You are on page 1of 47

DOENÇAS ERGONÔMICAS

DANIELLA LEMOS ENFERMEIRA DO TRABALHO

ERGONÔMIA
 CIÊNCIA QUE ESTUDA A ADAPTAÇÃO DO POSTO

DE TRABALHO AO HOMEM BEM COMO A FORMA DAS FERRAMENTAS DE ACORDO COM A SUA FUNÇÃO.

ERGONÔMIA
 EXEMPLOS: • FORMATO DE TALHERES E ESCOVAS DE DENTE; • POSICIONAMENTO DOS PEDAIS DOS VEÍCULOS; • FITAS ANTIDERRAPANTES EM DEGRAUS; • ALTURA DE LAVATÓRIOS E SUPERFÍCIES DE TRABALHO.

RISCOS ERGONÔMICOS
 Posturas incorretas;  levantamento e transporte de pesos;  jornada de trabalho prolongada;

 Monotonia e repetitividade;
 Trabalho físico pesado;  Responsabilidades e conflitos;

.DOENÇAS OCUPACIONAIS RELACIONADAS A ERGONOMIA.

bursite.Doenças Ocupacionais • LER – Lesões por Esforços Repetitivos • LTC – Lesões por Traumas Cumulativos • DCO – Doença Cervicobraquial Ocupacional • CTD – Cumulative Trauma Disorders • SSO – Síndrome da Sobrecarga Ocupacional • DORT – Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho • Outras doenças inflamatórias: tendinite. . • Estresse.

ligamentos e tendões. tecidos. músculos. articulações. • É considerado questão de saúde pública mundial por acometer indistintamente trabalhadores de diversas áreas.LER/DORT • Doenças do trabalho provocadas pelo uso inadequado e excessivo (repetitivo ou postura inadequada) dos sistemas que agrupam vasos sanguíneos. ossos. • Provocam alteração nas estruturas osteomusculares. . nervos.

LER  Também podem ser causa de LER atividades esportivas que exijam grande esforço. má postura ou postura incorreta. . compressão mecânica das estruturas dos membros.

DORT  DORT – Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho  É exatamente igual a LER porém identifica exatamente trabalho. a origem do problema: o .

LER/DORT • Historia: • 1700 : Ramazzini .o pai da medicina do trabalho .quando a doença atinge várias profissões que envolvem movimentos repetitivos ou grande imobilização postural. . • 1920 : "doença das tecelãs" • 1965: “doença das lavadeiras" • 1980: Digitalização .a descreve como "doença dos escribas e notórios".

formação de processos inflamatórios locais.T O problema é provocado normalmente por atividades desenvolvidas no trabalho e que exigem um excesso de uso do sistema musculoesquelético.Causas das D. .R.O. 1)Diminuição do aporte sanguíneo à região por Repetitividade e/ou força dos movimentos quanto na atividade estática das estruturas envolvidas 2) Trauma ou micro-trauma .

. Ausência de pausas em tarefas que exigem descanso periódico. Excesso de trabalho. Tensão em casa e no trabalho. Postura rígida.PRINCIPAIS CAUSAS DA DORT/LER :  Organização da produção  Procedimentos rígidos de      Concepção de     equipamentos Ambiente físico Contrato de trabalho Concepção de ferramentas Organização do trabalho trabalho.

 sensação de formigamento.  fadiga muscular. .Sintomas  A DORT se manifesta clinicamente por um sintoma subjetivo e peculiar a cada indivíduo que é a DOR.  dormência.

nos membros superiores:  Grupo 1: Transtornos Funcionais leve: Os sintomas.Classificação LER/DORT A ler/dort subdividem-se em cinco grupos. . a dor é de pouca intensidade e intermitente e não prejudica a função das extremidades superiores. O trabalhador não tem dificuldades superiores nas tarefas desenvolvida no Dia-a-Dia.

dor. desvios dos eixos ósseos. evidencia anomalia verdadeira. entre outros são importantes. . porém não grave. transtornos circulatórios a capacidade de esforço contínua por um período limitado. porém não são graves. como a diminuição de força. a função da extremidade superior continuam sendo satisfatória. adormecimento.Classificação LER/DORT  Grupo 2: Transtorno Funcionais Moderados: Os incômodos. moderada limitação dos movimentos articulares. Dor à mobilização.

Diminuindo o ritmo de trabalho e os movimentos repetitivos. incômodo e incapacidade devido a perda de massa muscular deformações.Classificação LER/DORT  Grupo 3: Transtorno Funcionais Médios: São definidos os sintomas. dor. . diminuição de força muscular. limitações da mobilidade articular. O trabalhador pode efetuar esforços de média intensidade.

Classificação LER/DORT  Grupo 4: Transtornos Funcionais Importantes. Com restrições para desenvolver suas tarefas diárias. permanente para os movimentos das extremidades superiores. ocorrendo assim as atrofias. anquilose ou intensa rigidez de uma ou de várias articulações como: Ombro. Os transtornos funcionais. diminuição de força dor espontânea alterações sensitivas de fraqueza. . cansaço perda da sensibilidade. Cotovelo. os exames diagnósticos mostram graves anomalias. Clavícula. Com as mãos. É grave.

perda de força levando à cirurgia por processo inflamatório a capacidade de esforços esta totalmente diminuída. . Porém devido sua autonomia reduzida precisa de ajuda de um outro para realizar determinadas atividades.Classificação LER/DORT • Grupo 5 : Transtornos Funcionais Grave: O trabalhador apresenta múltiplas limitações articulares sinais inflamatório. Lista de Doença do Sistema: Osteomuscular do tecido conjuntivo relacionadas ao trabalho de acordo com a portaria/MS nº 1339/1999.

DIAGNÓSTICO  Exames complementares  Imagem  RX  RNM  Cintilografia  ENMG (STC)  Outros: Hemograma. Bioquímica .

DIFICULDADES DO SISTEMA  Falta de diagnóstico adequado. tanto clínico como exames complementares. principalmente fisioterápico.  Falta de tratamento adequado. .  Falta de conhecimento do médico do trabalho que falha na análise das circunstâncias que levaram o indivíduo a apresentar este quadro.

Prevenção D.T Organização do Trabalho (função da relação entre o homem e a máquina) ERGONOMIA .O.R.

• Falta de flexibilidade de tempo e ritmo. • Excesso de movimentos. • Exigência de produtividade.Mudanças nas características relacionadas à • Repetitividade. • Falta de canais de diálogo entre trabalhadores e empresa. . • Pressão de chefias para manter a produtividade • Mobiliários e equipamentos inadequados.

exercícios de  relaxamento muscular.  Atenção a posturas de trabalho e de  repouso.  Práticas esportivas. .  Acompanhamento médico anual.AÇÕES DE PREVENÇÃO  Ginástica Laboral .

O. e orientá-lo a procurar logo o auxílio.Ações para D.  Propiciar aos médicos que atendem aos trabalhadores um diálogo com a empresa nos casos que houver  necessidade de mudar as características do posto de trabalho. .T  Incentivar o trabalhador a prestar atenção em sintomas e limitações.R. mesmo que pequenas.

T  Propiciar aos médicos reciclagem para que possam atender adequadamente o trabalhador.  Ter uma atitude de amparo ao trabalhador com D.  Ter uma política de prevenção.O. .T tanto em relação ao tratamento quanto em relação a reabilitação.R. para que se evite o adoecimento de mais trabalhadores.R.O.Ações para D.

• Metalúrgicos. • Caixas de Bancos e Supermercados. As DORT/LER se manifestam com maior freqüência nas mulheres. . • Operadores de Máquinas em Geral.MAIOR INCIDÊNCIA ENTRE • Digitadores. • Separadores de Correspondências. • Atendentes de Telemarketing. • Empacotadores. em decorrência da dupla jornada de trabalho.

COMPLICAÇÕES DA DORT/LER :  Dor crônica.  Comprometem o ritmo do sono e o apetite.  Alterações psicológicas: Provocadas pelo medo da incapacidade e preocupações com perdas materiais e sociais. .

O termo Tendinite. com . abrange tudo e qualquer processo inflamatório dos tendões. com o seu degeneração tecidual. que acomete o tecido sinoviais e articulares.Doenças Inflamatórias • Sinovite – É a inflamação dos tecidos sinoviais. quando não tem é chamado Tendinite. intermusculares ou peritendisosos. em qualquer local do corpo. poliais e. ou sem degeneração de suas fibras. • Tendinites: São inflamações do tecido próprio dos tendões.locais em que a direção da força da ampliação é mudada esse termo é utilizado para os processos inflamatórios. • Tenossinovite – É a inflamação dos tecidos sinoviais que envolvem os tendões em sua passagem por túneis osteofibrosos. em qualquer local do corpo. Quando o músculo atingido possuem uma cobertura ou bainha sinovial.damos o nome de tenossinovite e.

Doenças Inflamatórias • Fascite – São inflamações de fáscias e de ligamento com ou sem degeneração de suas fibras. • Músculo: Tendinosa – É mais encontrada em nossos trabalhadores. ou com irradiação para o membro superior. . agrava-se pela acentuação muscular e é uma das disfusa. • Nevralgia: Localiza-se na distribuição dos nervos periféricos ou raízes nervosas. pode ser acompanhado de adormecimento pode ser generalizada pelo corpo. Localiza-se sobre os músculos ou tendões. Usamos estes termos para todo e qualquer processo inflamatório que atinja qualquer ligamento ou fáscia em qualquer lugar do corpo.

Na grande maioria dos casos em alguns meses o paciente esta livre do sofrimento que é estar privado de ter seus movimentos. • A mais comum é a inflamação do ombro: bursite do ombro. toda vez que a bolsa é contraída numa posição que a irrite. • A dor é sentida sempre no mesmo lugar. a bursite responde muito bem ao tratamento com acupuntura ( com ou sem agulhas . A bursite pode tornar-se mais dolorosa. • Como os outros tipos de lesões por esforço repetitivo. conforme o problema se agrava. designando a inflamação das bursas (bolsas serosas que existem nas articulações do nosso corpo).Doenças Inflamatórias • BURSITE: palavra que deriva do latim (bursa = bolsa) e do grego (ite = inflamação ).com raios laser). .

• A maior queixa do trabalhador e a dor. diminuição de força sensação de peso. Digitação com punho e antebraço apoiado posto de trabalho inadequado.Doenças Inflamatórias • Sinovites e tenossinovites não Especificadas: • São vários quadros que aparecem com diagnóstico específico definido o local da lesão identificado Tendinite ou -tenossinovite-de extensor radical de carpo. . desconforto no membro afetado. com desvios ulnar ou radial ou dorso flexão. horas extras e pausa inadequadas. intensificação de ritmo de trabalho e a pressão exercida na busca pela produtividade.(tenossinovite ocupacional). • Estas Tendinites ou tenossinovites estão associadas a exposições ocupacionais com movimentos repetitivos de mãos e dedos. de extensor comum de dedos . São determinantes no sofrimento dessas doença.pronação ou supinação de punho.

CUIDADO!!!  Não existe mobiliário ergonômico que seja comum a todas as pessoas.  Trabalhar com tala piora a DORT/LER. .  Operar o punho ou braço é paliativo.

• Sentar a 90° é prejudicial à coluna. . Prejudicam o estômago. • Utilizar a mão para puxar o pescoço pode ocasionar lesões.CUIDADO!!! • Anti-inflamatórios usuais só têm alcance para problemas de tendinite (inflamações de pequeno porte). A cadeira deve estar ligeiramente inclinada para trás. • Compressas/Banhos quentes ajudam a tirar a dor.

 Os fatores psicológicos no trabalho e fora dele têm muita influência no aparecimento de DORT/LER. .CONCLUSÕES  O cadenciamento das atividades do teclado/mouse no computador é fundamental para a prevenção da DORT/LER.

na medida que depende da compreensão individual.Estresse  Estresse – estado emocional causado pela discrepância entre o grau de exigência do trabalho e os recursos disponíveis para gerenciá-lo. . sendo que é subjetivo.

• Insatisfação causada pela carga de trabalho. • Falta de apoio e reconhecimento dos • superiores. .FATORES ESTRESSANTES • Falta de supervisão e vigilância causando • sobrecarga emocional. sem o conhecimento do • grau de participação dos trabalhadores na • produção.

. Ambiente físico com ruído. determinadas pela carga e • • • • prazo de realização de tarefas. espaço físico inadequado. tornando-o monótono. Grau de complexidade do trabalho muito baixo.FATORES ESTRESSANTES • Exigências de trabalho. Falta de estabilidade no emprego. ou muito alto com exigência excessiva. clima. iluminação deficiente. Sobrecarga mental causada por responsabilidade excessiva pela vida e pelo bem-estar dos outros.

Burnout = em português significa: “perder fogo” / “perder energia” .SÍNDROME DE BOURNOUT  Trata-se de um problema.  A síndrome é definida por Malach e Jackson (1981) como uma reação à tensão emocional crônica gerada a partir do contato direto e excessivo com outros seres humanos. uma síndrome que afeta principalmente os trabalhadores encarregados de cuidar. Profissionais da área de serviços quando em contato direto com seus usuários.

 Profissionais mais susceptíveis:  Profissionais da Educação. . de forma que as coisas já não importam mais e qualquer esforço lhe parece ser inútil.  Saúde  Policiais e agentes penitenciários  Caixas de banco.SÍNDROME DE BOURNOUT  É uma síndrome através da qual o trabalhador perde o sentido da sua relação com o trabalho.

SÍNDROME DE BOURNOUT  A síndrome é entendida como um conceito MULTIDIMENSIONAL que envolve TRÊS Componentes:  Exaustão Emocional.  Despersonalização  Baixa Produtividade. .

com erros e sinistros.  DESPERSONALIZAÇÃO – endurecimentos afetivo.  BAIXA PRODUTIVIDADE – Evolução do próprio trabalho de forma negativa.SÍNDROME DE BOURNOUT  EXAUSTÃO EMOCIONAL – situação em que os trabalhadores sentem que não podem dar mais de si a nível afetivo. “coisificação” da relação desenvolvimento de sentimentos e atitudes negativas e de cinismo às pessoas destinatárias do trabalho (usuários/clientes). Percebem esgotada a energia e os recursos emocionais próprios. .

 Dores de cabeça. musculares e articulares. .  Insônia  Perda de Peso  Ulceras e desordens gastrointestinais.SÍNDROME DE BOURNOUT  Sintomas:  Psicossomáticos:  Fadiga Crônica.

 Aborrecimentos.SÍNDROME DE BOURNOUT  Emocionais:  Irritabilidade.  Impaciência  Desorientação.  Depressão.  Distanciamento Efetivo.  Frustração.  Ansiedade generalizada e focalizada no trabalho. .

 Choro inespecifico.  Abuso de drogas (incluindo café)  Relaçao interpessoal distante e fria.SÍNDROME DE BOURNOUT  Sintomas de Condutas:  Absenteismo laboral.  Dificuldade de concentração e baixa produtividade.  Comportamentos de alto risco. .  Tom de voz elevado.

Baixa expectativa do trabalho.Desencadeantes de Bournaut  Sobrecarga      de trabalho e/ou ocupação desestimulante. Pouca ou nenhuma participação nas tomadas de decisão. Perda de identificação com o que se realiza. . Falta de meios para realizar as tarefas. Excessiva burocracia.

. .  Grupal – favorecer os vínculos no ambiente de trabalho  Organizacional – Mudança na estrutura organizacional.SÍNDROME DE BOURNOUT  Tratamento:  Individual – retirar fontes de estresses. descanso entre as jornadas..

FIM .