MODELOS PEDAGÓGICOS

PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL
Foram muitos os que, mesmo não sendo educadores, pensaram e foram estudiosos da educação, destacando-se com as suas teorias e demonstrando grande interesse pela formação de crianças. Quanta se fala de reconhecimento da necessidade de uma atenção especial e diferenciada na educação infantil, destacam-se alguns precursores da educação pré-escolar.

Desde a Grécia antiga que há grande preocupação com a educação. Os antigos gregos consideravam a educação infantil como uma “criação”; cabia às mães educarem os filhos até à idade de sete anos e depois disso os meninos eram entregues à educação militar, que era da responsabilidade do Estado e as meninas permaneciam sobre a tutela das mulheres, aprendendo em casa as tarefas domésticas.

O mesmo modelo de educação infantil informal foi usado na Roma Antiga que considerava a educação familiar um instrumento de formação para o futuro cidadão.

Durante vários períodos a educação tentou fazer da criança uma cópia do adulto, esquecendo-se que a infância existe e precisa ser vivida.

Ainda antes de Cristo, os filósofos Sócrates e Platão se interessaram com a educação da criança, mas sem grandes resultados.

Depois, foi a partir do Século XVI e XVII que se iniciou um processo irreversível pelo interesse da educação, com grandes precursores, dos quais destacamos, em particular, os que se interessaram pela Educação Pré-Escolar.

PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL

 João Amós Comenius (1592 – 1670)
•Foi o primeiro educador a salientar a importância da educação infantil formal. •Foi o iniciador da didáctica moderna. • Entre essas ideias estavam o respeito ao estágio de desenvolvimento da criança no processo de aprendizagem, a construção do conhecimento através da experiência, da observação e da acção e uma educação sem punição mas com diálogo, exemplo e ambiente adequado. •Pregava ainda a necessidade da interdisciplinaridade, da afectividade do educador e de um ambiente escolar arejado, bonito, com espaço livre e ecológico. • Visa a coerência de propósitos educacionais entre família e escola, desenvolvimento do raciocínio lógico e do espírito científico e a formação do homem religioso, social, político, racional afectivo e moral. •Dedicou toda a sua vida à educação. •Não obstante, a criança continuou a ser considerada um adulto em miniatura.

PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL
 Jean-Jacques Rousseau (1712-1778)
•Teve um papel importantíssimo na história da educação infantil. •Foi ele quem “descobriu” a infância fazendo com que se passasse a pensar na criança como um ser com ideias próprias, diferentes das do adulto. •Rousseau vê a infância como um momento onde se vê, se pensa e se sente o mundo de um modo próprio. A sua filosofia é partidária de uma educação natural e sempre esteve vinculada a uma concepção optimista do homem e da natureza. •A “educação natural” preconizada por ele, deveria levar o homem a agir por interesses naturais e não por imposição de regras exteriores e artificiais, pois só assim, o homem poderia ser dono de si próprio. •Outro aspecto da educação natural está na não aceitação, por Rosseau, de uma educação intelectualista, que levaria ao ensino formal e livresco. •Ao contrário da rígida disciplina e excessivo uso da memória, então em vigor, propôs serem trabalhadas com a criança: o brinquedo, o desporto, a agricultura e o uso de instrumentos de variados ofícios, a linguagem, o canto, a aritmética e a geometria. •Através dessas actividades a criança estaria medindo, contando, pesando; portanto, estariam sendo desenvolvidas actividades relacionadas com a vida e os seus interesses. •As ideias de Rosseau influenciaram diferentes correntes pedagógicas, principalmente as tendências não directivas, no século XX.

PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL

Já no final do século XVIII, surgem três educadores cuja pedagogia deu início a um trabalho em salas de aulas diferentes das daquela época, mas que até hoje tem seus resultados evidenciados.

 Johann Heinrich Pestalozzi (1746-1827)
• Idealizou uma educação que pudesse mudar a terrível condição de miséria do povo e o seu entusiasmo obrigou os governantes a interessarem-se pela educação das crianças das classes desfavorecidas. •Acreditava na educação como um desenvolvimento total do indivíduo, num conjunto moral, intelectual e

físico, cuja potencialidade se encontra na criança, que deve ser estimulada, principalmente no lar em que
vive: "A escola deve ser a continuação do lar. É no lar que se encontra o fundamento de toda a cultura verdadeiramente humana e social“. •O indivíduo, desde criança, possui todos os meios necessários para a socialização plena e que o papel do educador é justamente promover o desenvolvimento desses valores já existentes em cada indivíduo. • Para ele, a mãe é a figura central do desenvolvimento educacional •Foi dos educadores que mais valorizaram o afecto no ensino e tratamento com crianças.

do qual o professor seria o jardineiro. durante alguns anos. O desenho e as actividades que envolvem o movimento e os ritmos eram muito importantes. a actividade lúdica.PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL  Friedrich Froebel (1782-1852) •Os seus ideais na educação foram considerados politicamente radicais e. mitos. foram banidos. •Para ele o desenvolvimento ocorre segundo as seguintes etapas: a infância. •Em 1837 abriu o primeiro jardim-de-infância. todas elas igualmente importantes. •Uma das melhores ideias com que Froebel contribuiu para a Pedagogia moderna foi a de que o ser humano é essencialmente dinâmico e produtivo. Para a criança se conhecer. . •Foi o primeiro educador a enfatizar o brinquedo. Valorizava também a utilização de histórias. a puberdade. onde as crianças eram consideradas como plantinhas de um jardim. contos de fadas e fábulas. •A criança expressar-se-ia através das actividades de percepção sensorial. papelão. a apreender o significado da família nas relações humanas. papel. • Idealizou recursos sistematizados para as crianças se expressarem: blocos de construção que eram utilizados pelas crianças nas suas actividades criadoras. e não meramente receptivo. o primeiro passo seria chamar a atenção para os membros de seu próprio corpo. A linguagem oral seria associada à natureza e à vida. para depois chegar aos movimentos das partes do corpo. lendas. a mocidade e a maturidade. de início foram chamados “viveiros infantis”. O homem é uma força auto-geradora e não uma esponja que absorve conhecimento do exterior. da linguagem e do brinquedo. argila e serradura. assim como as excursões e o contacto com a natureza. a meninice.

•Por se basear no princípio de que a mente humana apenas apreende novos conhecimentos e só participa do aprendizado passivamente. que tem como objectivo mostrar utilidade para o que se aprendeu. sem diálogo entre professor e aluno e com aulas que obedeciam a esquemas rígidos e preestabelecidos”. Herbart atribuía um papel importante às influências externas. •Ele tinha o intuito de mecanizar a educação.a associação. . para que ele adquira interesse na matéria.a generalização. “As escolas herbartianas transmitiam um ensino totalmente receptivo. mas. que parte do conteúdo recém-aprendido para a formulação de regras globais. que é o processo de relacionar o novo conteúdo a conhecimentos ou lembranças que o aluno já possua.a preparação. . •Apesar de tudo não se pode negar que Herbart foi um dos pensadores que mais se interessaram pela psicologia do educando e do modo como ela influencia a sua aprendizagem. é especialmente importante para desenvolver a mente além da percepção imediata. . na qual a assimilação ou aprendizagem do assunto se completa por meio de comparações minuciosas com conteúdos anteriores. .a aplicação. Foi também influenciado por Pestalozzi.a apresentação ou demonstração do conteúdo. que deveria seguir minuciosamente cinco etapas para o acto de ensinar: .PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL  Johann F. o herbartianismo resultou num ensino que hoje qualificamos de tradicional. Herbart (1776-1841) •Trouxe grandes contribuições para a Pedagogia como para a Ciência. ao contrário do Froebel. tanto do meio ambiente como das pessoas. .

PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL  Maria Montessori (1870-1952) •Crê que as crianças trazem dentro de si o potencial criador que permite que elas mesmas conduzam a sua aprendizagem e encontrem um lugar no mundo. fechar e encaixar. •A pedagogia de Montessori insere-se no movimento das Escolas Novas. Essa escolha realiza-se com ordem. uma oposição aos métodos tradicionais que não respeitavam as necessidades e os mecanismos evolutivos do desenvolvimento da criança. O silêncio desempenha papel preponderante. séries de cores. de tamanhos. os materiais à medida da sua necessidade. • Apresenta uma série de cinco grupos de materiais didácticos: 1-Exercícios Para a Vida Quotidiana 2-Material Sensorial 3-Material de Linguagem 4-Material de Matemática 5-Material de Ciências •Estes materiais são constituídos por peças sólidas de diversos tamanhos e formas: caixas para abrir. • O método Montessori parte do concreto para o abstracto. . Baseia-se na observação de que as crianças aprendem melhor pela experiência directa de procura e descoberta. colecções de superfícies de diferentes texturas e campainhas com diferentes sons. de formas e espessuras diferentes. A criança fala quando o trabalho assim o exige e a professora não precisa falar alto. botões para abotoar. individualmente. A livre escolha das actividades pela criança é outro aspecto fundamental para que exista a concentração e para que a actividade seja formadora e imaginativa. disciplina e com um relativo silêncio. • O aluno usa.

e assim. escolhido de forma espontânea. •Baseia-se num grande respeito pela personalidade da criança. •Consegue uma excelente disciplina apesar de prescindir de recompensas e castigos. . concedendo-lhe espaço para crescer com maior independência. dando-lhe mais liberdade que se constitui no fundamento de uma disciplina real. fazê-lo de acordo com as suas necessidades individuais. realizado com muita alegria.PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL  O Método Montessori contempla doze pontos essenciais: •Baseia-se em anos de observação da natureza da criança •Demonstrou ter uma aplicabilidade universal. •Em cada etapa do crescimento mental da criança são proporcionadas actividades com as quais se desenvolvem as suas faculdades. Explica-se tal facto por se tratar de uma disciplina que tem origem dentro da própria criança e não imposta de fora. ou até mesmo níveis superiores de sucesso escolar. e assim. •Revelou que a criança pequena pode ser uma amante do trabalho intelectual. •Baseia-se numa necessidade vital para a criança que é a de aprender fazendo. •Ainda que ofereça à criança uma grande espontaneidade consegue capacitá-la para alcançar os mesmos níveis. • Permite ao professor tratar cada criança individualmente em cada matéria. que os alcançados sobre os sistemas antigos. •Não necessita de desenvolver o espírito de competitividade e a cada momento procura oferecer às crianças muitas oportunidades para a ajuda mútua o que é feito com grande prazer e alegria. •Cada criança trabalha no seu próprio ritmo.

uma teoria que pressupõe que os seres humanos passam por uma série de mudanças ordenadas e previsíveis. promovendo a sua autonomia. daí a necessidade da promoção de actividades em grupo. 3-Actividades de Grupo -o desenvolvimento da criança acontece no contacto e na interacção com outras crianças. É fazendo a actividade que a criança se organiza. 5-Professor problematizador -o professor é o desafiador da criança. Uma escola que se diga fundamentada na teoria de Jean Piaget. ele cria dificuldades e problemas.PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL  Jean Piaget (1896 – 1980) • A teoria de Piaget do desenvolvimento cognitivo é uma teoria de etapas. Nas escolas com essa fundamentação a pré-escola não é um passatempo mas sim um espaço que permite a diversificação e ampliação das experiências das crianças. 2-Representação -toda a actividade deve ser representada. mas nunca impor um tema. Piaget pressupõe que o grupo se forme espontaneamente e que o tema pesquisado seja como um verdadeiro problema do grupo. de modo a permitir que a criança manifeste o seu simbolismo. deve ter a sua prática pedagógica orientada por alguns dos seus princípios básicos: 1-Acção -as crianças conhecem os objectos usando-os. 4-Organização -é adquirida através da actividade. O eixo central desse currículo são as actividades. . Cabe ao professor criar as situações problemáticas. 6-Áreas do conhecimento integradas -no currículo da pré-escola de orientação fundada nas teorias piagetianas. •Piaget é um defensor da Escola Nova que merece destaque pelas suas inovações que continuam actuais até hoje. as diferentes áreas do conhecimento são integradas.

e não as tradicionais ideias de formar a criança de acordo com modelos prévios. •Atribui grande valor às actividades manuais. • Dewey não aceita a educação pela instrução proposta por Herbart. critica severamente a educação tradicional. a educação tem como finalidade propiciar à criança condições para que resolva por si própria os seus problemas. • Quanto a ele. •O processo de ensino -aprendizagem para Dewey estaria baseado na compreensão de que o saber é constituído por conhecimentos e vivências que se entrelaçam de forma dinâmica. pois apresentam situações/problemas concretos para serem resolvidos.PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL John Dewey (1859-1952) • Tornou-se um dos maiores pedagogos americanos. e propõe a educação pela acção. principalmente no que se refere à valorização dada ao intelectualismo e à memorização. . contribuindo intensamente para a divulgação dos princípios do que se chamou Escola Nova.

• critica também as propostas da Escola Nova. do Movimento da Escola Moderna. • Propõe o trabalho/jogo como actividade fundamental. . questionando os seus métodos. particularmente Decroly e Montessori. é vista como elemento activo de mudança social e é também popular por não marginalizar as crianças das classes menos favorecidas. as aulas-passeio. O seu objectivo básico era desenvolver uma Escola Popular. o caderno circular para os professores. o dicionário dos pequenos. o texto livre. na França. o jornal. a correspondência interescolar.PERCURSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL  Celestin Freinet (1896 – 1966) • crítico da Escola Tradicional. •Algumas técnicas da pedagogia de Freinet:: o desenho livre. contrária à descoberta. o livro da vida (diário e colectivo). etc. • A escola por ele concebida. é também um crítico das Escolas Novas. Foi criador. ao interesse e ao prazer da criança. que considera fechada.

sendo o que se falta nas escolas é isso. E estas escolas proporcionam. Os principais objectivos da formação não é só cultural mas como também espiritual. precisa-se de educação.Escola tradicional A escola tradicional é uma verdadeira escola de antigamente tal como um colégio católico. Nestas escola mesmo todos tendo o direito a ter essa educação que é tão eficiente. por serem escolas caras. existem somente alguns privilegiados. infelizmente não são todos que tem acesso. com educação rígida bem conceituada. gente que carregue com si carácter. tenha índole. . cultura. sendo um padrão de educação com resultados surpreendentes.

Fala-se pouco em disciplina. . descentralizada e crítica da sociedade. e tudo o que a mesma significava.Escola Nova Este modelo aparece em final do século XIX. A melhor forma de a identificar é ver o modo como nela são valorizada as interacções com o meio social e se procura enriquecer as vivências do alunos incorporando no curriculum a cultura circundante. mas muito em convivência. Foi desde o início uma clara reacção contra o modelo da escola tradicional. autogestão e auto-responsabilidade. Estamos perante uma escola aberta. e desenvolve-se até aos anos 20. dando-se uma enorme importância à participação.

.Escola Moderna A Escola Moderna foi um movimento pedagógico progressivo de inspiração libertária que existiu no início do século XX. surgido inicialmente na Catalunha inspirado pela filosofia de ensino do pedagogo catalão Francisco Ferrer y Guardia.

O Educador não é um transmissor de informações descontextualizadas da realidade dos sujeitos com quem actua. Os saberes dos educadores não têm maior ou menor valor. conjuntamente com os alunos  o Plano Geral. produto de uma dada conjuntura histórica e portadores de uma cultura própria. Textos produzidos pelas crianças que. Organização do plano de trabalho dos vários anos lectivos: os planos de trabalho são definidos a partir do exterior. trabalho. se não lhe ensinarmos previamente as leis essenciais. Método natural de aprendizagem da linguagem escrita. mas como uma fase plena de importância. Textos produzidos pelas crianças ou pelo educador mas com base nas experiências das crianças. A criança não poderá escrever. lição. com a sua língua e são o resultado do ensaio experimental. a partir de um Ministério da Educação. A criança pode aprender sem necessitar de base científica. do desenvolvimento da sua personalidade de uma É preciso fazer com que a criança leve uma vida natural e permaneça criança. Crianças escrevem. Escola Moderna Não se verifica um grande entusiasmo pelo ideal da liberdade. falam. Vê as crianças como seres individuais. Criança era vista como um ser abstracto. O mais importante na aprendizagem é a saúde e os interesses do indivíduo na possibilidade máxima da sua realização. Procura-se a ordem e a disciplina do O mais importante na aprendizagem é a memorização da matéria ou as particularidades da ciência.Análise comparativa entre escola tradicional. os Planos Anuais. JORNAL DA ESCOLA. exprimir-se. . Organização do plano de trabalho dos vários anos lectivos: o plano de trabalho seja feito nas escolas. uma via de acesso. lêem. Organização do plano de trabalho dos vários anos lectivos em função das necessidades e interesses da criança. sem deixar de ter em conta a sua comunidade de pertença. O mais importante na aprendizagem é o processo de aprendizagem. os Planos Semanais e o Plano Quotidiano. forma ajustada. redigir. Utiliza o saber da comunidade como matéria-prima para o ensino. desenham correctamente sem nunca terem recebido nenhuma Aproximação entre as crianças. Textos produzidos pelos adultos para as aprendizagens das crianças. É no seu amor amplamente manifesto para com as crianças que há-de constituir a principal chave do seu sucesso. Escola Nova Valoriza se a criança aprendeu ou não aprendeu e como aprende. com uma natureza una e igualitária. desenhar. Conteúdos à volta dos interesses das crianças. escola nova e escola moderna Escola Tradicional Valoriza as matérias e os programas. Não se devia olhar para a infância como uma passagem. Tudo o que a criança tiver de aprender deverá ser fruto das suas próprias descobertas.

” (Simões. A. 2004.. a adopção de um modelo pedagógico na educação pré-escolar é um importante factor de qualidade para a mesma.” (Oliveira-Formosinho.Modelos pedagógicos Segundo as investigações efectuadas no campo da educação. “O modelo pedagógico baseia-se num referencial teórico para conceptualizar a criança e o seu processo educativo e constitui um referencial prático para pensar antes da acção. tantos quantos Jardins-de-Infância/grupo de crianças e Educadores existirem no nosso país. L. designado “Orientações Curriculares da Educação Pré-escolar”. no qual o educador deve encará-lo “ (…) como gestor do currículo e sendo estas somente Orientações. Portanto. p. na acção e sobre a acção.C. 2007. visto que este é um instrumento fundamental na mediação entre a teoria e a prática. p.8).34) Desde 1997. . em Portugal foi implementado um documento. o educador deverá adoptar um modelo curricular. permitem a existência de inúmeros “currículos”.

Modelos pedagógicos  Pedagogia de Projecto  High-Scope  João de Deus  Reggio Emília  Movimento da Escola Moderna (MEM) .

Na escola ou no jardim de infância. tarefas físicas e propostas de problemas e respostas a várias questões. 2) realizar tarefas produtivas.PEDAGOGIA DE PROJECTO O que é e para que serve? Todos nós trabalhamos com projectos em todos os momentos da nossa vida. o projecto é uma forma de ajudar a criança a aprender de maneira prática. O projecto parte de uma situação-problema. a criança é incentivada a: 1) desenvolver actividades com objectivos concretos. 4) desenvolver a iniciativa e a responsabilidade. 7) desenvolver o pensamento reflexivo. Através do projecto. 6) valorizar o trabalho cooperativo. um desafio para o encontro da solução. 5) estimular a perseverança na realização de tarefas. 3) desenvolver a compreensão por meio da experiência. . A realização de um projecto exige processos mentais. 8) ampliar campos de interesses. tornando a aprendizagem atraente e eficaz.

o planeamento. pelas crianças. o objectivo. . 5) Culminância: É o atingir do objectivo básico do projecto através de uma apresentação. Esse roteiro funcionará como referência para a realização do trabalho. Nesta fase podem surgir dificuldades. O educador/professor deve estar atento e estimular as crianças. 4) Avaliação: Serão avaliados. as crianças farão uma análise do seu trabalho. O trabalho deve ser sempre feito pelas crianças. exposição. erros e imprevistos e as crianças serão orientadas a resolvê-los e a continuar o trabalho. Com a ajuda e orientação do educador/professor. procurando os instrumentos necessários. as actividades e o resultado final. planeando as actividades para a solução dos problemas. exibição do resultado obtido. apresentando críticas e comentários apropriados sobre o projecto. 2) Preparação do plano de trabalho: Realizam-se pesquisas. 3) Execução: É a fase da acção e a mais estimulante para as crianças. O educador/professor deve aproveitar esse interesse para desenvolver o assunto e propor questões (desafios) para a resolução do problema ou situação.PEDAGOGIA DE PROJECTO Fases de um projecto 1) Intenção e Incentivo: Inicia-se um projecto quando se percebe um grande interesse por parte das crianças por um determinado assunto ou situação concreta. valorizando o seu desenvolvimento e acompanhando as suas dificuldades.

dando oportunidades para reflectir sobre a contribuição e a validade do projecto. participação e colaboração. A avaliação deve ser constante. avaliando as crianças e o seu próprio desempenho. . através de observações. em que exerce e controla as actividades. actividades. conselheiro. desafiador. A função do educador/professor é a de orientador. A criança aprende fazendo e a aprendizagem é mais consistente e duradoura. sensibilizador. Uma discussão na sala pode ser uma forma de avaliar um projecto.PEDAGOGIA DE PROJECTO O educador/professor deve facilitar a integração dos conteúdos dos diversos materiais e oferecer oportunidades para o exercício da liberdade e uso de direitos.

em crianças dos bairros mais pobres.4 anos de idade.HIGH-SCOPE High-Scope é um currículo que inicialmente foi desenvolvido de forma a combater o insucesso escolar dos bairros mais pobres de Ypsilanti. a aprendizagem que se faz através da acção da criança e não por repetição e memorização. observando também o insucesso que havia no ensino secundário. dirigindo-se também para o desenvolvimento intelectual da criança para apoiar a sua realização escolar futura. e pensou em solucionar esses mesmos problemas. Este projecto tem como objectivos. . como este era psicólogo e exercia a sua actividade a sua actividade junto de crianças com necessidades educativas especiais. David P. pois era importante iniciar a aprendizagem a partir dos 3. Weikard foi o principal responsável por toda esta iniciativa. agindo de maneira a que o ensino não começa-se só no ensino primário.

. Piaget •JohnDewey •ErickErikson .HIGH-SCOPE Fundamentos Teóricos: •J...

HIGH-SCOPE De acordo com Piaget: •a criança tem um papel activo na construção do seu conhecimento. . através da interacção social. •a construção dos conhecimentos não éestática mas efectua-se através de acções. as acções da criança devem ser interpretadas como desenvolvimento das estruturas mentais.

HIGH-SCOPE JohnDeweyDewey “Aprender Fazendo” Filosofia de Educação Progressiva (aprendizagem mudança activa nos padrões de pensamento através das vivência com os outros e com o meio através da resolução de problemas) Pedagogia da Descoberta .

que o saber é algo não dado mas construído. 1976) . a criatividade. e o desafio são ingredientes essenciais do desenvolvimento pessoal Construtivismo Situações apoiadas pelos adultos em que as crianças podem estender as suas competências e saberes presentes a níveis mais altos de competência e saber (Wood.HIGH-SCOPE CONSTRUTIVISMO CONSTRUTIVISMO SOCIAL Defende que o conhecimento tem de ser apropriado por um esforço voluntário e esforçado do aluno. a divergência. que a imaginação. a autonomia. Bruner e Ross.

HIGH-SCOPE Teoria Psicossocial do Desenvolvimento Erick Erikson(1902 -1994) Aprendizagem perspectivada como experiência social que envolve interacções significativas para a construção da identidade pessoal .

HIGH-SCOPE PRINCÍPIOS BÁSICOS Rotina Diária: Processo Planear – Fazer Rever Espaços e Materiais Envolvimento com as famílias Aprendizagem pela Acção Clima de Apoio Positivo Trabalho de Equipa Experiências-Chave .

As crianças tomam iniciativa . o espaço deve ter em atenção: • Ser atraente para as crianças • É dividido em áreas de interesse bem definidas • Estão organizadas de forma a visualizar os objectos e materiais que incluem bem como a locomoção entre s diferentes áreas • Os materiais e objectos são numerosos de forma a permitir uma grande variedade de brincadeiras • Os materiais e objectos reflectem o tipo de ida e experiências familiares das crianças • A arrumação dos materiais permite a execução do ciclo “encontra – brinca – arruma” Efeitos Positivos:    -As crianças envolvem-se na aprendizagem activa .Os adultos ficam mais livres para interagir e aprender .HIGH-SCOPE O contexto Ambiental  O espaço organizam-se para que as crianças possam ter o maior número possível de oportunidades de aprendizagem pela acção e exerçam o máximo controlo sobre o ambiente.  Desta forma.

A área da carpintaria é próxima da área das artísticas .Área dos livros e da escrita .Área do exterior .Cores e texturas agradáveis .Objectos macios .Área dos computadores .A área das actividades artísticas fica perto da água . para servir uma grande variedade de actividades e brincadeiras que reflictam a vida das famílias das crianças .Área da música e movimento As áreas de interesse são organizadas de forma a serem visíveis e de movimentação de umas para as outras: .HIGH-SCOPE Organização do espaço e materiais O espaço deve ser atraente e convidativo incluindo. .Área da casa .Área das actividades artísticas/expressão plástica .A área dos brinquedos e livros devem ser afastadas das áreas mais “barulhentas” . .Materiais e luz natural .A área dos blocos e da casa ficam próximas .Área de areia e água .Esquinas protegidas .A área da areia e água é próxima às torneiras ou locais com água .Área dos blocos .A área dos computadores é colocada de forma a evitar a luz directa nos ecrãs Os materiais devem ser abundantes.Área dos brinquedos .Área da carpintaria .Sítios agradáveis O espaço é dividido em áreas de interesse bem distintas para que diferentes tipos de actividade sejam possíveis.

ajuda a responder a estas questões. fazer escolhas e tomar decisões. que prepara as criança para entrarem em palco em interacções sociais  • Permite um ambiente psicologicamente seguro e com significado.HIGH-SCOPE    ROTINA DIÁRIA O que é que se passa agora? O que vamos fazer?   Quando vamos para o recreio? • A rotina diária High – Scope. para perseguir ao seus interesses. em que as crianças sabem o que esperar de cada parte do dia. ao oferecer-lhe uma sequência de acontecimentos. onde desenvolvem em sentimento de segurança e controlo .  • Permite uma organização social.    • Ajuda os adultos a organizarem o seu tempo com as crianças de forma a lhes oferecer experiências de aprendizagem activas e motivadoras • Uma rotina diária consistente. permite á criança organizar o seu tempo.

fornece uma alternativa às estruturas rígidas e às estruturas sem regras .     .tem o potencial de ensinar coisas novas aos adultos sobre cada criança    A Rotina Diária apoia os valores do currículo -Permite às crianças construírem conhecimento -Inclui os ingredientes da aprendizagem activa em cada segmento .suaviza a transição das crianças na passagem de casa para o contexto escolar A Rotina Diária proporciona uma estrutura flexível .HIGH-SCOPE   Objectivos básicos para uma Rotina Diária A Rotina Diária apoia a iniciativa da criança.permite os adultos envolverem-se no apoio e encorajamento das crianças A Rotina Diária oferece um enquadramento social -permite às crianças ter um ambiente psicológico e emocionalmente seguro e com finalidade     .fornece à criança tempo para se expressar e seguir os seus objectivos .

Tempo de grande grupo .HIGH-SCOPE        Organização do Tempo -Acolhimento -Tempo de pequeno grupo -Tempo de Planear – Fazer – Rever .Almoço .Recreio .Actividades Livres .Descanso/ Relaxamento    .Lanche .

Iniciam um diálogo normalmente sobre as novidades que trazem de casa. é cantada uma canção”caixinha das surpresas”.)   Tempo de Pequeno Grupo Os adultos planeiam este tempo de forma antecedência. tendo em conta o tempo de planear – fazer – rever. (Depois começam por cantar uma canção associada aos “Bons Dias” e outra aos “dias da semana”. os adultos dão apoio. até  estar o grande grupo. ouvem. temas e experiências – chave. o “responsável” marca as presenças. é feita a recepção das crianças que vão sentando no tapete em roda. Á medida que vão avançando. trocam informação e experiências já realizadas noutras alturas.  observam. o nome que sair marca o quadro do tempo. em materiais. com base nos interesses das crianças. logo depois. recados que queiram partilhar. conversam com as crianças partilhando também as suas ideias. para marcar o tempo. De seguida. . encorajam. no final reflectem sobre a conclusão final dos trabalhos. dão os materiais às crianças para explorarem e faz  uma breve apresentação do trabalho. com uma caixa que contém os  nomes do grupo. Assim.HIGH-SCOPE   Acolhimento Neste tempo.

o planeamento leva ao envolvimento e concentração na brincadeira . o planeamento envolve a auto – confiança e o seu sentido de controlo  • Processo do Planear   .planear estimula as crianças a articularem as suas ideias.HIGH-SCOPE  Tempo de Planear – Fazer – Rever   • Processo do Planear Este processo. implica para a criança uma intenção pessoal. que quando realizado com sucesso desenvolvem o sentido de iniciativa. um objectivo. escolhas e decisões.  - .o planeamento apoia o envolvimento de actividades lúdicas progressivamente mais complexas . levando a criança a pôr em prática as suas ideias e desejos.

reflectem.as crianças fazem parte do contexto social .Expandir a consciência para além do presente . acções e resultados .as crianças constroem conhecimento à medida que se envolvem em experiências – chave • Tempo de Revisão / Reflexão  O tempo de rever.associar planos. brincam e resolvem problemas. tem lugar final da sequência planear – fazer – rever como forma de reflectir no final do trabalho ou ao longo do dia.as crianças concretizam intenções . Ou seja. Durante o tempo de revisão as crianças. .falar com os outros sobre experiências com significado pessoal . falam e mostram o       que fizeram no tempo de trabalho.as crianças brincam de forma intencional .relembrar e reflectir sobre acções e intenções .Formar imagens mentais e depois falar sobre elas .HIGH-SCOPE   • Tempo de Trabalho Neste tempo as crianças levam a cabo as suas intenções.as crianças resolvem problemas . levam a cabo uma sequência intencional de acções que já pensaram e descreveram no tempo de planeamento        .

permite:              .criar um sentido de comunidade .criar o mínimo de períodos de transição entre actividades Tempo de arrumação: .partilha de experiências comuns . quando vão para o almoço. quando terminam os trabalhos e arrumam as áreas. são designados quando por ex: os pais levam as crianças à escola.ter uma rotina consistente .colocar etiquetas nos recipientes e prateleiras para indicar onde arrumar os materiais      .HIGH-SCOPE   Tempo de Grande Grupo É um tempo para que todo o grupo possa partilhar informação importante e participar em actividades que envolvem grande número de crianças.ser flexível . daí ser importantes: . quando as crianças caminham da sala para o recreio.à medida que as crianças vão utilizando os materiais e incutir o hábito de arrumar ao mesmo tempo de pegam noutros .criar o sentido de pertença ao grupo e liderança .ter em atenção os interesses das crianças durante o período de arrumação .experiências de resolução de problemas de grupo • Tempos de Transição Os tempos de transição.

cognitivo e físico das crianças entre os 2 anos e meio e os 5 anos.HIGH-SCOPE          Experiências – Chave As experiências – chave são um resultado directo das observações e descobertas das crianças. . e são parte integrante da abordagem de aprendizagem através da acção. As experiências – chave descrevem aquilo que as crianças fazem. que descrevem o desenvolvimento social. e o tipo de experiências que são importantes para o seu desenvolvimento. como percebem o mundo.

Recreio/Repouso .Higiene/Almoço .Exercícios de movimento e de relaxamento .JOÃO DE DEUS É um modelo que ainda hoje é usado nos Jardins-de-Infância que têm o mesmo nome.Jogos de mesa .  Rotina Diária  .Tema de vida .Acolhimento . O primeiro Jardim-de-Infância João de Deus foi criado em Coimbra em 1911 e a metodologia usada é sólida e consistente e assenta na Cartilha Maternal (1876) para a iniciação precoce da leitura e da escrita.Actividades de escolha livre (preparadas na sala) . É um modelo centrado na preparação académica da criança e a educadora tem um papel activo e directivo.Exercícios de memória visual .Actividades de expressão e trabalhos manuais .

JOÃO DE DEUS   Organização do Espaço/Materiais: • Arquitectura funcional e atraente de características nacionais e regionais • Decoração privilegia a identidade cultural “as paredes também são mestras” • Criar um bom ambiente fisico e humano com decoração simples mas com a arte presente Imitar para aprender a viver e integrar-se no meio social: • Loja • Casa das bonecas • Jogos de trânsito .

O professor/educador tem um papel activo no apoio educativo. a comunidade. .almoço.  Rotina Diária  A organização diária do tempo não é regulada exaustivamente Várias possibilidades tendo em atenção o Respeito pelo tempo de Interacção e ritmo da criança  . um grupo de mulheres reuniu-se com o intuito de criar uma concepção educativa. .actividades e projectos. ela havia se tornado tão interessante que a administração municipal a encomendou.actividades e projectos. a sociedade em geral. .intercâmbio em grupo (de aprendizagens feitas) . . No início dos anos 1960. posta em prática na rede particular da cidade.Reggio Emília  Depois do fim da Segunda Guerra Mundial.planificação em grupo.acolhimento.    Na educação e formação das crianças participam os pais. .

O espaço funciona como terceiro educador .Cozinha/refeitório .Arquivo (memória do centro) .Reflecte ideias. artista plástico. seguro.É um foco de interacção entre todas as pessoas ligadas à instituição .Armazém materiais . pedagogo.Atelier .Facilita a exploração e a aprendizagem cooperativa .Dá-se relevo à harmonia e beleza estética . pais e arquitecto .É um local útil.Mini-Atelier .Biblioteca .Casas de banho .Espaço Exterior . incentivando-as a tomarem decisões e a resolver problemas .Sala de actividades .Respeita os níveis de desenvolvimento das crianças  - . valores e atitudes património cultural . agradável e acolhedor para as crianças poderem interagir .Reggio Emília  Organização do Espaço O espaço é planeado por educadores.Proporciona às crianças oportunidades de escolha.

Movimento da Escola Moderna       . .Um modelo construtivista criado nos anos 60. Algumas características: • Os meios pedagógicos como veículo • A actividade escolar como contrato social e educativo • Os processos de trabalho como processos sociais de construção da cultura    • Partilha da informação • As práticas escolares com sentido social imediato • Os alunos como intervenientes no meio social. com base nos trabalhos de Freinet.

Circuitos de comunicação 3.Estruturas de cooperação educativa 2. Na aprendizagem cooperativa o sucesso de um aluno contribui para o sucesso do conjunto dos membros do grupo.Participação democrática participada   1) Estruturas de cooperação O processo de cooperação educativa tem-se revelado como a melhor estrutura social para aquisição de competências.Movimento da Escola Moderna  O Modelo do Movimento da Escola Moderna assenta em três subsistemas integrados de organização do trabalho de aprendizagem:    1. A cooperação educativa. Pressupõe que cada um dos membros do grupo só pode atingir o seu objectivo se cada um dos outros o tiver atingido também . o trabalho a pares ou em pequenos grupos para atingirem o mesmo fim contraria a tradição individualista e competitiva da escola.

3) Participação democrática directa As atitudes. Esta matriz comunicativa é radicada por circuitos de comunicação das aprendizagens e de fruição dos produtos culturais. A democracia é a estrutura de organização que se firma no respeito mutuamente cultivado. (a escrita. Esta postura de diálogo é o instrumento fundamental de construção de projectos comuns e diferenciados. em cooperação. o desenho. a partir da afirmação das diferenças individuais reconhecendo o outro como semelhante. .Movimento da Escola Moderna 2) Circuitos de Comunicação Estabelecem-se circuitos múltiplos de comunicação que estimulam o desenvolvimento de formas variadas de representação e de construção interactiva de conhecimento. para que todos possam aceder à informação de que cada um dispõe e aos seus produtos de estudo e de criatividade artística e intelectual. os valores e as competências sociais e éticas que a democracia integra constroem-se. vão experienciando e desenvolvendo a própria democracia na escola. enquanto alunos e professores. o cálculo).

Movimento da Escola Moderna             Organização do Espaço e Materiais • Agradável e estimulante • Bem organizado • Atende aos interesses das crianças • Influencia a relação dos educadores com crianças • Facilita a interacção da criança com os materiais Espaços definidos por Sala .Escrita e Reprodução de Expressões -Biblioteca -Laboratório de ciências -Área central polivalente -Brinquedos e jogos fazer – de – conta  .Carpintaria e construções .

.(cópias) .Movimento da Escola Moderna               Organização do Tempo -ACOLHIMENTO -COMUNICAÇÃO -PLANIFICAÇÃO /AVALIAÇÃO/ACTIVIDADES -PROJECTOS -ALMOÇO -BALANÇO DO DIA (Conselho) -ACTIVIDADE CULTURAL COLECTIVA -RECREIO -PAUSA (ALIMENTAÇÃO RECREIO) -CONSELHO (Sexta-feira) -MOVIMENTO/MÚSICA -PASSEIOS -TRABALHO DE TEXTO..

As duas primeiras recolhem os juízos negativos e positivos. Na última a planificação. . da educadora e das crianças.Movimento da Escola Moderna    Material que sustenta a organização do tempo • . 'gostei'). Os fins-de-semana são assinalados com uma cruz verde. No final. Tem o nome do mês no cimo e os dias (número) na horizontal. são contabilizadas as faltas de cada criança. aspirações e projectos a realizar. com os nomes das crianças escritos por elas. Nas 3 primeiras colunas assenta a avaliação. A quarta coluna é destinada ao registo de sugestões. A terceira coluna destinase ao registo das realizações também consideradas mais significativas ('fizemos'). As crianças assinalam com uma bolinha azul a presença e com uma vermelha as faltas. sobre as ocorrências mais significativas ao longo da semana ('não gostei'.   • O Diário É uma folha dividida em 4 colunas.Quadro de presenças: Mensal Quadro de dupla entrada. Tem assinalado os dias importantes.

recortes de jornal. pelas crianças. acetatos para apresentação de projectos. etc. correspondência. No início da manhã as crianças assinalam com uma bola aberta para  onde querem ir nessa manhã e vão fechando as bolinhas à medida que vão mudando de actividade. no cimo do cartaz. retratos das crianças. estão todas as áreas que as crianças têm possibilidade de escolher. no qual são registados os acontecimentos mais importantes da vida da sala: visitas ao exterior. a realização de uma actividade pela primeira vez. com a fotografia de cada uma das áreas. Encontra-se na biblioteca para as crianças poderem consultar. bilhetes de autocarro ou de comboio que foram utilizados nas visitas.   • LIVRO DAS COISAS IMPORTANTES Feito pelas crianças e educadora em folhas A3. . os seus nomes. na horizontal. visitas de pessoas à sala.Movimento da Escola Moderna   ESCOLHAS DAS ÁREAS Na vertical estão escritos. os  aniversários. cartazes que foram feitos.

no qual as crianças vão desenhando.. 'Quantos dias'. etc. slides.Movimento da Escola Moderna   • REGRAS DA SALA Regras que vão surgindo ao longo do ano. normalmente da Reunião de Conselho.   • QUADRO DO TEMPO Quadro mensal. Quantos dias: previsão de quanto tempo será necessário para realizar o projecto. é realizado um livro. junto ao local de realização da reunião. O quê: enunciar a questão a investigar. o tempo que faz. onde pode ser utilizado retroprojector. com as regras escritas pela educadora e ilustradas pelas crianças. Inclui ainda a data de início e de término e a contagem dos dias que demorou. e que são afixadas na parede. com um gráfico de barras   • PROJECTOS DE SALA Quadro com 3 colunas: 'O quê'. que é apresentado ao restante grupo. São relembradas aquando da leitura do Diário. É completado.  fantoches. no final do mês. Quem: qual o grupo que vai investigar (geralmente 3 a 5 crianças). No final do projecto. . no dia correspondente. 'Quem'.