You are on page 1of 72

Glândulas Paratiróides

Tecido Ósseo

.

.

• Proteção: protegem muitos órgãos internos contra lesão. ossos do crânios. . • Homeostasia mineral: O tecido ósseo armazena vários minerais. ex. eles exercem tração sobre os ossos. • Participação no movimento: músculos esqueléticos se contraem. vértebras e o gradil formado pelas costelas. que contribui para fortalecer o osso.Funções do Sistema Esquelético • Suporte: sustenta os tecidos moles e fornecendo um ponto de aderência para os tendões da maioria dos músculos esqueléticos. para produzir movimento. especialmente cálcio e fósforo.

toda a medula óssea é vermelha e está envolvida na hematopoese. e a maior parte da medula óssea vermelha muda para amarela. Com o avançar da idade. composta primariamente. leucócitos e plaquetas (hematopoese). chamado de medula óssea vermelha. um tecido conjuntivo. produz glóbulos vermelhos. • Armazenamento de triglicerídeos: No RN. . a produção de células sanguíneas diminui.• Produção de células sanguíneas: dentro de certas partes dos ossos. de adipócitos e poucas células sanguíneas dispersas.

como úmero (osso do braço) ou o fêmur (osso da coxa). fise=crescimento) é o corpo do osso – porção longa. cilíndrica e principal do osso. acima de) são as extremidades distais e proximais do osso. consiste nas seguintes partes: • Diáfise : (dia=através. • Osso longo é aquele cujo comprimento é maior que a largura e a espessura.Estrutura do Osso • A estrutura do pode ser analisada considerando partes do osso longo. • Epífise : (epi=sobre. .

.

• Cartilagem articular é a fina camada de cartilagem hialina que reveste a epífise. . • Periósteo (peri= em torno) tecido conjuntivo irregular que reveste o osso. em articulações de movimento livre.• Metáfises (meta=entre) são as regiões. que redizem a fricção e absorvem os choques. contém células formadoras de osso. onde a diáfise se junta com as epífises. onde o osso forma articulação com outro osso. que contribui no reparo de fraturas e nutrição do osso e serve como pontos de ligamentos de tendões. no osso maduro. onde ele não é recoberto por cartilagem articular.

.

• Cavidade medular é o espaço mais interno. dentro da diáfise. que contém a gordurosa medula óssea amarela. • Endósteo é a membrana que contém células formadoras de osso e reveste a cavidade medular .

.

.

.

Canal de Havers .

.

.

.

.

.

.

Histologia do Osso
• No osso, a matriz é composta por, aproximadamente, 25% de água, 25% de proteínas fibrilares e 50% de sais minerais cristalizados. • Existem 4 tipos de células, no tecido ósseo: • Células Osteogênicas • Osteoblastos • Osteócitos • Osteoclastos

• Células osteogênicas: (genic=que produz) são células – tronco não especializadas encontradas no periósteo, no endósteo. Elas são as únicas células ósseas que passam por divisão celular e suas células- filha resultante se desenvolve em osteoblastos. • Osteoblastos: Elas sintetizam e secretam fibras de colágeno e outros componentes orgânicos necessários à formação da matriz óssea e iniciam a calcificação.

.

.

.

.

tais como a troca de nutrientes e metabólitos com o sangue. Mantêm as atividades celulares diária do tecido ósseo. . Derivam dos osteoblastos que ficaram aprisionados nas secreções de matriz. Estas células não são mais capazes de secretar componentes de matriz.• Osteócitos: são células ósseas maduras e são as principais células do tecido ósseo.

.

.

Formação de osso .

que ficam concentradas no endósteo.• Osteoclastos: (clast=quebrar clastos=destroem matriz) são células de grande tamanho • Derivadas da fusão de 50 monócitos. • Essa destruição da matriz óssea faz parte do desenvolvimento. . crescimento. • Estas células liberam poderosas enzimas lisossômicas e ácidos. manutenção e reparo normais do osso. que digerem os componentes protéicos e minerais do osso.

.

Osteoclasto .

.

Restos necróticos sendo removidos por osteoclastos .

.

.

Matriz Óssea • Contém sais minerais inorgânicos em abundância. algum carbonato de cálcio. pequenas quantidades de hidróxido. . fluoreto e sulfato de magnésio. é iniciada pelos osteoblastos. • Esses sais minerais são depositados na trama. formadas pelas fibras de colágeno da matriz. eles cristalizam e o tecido endurece (calcificação ou mineralização). principalmente hidroxiapatita (fosfato de cálcio).

. • De maneira geral 80% do esqueleto consiste em osso compacto e 20% em esponjoso. • Outros espaços constituem áreas de armazenamento para a matriz óssea vermelha. • Alguns espaços formam canais para vasos sanguíneos que suprem células ósseas com nutrientes. pois tem muitos pequenos espaços entre seus componentes rígidos.• O osso não é completamente sólido.

dispostas como trama irregular. • Os espaços macroscópicos. . • O tecido ósseo compacto dá proteção e suporte e resiste ás forças produzidas pelo peso e movimento. • Tecido ósseo esponjoso: consiste em lamelas. estão preenchidos com medula óssea vermelha. de finas colunas ósseas. chamadas trabéculas.• Tecido ósseo compacto: contém poucos espaços e forma a camada externa de todos os ossos e constitui a maior parte das diáfises dos ossos longos. que produz células sanguíneas. entre as trabéculas de alguns ossos.

.

Glândula Paratireóide .

.

não é conhecida sua função. • Em geral. são a fonte principal do hormônio paratiroidiano (PTH) ou paratormônio. • Contêm dois tipos de células epiteliais • Células principais. estão presas duas glândulas paratiróides. • Célula oxifilica.Paratiróide • Localização pequenas massas arredondadas presas à superfície posterior dos lobos laterais da glândula tiróide. . superior e a inferior. a cada lobo lateral da tiróide.

.

• 2. devolvendo ao sangue. .inibe a reabsorção de fosfatos pelos rins.aumenta a velocidade com que os rins removem cálcio e magnésio da urina. de modo que a maior quantidade é excretada na urina.Hormônio Paratiroidiano • O PTH aumenta o número e atividade dos osteoclastos. • Induz duas alterações nos rins 1. • Induz a liberação de cálcio e fosfatos do osso para o sangue. • Portanto o PTH diminui a concentração de fosfato e aumenta a concentração sanguínea de cálcio e magnésio.

O Calcitrol.25diidróxido vitamina D3. para o sangue.• O terceiro efeito do PTH sobre os rins é o de promover a formação do hormônio calcitrol. que aumenta a reabsorção de cálcio e magnésio pelo trato gastrintestinal. que é a forma ativa da vitamina D. também é conhecido como 1. .

por meio das alças de feedback negativo. dos quais não participa a glândula hipófise. .• A concentração sanguínea de cálcio controla. diretamente a secreção de calcitonina pela (tiróide) e do PTH (paratiróide).

estimula as células parafoliculares da glândula tiróide a liberar calcitonina. . reduz o cálcio do sangue. • A calcitonina promove a deposição do cálcio sanguíneo na matriz do tecido ósseo.Cascata • Concentração aumentada de Cálcio no sangue. o que consequentemente.

Células Parafoliculares .calcitonina .

Células parafoliculares .

.

de cálcio estimula as células principais da glândula paratiróide que liberam mais PTH. • O PTH promove a liberação de cálcio pela matriz óssea para o sangue e retarda a perda de cálcio na urina.• A concentração abaixo do normal. elevando a concentração sanguínea. conforme diminui o cálcio sanguíneo. . • O PTH estimula a liberação de calcitrol que aumenta a reabsorção de cálcio pelo trato digestivo.

Hiperparatireoidismo • Primário – superprodução de PTH • Secundário .relacionado a IRC • Terciário (menos freqüente) .

Hiperparatireoidismo Primário • Constitui um dos distúrbios endócrinos mais comuns • Importante causa de hipercalcemia • Causas da hiperfunção da paratireoide: Adenoma – 75 a 80% dos casos Hiperplasia – 10 a 15% dos casos Carcinoma – menos de 5% .

podendo afetar a glândula em um padrão difuso ou multinodular.• Adenoma (maligno) – quase sempre solitários. afeta apenas 1 glândula. consiste em uma massa irregular brancoacinzentada . apresenta-se na forma de nódulo bem circunscrito de consistência mole e acastanhado. envolvido por uma delicada cápsula • Hiperplasia – aumenta o número de células principais. as demais encontram-se ligeiramente contraídas devido a elevação dos níveis de cálcio na circulação • Carcinoma (benigno) – aumento da glândula.

Carcinoma de tireóide .

.

• Manifestação menos freqüente – doença renal e óssea • Neoplasias. constitui uma causa comum de hipercalcemia – exames clínicos e laboratoriais precisam descartar a hipótese de neoplasias em pacientes com suspeita de hiperparatireoidismo .Evolução Clínica • Hiperparatireoidismo assintomático – clinicamente silencioso • Manifestação mais comum .níveis elevados de cálcio na circulação (hipercalcemia) . em geral.determinados ao acaso.

normalizando este íon na circulação .• Pacientes com neoplasias – níveis de PTH baixo ou indetectável. cálcio aumentado (hipercalcemia) • Pacientes com hiperparatireoidismo primário – PTH e cálcio circulantes aumentados (PTH mais elevado que o cálcio). Fosfato aumenta na urina –devido ao excesso de PTH. diminui no sangue • A doença renal secundária pode resulatar em retenção de fosfato.

convulsão • Anormalidades neuromuscular – fraqueza e fadiga muscular • Manifestações cardíacas – calcificação das valvas aórtica ou mitral (ou ambas) . pancreatite e cálculos biliares • Alterações do SNC – depressão.• Hiperparatireoidismo sintomático – principais sintomas: • doença óssea – inclui a dor óssea devido a fratura de ossos enfraquecidos • Distúrbios gastrintestinais – constipação. náuseas. letargia.

• Efeitos diretos do aumento do PTH (hiperparatireoidismo) – nefrolitíase e a dor óssea • Efeitos diretos da hipercalcemia – fadiga fraqueza. constipação e calcificação das valvas .

Hiperparatireoidismo secundário • Ocorre redução no níveis de cálcio na circulação – causa mais comum: Insuficiência Renal • Os níveis reduzidos de cálcio resulatam em hiperatividade das glândulas paratireóides – aumenta o PTH no sangue (efeito secundário) • Outras causas: deficiência de vitamina D – não absorve cálcio – estimula a liberação de PTH • As glândulas apresentam-se hiperplásicas .

O hiperpatireoidismo é causado pelo excesso de PTH no sangue que ocorre na insuficiência renal. O seu tratamento é o controle do fósforo. diálise bem feita e o uso de Vitamina D3. .

Hiperparatireoidismo terciário • Menos comum • Atividade tireóidea torna-se autônoma e excessiva – gera o desenvolvimento de hipercalcemia • Paratireoidectomia – pode ser necessário como medida terapêutica .

Hipoparatireoidismo • Menos comum que o hiperparatireoidismo • Deficiência de PTH – induzido por: Remoção das paratireóides durante a tireoidectomia • Remoção de uma proporção grande de tecido paratireóideo no tratamento do hiperparatireoidismo primário • Ausência congênita de todas as glândulas • Doença auto-imune – anticorpos contra receptores sensores de cálcio se ligam impedindo a ligação do cálcio – não há estímulo para a liberação de PTH .

dormência perioral.Manifestações Clínicas • Principal causa de hipocalcemia – tetania. parestesia de extremidades distais • Espasmos do tipo laringoespasmo é potencialmente fatal .

ansiedade. estado de convulsão • Manifestações intracranianas – distúrbio de movimentos semelhantes a Parkinsonismo • Doenças oculares – calcificação do cristalino.. depressão. formação de catarata • Manifestação cardiovascular – defeito na condução elétrica do coração • Anormalidades dentárias – formação defeituosa do esmalte e raízes e dentes cariados .• Alterações mentais – instabilidade emocional.

. • Ocorre uma redução do número de trabéculas óssea enfraquecendo os ossos corticais e trabeculares.Osteoporose • Caracteriza-se por uma redução generalizada da massa óssea. • Frequente em idosos • Muito suscetíveis a fraturas por graus mínimos de traumatismo. composto por trabéculas anormalmente finas.