You are on page 1of 9

Texto literário e não-literário

salvou-se da morte cavalgando balas de canhão disparadas pelo inimigo. a fada madrinha de Pinocchio fez com que cada vez que ele mentisse o nariz crescesse. o alemão Karl Friedrich Hieronymus. Macunaíma mentia o tempo inteiro para se safar de qualquer problema — dizer a verdade. por exemplo. ago. talvez. Antes que virasse um Cirano. Mas não há literatura que não tenha seus campeões da mentira — real ou imaginária. Foi. o boneco de madeira criado em 1878 pelo escritor italiano Carlo Collodi. Numa tentativa de educá-lo. No Brasil. do escritor alemão Rudolph Erich Raspe (1737-1794). o barão contou. De volta dos campos de batalha. um burguês baixinho. que se imaginava um valente herói e saía contando peripécias nunca vividas. o boneco acabou desistindo de sua vida de mentiras. como se safara de um pântano onde caíra: puxando a si mesmo pelos cabelos. que serviu como mercenário no exército russo na guerra contra os turcos em 1740. O escritor francês Alphonse Daudet (1840-1897) celebrizou-se graças às aventuras mentirosas de seu personagem Tartarin de Tarascon.Texto 1: Mentira ou ficção? De tanto inventar histórias para distrair seus amigos. São Paulo: Abril. acabou entrando para a História como um grande mentiroso. de Mário de Andrade. Em outra peripécia. ainda achou tempo para ir à Lua — duas vezes. (Superinteressante. Ihe dava preguiça. por sinal publicado anonimamente em 1785. com certa tendência à obesidade. 1993) . aliás. o mentiroso Macunaíma. barão de Munchhausen (1720-1797). nem fez questão de se fingir de herói: covarde como só ele e sem nenhum caráter. graças ao livro. Entre uma aventura e outra. O mentiroso mais conhecido do mundo da ficção foi sem dúvida Pinocchio. o único mentiroso da literatura a optar pela verdade — pela boa e simples razão de que a verdade Ihe trazia mais vantagens do que a mentira.

Texto 2: Dizem que finjo ou minto Tudo que escrevo. sinta quem lê! (PESSOA. Essa coisa é que é linda.) . 2002. Não uso o coração. Tudo o que sonho ou passo. Por isso escrevo em meio Do que não está ao pé. Livre do meu enleio. Rio de Janeiro: Ediouro. Fernando. Eu simplesmente sinto Com a imaginação. Sentir. Não. Sério do que não é. É como que um terraço Sobre outra coisa ainda. Antologia poética de Fernando Pessoa. O que me falha ou finda.

3) Por que podemos dizer que o texto 1 é considerado informativo? .Responda: 1) Para você qual é o texto literário? E o não-literário? Por quê? 2) Qual dos dois textos apresenta linguagem conotativa? Explique.

. Os fatos têm caráter ficcional. ou seja. Texto não-literário: É aquele que apresenta uma linguagem com sentido denotativo. não fazem parte da realidade e são apresentados de forma subjetiva.Texto literário: É aquele que apresenta uma linguagem com sentido conotativo. As palavras não assumem tantos significados como no texto literário. Os fatos fazem parte da realidade e são apresentados de forma objetiva.

Peste bubônica Câncer... disritmia Hérnia. ciúmes Asma.. pediculose Tétano. febre tifóide Arteriosclerose. raquitismo Cistite. miopia Catapora. Reumatismo. paralisia Toxoplasmose. cisticircose Caxumba. culpa. faringite Gripe e leucemia. trombose Coqueluche... difteria Encefalite. E o pulso ainda pulsa E o pulso ainda pulsa Hepatite.. cárie Câimba. E o corpo ainda é pouco E o corpo ainda é pouco Assim. hipocondria Sífilis.. escarlatina Estupidez. sarampo Esquizofrenia Úlcera. hipocrisia Brucelose.. lepra. cleptomania.. rubéola Tuberculose e anemia Rancor. O pulso ainda pulsa E o corpo ainda é pouco Ainda pulsa Ainda é pouco Pulso Pulso Pulso Pulso .. pneumonia Raiva. afasia.O pulso ainda pulsa Banda: Titãs O pulso ainda pulsa O pulso ainda pulsa.

Cora. 2001. (CORALINA. entortam as linhas paralelas.Sombras Tudo em mim vai se apagando. Cede minha força de mulher de luta em dizer: estou cansada. É a catarata amortalhando a visão q se faz sombra. Sinto que cede meu valor de mulher de luta. meias confissões de Aninha. e eu me confesso: estou cansada. São Paulo: Global. familiares. Deixo de reconhecer rostos amigos. A claridade se faz em névoa e bruma. O livro amado: o negro das letras se embaralham. Vintém de cobre. a distância se faz em quebra-luz.) . Um véu tênue vai se incorporando no campo da retina Passam lentamente como ovelhas mansas os vultos conhecidos que já não reconheço. Dançam as palavras.

a chance de uma pessoa se tornar cega depois dos 80 anos aumenta até 30% na comparação com a população com até 40 anos de idade. [.br/?l=noticias&item=65. foram feitos 14. Atualmente.hoa. a prevalência de cegos por catarata no país é de 350 mil pessoas. o segundo país no mundo em número absoluto de transplantes de órgãos e tecidos. Pessoas de todas as idades são aptas para doar e para receber o material (Disponível em: http://www.med. Novos casos da doença a cada ano representam 20% da prevalência..Catarata No Brasil. O Conselho defende que o impacto social da cegueira e a prevalência de catarata entre pessoas mais velhas sejam problemas abordados pelas políticas de saúde pública no país.182 transplantes de córnea no Brasil.. Somente em 2011. que possuem êxito de 90%.] O combate a doenças oculares é feito muitas vezes por meio de transplantes. Cerca de 90% das córneas recebidas são aptas para as operações.) .

PRODUZINDO: Inspirado(a) em alguma notícia recente. . Não se esqueça de verificar se você está mesmo criando um texto literário: a linguagem deve ter algumas características como o predomínio da subjetividade e da função conotativa. redija um texto literário abordando as mesmas ideias.