENTO • TEMPO • NÚMERO DE RESPOSTAS – Razão Fixa – Razão Variada – Intervalo Fixo – Intervalo Variado .

MODELO DE RECOMPENSA E DESEMPENHO • • • • • • Desempenho Incentivo ou reforço Satisfação Auto.estima Motivação Melhor Desempenho .

MODELO DE VROOM • VALÊNCIA • EXPECTATIVA .