GRANDES PERSONAGENS PRECURSORES DA GEOLOGIA

Nicolaus Steno (1638-1686)
HORIZONTALIDADE ORIGINAL PRINCÍPIO DA SUPERPOSIÇÃO CONTINUIDADE LATERAL PRINCÍPIO DA CORRELAÇÃO

Abraham G. Werner (1749-1817)

primeira cronologia geológica formal CAUSAS NATURAIS RELAÇÕES DISCORDANTES TEMPO PROFUNDO

James Hutton (1726-1797) William Smith (1769-1839)
PRINCÍPIO DA SUCESSÃO FAUNÍSTICA CORRELAÇÃO (BIO)ESTRATIGRÁFICA

Charles Lyell (1797-1875)

UNIFORMITARISMO / ATUALISMO

Hutton observou que as rochas são quebradas em partículas menores

Observou que essas partículas de rochas foram carreadas rio abaixo.

Hutton observou que com o tempo, novas rochas seriam soerguidas, criando novas formas de relevo, e que o ciclo recomeçaria.

Viu que as partículas são depositadas e formam novas camadas de sedimentos. Previu que esses depósitos irão formar novas rochas com o tempo.

GRANDES PERSONAGENS PRECURSORES DA GEOLOGIA
Nicolaus Steno (1638-1686)
HORIZONTALIDADE ORIGINAL PRINCÍPIO DA SUPERPOSIÇÃO CONTINUIDADE LATERAL PRINCÍPIO DA CORRELAÇÃO

Abraham G. Werner (1749-1817)

primeira cronologia geológica formal CAUSAS NATURAIS RELAÇÕES DISCORDANTES TEMPO PROFUNDO

James Hutton (1726-1797) William Smith (1769-1839)
PRINCÍPIO DA SUCESSÃO FAUNÍSTICA CORRELAÇÃO (BIO)ESTRATIGRÁFICA

Charles Lyell (1797-1875)

UNIFORMITARISMO / ATUALISMO

“Há uma ordem e regularidade maravilhosa com que a natureza dispôs os fósseis designando a cada estrato uma associação particular” Smith . Smith . .predição de jazimento. marcas características indicando a idade dos estratos.desenvolveu o princípio da correlação estratigráfica .cada período geológico devia ter deixado traços específicos nas rochas. Idéias de Smith: .cunhou o termo estratigrafia.

As mesmas formações que eram observadas no sul da Inglaterra. .. se estendiam pelo norte do país e na mesma ordem. assim.Sedimentos de cada época geológica continham seus fósseis específicos. .Formulação do princípio da sucessão biológica. Podia-se. . acompanhar uma formação mesmo quando desaparecia provisoriamente.

Distribuição de alguns fósseis Fósseis também podem ser usados para interpretar e descrever ambientes antigos Mais Nova Mais Velha Tempo Camada A Camada B . Então. qualquer período pode ser reconhecido por seu conteúdo fossilífero. são limitados a um curto tempo geológico e ocorrem em abundância. FÓSSEIS ÍNDICE são geograficamente difundidos.PRINCÍPIO DE SUCESSÃO FÓSSIL Os organismos fósseis se sucedem um ao outro em uma ordem definida e determinável.

o que permitia uma correlação (bio)estratigráfica entre seções separadas por grandes distâncias. .Cada sistema apresentava fósseis característicos.

A B C .

GRANDES PERSONAGENS PRECURSORES DA GEOLOGIA Nicolaus Steno (1638-1686) HORIZONTALIDADE ORIGINAL PRINCÍPIO DA SUPERPOSIÇÃO CONTINUIDADE LATERAL PRINCÍPIO DA CORRELAÇÃO Abraham G. Werner (1749-1817) primeira cronologia geológica formal CAUSAS NATURAIS RELAÇÕES DISCORDANTES TEMPO PROFUNDO James Hutton (1726-1797) William Smith (1769-1839) PRINCÍPIO DA SUCESSÃO FAUNÍSTICA CORRELAÇÃO (BIO)ESTRATIGRÁFICA Charles Lyell (1797-1875) UNIFORMITARISMO / ATUALISMO .

cor  ou uma combinação destas feições O plano de acamamento significa  uma rápida mudança na sedimentação  ou talvez um período de não-deposição    .RELAÇÕES ESTRATIGRÁFICAS VERTICAIS • Superfícies chamadas de planos de acamamento – separam estratos individuais ou um pacote de estratos verticalmente  de um tipo de rocha a outro Rochas acima e abaixo de um plano de acamamento diferem  em composição. texture.

RELAÇÕES LATERAIS • Em 1669. até o desaparecimento – Os desaparecimentos podem ser abruptos • na borda de uma bacia deposicional   onde eles são erodidos onde eles são truncados por falhas . – que significa que as camadas de sedimentos se estendem lateralmente – em todas as direções. Nicolas Steno propôs – o principio da continuidade lateral.

 chamada de interdigitação  onde uma unidade de rocha muda  por gradação lateral  sua composição e / ou textura  tornam-se cada vez mais diferentes  .TERMINAÇÕES GRADUAIS – ou podem ser graduais • onde uma unidade de rocha • se torna progressivamente mais fina • até desaparecer ou onde ela se divide em  unidades mais finas  cada uma das quais desaparecem.

• • Lateralmente são separadas por contatos laterais do tipo: em cunha • interdigitado • gradacional .

RELAÇÕES ESTRATIGRÁFICAS ENTRE OS ESTRATOS Intercalações Arenito Grosso Contatos Verticais Graduais Folhelho arenoso Folhelho Contatos Verticais Abruptos Gradação lateral Calcáreo Interdigitação Arenito Cunha Unidades Lateralmente Discontínuas Unidades Lateralmente Contínuas .

.

PRINCÍPIO DAS RELAÇÕES ESTRUTURAIS Uma falha é mais jovem do que as camadas que ela corta .

Princípio das Inclusões O Batólito é mais novo que o arenito porque o arenito foi em parte “cozido” no seu contato com o Granito e o Granito contém Inclusões de arenito Zona cozida Inclusões do Granito no arenito – indicando que o Batólito foi fonte para o arenito e portanto é mais velho .

e biologicos – depositado lado a lado – com outros sedimentos – em ambientes diferentes .FACIES SEDIMENTARES • Tanto a interdigitação quanto a gradação lateral – indicam deposição simultânea – em ambientes adjacentes • Facies sedimentar é um corpo de sedimentar – com distintos atributos – físicos. químicos.

a areia pode se acumular – Num ambiente de alta energia na zona costeira Ambientes de Alta Energia Transporte de sedimentos para a linha de costa Próximo da costa / Proximais Ambientes de Baixa Energia Longe da costa / Distais Facies arenosa Facies lamosa Facies carbonátic a    onde a deposição de lama e de carbonato ocorre ao mesmo tempo em ambientes de baixa energia no mar .FACIES SEDIMENTARES • Em uma plataforma continental.

– a linha de costa migra para o continente – os ambientes paralelos à costa – migram em direção ao continente com o mar cobrindo progressivamente – mais e mais o continente .Transgressões Marinhas • As transgressões marinhas – ocorrem quando o nível do mar se eleva – em relação ao continente • Durante uma transgressão marinha.

– as facies formadas no mar – Se tornam superpostas – às facies depositadas – em ambientes costeiros .TRANSGRESSÕES MARINHAS • Cada ambiente deposicional lateralmente adjacente – produz uma fácies sedimentar • Durante uma transgressão.

por isso é transgressiva no tempo folhelho +  significando que as idades variam de local para local novo folhelho + velho .TRANSGRESSÕES MARINHAS • As rochas de cada fácies se tornam cada mais jovens – em direção ao continente durante uma transgressão marinha  Um corpo de rocha com os mesmos atributos  (uma fácies) foi depositada gradualmente em ≠ épocas e  em lugares diferentes.

REGRESSÃO MARINHA • Durante uma regressão marinha. – O nível do mar cai – em relação – ao continente   e os ambientes paralelos à costa migram para o mar .

REGRESSÃO MARINHA  A regressão marinha  é o oposto da transgressão marinha com facies costeiras sobrejacente a facies marinhas folhelho e as unidades de rocha se tornam mais jovens + velho em direção ao mar.  Ela produz uma seqüência vertical     folhelho + novo .

Facies de folhelho Facies carbonática Facies arenosa (a) (e) (b) (f) (c) Seqüência Vertical de facies – resultado de uma Transgressão marinha (g) Seqüência Vertical de facies – resultado de uma Regressão marinha (d) (h) .

Lei de Walther • Johannes Walther (1860-1937) observou que – as mesmas facies encontradas lateralmente – também estavam presentes na sequência vertical. – é a chamada Lei de Walther Que afirma que  facies vistas numa sequência vertical linhas de  irão também substituir tempo lateralmente uma outra A lei de Walther se aplica  para marinhas transgressões e regressões   superfície continental antiga .

– deslocando a água do mar para o continente • Diminuindo a taxa de expansão do assoalho marinho – aumenta o volume das bacias oceânicas – e causa regressão .CAUSAS DE TRANSGRESSÕES E REGRESSÕES • Soerguimento dos continentes causam regressão • Subsidência causa transgressão • Glaciação generalizada causa regressão – por causa da quantidade de água congelada nas geleiras • Rápida expansão do assoalho marinho. – expande o sistema da dorsal meso-oceânica.

Nomes – conotação geográfica. Cada sistema era designado por um nome alusivo a alguma feição da região onde havia sido definido. etc. geológica.Cada sistema apresentava fósseis característicos. cultural. .

Triássico: três sucessões litologicamente bem distintas . Permiano: cidade de Perm. Jurássico: dos Montes Jura na Europa. Carbonífero: referência ao rico conteúdo em carvão. na Rússia.Cambriano: antigo nome romano para Inglaterra.

Taxas e intensidades de processos geológicos pode ter mudado ao longo do tempo . Para interpretar os eventos geológicos a partir de evidências preservadas em rochas devemos primeiro compreender os processos atuais e seus resultados. As leis físicas e químicas da natureza permaneceram os mesmos ao longo do tempo .UNIFORMITARISMO É uma teoria fundamental da geologia e está baseada na premissa de que os processos atuais têm operado ao longo do tempo geológico .

UNIFORMITARISMO DUNA RECENTE DEPÓSITOS EÓLICOS PALEOZÓICOS .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful