You are on page 1of 45

II FÓRUM FENAM DE COOPERATIVISMO MÉDICO 22 e 23 de maio/2009 Vitória/ES

Cooperativismo Ramo Saúde
• 894 cooperativas • 47.132 empregos diretos • 215.755 cooperados

Fonte: OCB

COOPERATIVISMO DE TRABALHO
FORNECEDOR DE PRODUTOS E SERVIÇOS
DESINTERMEDIAÇÃO

CONSUMIDORES DE PRODUTOS E SERVIÇOS

1 98 7 1993

1992

1994 : Fencom

Hoje
• União de forças • Nova forma de organização da categoria médica • Relações com hospitais e compradores de serviços • Soluções negociadas, relações de parceria

Cooperativas filiadas
39 34 41

2006

2007

2008

16000 14000 12000 10000 8000 6000 4000 2000 0

Evolução do número de cooperados 15.569

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

Faturamento das Cooperativas
(Em R$ mil)

387.063 282.191 198.358 118.373 149.803 192.118 237.201 285.346

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

140000 120000 100000 80000 60000 40000 20000 0

Média de repasse por cooperado/ano
129785 100557

132000

132818

69962 47940

2003

2004

2005

2006

2007

2008

Dados de uma cooperativa do sistema

Valor total repassado
294193 240868 224167 186957 134770 145949 120836 101581 74949

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

• • • • • • • •

Relacionamento com Instituições
SINMED MG AMMG CRM MG AHMG Unimed BH Unimed MG Credicom Ocemg

BENEFÍCIOS PARA O COOPERADO

Centralização de glosas
Somente no Projeto Piloto (Convênio Usiminas) foi possível reduzir 60% das glosas, em quantidade e valor.

Repasse como garantia

Picture 4

Centralização do INSS
• Sistema integrado entre cooperativas, inclusive Unimed-BH • No 1º repasse que atinge teto máximo, a informação é compartilhada, evitando retenção a maior. Valor devolvido dos cooperados que trabalham em outros locais fora do sistema Fencom em 2008:

R$ 575.942,16

Consultoria Previdenciária

Clínicas

Coopbale HC Cooper ia Coop con

Clínica HC Coop
•Condomínio (4h/dia): de R$207 a R$264/mês • 105 médicos •16 consultórios •3.500 atendimentos/mês

Mais de 200 estabelecimentos credenciados em todo o Brasil Mais de 3000 beneficiários entre cooperados e funcionários de cooperativas Descontos em lojas, hotéis, escolas, faculdades, restaurantes, etc.

Assessoria jurídica em defesa do cooperado

direito a defesa em processos judiciais e éticos

Representatividade política
AGO

SEMINÁRIO BRASÍLIA

Total repassado pelas 10 cooperativas que faturam SUS no ano de 2008:

R$ 18.000.000,00

INFORMATIZAÇÃO DA CLÍNICA PADRÃO TISS GRATUITO CEHM

Repasse não cooperados UBH

51 convênios com acordo firmado com a Comissão

SCORE DE CONVÊNIOS
Convênio X

TREINAMENTO A DISTÂNCIA
• Equipe em treinamento • Curso de conselheiro fiscal •Livro caixa • Sasc •Foco em profissionalização

Serviços para atender às cooperativas

Sasc Web

Agosto 2007: grande repercussão do movimento dos médicos do Nordeste

Ações
• • • • • • •

Contratação de escritório de advocacia Atuação junto à OCEMG/OCB Aliança estratégica e alinhamento jurídico das entidades Divulgação Reuniões MPT e DRT Audiência prefeito Fernando Pimentel Comissão de Saúde da Assembléia Legislativa de MG com MT no CRM

•Reunião •Evento

Termo de Conciliação Judicial
O MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO, neste ato representado pelo Procurador do Trabalho da Procuradoria Regional do Trabalho da 3ª Região e Coordenador Nacional da CONAFRET – Coordenadoria Nacional de Combate às Fraudes nas Relações de Trabalho, Dr. GERALDO EMEDIATO DE SOUZA, e o HOSPITAL______________,neste ato representado pelo seu representante legal ____________e pelo advogado e Procurador, Dr.___________________;

Cláusula Primeira - O HOSPITAL não contratará trabalhadores, por meio de cooperativas de mão-de-obra, para a prestação de serviços ligados às suas atividades-fim ou meio, quando o labor, por sua própria natureza, demandar execução em estado de subordinação, quer em relação ao tomador, ou em relação ao fornecedor dos serviços, constituindo elemento essencial ao desenvolvimento e à prestação dos serviços terceirizados, sendo eles: – Serviços de limpeza; – Serviços de conservação; – Serviços de segurança, de vigilância e de portaria; – Serviços de recepção; – Serviços de copeiragem; – Serviços de reprografia; – Serviços de telefonia; – Serviços de manutenção de prédios, de equipamentos, de veículos e de instalações; – Serviços administrativos; – Serviços de office boy (contínuo); – Serviços de digitação; – Serviços de assessoria de imprensa e de relações públicas; – Serviços de motorista, no caso de os veículos serem fornecidos pelo próprio Hospital; – Serviços de ascensorista; – Serviços de enfermagem (técnicos, auxiliares e enfermeiros)

Cláusula Terceira - É lícita a contratação de sociedades cooperativas desde que os serviços sejam prestados em caráter coletivo e com autonomia dos cooperados, seja em relação às cooperativas, seja em relação ao tomador dos serviços.

Cláusula Quarta - O HOSPITAL somente estará obrigado a contratar diretamente os profissionais para a prestação de serviços médicos, psicológicos, fisioterapêuticos, fonoaudiológicos, terapêuticos ocupacionais (e outros profissionais especializados), com o necessário registro na Carteira de Trabalho, quando o labor se der na forma dos artigos 2º e 3º da CLT, podendo, ao contrário, fazê-lo por intermédio de sociedades, associações e/ou cooperativas, que se utilizem da instituição de saúde para a internação ou atendimento de pacientes, desde que sejam remunerados diretamente pelo paciente, SUS, convênio ou seguro saúde privado e, somente em casos excepcionalíssimos, diretamente pelo Hospital.

Parágrafo Quarto – Os profissionais liberais poderão se organizar em sociedades médicas e afins, associações, cooperativas ou mesmo em clínicas ou equipes médicas , estabelecerem entre si escalas de atendimentos e plantões para atendimento de pacientes externos ou internados no ambiente hospitalar, aqui incluídos os serviços de urgência/emergência e pronto-atendimento, podendo o hospital, porém, transferir à Cooperativa de Trabalho Médico regularmente constituída, na forma da lei, por contrato, a exploração de tais serviços, pelos profissionais liberais e autônomos que a constituem.

Cláusula Sétima - Na fiscalização do cumprimento, pelo Ministério Público do Trabalho ou pelo Ministério do Trabalho e Emprego, deverá o agente público documentar e comprovar a situação individual dos profissionais, com a sua identificação, com os dados relativos à sua função, reportando, de maneira clara e objetiva, os elementos configuradores da relação empregatícia, para os efeitos do que dispõem os artigos 2º e 3º da CLT. Em qualquer hipótese, não valerá, como prova do descumprimento, a demonstração por amostragem.

PLC 131
• • • • • • • • • • Comissão de Assuntos Sociais Relator senador Renato Casagrande – ES Elaborado em conjunto por entidades , inclusive OCB Exclusões : unimeds, coop. transportes , prof. liberais que atuam em estabelecimentos próprios Várias alterações lei 5764 “Celetização” da relação cooperado – cooperativa Vínculo com cooperativa Fundo de Apoio Risco Oportunidade

Coop.hospital X especialidade
• • • • • • • • Tem maior atuação política Tem maior representatividade Fórum de discussão de problemas e políticas do hospital Menor eficácia,a curto prazo, na negociação de honorários Resultados a longo prazo Possibilidade de expansão de atuação Ganho de escala – redução de custos para o cooperado Possibilidade de fusões

Cenário atual
• • • • • • • • • Realidade Espaço próprio Crescimento significativo Expectativa “salvadora” de algumas especialidades Utilização inadequada do sistema em serviços públicos Pouco preparo de alguns dirigentes Organização ágil e democrática Eficiência na mobilização Melhora do entendimento do judiciário e sociedade

Futuro
• • • • • • • • • • Crescimento do sistema Controle difícil Necessidade de definição do melhor modelo de atuação Políticas globais , em sintonia com entidades Federatização do sistema OCB – criar segmento especial Integração com sindicatos – possibilidade de sinergia Harmonia com Unimeds PLC 131 – diferenciação Alternativa interessante e de potencial para o futuro

Data: 14 e 15 de agosto Local: AMMG Em parceria com a Santacoop Presenças confirmadas: Ariano Suassuna Alberto Kaemmerer Welfane Cordeiro

Obrigado pela atenção.
Contato: fencom@fencom.com.br (31) 3232 5050 Mais informações: www.fencom.com.br