You are on page 1of 21

Meningites

Paula Izabela de Assis Passos 2013

Definição
• Processo inflamatório/infeccioso das meninges; • Ocorre principalmente na Pia mater e Aracnóide mater; • É caracterizado pela presença de exsudato inflamatório no espaço subaracnóideo;

• Meningites bacterianas: Pneumococo. . Meningococo. Listéria. • Meningites nosocomiais: Estafilococos e Enterobactérias.Epidemiologia • Meningites virais: Enterovírus dos grupos Coxsackie B e Echovírus.

• Fecal-oral (principalmente por Enterovírus). -Período de incubação: 2 a 10 dias. em média de 3 a 4 dias. • Vias respiratórias: gotículas e secreções da nasofaringe. .Transmissão Reservatório principal → Homem -Transmissão: • Contato pessoa-pessoa.

IL-6. coma e morte (Critical care 1999. TNF) Inflamação das meninges e lesão da BHE Edema cerebral vasogênico Edema citotóxico Edema intersticial Aumento pressão intracraniana Diminuição do fluxo sanguíneo cerebral Perda da autoregulação sanguínea Vasculites Tromboses – infartos e isquemias cerebrais Convulsões. AVC. 3:R55-R65) .Fisiopatologia Crescimento bacteriano no LCR e liberação de fragmentos bacterianos Geração de citocinas in situ (IL-1.

Vômitos em 44% • Presença de pelo menos dois sintomas: 95% • Déficit neurológico focal: 33% . Cefaléia.Quadro clínico      Febre Cefaléia Náusea Vômitos Rigidez de nuca     Prostração Confusão mental Sinais de irritação meníngea Rash na extremidades (Meningococo) • Tríade clássica: Febre.

com. quando a coxa é colocada em certo grau de flexão.Sinal de Kernig Resposta em flexão da articulação do joelho.medicinageriatrica. Fonte: http://www. em relação ao tronco.br/tag/sinal-de-kernig/ .

Sinal de Brudzinski Flexão involuntária da perna sobre a coxa e dessa sobre a bacia.com.br/br/slideshow/modal/19008/18808 . Fonte: http://medico.uol. ao se tentar fletir a cabeça do paciente.

Sinal de Lasegue .

Diagnóstico • Quadro clínico • LCR  Quimiocitológico  Bacterioscopia  Cultura  Látex  Celularidade  Glicose  Proteínas • • • • Hemograma Raspado das petéquias Glicemia (sg) Proteínas (sg) .

20.50 Elevada (> 100) Elevada (> 50) 45.2000 (média 80) Mononuclear 50 –100 ou normal Normal Meningite Viral Límpido .2000 (média 100)  Polimorfonucleares Mononuclear *** 15.Liquor Aspecto Leucócitos por mm3 Célula predominante Proteína mg/100ml Glicose * mg/ 100ml LCR Normal Límpido Turvo Purulento Límpido 0-5 5.000 (média 800) 5.100 Baixa ** (< 45) Normal ou baixa Meningite Bacteriana Meningite Tuberculose e por fungos ( < 45) 2.

3:R55-R65) .Condutas Suspeita de meningite bacteriana com deficits neurológicos focais Ausentes Punção lombar Hemoculturas Presentes Hemoculturas Gram Positivo Ag no latex positivos SIM NÃO Antibioterapia empírica TC Crânio Sem lesões: PL Antibioterapia dirigida Antibioterapia empírica Com lesões: abcesso. empiema (Adaptado de Critical care 1999.

• Febre maculosa. • Abscesso cerebral. • Empiema subdural. .Diagnóstico diferencial • Meningoencefalites (febre do Nilo). • Síndromes neurolépticas malignas. • Encefalites.

• Retardo mental. • Distúrbio da linguagem. . • Anormalidade motora. • Distúrbios visuais.Complicações • Perda da audição.

.6/6/h por 4dias.Tratamento • Hidratação. • Tratar complicações (como convulsões ou HIC). • Dexametasona 30’ antes do ATB se LCR turvo. • Correção de distúrbios hidroeletrolíticos. presença de meningococcemia ou LCR bacteriano confirmado:  10mg IV .

Tratamento empírico • Instituir ATB precocemente. . • ATB EV 7-14 dias.

Tratamento específico .

5-1g/Kg EV). • Manitol: Ataque(0.Medidas importantes • Isolamento respiratório . • Ventilação mecânica: Coma ou arritmias respiratórias.25g/Kg EV 4/4h). • Diazepam se convulsões e Hidantoína ou Fenobarbital para o controle. . Manutenção(0.24h. • Elevar a cabeceira da cama.

namorado).12/12h por 2 dias  Ciprofloxacino: 500 mg . comunicantes de creche ou escola. pessoas que compartilham o mesmo dormitório.  Rifampicina: 600 mg .Profilaxia Indicações: • Profissionais da saúde que tiveram contato direto com as secreções respiratórias do paciente. • Todos os contactantes íntimos (residentes da mesma casa.dose única .

 Ocorre nos primeiros 6 meses após a infecção. .  Principal fonte → paciente bacilífero (infecção maciça).Meningite Tuberculosa  Complicação da infecção tuberculosa.

Tratamento .