You are on page 1of 53

UNIVESRSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO-UEMA CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE TIMON-CESTI DEPARTAMENTO DE LETRAS TURNO: VESPERTINO CURSO: LETRAS

PORTUGUÊS 1° PERÍODO

O TEATRO E O GÊNERO

DRAMÁTICO
TIMON/MA 2013/JUNHO

COMPONENTES : FRANCISCA KELLY . JOICE PINHEIRO TAMIRES ALVES

DANIELA ARAÚJO
ALINE SOARES DAURIANE DE ARAÚJO VITÓRIA HUANG RITA BEATRIZ

ORIGEM
O teatro teve a sua origem no século VI a.C., na Grécia, surgindo das festas dionisíacas realizadas em homenagem ao deus Dionísio, deus do vinho, do teatro e da fertilidade. Essas festas, que eram rituais sagrados, procissões e recitais que duravam dias seguidos, aconteciam uma vez por ano na Primavera, períodos em que se fazia a colheita do vinho naquela região.

COMO ERAM OS TEATROS GREGOS? Encravados numa colina, onde a platéia ficava na arquibancada ou barranco e o palco tinha ao fundo três portas. À frente do palco ficava o côro, onde atualmente fica o proscênio ou a orquestra.

Teatro em Atenas – Três portas ao fundo e coro a frente .

Delfos Vista da platéia do Teatro de .

Teatro de Arena em Atenas – Período Romano .

Este homem chamava-se Téspis.PRIMEIRO ATOR DA HISTÓRIA DO TEATRO Quando um participante desse ritual sagrado resolve vestir uma máscara humana. . considerado o primeiro actor da história do teatro ocidental. sobe ao seu tablado na praça pública e diz: “Eu sou Dionísio!”. ornada com cachos de uvas.

. Sófocles e Eurípedes.PRIMEIROS TEXTOS TEATRAIS Muitas das tragédias escritas perderam-se e na actualidade são três Tragediógrafos conhecidos e considerados importantes: Ésquilo.Aristofanes.

DRAMATURGOS GREGOS ÉSQUILOS SÓFOCLES EURÍPEDES ARISTÓFANES .

na transliteração) (496 a. Suas peças retratam personagens nobres e da realeza.) foi um dramaturgo grego. na época do governo de Péricles. um dos mais importantes escritores de tragédia ao lado de Ésquilo e Eurípedes. nasceu em Colona.Sófocles Sófocles (em grego. . perto de Atenas.?-406 a. Filho de um rico mercador.C. Σοφοκλῆς – Sophoklês.C. o apogeu da cultura helênica.

das quais apenas onze são conhecidas. os desmandos e a corrupção na sociedade em que viveu.ARISTÓFANES  Escreveu mais de quarenta peças. a impostura. Seus heróis defendem o passado de Atenas. Violentamente satírico. critica a pomposidade. as virtudes cívicas e a solidariedade social. os valores democráticos tradicionais. Conservador. . revela hostilidade às inovações sociais e políticas e aos deuses e homens responsáveis por elas.

.ÉSQUILO Ésquilo (em grego.Gela 456 a. 525 a. Αἰσχύλος Aiskhýlos. Terá escrito 79 tragédias (segundo alguns autores cerca de 90). É considerado como o fundador da tragédia Na sua obra destaca-se a importância dada ao sofrimento. narrando as sagas dos Deuses e dos Mitos (como por exemplo em Prometeu Acorrentado). na transliteração) -.C. das quais se conservaram apenas sete tragédias completas (para além de inúmeros fragmentos dispersos de outras): .foi um poeta trágico grego.C.Elêusis c. -.

Por tal motivo. opta por relatar em suas tragédias a história dos negados e/ou vencidos. Para Eurípedes.EURÍPEDES Eurípedes (também grafado Eurípides. Macedônia. os mitos (elementos vitais da tragédia) eram apenas coleções de histórias cuja função era perpetuar crenças sobre concepções primitivas. Eurípedes foi o último dos três grandes autores trágicos da Atenas clássica (os outros dois foram Ésquilo e Sófocles). podendo citar como exemplo a obra As Troianas.C. 485 a. em que o autor relata a história das mulheres da cidade de Tróia (lembrando que na época as mulheres não eram consideradas como membros da sociedade).) foi um poeta trágico grego. 406 a.C.Pela. . . do grego antigo: Εὐριπίδης) (Salamina c.

Tema principal que tratava: das grandes figuras Reais.aproximadamente) – Principal texto: Édipo Rei. das quais apenas onze são conhecidas) .Ésquilo(525 a 456 A.C aproximadamente) – Principal texto: Prometeu Acorrentado. Sófocles(496 a 406 A. Eurípides (484 a 406 A.C. dos vencidos (Pai do Drama Ocidental) Aristófanes (Escreveu mais de quarenta peças.C aproximadamente) – Principal texto: As Troianas – Tema principal que tratava: dos renegados. Tema principal que tratava: Contava fatos sobre os deuses e os Mitos.

.

Portanto. sem ser encenado. pertencem as obras que foram produzidas para serem encenadas sobre o palco de um teatro. É claro que um texto dramático pode ficar só “no papel”. de figurinistas. de cenógrafos e grande equipe técnica. de maquiadores. ele foi feito para ser levado ao palco e.Ao gênero dramático. possui algumas peculiaridades inexistentes no gênero lírico e narrativo. deve-se contar com a participação de atores (elenco). ou seja. por isso. de sonoplastas (arranjadores musicais). de iluminadores. No entanto. para que um texto dramático se concretize. . de roteiristas. de diretores.

num texto do gênero narrativo. tropeça e cai no chão) (o médio dá uma risada discreta e envenena o paciente desacordado)um texto do gênero narrativo é dividido em capítulos. que são observações importantíssimas aos atores e diretores para saberem como se portar e que rumo seguir no palco. Exemplos de possíveis rubricas: (a menina atravessa o palco e sai de cena) (o telefone toca e. e não reproduzida por um outro alguém. ouve-se a voz do eupoético que desabafa.Vejamos quais são essas peculiaridades: um texto dramático traz as rubricas. uma vez que são as rubricas que trazem aquilo que um narrador diria. . já textos do gênero dramático. não contam com narrador. num poema do gênero lírico. por discurso direto – que ocorre quando a fala do personagem é exposta fielmente. ouve-se a voz do narrador (que é quem conta a história). NORMALMENTE. quase que exclusivamente. textos dramáticos são compostos. já um texto do gênero dramático é dividido em atos. quando João corre para atendê-lo.

Através de uma suposta conversa entre mãe e filhas. de Carlos Drummond de Andrade. já que existe uma tendência atual muito grande em teatralizar qualquer tipo de texto. É muito difícil ter definição de texto dramático que o diferencie dos demais géneros textuais. o leitor acompanha uma história de amor e traição e tem os elementos para reconstituir o caráter e os sentimentos dos personagens principais. Em sentido amplo.O Gênero Dramático No poema dramático. ele deve primeiro ser transformado em um roteiro. As peças de teatro escritas em verso constituem forma de poesia dramática. para depois poder ser transformado em um texto do género espetacular. também pode ser considerado um exemplo o Caso do Vestido. Para o texto dramático se tornar uma peça. . a história é contada através das falas dos personagens. É composto de textos que foram escritos para serem encenados em forma de peça de teatro.

a principal característica do texto dramático é a presença do chamado texto principal. . antes da fala de um personagem é colocada a expressão: «com voz baixa». texto também chamado de secundário. muitas vezes. o drama é dividido entre as duas personagens locutoras. que entram em cena pela citação de seus nomes. indicando como o texto deve ser falado. Já que não existe narrador nesse tipo de texto. é induzido pelas indicações cénicas. que informa os atores e o leitor sobre a dinâmica do texto principal. ou solenidade. composto pela parte do texto que deve ser dito pelos autores na peça e que. ou ditadas. Drama atualmente "classifica-se de drama toda peça teatral caracterizada por seriedade.No entanto. em oposição à comédia propriamente dita". Por exemplo.

Texto Dramático Características .

O teatro moderno. narrativo ou épico. equivalentes à entrada ou saída de personagens em cena. Estrutura interna Uma peça de teatro divide-se em: • Exposição – apresentação das personagens e dos antecedentes da acção.actos. põe de parte estas regras tradicionais de divisão na estrutura externa. correspondentes à mudança de cenários. .cenas . • Conflito – conjunto de peripécias que fazem a ação progredir. • Desenlace – desfecho da acção dramática .ESTRUTURA INTERNA E EXTERNA Estrutura externa o teatro tradicional e clássico pressupunha divisões em: .

expõe perante o público os seus pensamentos e/ou sentimentos.Modalidades do discurso Texto Principal . .pela listagem inicial das personagens ( que ocorre habitualmente antes de cada cena) .Refere-se às falas dos actores. falando consigo mesma. Pode ser constituído por: • Monólogo – uma personagem. cenas ou quadros).pelas indicações sobre a movimentação das personagens em palco. O texto secundário é composto: . os gestos que devem fazer ou a entoação de voz com que devem proferir as palavras. ao encenador da peça ou aos actores. . Texto Secundário (ou didascálias. • Apartes – comentários de uma personagem para o público. . pressupondo que não são ouvidos pelo seu interlocutor.pela indicação do nome das personagens no início de cada fala.pelas informações sobre a estrutura externa da peça (divisão em actos. as atitudes que devem tomar.pelas indicações sobre o cenário e guarda roupa das personagens. • Diálogo – falas entre duas ou mais personagens. ou indicações cénicas) destina-se ao leitor. .

.Coexistem normalmente dois tipos de espaço: • Espaço representado – constituído pelos cenários onde se desenrola a acção e que equivalem ao espaço físico que se pretende recriar em palco. TEMPO • Tempo da representação – duração do conflito em palco. através do diálogo e da movimentação das personagens PERSONAGENS – agentes da ação ESPAÇO Espaço – o espaço cénico é caracterizado nas didascálias. efeitos de luz e som. onde surgem indicações sobre pormenores do cenário. • Tempo da escrita ou da produção da obra – altura em que o autor concebeu a peça. .Categorias do texto dramático – algumas particularidades AÇÃO – desenrolar dos acontecimentos. • Espaço aludido – corresponde às referências a outros espaços que não o representado. • Tempo da acção ou da história – o(s) ano(s) ou a época em que se desenrola o conflito dramático.

• Caráter – desadequação do perfil da personagem. • Didáctica (transmitir um ensinamento). • Crítica em relação à sociedade do seu tempo. PROCESSOS DE CÓMICO • Situação – o que a personagem faz é cómico e inesperado. • Lúdica ou de evasão (entretenimento.INTENÇÕES DO AUTOR Quando escreve uma peça de teatro. • Linguagem – recurso à ironia. ao calão… resultado num efeito cómico ou ridículo. . o dramaturgo pode ter uma intenção: • Moralizadora (distinguir o Bem do Mal). riso). diversão.

OUTROS INTERVENIENTES NO TEXTO DRAMÁTICO • dramaturgo – autor • encenador – prepara e orienta os atores • cenógrafo – prepara o cenário • sonoplastia – efeitos sonoros • luminotecnia – efeitos luminosos • ator – representa as personagens .FORMAS DO GÉNERO DRAMÁTICO • Tragédia • Comédia • Drama • Teatro Épico.

.

.

.

que para o filósofo. Sua estrutura consistia em uma ação inicial feliz. como reis.TRAGÉDIA A tragédia. . com personagens humanos pertencentes às classes nobres. na qual a temática era baseada no sofrimento e na desgraça do protagonista. todavia com um final trágico. Retratada por um caráter mais sério e solene. príncipes. que sofriam nas mãos dos deuses e do Destino. era “a imitação de uma ação de caráter elevado. Tendo como efeito a purificação dessas emoções”. suscitando o terror e a piedade.

É um jogo que não cumprir rigorosamente o estrutura da tragédia. Centra-se em relações de caráter e shows da sociedade em um estado de fluxo contínuo. Há uma mistura de comédia e Tragédia lado a lado neste tipo de jogos. TRAGICOMÉDIA .

É um jogo que termina com final feliz. o enredo geralmente gira em torno de um conflito romântico. COMÉDIA .É um tipo de drama a intenção de juros e divertir o público. o jogo termina com um casamento. Na maioria dos casos. Complicações em quadrinhos sempre ocorrem antes o conflito seja resolvido. em vez de fazê-los profundamente preocupada com os eventos que acontecem.

satirizando os defeitos humanos e a sociedade como um todo. tinha o cotidiano como temática.A comédia. que para Aristóteles era a “imitação de homens inferiores. representada por personagens estereótipos das debilidades humanas. . como o rabugento. não quanto a toda a espécie de vícios. mas só quanto àquela parte do torpe que é o ridículo”. o apaixonado e o mesquinho. mas no final tudo acaba bem. Sua estrutura consiste em uma situação complicada inicial. De caráter cômico. o avaro.

Tinha a função de ensinar as pessoas. Era o filósofo que tinha a função principal da tragédia porque era descrita por ele. a tragédia não era vista com pessimismo pelos gregos e sim como educativa.C.  Para Aristóteles.) É considerado o maior representante da comédia antiga.DRAMATURGO E FILÓSOFO  Aristófanes e a Comédia: Dramaturgo grego (445 a 386 a. .

Drama .

. É uma história encenada no palco para uma platéia ao vivo.O que é o Drama? Drama é uma composição em forma de prosa. que apresenta uma história inteiramente contada em diálogo.

ORIGENS DO DRAMA – A palavra vem do teatro Dran verbo grego.. foram escritos em torno do quinto século aC produzido para festivais para honrar Dionísio. que significa "fazer" ou "agir" As primeiras peças conhecidas . o deus do vinho e da fertilidade ..

.ESTRUTURA DRAMÁTICA O conflito é uma luta ou conflito entre os personagens ou forças opostas. Pode desenvolver um conflito. . entre os personagens que querem coisas diferentes ou a mesma coisa entre um personagem e suas circunstâncias dentro de um personagem que é dilacerado por desejos conflitantes .

FORMAS DE DRAMA .

O protagonista de mais tragédias clássicas é um trágico herói. em muitos maneiras admirável tem um trágico falha. Este herói é nobre e. uma falha pessoal que leva a um final trágico. .

Os personagens são vítimas nas mãos do impiedoso destino. .MELODRAMA Ela mostra os eventos que se seguem uns aos outros se rapidamente. masparece ser governado sempre por acaso.

FARSA Farsa é uma sub-categoria de comédia. . Farsas normalmente envolvem enganado identidades. muitas física comédia e trama ultrajante torções. caracterizado por grandemente personagens exagerados e situações.

Roma. Musei Vaticani . C.Édipo Rei Cálice ático de figuras vermelhas do Pintor de Édipo Data: 470 a.

Onde já encontramos referência ao mito de Édipo?  Odisséia Canto XI – Cena da Catábase .

 Autopunição voluntária.O Mito e Sófocles Sófocles altera o mito  Muda o nome da “mãe-esposa” do tirano.  O juiz é réu. .  Esfinge.  Peste.  Exílio.

Prólogo (vv.  Diálogo: . 1 – 215) Personagens: Édipo.  “As decisões e ações de Édipo são o fator causal no enredo da tragédia e constituem a expressão do seu caráter.  Creonte chega do Oráculo de Delfos.10)  Coro: Exprime dor e pede o fim desse situação em que a cidade se encontra.  Édipo decide-se pela investigação. Creonte + Coro Édipo e Sacerdote – Cidade aflita. p.  Diálogo: Édipo e Creonte. Sacerdote. 2002.  Oráculo: Uma peste assola a cidade devido ao crime nãopunido.” (Knox.

221).  “Tu és a imundície que emporcalha esta cidade. Tirésias + Corifeu.  Tirésias – Primeira Cena de Agón – Portador da verdade inata.  Diálogo: Édipo e Corifeu. 353)  Édipo não aceita a verdade inata. Coro  Estabelecimento do Tribunal (v. 216 – 512) Personagens: Édipo.” (v.  Primeiro Estásimo .Primeiro Episódio (vv.

Édipo.Segundo Episódio (vv. 513 – 909) Personagens: Creonte. Jocasta + Coro Creonte – Segunda Cena de Agón – Poder Político.708). 729 – Édipo questiona a morte de Laio.  v.  Segundo Estásimo: Coro – Lamenta que os valores tradicionais não sejam mais acreditados.  Jocasta – representa o pensamento daquele tempo (v.  Figura do Pastor.  Édipo conta sua história para Jocasta.  .

 Terceiro Estásimo: Coro – Afirma a verdade oracular. . Édipo + Corifeu. Mensageiro.  Jocasta: Percebe os fatos. mais uma vez. 910 – 1109) Personagens: Jocasta. quer conhecer sua origem.  Édipo.Terceiro Episódio (vv. Coro  Chegada do Mensageiro de Corinto.

1452a31).  Revelação do verdadeiro assassino (vv.Quarto Episódio (vv.  Peripécia – “mutação dos sucessos no contrário. XI).” (Poét. Pastor + Coro  Diálogo: Mensageiro e Pastor. 1182 – 1185). XI.” (Poét. Mensageiro.  Quarto Estásimo: Coro – Destino „executado‟ . 1110 – 1221) Personagens: Édipo.  Reconhecimento – “a passagem do ignorar ao conhecer.

.  Patético: Édipo pede para abraçar suas filhas.  Coro: “.  Édipo se cega.” .. Quem ainda não viu aquele último dia não poderá ser considerado feliz antes de transpor o termo da vida sem ter padecido nenhuma dor. 1223 – 1533)  Arauto: anuncia a morte de Jocasta.Êxodo (vv.

mas.” (VERNANT. mas que podem ser percebidas pelo espectador. cujo sentido só adivinhará quando se descobrir.chama-se normalmente de ironia trágica o fato de um personagem utilizar-se de fórmulas de duplo sentido. em tudo. a dualidade de seu ser. 1999.” (VERNANT. 1999.. p. VIDAL-NAQUET.“A ambiguidade de suas palavras não traduz a duplicidade de seu caráter.23) “. mais profundamente. que o seu interlocutor não está em condições de compreender. VIDAL-NAQUET. que é feito de uma só peça.. o contrário do que ele acreditava e parecia ser. p. à premeditação.92) . Édipo é duplo. Ele constitui por si mesmo um enigma. mas não adquiriu consistência e autonomia suficientes para bastar-se integralmente a si mesma. 1998. à intenção.77) “o sentido trágico da responsabilidade surge quando a ação humana dá lugar ao debate interior do sujeito. p.” (ROMILLY.