You are on page 1of 75

RFP

• Genética de Populações

RFP

• Genética (hereditariedade):
Ciência da Variação

RFP

• Genética Humana
Ciência da Variação Humana

RFP • Genética Médica Ciência da Variação Humana Anormal .

RFP • Genética Clínica Ramo da Medicina voltado para as Pessoas e Famílias com Variação Anormal de Estrutura e Função .

.RFP • Genética Clínica O paciente é um reflexo da família e da população à qual pertence.

# Genótipos de outros membros da família.RFP • Genética Médica # Diagnóstico. # Avaliação dos riscos de recorrência .

Genética Médica RFP Genética Citogenética Humana Genética Formal Genética Bioquímica Citogenética Clínica Genética Clínica Genética Molecular Aconselhamento Genético .

Genética TRANSMISSÃO DE CARACTERÍSTICAS VARIAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS .

Conceito: A Genética de Populações é o estudo da distribuição dos genes nas populações e de como as freqüências dos genes e genótipos são mantidas ou alteradas .

Genética de Populações Fatores Genéticos Mutação Reprodução Fatores Ambientais e Sociais Seleção Migração .

DIVERSIDADE GENÉTICA EM POPULAÇÕES HUMANAS http://ehp.nih.jpg?section=toxicogenomics .niehs.gov/txg/docs/2003/111-11/forum/atcgs.

.

Freqüências em muitos loci. Variação entre grupos populacionais .Natureza dos diferentes alelos.

Eletroforese de Hemoglobina .

Southern blotting .

RFLPs detectados por Southern blotting .

Herança Codominante de um RFLP ligado ao X .

.

.

Herança codominante de um polimorfismo do DNA autossômico hipervariável (VNTR). .

Alec Jeffreys. (1985) Universidade de Leicester.Fingerprinting de DNA de gêmeos Sonda que detecta polimorfismos de VNTRs em muitos loci Southern blot. UK .

RFP

 FENÓTIPOS,

GENÓTIPOS E FREQÜÊNCIAS GÊNICAS

F=G+A RFP  GENÓTIPO Constituição ou composição genética de um indivíduo  FENÓTIPO Resultado observado da interação do genótipo com fatores ambientais .

Obtenção das freqüências gênicas a partir das freqüências genotípicas Exemplo: A Genética da Resistência ao Vírus da Imunodeficiência Humana Gene: CCR5 .1.

Role of CCR5 in HIV infection Gene CCR5 Albert’s Molecular Biology of the Cell .

Alelo CCR5 – codifica um receptor de citocina Alelo ∆CCR5 – deleção de 32 pares de bases .

821 .0108 1 CCR5 DCCR5 .Determine frequency of the CCR5 gene Observed relative # of people Genotype freq Derived allele freq Genotype CCR5/CCR5 CCR5/DCCR5 DCCR5/DCCR5 Total # of individuals Allele 647 134 7 788 .906 2(788) .168 .906 Freq CCR5 gene= 2(647) + (134) = .

094 1-.094 .168 .0108 CCR5 DCCR5 .094 788 1 Freq DCCR5 gene= 2(7) + (134) 2(788) = .821 .Genotype CCR5/CCR5 CCR5/DCCR5 DCCR5/DCCR5 Observed relative # of people Genotype freq Allele Derived allele freq 647 134 7 .906 .906 = .

094 . Gene CCR5 – 0.Freqüências Gênicas (Alélicas) obtidas das Freqüências Genotípicas.906 Gene ∆ CCR5 – 0.

2. Obtenção das freqüências genotípicas a partir das freqüências gênicas (alélicas) .

RFP  A Lei de Hardy-Weinberg As freqüências gênicas e genotípicas tendem a permanecer em equilíbrio nas populações em panmixia e na ausência de fatores evolucionários .

RFP panmixia – ocorrência de casamentos ao acaso. Fluxo Gênico . Seleção Natural. Deriva Genética. fatores evolucionários – Mutação.

de afetados Equilíbrio de Hardy Weinberg (p + q)2 =p2 + 2pq + q2 = 1 . do alelo normal. de não-portadores Aa 2pq = freq. A q = freq.p = freq. a Três genótipos: p+q=1 AA p2= freq. do mutante. de portadores aa q2 = freq.

Aa e aa são dadas pelos termos da expansão binomial de : (p + q)2 =p2 + 2pq + q2 = 1 .1ª Propriedade da Lei de Hardy-Weinberg: As freqüências dos três genótipos. AA.

se as freqüências alélicas p e q se mantiverem constantes . em equilíbrio.2ª Propriedade da Lei de Hardy-Weinberg: As proporções dos genótipos não mudam de geração para geração: (p + q)2 =p2 + 2pq + q2 = 1 As freqüências genotípicas da população permanecerão constantes.

Frequências genotípicas após uma geração de acasalamento ao acaso SPTZ Óvulo A1(p) p2A1A1 pqA1A 2 A2 (q) pqA1A2 q2A2A2 q Total p q 1 A1 (p) A2 (q) Total p .

Demonstração que as freqüências alélicas (gênicas) não se alteraram de uma geração a outra Nos pais as freqüências alélicas eram p e q e na descendência: p = p2A1A1+ pqA1A2 = p (p+q) = p q = pqA1A2 + q2A2A2 = q (p+q) = q .

906 x 0.Exemplo do gene CCR5 0.094 = 0.094 x 0.094) + (0.906 = 0.170 .009 2pq = (0.094 x 0.094 para o alelo ∆CCR5 p2 = 0.906 x 0.906) = 0.821 q2 = 0.906 para o alelo normal CCR5 0.

821 .906 Freq CCR5 gene= 2(647) + (134) = .Determine frequency of the CCR5 gene Observed relative # of people Genotype freq Derived allele freq Genotype CCR5/CCR5 CCR5/DCCR5 DCCR5/DCCR5 Total # of individuals Allele 647 134 7 788 .906 2(788) .0108 1 CCR5 DCCR5 .168 .

Se o locus tem 3 alelos. q. r A distribuição genotípica pode ser determinada por: (p + q +r)2 . com freqüências p.

RFP  Uso da Lei de Hardy-Weinberg A principal aplicação prática da Lei de HardyWeinberg em Genética Médica é na consulta genética para distúrbios autossômicos recessivos .

.

Risco Populacional? Usando a equação de Hardy-Weinberg p2 + 2pq + q2 = 1 onde p = alelo normal q = alelo para a doença e considerando que p + q = 1 .

000 da população .Exemplo de cálculo • Doença está presente em 1/10.

Exemplo de cálculo • Doença está presente em 1/10.000 da população • q2 = 1/10.000 então q = 1/100 .

Exemplo de cálculo • Doença está presente em 1/10.000 da população • q2 = 1/10.000 então q = 1/100 • p = 99/100 .

000 então q = 1/100 p = 99/100 2 x p x q = 2 x 1 x 1/100 .000 da população q2 = 1/10.Exemplo de cálculo • • • • Doença está presente em 1/10.

000 da população q2 = 1/10.Exemplo de cálculo • • • • • Doença está presente em 1/10.000 então q = 1/100 p = 99/100 2 x p x q = 2 x 1 x 1/100 2pq = 1/50 .

Exemplo de cálculo • • • • • • Doença está presente em 1/10.000 então q = 1/100 p = 99/100 2 x p x q = 2 x 1 x 1/100 2pq = 1/50 1/50 da população é portador do gene .000 da população q2 = 1/10.

000 q = 1/100 (não é a freqüência de p+q=1 p = 1 – q = 1 – 1/100 = 99/100 .PKU = 1/10.000) então: portadores) q2 = 1/10.(p2 + 2pq + q2 = 1) Freqüência observada da doença recessiva na população é q2 (Fenilcetonúria .

000 .Freqüência de portadores (2pq) 2pq = = = = 2 (99/100 x 1/100) 2(~1 x 1/100) 2/100 1/50 Probabilidade de um casal vir a ter uma criança com PKU ( q2) : 1/50 x 1/50 x ¼ = 1/10.

08 p2=.0064 .147 q2= .Genes and Genotype frequencies for X-linked disorders Sex Genotype Phenotype normal Approximate incidence Male X+ p = .92 Xcb Female X+ X+ X+ Xcb Xcb Xcb Color blind normal normal Color blind q = .8464 2pq= .

RFP  Fatores que perturbam o equilíbrio de Hardy-Weinberg Suposições: 1. A população é grande e as reproduções são aleatórias com relação ao locus em questão .

RFP  Fatores que perturbam o equilíbrio de Hardy-Weinberg Exceções à Reprodução Aleatória: 1. Consangüinidade . 3. Casamento Preferencial. Estratificação. 2.

 Inteligência normal .

Heredograma hipotético mostrando o Coeficiente de Consanguinidade (r) .

Heredograma hipotético mostrando o Coeficiente de Endocruzamento (f) .

As freqüências alélicas permanecem constantes com o tempo .RFP  Fatores que perturbam o equilíbrio de Hardy-Weinberg Suposições: 2.

Deriva Genética. Fluxo Gênico . 3.RFP  Fatores que perturbam o equilíbrio de Hardy-Weinberg Exceções à Constância das Freqüências Alélicas: 1. 2. Mutação e Seleção.

Sistemas ABO e MN RFP .

.

PROBLEMAS ESPECIAIS DE IDENTIFICAÇÃO RFP .

PROBLEMAS ESPECIAIS DE IDENTIFICAÇÃO RFP .

.

.

.

Pilotto (2004) .ALELOS DETECTADOS – DNA – PCR/STR – 04F07158 Marcadores VALMOR ARMANDO Cromossomo Y DYS391 11 11 DYS389I 13 13 DYS439 12 12 DYS389II 30 30 DYS438 12 12 DYS437 15 15 DYS19 14 14 DYS392 13 13 DYS393 12 12 DYS390 24 24 DYS385 11 / 14 11 / 14 Compatível com uma mesma linhagem patrilínea. F. R.

3) X/Y 9.0 e 10.0 e 13.0 8.0 6.0 e 14.0 29.0 e 17.0 e 14.0 e 12.80% 25.7123 EXCLUI D13S317 D16S539 D2S1338 D19S433 vWA TPOX D18S51 AMELOGENINA (13q22-31) (16q24-qter) (2q35-37.0 FREQ 28.50% 00.EXCLUSÃO DA IMPUTADA PATERNIDADE Rui Fernando Pilotto (2004) .0 14.0 11.3550 3.7544 EXCLUI 3.0 20.2 10.60% 29.0 e 14.2 17.0 12.0 12.0 17.0 14.40% 00.0 8.00% 16.0 9.00% 13.1) (19q12-13.0 e 12.0 e 17.0 12.0 31.0 12.0 e 14.0 8.90% 15.0 e 14.30% - 3.0 e 18.0 8.0 XY 11.0675 1.0 12.0 e 11.0 8.3557 2.0 e 13.0 e 12.0 10.0 17.ALELOS DETECTADOS – DNA – PCR/STR – 04F07158 Marcador Genético D8S1179 D21S11 D7S820 CSF1PO D3S1358 TH01 Localização Cromossômica (8) (21) (7q11.0 e 14.0 e 33.0 e 6.0 e 9.0 30.1) (12p12p-ter) (2p23-2per) (18q21.3 e 9.0 20.0 XX 9.0 e 23.0 e 17.0 20.0 17.0 e 10.0 24.0 e 12.0 e 24.0 9.0 e 15.00% PI 1.20% 00.0 e 12.0 e 16.0 e 12.0 36.3 AF 13.0 e 12.8248 EXCLUI 3.0 13.0 e 10.00% 27.3333 ÍNDICE DE PATERNIDADE ACUMULADO: NIHIL PROBABILIDADE DE PATERNIDADE: NIHIL CAPACIDADE DE EFICIÊNCIA DOS MARCADORES: EXCLUSÃO RESULTADO: NEGATIVO .0864 3.00% 00.0 XY 29.0 12.0 e 11.5) Posição dos Alelos M 12.0 e 10.0000 EXCLUI EXCLUI 1.0 11.0 e 24.0 e 12.0 9.0 15.0 e 10.20% 32.3 C 13.0 e 30.0 e 24.0 15.7594 - D5S818 FGA (5q21-31) (4q28) 10.0 e 10.00% 00.0 20.0 e 24.0 e 33.0 e 17.21-22) (5q33.0 12.3-34) (3p) (11p15.2 8.0 e 18.00% 1.0 e 17.0 e 12.

30 3.30 Valmor 10.27 não aplicável 8.50* 3.70 3.69 3.80 FREQ.60 1.Locus do DNA D1S7 (MS1)1 D2S44 (YNH24)2 D4S163 (SLI604)1 D5S110 (LH1)2 D6S132 (SLI1090)2 D7S467 (SLI989)1 D10S28 (TBQ7)1 D17S79 (V1)1 Irma 7.18 7.48 4.02 1.27 não aplicável 2.23 2. PAT.48 6.51 1.66 2.88 4.86 1.06 1.18 5.23 3.75 1.51 7.48 1.53 1.00 não aplicável .00 não aplicável Exclusão Exclusão Exclusão 8.52 0.45 3.02 1.96 2.22 7.30 0. % 2.00 IND.50 2.95 2.83 2.50 4.11 2.48 4.22 5.48 5.69 4.74 1.79 1.79 1.52 1.98 3.14 4.80 Armando 10. não aplicável 2.70 4.54 2.40 3.

Parentes em Primeiro Grau 50% 50% 100% 50% .

Parentes em Segundo Grau 25% 25% 25% .

Parentes em Terceiro Grau 12.5% .