You are on page 1of 1

VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA IDOSA: LEVANTAMENTO REALIZADO SOBRE AS DENÚNCIAS DE VIOLÊNCIA CAPTADAS PELO SERVIÇO ESPECIALIZADO DA PESSOA IDOSA

NO MUNICÍPIO DO NATAL/RN.
CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE
Autoras: Paula Cristina Ferreira da Cunha Camomila Lira Ferreira

INTRODUÇÃO
Com a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais, ficou instituído o Serviço de Proteção Social Especial para Pessoas Idosas e suas Famílias, o qual oferta atendimento especializado a famílias com pessoas idosas com algum grau de dependência ou suas limitações agravadas por violações de direitos. Infelizmente, esta é a realidade dessa parcela populacional que aumenta mundialmente e demanda por uma atenção integral. Com isto, a rede de garantia dos direitos da pessoa idosa passou a contar com o Serviço Especializado da Pessoa Idosa (SEPI), iniciado em agosto de 2010, vinculado à Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (SEMTAS) no município de Natal/RN. Tal fenômeno de violação de direitos é complexo e se configura como um problema de saúde pública.

Faixa Etária 60 a 64 anos 17% 65 a 69 anos 23% 70 a 74 anos 28% 75 a 79 anos 32% Renda Individual 1a2 Salários 78% 3a4 Salários 16% 5a6 Salários 4% 7a8 Salários 1% 9 ou mais Salários 1%

Gênero Feminino 69% Masculino 17%

Estado Civil Casado 34% Separado 6% União Estável 2% Viúvo 58%

Filhos Não 19% Sim 81%

Região Adm. Norte 14% Sul 18% Leste 24% Oeste 44%

Habitação Alugada 13% Cedida 6% Própria 73% Outros 8% Necessidade especial Auditiva 5% Física 24% Mental 10% Visual 6% Não Possui 55%

Dependente Quimico Sim 9% Não 91%

Renda Familiar 1a2 Salários 70% 3a4 Salários 14% 5a6 Salários 12% 7a8 Salários 4%

Adm. dos Proventos Cônjuge 5% Filho 45% Idoso 34% Irmão 2% Outros 14%

Acomp. de saúde Não 20% Sim 80%

Tipo de Acomp. Saúde Bucal 3% Saúde Física 82% Saúde Mental 12% Não Inform. 3%

Doença Crônica Alzheimer 4% Diabetes 19% Hipertensão. 37% Não Possui 19% Outras 21%

OBJETIVOS
Assim, percebeu-se a necessidade de compreender tal fenômeno e suas implicações biopsicossociais, pormenorizando-se à realidade desses idosos e de seus familiares. Para isso, objetivou-se analisar os documentos primários alocados neste Serviço, no período de 08/2010 a 03/2012.

MÉTODO
Este trabalho se constitui em uma pesquisa não experimental, descritiva, retrospectiva e documental, com desenho de corte transversal. Foram obtidas informações que apontaram as variáveis do idoso e suas famílias, as quais foram organizadas com o auxílio do Programa SPSS 16.0.

Uso de Medicamentos 1a2 36% 3a4 21% 5a6 5% 7 ou mais 6% Não faz uso 32%

Tipo de Solicitação Acolhimento 10% Acompanhamento 88% Inclusão no API 1% Orientação 1%

Encaminhamento API Domiciliar 1% CREAS NORTE 15% CREAS SUL 12% CREAS LESTE 24% CREAS OESTE 20% Outras 28%

Situação de Risco Drogadição de familiar 20% Idoso mora sozinho 15% Negligência da Família 13% Saúde Fragilizada 37% Outros 15%

RESULTADOS
A amostra inicial foi de 86 idosos, sendo 69% do gênero feminino e 17% pertencentes à faixa etária de 75 a 79 anos, o que possibilita verificar a presença da violência de gênero permeando o campo da violência contra a pessoa idosa, bem como idosos com idade avançada, que se caracterizam por maior vulnerabilidade. Identificou-se que 44% residem na região administrativa Oeste, a qual se caracteriza por condições sócio-econômicas precárias. Quanto à renda familiar, 61% possuem entre 1 e 2 salários-mínimos, sendo oriunda de aposentadoria em 57% dos idosos. Em 37% dos casos analisados, os idosos vivenciam situações de risco relacionadas a fragilidades na saúde e 84% utiliza o serviço público de saúde. Verificouse ainda que 29% possuem algum direito violado ou a ser prevenido neste âmbito.

CONCLUSÃO
Tendo como horizonte os dados acima, há de se vislumbrar a oportunidade oferecida através desses acompanhamentos com promoção de saúde, acesso aos direitos socioassistenciais, melhoria da qualidade de vida do idoso e de suas famílias, redução dos agravos decorrentes de situações violadoras de direitos e proteção biopsicossocial voltada ao desenvolvimento de autonomias.

Contato: paulacfcunha@hotmail.com camomilapsi@yahoo.com.br