You are on page 1of 28

Unificação italiana e

alemã
1 - ITÁLIA:

Dividida pelo Congresso de Viena (1815):

- Norte e Noroeste – Reino de Piemonte-


Sardenha (liberal-burguês).
- Nordeste – domínio austríaco (Veneza).
- Centro – Estados dominados pela Igreja
(Roma).
- Sul – Reino das Duas Sicílias (rural e
atrasado).

Precursores do movimento: CARBONÁRIOS.

- Sem linha de ação definida.


- Dispersos no território.
- Encontravam-se nas cabanas dos
carvoeiros.
MAZZINI  1848: tentativa frustrada de
livrar Veneza do domínio
austríaco.
 Tendências dos movimentos
pela unificação:
 Jovem Itália – liberais,
GARIBALDI republicanos. Giuseppe
Mazzini – líder.
 Camisas Vermelhas –
popular, republicano –
Giuseppe Garibaldi – líder.
 Risorgimento –

CAVOUR
burgueses, monarquistas.
Conde Camillo Cavour –
líder (1º ministro de
Piemonte).
ESTADOS
- Piemonte + Sardenha + Nice + Savóia: Rei
Victor Emanuel II.

- Parma + Módena + Toscana + Veneza +


Lombardia: Pertencem à Áustria.

- Reino das Duas Sicilias: Francisco II

Obs: O Imperador da França, Luís Napoleão III,


é inimigo de Francisco II.

- Roma + Estados Pontifícios: Pertence ao


Papa
Primeira Guerra de Unificação

Piemonte-Sardenha + França X Áustria

 Vitória de Piemonte-Sardenha
 Conquistas: Parma + Módena
+Toscana + Lombardia + Reino das
Duas Sícilias.
 Faltaram: Roma e Veneza
Segunda Guerra de Unificação

Piemonte-Sardenha + Prússia X Áustria+França

Piemente queria conquistar da Áustria: Veneza


França(Apoio): Roma

A Prússia queria conquistar da Áustria: 39 Estados


França: Alsácia-
Lorena

Importância da Alsácia-Lorena: Região rica em carvão e


minério de ferro.
A proclamação da república
romana (1849):
 Vitória de Piemonte-Sardenha+
Prússia

 A Prússia e A Itália se tornaram


importantes países
industrializados
A partir de 1860, o
movimento pela
unificação ganha
intensidade:

- Sul: conquistado
e unificado por
Garibaldi.

- Veneza:
conquistada pelo
Reino de
Piemonte,
auxiliado pela
FRA.

- Roma:
Garibaldi parte para a conquista da
Sicília:
 Questão Romana (1870)

 O papa se fez prisioneiro do Estado e não aceitou o governo


de Victor Emanuel II.
 O Papa tornou Victor Emanuel herege.
 Victor Emanuel instituiu o fim do catolicismo oficial.

 Tratado de Latrão (1929)


 Acordo firmando entre a Igreja e Benedito Mussolini
 Criou o Estado do Vaticano.
 O papa passou a ser chefe do Estado.
 Tornou o obrigatório o ensino religioso nas escolas italianas.
 Tornou oficial o catolicismo dentro da Itália
Resultados da unificação:

- Monarquia (Rei Vítor


Emanuel II).
- Progresso no Norte.
- Pobreza no Sul
(emigração).
-Atrito com a Áustria

- Questão Romana: não


reconhecimento da Igreja
ao recém criado Estado.
2 – ALEMANHA:

 Dividida pelo Congresso de Viena (1815):

 Confederação dos Estados Germânicos.


 39 Estados autônomos.
 Áustria – líder, agrícola.
 Prússia – vice, industrial.

 1834: ZOLLVEREIN (união aduaneira dos


Estados):

 Áustria inicialmente de fora.


 Prússia se fortalece política e
economicamente.
ZOLLVEREIN (1834):
1848: Revolta liberal
 Idéia de unificação ganha
impulso a partir de 1860:

 OTTO VON BISMARCK


(1º ministro da PRÚSSIA) –
líder.
 Aliança da burguesia
prussiana + Junkers
(aristocracia rural).
 Tática: militarismo BISMARCK
acentuado.
 Via Prussiana:
 sem participação
popular na condução
do processo.
 Unificação realizada
“de cima para baixo” a
 Etapas da unificação:

 1864: Guerra dos


Ducados (PRUS + AUS*
X DIN).

 Anexação dos
territórios de
Holstein e
Schleswig.
 1866: Guerra Áustro-
Prussiana (PRUS* X
AUS).

 1870 – 71: Guerra


Franco-Prussiana
(PRUS* X FRA).
 Anexação dos
territórios de
Alsácia-Lorena, ricos
em ferro e carvão.
Napoleão III e Bismarck, após a
batalha de Sedan:
A ALEMANHA UNIFICADA (1871):
Resultados:

- Revanchismo
francês (Alsácia-
Lorena).

- Disputa
imperialista.

- Progresso
industrial
acelerado.
Comuna de Paris (1871):

-Primeiro governo de
inspiração socialista da
história.

-Duração de apenas 72
dias.

-Igualdade civil entre


homens e mulheres,
pensões para viúvas e
órfãos, fim do trabalho
noturno.

- Reprimida pelo governo


republicano de Versalhes,
liderado por Adolphe
Communards:
A semana sangrenta: