Adolfo Guimarães Daniela Corumba Flávio Silva Juliana Neiva Wagner Silva Wolney Mello

Introdução Trabalhos

Relacionados Metodologias PETIC Estudo de Caso Conclusões Agradecimentos Referências

Dinamicidade

globalização. Inovações contínuas de tecnologias. Grande quantidade de informações que trafegam rapidamente. Informação e conhecimento representam patrimônios cada vez mais valiosos. A Tecnologia da Informação (TI)

proporcionada pela

“Por

50 anos, a TI tem se concentrado em dados (coleta, armazenamento, transmissão, apresentação) e focalizado apenas o T da TI. As novas revoluções da informação focalizam o I, ao questionar o significado e a finalidade da informação. Isto está conduzindo rapidamente à redefinição das tarefas a serem executadas com o auxilio da

Tinha-se

a informação, mas ela não estava contribuindo em grande escala para a inteligência organizacional. Fez-se necessária também a criação de ferramentas computacionais capazes de auxiliar o processo de comunicação. A TI e a Comunicação passaram a ser processos dependentes um do

PDSI PDTIC

 Definição

• Conjunto

estruturado de ações integradas, devidamente especificadas, quantificadas, distribuídas no tempo e valoradas, contendo os recursos e fatores envolvidos, com o OBJETIVO de direcionar as implementações e usos de TI’s de uma empresa, visando sanar suas necessidades operacionais, contemplar suas possibilidades de apoio à gestão e explorar suas potencialidades estratégicas, no sentido de maximizar seus resultados. (TIBIRICA, 2001)

 Preocupa-se

somente com os sistemas de informação para automatizar tarefas e os

Comprovação de CUSTO X BENEFÍCIO

Recursos Necessários

+

Etapa/Sequência

+

Tempo

PDSI

Objetivos Etapas/Sequên cia Orçamento Cronograma

Trabalhos • O PDSI Planejamento Estratégico de Sistemas de Informações Utilizando a Reengenharia de Processos Jorge Luis Cordenonsi, 1994 • METODOLOGIA Metodologia para elaboração de plano diretor de sistemas de informação Marília Bigonha Tibiriçá

Mesmas

premissas do Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI). PDTI é semelhante ao PDSI. Apesar do PDTIC possuir seu acrônimo atualizado, não foi encontrada nenhuma referência para explicar a adição da comunicação nem ao menos mudanças no conceito

BSC SWOT CobiT ITIL

O BSC é um sistema de avaliação de desempenho empresarial, ele complementa as medições financeiras com avaliações sobre o cliente, identificando os processos internos que devem ser aprimorados e analisando as possibilidades de aprendizado e crescimento. As Quatro Perspectivas:
• • • •

Financeira Cliente Processos Internos Aprendizado e Crescimento

Balanced Scorecard (BSC) contribui significativamente para que a organização tenha a habilidade de traduzir sua estratégia em ações e em acompanhar os resultados destas ações.

Framework

de auxílio ao planejamento estratégico Análise da posição estratégica da empresa no ambiente em questão Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats

Resultado

• Metas de melhoria de pontos fracos

considerados prioritários • Metas de aproveitamento de oportunidades • Ações a serem tomadas para evitar os efeitos de eventuais ameaças.
Base

para o planejamento anual de atividades da organização.

Control

Objectives for Information and related Technology Guia para governança de TI recomendado pela ISACA Auxílio no gerenciamento e no controle das iniciativas de TIC.

34

Processos 5 níveis de maturidade Características principais
• foco no negócio • base em controles • direcionamento à medição • orientação ao processo

A

ITIL (Information Technology Infrastructure Library), consiste em um número claro de “Código de Práticas” para promover e fornecer serviços em TI de forma eficiente e eficaz. melhores práticas da ITIL têm como objetivos:
conseguiram resultados positivos; • Sugerir para que servem os processos e práticas; • Sugerir por que adotar os processos e práticas.

 As

• Servir de inspiração para melhorar seus processos de TI; • Sugerir onde é possível chegar, pois outras empresas já

A

ITIL é um conjunto de melhores práticas, flexíveis a ponto de você adaptar aos seus processos.

Definição Estrutura

do Petic

• Pessoas • Hardware • Software • Dados • Telecomunicação

Planejamento

Estratégico da

SEFAZ/SE Dados Hardware Pessoas Software Comunicação

 Referência

nacional e internacional com reconhecimento inclusive do PID graças à eficiente prestação de serviço aos cidadãos sergipanos, pela implementação de sistemas tecnológicos gerenciais eficazes e aplicação adequada de recursos.  “Promover a otimização das receitas do Estado e o equilíbrio das finanças públicas, aprimorando os mecanismos gerenciais, normativos, operacionais e tecnológicos, em busca do

Alinhado ao PE do governo do estado de Sergipe.  Metodologia utilizada: Balanced ScoreCard (BSC)  Promovidos encontros com o objetivo de realizar um levantamento inicial dos problemas enfrentados e suas possíveis soluções.  Foram abordados temas ligados à infra-estrutura, tecnologia da informação, gestão, recursos humanos, legislação, etc  Superintendentes, Gerentes e Subgerentes avaliaram as informações levantadas nos primeiros encontros. A idéia foi consolidar o plano de ação e estabelecer as estratégias;

Regularizar as Finanças Públicas do Estado de Sergipe com efetivo Ajuste Fiscal e da Previdência;  Promover a Modernização Administrativa e Tecnológica da SEFAZ;  Melhorar o Sistema de Fiscalização e Arrecadação;  Aprimorar o Gerenciamento da Despesa Pública do Estado de Sergipe;  Valorizar permanentemente o Servidor Fazendário;  Desenvolver as Políticas de Comunicação Institucional e Atendimento ao Cidadão.

Cenário

atual

• SGBD – Oracle • Servidores de BD – 3 1 deles é clusterizado • As pessoas responsáveis pelo banco de

dados foram remanejadas da sub-gerência de suporte para a sub-gerência de desenvolvimento, para que estes estivessem diretamente ligados aos sistemas que o utilizam. Assim, as necessidades são resolvidas mais rapidamente.

• Havia um sistema de data warehouse

desenvolvido internamente sob a linguagem DELPHI, porém para atender à política de migração dos sistemas desktop para web, este tivera que ser migrado para o Business Object (em JAVA) comprado de uma empresa do Rio de Janeiro. A migração ocorrera tranquilamente, pois ambos utilizam-se de bases de dados idênticas. • Há problemas de sobrecarga em situações onde, por exemplo, são requeridas atualizações de dados e declarações pelos contribuintes.

Cenário

desejado

• Implementação de banco de dados livre. Redução de custos. Ex: Banco do Brasil • Implantação de servidor espelho. Previne o extravio de dados decorrentes de problemas no servidor.

Cenário

Atual

• 5 servidores de aplicação • 3 servidores de bancos de dados • 7 servidores proxy • 80 Notebooks • Diversos desktops • 300 máquinas defasadas

Aquisição:

• Licitações  ComprasNet • Registro de preço • Padrões de máquinas determinados

pelo governo do Estado.
O que acontece quando se necessita de máquinas que não se encaixam nesses padrões?

Aquisição:

• Setores privilegiados: Postos, CEACS e setor

de TI • Máquinas novas são testadas por amostragem • Máquinas defasadas são guardadas no almoxarifado

Suporte

• Solicitações feitas ao Help Desk • 11 técnicos • Em último caso, os equipamentos serão

enviados para o fornecedor

Cenário

Desejado

• Substituição das máquinas defasadas,

principalmente as do setor operacional • Contratação de profissionais com conhecimento avançado de suporte • Virtualizar mais servidores

GESTÃO

DE PESSOAS

• Funções existentes e seus níveis • Conhecimento/Habilidade • Integração • Avaliação de desempenho

Estrutura

Funcional

Estrutura

Funcional

Estrutura

Funcional

Quadro

• 80 profissionais na área de Sistemas • 30 profissionais na área de Suporte

Forma

de Contratação

• Funcionários Terceirizados

(primeiro contrato em 1992) • 90% do quadro • Engetis • Parceria SEFAZ/SergipeTec • Empresas do SergipeTec • Distribuição

Capacitação

e Treinamento

• Escola Fazendária • De acordo com as necessidades do

SergipeTec e da SEFAZ • Treinamento de usuários (HelpDesk) • Treinamento e Capacitação da equipe
Ergonomia

SOFTWARE

UTILIZADO

• Notes • HelpDesk • WebLogic e Jboss • Symantec Npersistent • Windows XP, Vista e Linux • Eclipse e IWP • Novas tecnologias

FASES

DE DESENVOLVIMENTO

SOFTWARE

• Desenvolvimento • Homologação • Treinamento • Produção

DESENVOLVIDO

• fiscalização de combustíveis • nota fiscal eletrônica • SINTEGRA (Sistema Integrado de

Informações sobre Operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços)

Cenário

atual

• Link de Internet: 2Mb 1Mb para os CEACs 512Kb para o setor de TI 256Kb para a área operacional • 7 proxies • Gerentes e suporte recebem celulares

Softwares

• IBM Notes

Softwares

- Monitoramento

• Nagios • Cacti

Cenário

desejado

• Aumento de banda do link de Internet Timeouts constantes • Disponibilização de serviço de internet

móvel
Tecnologia 3G

• Desenvolvimento de aplicações com acesso

via celular

Constatamos

um planejamento já

desenvolvido Tal instrumento mostrou-se muito importante O guia PETIC foi de grande ajuda na análise

SEFAZ/SE

• Cláudio Andrade – Gerente de Projeto • Emerson - Suporte

       

Governo do Estado de Sergipe. Planejamento Estratégico 2007-2010. JusBrasil. Governo do Tocantins visita Sergipe para conhecer sistemas tecnológicos gerenciais da Sefaz. SEFAZ/SE. Governo realiza oficina de elaboração do planejamento estratégico. SEFAZ/SE. SEFAZ encerra 1ª etapa do Planejamento Estratégico 2007-2010. http://pt.shvoong.com/books/1630959-livropdtic-plano-diretor-tecnologia/ www.iesacre.edu.br/dmdocuments/pdi.doc 189.26.255.18/download/ADM/produtos/p_PLANO%20D IRETOR%20DE%20INFORMÁTICA.doc SILVA, R. V. da; NEVES, Ana. Gestão de Empresas na Era do Conhecimento. Lisboa: Serinews Editora, 2003.

BEAL, A. Gestão Estratégica da Informação: Como Transformar a Informação e a Tecnologia da Informação em Fatores de Crescimento e de Alto Desempenho nas Organizações. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2004. v. 1. 144 p. SILVA, W. A. PETI: Guia para o PETIC. Disponível em: < http://www.scribd.com/doc/6333388/PlanejamentoEstrategico-de-Tecnologia-da-Informacao > SILVA, W. A. PETI: Concepção de um Planejamento Estratégico de TIC no CPD da Universidade Federal de Sergipe. Disponível em: < http://www.scribd.com/doc/14808779/Concepcao-de-umPlanejamento-Estrategico-de-TIC-no-CPD-da-UniversidadeFederal-de-Sergipe > SILVA, W. A. PETI: Proposta de um Guia para o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Disponível em: < http://www.scribd.com/doc/13152344/Proposta-de-um-Guiapara-o-Planejamento-Estrategico-de-Tecnologia-daInformacao-e-Comunicacao >

 www.cci.unama.br/margalho/portaltcc/tcc200

Plano Diretor de Sistemas de Informação. Disponível em: www.fesppr.br/~erico/x%202005%20%20X%202%20bim%2 0%20%20ADM/512%20PDSI.PPT TIBIRICA, M. B. ; TIBIRICA, A. C. G. ; BRAGA, J.L. . Metodologia para elaboração de plano diretor de sistemas de informação. In: XXI Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2001, Salvador-BA. Anais do XXI ENEGEP. Porto Alegre, RS : ABEPRO-Associação Brasileira de Engenharia de Produção, 2001. v. XXI. Rezende, Denis Alcides. 2007. Planejamento de Sistemas de Informação e Informática: guia prático para planejar a tecnologia da informação integrada ao planejamento estratégico das organizações. Ed. Atlas. São Paulo – SP. 192p.

4/harley&inacio.pdf

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful