UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE-RS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E AMBIENTAIS ENGENHARIA AMBIENTAL

CONVENÇÕES AMBIENTAIS
APRESENTADORES:

ANA CLAUDIA GUEDES SILVA CAMILA ANGELICA BAUM CRISTIANE BOZZETTO GABRIEL TREVISAN JÉSSICA FORMENTINI
ORIENTADOR: ALEXANDRE COUTO RODRIGUES

FREDERICO WESTPHALEN, OUTUBRO 2013.

CENTRO NACIONAL DE TECNOLOGIAS LIMPAS, BRASIL, 1995
 A UNIDO e o UNEP criaram um programa voltado para as atividades relacionadas à prevenção de poluição com a proposta de instalar vários Centros em países em desenvolvimento;

 No Brasil, foi hospedado pelo sistema da CNI, no SENAI do RS;

a fim de facilitar a transferência de informações e tecnologia às empresas. .CENTRO NACIONAL DE TECNOLOGIAS LIMPAS  Tem como objetivo constituir uma rede formada por instituições e profissionais.  O SENAI-RS foi escolhido para sediar o 10º Centro Nacional de Produção mais Limpa de uma série de 23 centros instalados pelo mundo.

 A principal preocupação do CNTL é envolver os empresários. com a Produção mais Limpa.CENTRO NACIONAL DE TECNOLOGIAS LIMPAS  A formação desta rede é facilitada pela localização do CNTL/SENAIRS dentro do sistema FIERGS. . principalmente da indústria. estão sendo implantados Núcleos Regionais de P+L junto às Federações das Indústrias dos Estados Brasileiros.  No momento.

4.Na capacitação de profissionais.Na atuação em políticas ambientais. . 3.Na disseminação da informação. 2.Na implementação de programas de Produção mais Limpa nos setores Produtivos.CENTRO NACIONAL DE TECNOLOGIAS LIMPAS  O CNTL SENAI atua fundamentalmente: 1.

. UNEO. 1998  Surgiu na Coréia do Sul em 1998 o United Nations Environment Programme (UNEP) ou Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente como é chamado no Brasil. empresas e organizações a adotar e promover aquela estratégia.  Declaração Internacional Sobre Produção Mais Limpa.DECLARAÇÃO DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA. CORÉIA DO SUL.  Ferramenta para encorajar os governos.

1998  Obter o desenvolvimento sustentável é uma responsabilidade coletiva. produtividade verde e Prevenção da Poluição são as opções preferidas. UNEO. Ações para proteger o meio ambiente global devem incluir a adoção de práticas de consumo e de produção sustentáveis melhoradas.  Produção mais Limpa e outras estratégias preventivas como Eco eficiência. CORÉIA DO SUL. .DECLARAÇÃO DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA.

EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO  INTEGRAÇÃO  INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  DIVULGAÇÃO  APLICAÇÃO . CORÉIA DO SUL. UNEO. 1998 Com esta finalidade. os participantes se comprometeram a:  LIDERANÇA  CONSCIENTIZAÇÃO.DECLARAÇÃO DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA.

.PACTO GLOBAL. 2000  Foi anunciado pelo Secretário Geral da ONU.  Lançado oficialmente em 26 de julho de 2000 no escritório da ONU em Nova Iorque. no Fórum Econômico Mundial .Fórum de Davos na reunião em janeiro de 1999. Kofi Annan.

sindicatos. . organizações não-governamentais e demais parceiros necessários para a construção de um mercado global mais inclusivo e igualitário.PACTO GLOBAL. empresas. 2000  Esta iniciativa conta com a participação de agências das Nações Unidas.

. ele também foi a base para a criação da ISO 26000.PACTO GLOBAL. 2000  Busca fornecer diretrizes para a promoção do crescimento sustentável e da cidadania através de lideranças comprometidas com a causa.  Além de funcionar como complementação às atividades de sustentabilidade das empresas.

2000  Objetivo: Encorajar o alinhamento das políticas e práticas empresariais com os valores e os objetivos aplicáveis internacionalmente e universalmente acordados.PACTO GLOBAL. .

PACTO GLOBAL. 2000 Figura 1 : Os 10 princípios do Pacto Global Fonte: http://www.copel.com/hpcopel/root .

 2002 ocorreu "Diálogo Empresarial sobre os princípios do Pacto Global" em BH. 206 empresas aderiram o desafio. 2000 Brasil  Primeiro semestre de 2000.PACTO GLOBAL.  Dezembro de 2003. foi criado o Comitê Brasileiro do Pacto Global (CBPG). .

 2005 houve a mobilização no sentido de promover a agenda dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). na sede das Nações Unidas.  Julho de 2007. em Genebra. realização do UN Global Compact Leaders Summit. .PACTO GLOBAL. houve uma expressiva participação da Rede Brasileira do Pacto Global durante a realização do segundo UN Global Compact Leaders Summit. 2000  Julho de 2004.

(iii) o apoio às empresas para a implementação de tais princípios. (iv) o incentivo à troca de experiências e aprendizados. (v) a articulação internacional com as demais redes do Pacto Global. 2000  Pontos a serem alcançados definidos pelo CBPG : (i) a massificação de seus princípios no país. .  Em 2012 Encontro anual da Rede Brasileira do Pacto Global. bem como com o escritório em Nova Iorque. (vii) a assessoria à diretoria do CBPG. (vi) a promoção do vínculo entre os princípios do Pacto Global e os ODM. (ii) a ampliação da adesão de empresas e organizações brasileiras.PACTO GLOBAL.

o Pacto Global vem impulsionando diversas empresas no país a adotarem a cidadania empresarial como padrão para a gestão de seus negócios e outras organizações na intensificação deste movimento onde ele já está se encontra consolidado.PACTO GLOBAL. 2000 Hoje. .

2000  A Carta da Terra é uma declaração de princípios éticos fundamentais para a construção. sustentável e pacífica. no século 21. democracia e paz são interdependentes e indivisíveis. desenvolvimento econômico equitativo. erradicação da pobreza. .CARTA DA TERRA.  Tem a preocupação com a transição para maneiras sustentáveis de vida e desenvolvimento humano sustentável. a Carta da Terra reconhece que os objetivos de proteção ecológica. visando à integridade ecológica.  Entretanto. de uma sociedade global justa. respeito aos direitos humanos.

na Cúpula da Terra. • Traduzido para 40 idiomas e • Apoiado por milhares de organizações ao redor do mundo. inclusive no Brasil sendo conhecida como a carta dos povos. em 1987. .CARTA DA TERRA. pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento das Nações Unidas. 2000  Idealizada 1987. 1992. realizada no Rio de Janeiro.  O documento ficou pronto no ano 2000.  Ganhou importância.

. . .Justiça social e econômica.Democracia. • Agrupados em quatro grandes tópicos: . e não Violência.Respeitar e cuidar da comunidade de vida.Integridade ecológica. 2000  A Carta possui 16 princípios básicos.CARTA DA TERRA. . e paz.

nos encoraja a buscar aspectos em comum em meio à nossa diversidade e adotar uma nova ética global.CARTA DA TERRA. é necessário alianças internacionais pois com a Carta da Terra.  Para que haja aceitação da mesma. sendo consideradas como moralmente. mas não juridicamente obrigatórias para os Governos de Estado. partilhada por um número crescente de pessoas por todo o mundo. 2000  A Carta da Terra adquiriu um status de lei branca. .

a. Aceitar que. com o direito de possuir. independentemente de sua utilidade para os seres humanos. vem a maior responsabilidade de promover o bem comum. Assumir que. dos conhecimentos e do poder. Reconhecer que TODOS OS SERES são interdependentes e cada forma de vida tem valor. 2000 PRINCÍPIOS I. 2. . administrar e usar os recursos naturais. compaixão e amor. Respeitar a Terra e a vida em toda sua diversidade. a. b. com o aumento da liberdade. vem o dever de prevenir os danos ao meio ambiente e de proteger os direitos das pessoas.CARTA DA TERRA. RESPEITAR E CUIDAR DA COMUNIDADE DE VIDA 1. Cuidar da comunidade da vida com compreensão.

planos e regulamentações de desenvolvimento sustentável que façam com que a conservação e a reabilitação ambiental sejam parte integral de todas as iniciativas de desenvolvimento. em todos os níveis. a. Agir para evitar a possibilidade de danos ambientais sérios ou irreversíveis.CARTA DA TERRA. quando o conhecimento for limitado. Proteger e restaurar a integridade dos sistemas ecológicos da Terra. 2000 II. mesmo quando o conhecimento científico for incompleto ou não conclusivo. . Prevenir o dano ao ambiente como o melhor método de proteção ambiental e. a. 6. assumir uma postura de precaução. INTEGRIDADE ECOLÓGICA 5. com especial atenção à diversidade biológica e aos processos naturais que sustentam a vida. Adotar.

2000 7. os direitos humanos e o bemestar comunitário. consumo e reprodução que protejam as capacidades regenerativas da Terra. Adotar padrões de produção. Reduzir. Avançar o estudo da sustentabilidade ecológica e promover o intercâmbio aberto e aplicação ampla do conhecimento adquirido.CARTA DA TERRA. . reutilizar e reciclar materiais usados nos sistemas de produção e consumo e garantir que os resíduos possam ser assimilados pelos sistemas ecológicos. a. a. com especial atenção às necessidades das nações em desenvolvimento. 8. Apoiar a cooperação científica e técnica internacional relacionada à sustentabilidade.

aos solos não contaminados. Garantir que as atividades e instituições econômicas em todos os níveis promovam o desenvolvimento humano de forma equitativa e sustentável. a. financeiros. alocando os recursos nacionais e internacionais demandados. técnicos e sociais das nações em desenvolvimento e liberá-las de dívidas internacionais onerosas. a. . 2000 III. ao ar puro. Erradicar a pobreza como um imperativo ético. Incrementar os recursos intelectuais. JUSTIÇA SOCIAL E ECONÔMICA 9.CARTA DA TERRA. à segurança alimentar. ao abrigo e saneamento seguro. social e ambiental. Garantir o direito à água potável. 10.

cor.CARTA DA TERRA. Defender. 12. 2000 11. gênero. religião. orientação sexual. étnica ou social. . sem discriminação. a. idioma e origem nacional. a. como as baseadas em raça. os direitos de todas as pessoas a um ambiente natural e social capaz de assegurar a dignidade humana. Afirmar a igualdade e a equidade dos gêneros como pré-requisitos para o desenvolvimento sustentável e assegurar o acesso universal à educação. com especial atenção aos direitos dos povos indígenas e minorias. assistência de saúde e às oportunidades econômicas. Assegurar os direitos humanos das mulheres e acabar com toda violência contra elas. a saúde corporal e o bem-estar espiritual. Eliminar a discriminação em todas as suas formas.

Integrar. 14. os conhecimentos. especialmente a crianças e jovens. Fortalecer as instituições democráticas em todos os níveis e prover transparência e responsabilização no exercício do governo. Apoiar sociedades civis locais. participação inclusiva na tomada de decisões e acesso à justiça.CARTA DA TERRA. regionais e globais e promover a participação significativa de todos os indivíduos e organizações interessados na tomada de decisões. 13. DEMOCRACIA. Prover a todos. 2000 IV. NÃO VIOLÊNCIA E PAZ. na educação formal e na aprendizagem ao longo da vida. valores e habilidades necessárias para um modo de vida sustentável. a. . oportunidades educativas que lhes permitam contribuir ativamente para o desenvolvimento sustentável. a.

Impedir crueldades aos animais mantidos em sociedades humanas e protegê-los de sofrimento. a. a. Promover uma cultura de tolerância.CARTA DA TERRA. . Tratar todos os seres vivos com respeito e consideração. dentro das e entre as nações. 16. Estimular e apoiar o entendimento mútuo. 2000 15. não-violência e paz. a solidariedade e a cooperação entre todas as pessoas.

L.br/noticia/ambiente/conteudo_419509. Acessado em: 26 set.html>.org. F. .pdf> Acesso em 27 set. 2003. M. O que é a Carta da Terra? Revista Vida Simples. O que é a Carta da Terra. Pacto Global – Rede Brasileira. 2013.pactoglobal.org/prt/what_is. 20XX.sistemafiergs. VASCONCELOS. Acesso em 28 set. Porto Alegre.br/portal/page/portal/sfiergs_senai_uos/senairs_uo697 /proximos_cursos/implementa%E7%E3o%20PmaisL. Implementação de Programas de Produção mais Limpa... Disponível em < http://srvprod. PROENÇA. 2013. Histórico.REFERÊNCIAS CARTA DA TERRA BRASIL. Acesso em 28 set. 2013. São Paulo – SP. Centro Nacional de Tecnologias Limpas SENAI-RS/UNIDO/UNEP. Disponível em: <http://planetasustentavel. 2013. Y. 2013. LACERDA.abril.com.R.br/artigo/63/Historico>. 2008.cartadaterrabrasil.org. Disponível em: <http://www.shtml>. SARMATZ. Disponível em: <http://www.