You are on page 1of 18

Matéria: Imunologia Prof.

: Laércia Alunas: Eloane Lenivânia Louise

de causa desconhecida. O que é Púrpura Trombocitopênica Idiopática (PTI)? É uma doença sanguínea adquirida. . que se caracteriza por trombocitopenia. é uma doença adquirida e geralmente benigna. como infantil ou adulta e.000 pessoas. autoimune ou isoimune. Pode ser classificada.5-23. de acordo com a faixa etária acometida.6 casos por 100. caracterizada pela diminuição do número das plaquetas no sangue (trombocitopenia). também conhecida como púrpura trombocitopênica imunonológica. como aguda ou crônica. com predominância no sexo feminino. A púrpura trombocitopênica idiopática(PTI). quanto ao tempo de evolução.  A PTI possui a prevalência de 9.

**Púrpura é o aparecimento de descolorações vermelhas ou roxas na pele. Pequenos pontos são chamados de petéquias.  Pacientes com trombocitopenia possuem maior tendência a apresentar fenômenos hemorrágicos. enquanto os maiores são chamados de equimoses. A maioria dos casos estão relacionados ao aparecimento de anticorpos contra as plaquetas. . causada por sangramentos subcutâneos. A doença pode se manifestar através do aparecimento de petéquias e equimoses ou ser assintomática.

Equimoses .

a menores contagens de plaquetas circulantes . geralmente da classe IgG. consequentemente. reconhecem-se autoanticorpos.Fisiopatologia  Apesar da etiologia desconhecida. Uma vez que a plaqueta apresenta um anticorpo aderido à sua membrana. onde são destruídas. direcionados a antígenos da membrana plaquetária. é reconhecida por macrófagos localizados no baço e em outras áreas de tecido reticulo endotelial. levando a um menor tempo de vida média plaquetária e.

tornou-se evidente que a deficiência de protease tem um papel central no desenvolvimento da doença. Embora o mecanismo patogênico da PTI seja complexo. .

A intensidade dos sintomas variam muito de um paciente para outro. vertigem. Em alguns casos. dores nas pernas. Na sua presença. eles podem ser assintomáticos e dispensam tratamento. • Os mais típicos são os sangramentos que se localizam na pele ou nas mucosas sob a forma de petéquias (manchas puntiformes) ou equimoses (manchas maiores). A esplenomegalia normalmente não faz parte do quadro de PTI. recomenda-se investigação de outras causas que levem ao aumento esplênico .e hemorragias menstruais são mais difíceis de controlar. • Podem ocorrer também sangramentos nasais (epistaxes). cefaléia. • A ocorrência de edemas. gastrintestinais e no trato urinário.SINTOMAS Os sintomas surgem quando a queda do número de plaquetas compromete o processo de coagulação do sangue a ponto de provocar sangramentos. nas gengivas.

SINAIS E SINTOMAS .

sendo realizado com base na história clínica e no exame físico. o paciente apresenta número de plaquetas diminuído mas isso só não indica que o paciente tenha PTI já que as plaquetas podem estar em número diminuído em várias outras doenças. Ex. Leucemia. Na PTI.DIAGNÓSTICO O diagnóstico de PTI é de exclusão. . etc.: HIV. Lúpus. além de hemograma completo e esfregaço de sangue periférico  No hemograma é analisado a contagem de plaquetas.

.

 Embora as plaquetas sejam destruídas pelo baço. O aumento acelerado na produção de plaquetas pode fazer com que no hemograma sejam visualizados megaplaquetas. ele normalmente não se apresenta aumentado (isto é esplenomegalia ausente). Pacientes com PTI apresentam tempo de sangramento aumentado mas tempo de protrombina e tempo de tromboplastina parcial ativada normais pois o problema se concentra nas plaquetas e não na cascata da coagulação .

. Deve-se avaliar a medula óssea (biópsia e aspirado) sempre que houver suspeita de neoplasias ou mielodisplasia como causa de plaquetopenia e quando houver anemia ou leucopenia associadas a plaquetopenia. uma vez que infecção crônica previamente assintomática pode se manifestar inicialmente com trombocitopenia.  A PTI é considerada persistente quando houver plaquetopenia nos 312 meses após o diagnóstico. Pesquisas de anticorpos anti-HIV e anti-HCV devem ser solicitadas rotineiramente em adultos para o diagnóstico diferencial. e crônica quando persistir por mais de 12 meses.

Fonte: http://portal.gov.br/portal/arquivos/pdf/pcdt_purpura_trombocitop_idiop.pdf .saude.

o que contribui para que muitos resultados obtidos no tratamento da forma infantil sejam utilizados no da forma adulta. sem necessidade de tratamento.000/mm3) e assintomática tendem a ter um curso benigno da doença. o tratamento é feito com a eliminação do fator (por exemplo. Os pacientes com plaquetopenia leve a moderada (acima de 30.00050.   . fazendo apenas acompanhamentos periódicos.TRATAMENTO  A história natural de PTI em adultos é bastante distinta da forma infantil. Os estudos acerca do prognóstico e da terapêutica são mais escassos em relação aos disponíveis para as crianças. tendendo à forma crônica em cerca de 90% dos casos. do contato com a substância que o induziu). Quando é possível identificar a causa da manifestação.

Após formados. Os hematomas podem ser controlados inicialmente com compressas frias após o trauma. No entanto. . podem ser reduzidos com compressas quentes e pomadas anticoagulantes. estes tratamentos só irão surtir efeito após a normalização dos níveis plaquetários.

Quando não surte o efeito desejado.Serão incluídos neste protocolo de tratamento os pacientes com diagnóstico de PTI. antinflamatórios hormonais. para controle da reação auto-imune.000/mm3 . geralmente com Prednisona. que apresentem: contagem de plaquetas abaixo de 20. em casos graves uma das alternativas é a realização de esplenectomia (remoção cirúrgica do baço).>10. .000/mm3.  O tratamento sistêmicos inicial da PTI é feito à base de corticosteróides.000/mm3 na presença de sangramento. ou 50. uma das alternativas é a realização de transfusão.

também podem ser utilizadas ** Devido à presença de anticorpos antiplaquetários. transfusões sanguíneas não são o tratamento adequado para essa doença. já que os níveis plaquetários voltam a decrescer um certo tempo após a realização da transfusão. Medicações que atuam na produção de plaquetas. . como o Eltrombopag.

Obrigada pela atenção! .