You are on page 1of 13

MÓDULO : INSTITUIÇÕES DO DIREITO PÚBLICO E PRIVADO – I PROFº: DIRCEU LEMOS

Graduação em Direito pela Faculdade ASCES. Especialização em Direitos Humanos pela UNICAP. Advogado.

AULA 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO .

O costume aparece como expressão da legalidade. usos e práticas. de forma lenta e espontânea. SOCIEDADE E DIREITO • Direito arcaico: direito primitivo de matriz sagrada. . instrumentalizada pela repetição de atos. • Direito consuetudinário: período em que se impõe a repetição dos costumes.I.

A inversão e a difusão da técnica da escritura. por mais força que tivessem em função de seu constante exercício. proporcionam os primeiros códigos da Antiguidade. somada à compilação de costumes tradicionais. Os textos legislados e escritos eram melhores depositários do direito e meios mais eficazes para conservá-lo que a memória de certo número de pessoas.• Direito identificado com a lei. .

. que garante a convivência social pacífica. • O direito como pacificador social. com força coativa. • O direito como forma de promoção da sociedade. O direito é um conjunto de regras obrigatórias.NOÇÕES DE DIREITO • A palavra direito deriva do latim directum.

DIREITO E MORAL • Moral deriva do latim mores. pode-se dizer que suas regras só são seguidas. Esta é a principal distinção entre o direito e a moral: a sua coercibilidade. pois não houve uma vontade espontânea da parte de quem o encontrou. • Em relação ao Direito. • É possível dizer que a moral é o mundo da conduta espontânea. Devolver o objeto perdido ao dono sob pressão de outrem não é um ato de verdadeira moralidade. Não existe moral forçada. na maioria das vezes. com seus valores e experiências cria e aceita para si. a adesão do indivíduo ao que é determinado pela regra. porque por trás delas existe uma pena pelo seu não cumprimento. sendo o conjunto de códigos de conduta que a própria sociedade. só são cumpridas porque são cogentes. . ou seja.

políticos. “os meios pelos quais o direito positivo pode ser conhecido”.FONTES DO DIREITO • As fontes do direito estão previstas no artigo 4. b) Fontes Formais – são os meios ou as formas pelos quais o Direito Positivo se manifesta na Sociedade. geográficos e ideais que influem na elaboração e aplicação do Direito. religiosos. • CLASSIFICAÇÕES: a) Fontes Materiais – são os “fatores sociais”. técnicos. ou seja.º da Lei de Introdução ao Código Civil que estabelece: "Quando a lei for omissa. morais. . o complexo de fatores econômicos. históricos. ou então. os costumes e os princípios gerais de direito". o juiz decidirá o caso de acordo com a analogia.

de soluções dadas pelas decisões dos Tribunais sobre determinadas matérias. o costume e os princípios gerais do direito. é o conjunto uniforme e constante de decisões judiciais superiores. . . b) Fontes NÃO FORMAIS = a doutrina e a jurisprudência. ou seja. a analogia.Jurisprudência é um termo jurídico que significa conjunto das decisões e interpretações das leis.• São ainda classificadas em: a) Fontes FORMAIS do direito = a lei.Costume é o uso implantado numa coletividade e considerado por ela como juridicamente obrigatório. ou seja. .

é semelhante ao previsto pelo legislador.. em Direito. .Analogia é o processo de aplicação de um princípio jurídico estatuído para determinado caso a outro que. podemos entendê-la como os ensinamentos e descrições explicativas do Direito posto. elaboradas pelos mestres e pelos juristas especializados. apesar de não ser igual. . .Doutrina.Princípios Gerais do Direito são postulados de valor genérico que orientam a compreensão de todo o sistema jurídico em sua aplicação e integração.

determinando como agir ou não agir – norma agendi. Esta é uma regra imposta a todos.DIREITO OBJETIVO E SUBJETIVO • Direito objetivo é o conjunto de normas jurídicas direcionadas e impostas a todos pelo Estado. ou seja. cabe à pessoa exercitar seu direito subjetivo. cabe a pessoa que teve seu direito violado invocar ou não esta lei em seu favor. é um direito objetivo. isto é. .facultas agendi. ou seja. da honra e da imagem das pessoas. A Constituição Federal. • Direito subjetivo é a opção. invocar a norma jurídica a seu favor . da vida privada. a faculdade da pessoa de invocar o direito objetivo. porém. Estas normas vinculam a conduta humana. são regras cogentes de comportamento. assegurando indenização por dano material ou moral. garante a inviolabilidade da intimidade. em seu artigo 5º inciso X.

. seu funcionamento e suas relações com particulares. mas cabe ao Estado a competência para tratar de tais assuntos. b) Submissão do Estado à ordem jurídica. Assim. o Direito Tributário e o Direito Penal.DICOTOMIA: DIREITO PÚBLICO E DIREITO PRIVADO • O direito público regula as relações entre um Estado e outro. São matérias tanto de interesse público quanto privado. o Direito Administrativo. o Direito Constitucional. estão regulados pelo direito público o Direito Internacional Público. • Princípios ordenadores do Direito Público: a) Autoridade pública – interesse público. a sua organização. O Direito Processual (civil ou penal).

e) Publicidade. como direito privado especial (ramo originado do Direito Civil. Alguns autores também consideram como direito privado especial o Direito do Trabalho e o Direito Internacional Privado.c) Dever jurídico de agir. pertence ao âmbito do direito privado o Direito Civil. . f) Responsabilidade objetiva. d) Devido processo.Já o direito privado é um conjunto de normas que regula as relações entre indivíduos face aos seus interesses particulares. como direito privado comum. . considerando o Direito Civil). e o Direito Comercial. Dessa forma. g) Igualdade entre os entes da federados. em função de suas características próprias.

Intangibilidade familiar. Autonomia da vontade. Propriedade individual.• Princípios norteadores do Direito Privado: a) b) c) d) e) f) Personalidade. Legitimidade da herança e do direito de testar. Liberdade de estipulação negocial. .