You are on page 1of 12

PAULO REGLUS NEVES FREIRE

PEDAGOGIA LIBERTADORA “Aos esfarrapados do mundo e aos que neles se descobrem e assim descobrindo-se. com eles sofrem. mas sobre tudo com eles lutam” Paulo Freire .

do Recife Exílio Político: Bolívia.BIOGRAFIA             Nasceu em 19/set/1921 Recife – Pernambuco 1947-54: Diretor do setor de Educação e cultura SESI 1956: Membro do Conselho Consultivo de Educação do Recife Diretor da Divisão de Cultura e Recreação do Departamento de Documentação e Cultura da Prefeitura Municipal do Recife 1958: Autor de Relatório na Comissão Regional de Pernambuco 1959: Título de Doutor em Filosofia e História da Educação Inicio anos 60 Fundou o M. Foi Prof UNICAMP Em 19/jan/89 foi Secretário Municipal da Educação Faleceu em 02/mai/1997 . Chile (1964-69).P. Neste período escreveu o livro “Pedagogia do Oprimido” 1969 a 1970: aulas em Harvard (Prof.C. Convidado) Volta ao Brasil em 79.

é um ato de comunhão entre os homens. o diálogo que consiste em comunicar o mundo.PEDAGOGIA LIBERTADORA? “Ninguém educa ninguém. . Educar é um ato de amor.”  “É a preparação dos indivíduos para a vivência plena da liberdade. ninguém se educa sozinho.”  Ela é caracterizada por um elemento fundamental.

pela fadiga e pelo cansaço não conseguem mais gerar o lucro dos patrões e. procura resgatar a dignidade daqueles que durante toda a vida construíram a riqueza de uma nação. e pelo preconceito.EDUCAÇÃO PARA JOVENS E ADULTOS A alfabetização de adultos. por isso são considerados descartáveis. .

EDUCAÇÃO BANCÁRIA  A concepção “bancária” da educação como forma de opressão  A concepção problematizadora da educação como forma de libertação .

SÃO MATRIZES NECESSÁRIAS PARA CONQUISTAR OU CHEGAR À PRÁXIS ATRAVÉS DO DIÁLOGO  O AMOR. .  A CONFIANÇA.  A FÉ.  A CRITICIDADE.  A ESPERANÇA.  A HUMILDADE.

requer um professor problematizador da realidade. .  Ser utópico. necessidade ontológica do ser humano. (Freire)  A pedagogia do oprimido tem por base o diálogo. é uma exigência ontológica do ser humano. realizada pelo povo. uma exigência humana. (A revolução que deve ocorrer é uma grande ação cultural para a liberdade.CONTRIBUIÇÕES PARA A EDUCAÇÃO  Críticas das formas educativas atuais: consciência crítica enquanto conhecimento e práxis de classe.  Relação dialógica e dialética entre professor e aluno a proposta centralizase na dimensão do conhecimento.  A revolução é um processo político pedagógico de transfomação.  A revolução necessária para a transformação social que não considera o amor. apenas substituirá o opressor – o oprimido passa a ser o opressor. que requer reconstrução do poder em novas formas de relação. pois trata-se da pedagogia da pergunta que requer diretividade.  Na escola formal. também.

“Esta foi sua luta e.” . é esta a sua lição.

um conhecimento do mundo.CONCLUSÃO Concluímos que Paulo Freire enfatizou o ato pedagógico. mas criar dialogicamente. isto é. . como uma ação que não consiste em comunicar o mundo. o diálogo leva o homem a se comunicar com a realidade e a aprofundar a sua tomada de consciência sobre a mesma até perceber qual será sua práxis na realidade opressora para desnudá-la e transformá-la.

sacrahome. Paz e Terra. 14ª Ed.com.abril. Rio de Janeiro.Bibliografia Educação como prática da liberdade.br .com.br http://destaquein.net/node/348 http://revistaescola.espacoacademico. 1993 www.

Filho Daiane Chagas Daiane Laurindo Kelly Matheus da Silva Marcia Divina de Lima Silva  Marcia Maria Heleno .Participaram deste trabalho:  Airto Alves de A.